27/08/2015

O que faltou?

Passando por cima de temas como o "controlo da profundidade" (era essencial com este adversário, mas não percebo o suficiente da poda para explicar o que poderia ter sido feito melhor) faltou, essencialmente, tarimba/experiência, creio que algum pulmão, lucidez, também um pouco de sorte e arbitragens menos inclinadas.

Faltou tarimba/experiência, para aguentar o impacto daquele primeiro golo aos trambolhões (e que golo mais estúpido...). A equipa abanou. Fez lembrar aqueles adversários que vêm a Alvalade com a "lição estudada" (em joaquimritês), sofrem um golo e vão por ali abaixo. Faltou um verdadeiro líder em campo que segurasse as pontas e transmitisse à equipa aquilo que era evidente mas não parecia para quem estivesse a ver o jogo: ainda estávamos em vantagem, o adversário tinha que correr atrás do resultado e, mesmo que conseguisse um golo, apenas empataria a eliminatória. A equipa tremeu não por ficar em desvantagem, mas apenas pela eventualidade de ficar mais perto disso.

Faltou algum pulmão, creio. Ao contrário do que se poderia pensar, JJ não foi sobranceiro e percebeu que o MC precisava de ser reforçado. A 1ª parte, mesmo que em alguns momentos se tenham corrido alguns riscos desnecessários, foi bem controlada. A segunda parte pode ter sido apenas condicionada pelo golo logo a abrir (e desculpem o comentário ao melhor estilo "conversa de café" mas... que falta tão desnecessária do Paulo Oliveira) mas pode também ter faltado pulmão para impor o futebol de posse de bola no MC adversário que foi posto em prática na 1ª parte (pareceu-me evidente em Ruiz e João Mário, por exemplo). Se na 1ª parte cheguei a pensar que estávamos com as linhas muito subidas, na 2ª o recuo foi excessivo. Foi um recuo mental, essencialmente; mas pergunto-me se não faltou também energia.

Faltou lucidez a alguns jogadores (a bola "queimava" nos pés) e também a JJ. A equipa precisava de refrescar (Ruiz, Aquilani, João Mário...) e JJ já confessou que quis esperar pelo prolongamento. Sinceramente, nesse momento desejei novamente um JJ "mais JJ", que tentasse impedir o prolongamento. Foi cauteloso e nem percebo muito bem porquê: um jogador que entre aos 70 minutos, por exemplo, vai fazer 50 minutos de jogo, o que não é seguramente muito exigente, mesmo atendendo ao momento da época. Parecia evidente que o CSKA nos queria levar para aí, aproveitando-se do maior ritmo e de um estilo de jogo que encaixaria que nem uma luva no prolongamento de ontem. Mas enfim, aqui não vou estar a crucificar JJ - é daquelas em que poderia ser preso por ter cão ou por não ter. Creio que as substituições de justificavam (quanto mais não fosse para transmitir algum tipo de mensagem à equipa), mas o jogo estava perdido antes disso...

Faltou sorte, sim, também faltou. Aquele 1º golo, para além da disparatada geral, tem um ressalto no braço de Doumbia (e neste lance eu não considero que haja qualquer intenção de jogar com o braço, foi um mero ressalto) que cai precisamente para o único sítio onde não poderia cair. E o 1º golo, já o disse acima, mudou tudo.

Faltaram, nos dois jogos, arbitragens menos inclinadas. Quanto ao 1º jogo, já muitos disseram tudo o que se passou. Quanto ao jogo de ontem... nunca vamos conseguir saber se o fiscal-de-linha viu de facto a bola sobrevoar a linha. Mas uma coisa vê-se nas imagens - após a marcação do canto, o fiscal-de-linha vem para dentro e não levanta a bandeirola. Tê-la-á levantado quando a bola entrou? Depois temos o critério disciplinar: duas cotoveladas dos russos, amarelo; uma entrada dura de João Mário, vermelho.

No demais, recomendo vivamente os dois fantásticos posts do Cantinho do Morais sobre os jogos da 1ª mão e da 2ª mão. Espreitem aqui e aqui. Gostava, mesmo muito, de ter o sentido de humor do Cantinho nestes momentos. Não tenho. Estou simplesmente aborrecido. Com "F" grande.

15 comentários:

  1. Acima de tudo faltou o Sporting ter contrato de publicidade com a gazprom

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. António,
      Fomos prejudicados nos dois jogos, é evidente. Mas vou citar o próprio Jorge Jesus: "[os erros] foram tantos nestes dois jogos, que se formos a falar neles parece que estamos a fugir à responsabilidade e não quero que isso aconteça".
      Daí que o post comece com aquilo em que acho que podíamos ter sido melhores. Porque podíamos mesmo ter sido melhores.
      Agora, é tudo mais difícil quando não somos efetivamente melhores e nos acontece isto. Parece que temos sempre que ser melhores. Ganhar sem estar no limite das capacidades não é para nós, está visto...
      SL

      Eliminar
  2. Meu querido amigo

    Conheces-me há muitos anos (20, foda-se!) e sabes que pouco teorizo sobre bola. Gosto mais da poesia e da tragédia do jogo.
    Mas sei ler sinais. Tenho instinto para isso. E por isso é que aquilo que aqui previ(http://futebola3.blogspot.pt/2015/08/de-regresso.html#comment-form).... aconteceu.

    E fi-lo quando estavam com a eliminatória ganha ao intervalo.

    Não ponham a mão no inominável, não, que vão ver o que acontece.

    E agora, se me permites, gostava de saber onde anda o Anónimo que diz que os benfiquistas adoram comer gelados com a testa.

    Ó Anónimo, "É frutó chocolate ?"




    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro, lamento mas discordo.

      Tu disseste que íamos pagar o preço da arrogância de JJ. A tua frase foi esta: "digo isto porque conhecemos jj melhor do que ninguém. E se há coisa a que nos habituámos - para além do fracasso na Champions - foi ao seu egocentrismo exacerbado.". Sabes uma coisa? Temi precisamente o mesmo, como aliás te disse.

      Mas temos que ser justos e perceber que não foi por isso que fomos eliminados. Pelo contrário - JJ foi cauteloso e geriu bem o início do jogo. No que respeita à performance da equipa o que falhou essencialmente esteve na cabeça dos jogadores. A falta de tarimba e a tremedeira injustificada, fundamentalmente. Há coisas que o treinador só conseguiria controlar se tivesse um time-out. Mas no futebol não existe. Na parte final do jogo, voltou a ser cauteloso - e aí até terá falhado por ser cauteloso, não por sobranceria.

      Isto dito, certamente reconhecerás que prever uma eliminação numa eliminatória em aberto (mesmo com vantagem, com 2-1 está tudo em aberto), é uma aposta de 50/50. Podias acertar ou não. Se tivesse acontecido o que tu previas e eu temia, não teria problemas em dar-te razão. Mas não foi isso que aconteceu.

      Posso dar-te um exemplo em sentido inverso: eu previ nesse mesmo comentário que o Benfica será irregular. Ora, depois de ganhar 4-0, perdeu com o Arouca. Mas sendo honesto não esperava que o Benfica perdesse já este jogo. Pelos sinais que vejo (um futebol muito precipitado e aos repelões, uma defesa intranquila) antecipo essa irregularidade essencialmente em dois momentos: jogos da Champions e Inverno. Aconteceu já. É futebol.

      Abraço

      Eliminar
    2. Meu caro

      Não deixo de achar curioso que digas que "prever uma eliminação numa eliminatória em aberto (mesmo com vantagem, com 2-1 está tudo em aberto), é uma aposta de 50/50. "

      e

      depois apareço um teu correligionário (RMSCP) a dizer: "uma eliminatória que estava ganha rapidamente se perdeu".

      Pois é. Tudo é uma questão de perspectiva.

      Para ele 'tava ganha. Para ti, homem cauteloso, e advocatus insigne, não. E dás a volta à questão.

      Falei-te do fracasso de ......... na Champs. e isso provou-se. Peço desculpa se o resultado vos fode o juízo, mas aconteceu o que eu previa. A eliminação. Mais uma na carreira do Cérebro (so he says) da Liga dos Maiores. Ano passado foi confrangedor ver como Benfica foi à Champs. E este ano o..... já saiu em press conference a dizer que o importante é o campeonato. E depois nós é comemos gelados com a testa.

      Um abraço pá !

      Eliminar
    3. Não neguei que o tivesses "previsto". Digo é que foi um palpite, como qualquer outro. Nada teve a ver com os "sinais" que supostamente interpretaste porque ele (JJ) não foi por esse caminho de sobranceria que tu (fundadamente) previas.

      Se ficas contente por teres acertado o palpite, percebo. Eu quando acho que o Benfica vai perder também fico contente por acertar. Mas não me venhas é com tretas de intuição e de sinais, man! O gajo fez o contrário do que insinuaste que ele ia fazer.

      Perdeu e ficas contente? Percebo. Mas não teve nada a ver com o que falámos.

      Eliminar
    4. Michael

      não é para ser chato, mas é preciso represtinar o meu comentário ao dia em que jogaram em casa. Quando terminou esse jogo, o ........ foi sobranceiro, altivo, arrogante, e todos os adjectivos que conheças que rimem com egocêntrico. Saiu do jogo assim. Foram esses sinais que eu li.
      Se atacou a 2ª mão sobranceiro, altivo e arrogante. Aí acho que não.
      Foi simplesmente burro.

      Eliminar
  3. MMS,

    Também acho que aquele "chouriço" mudou tudo. Houve um jogo até ao "chouriço" e outro depois...

    Não acho que tenhamos feito uma má exibição. Podíamos ter feito melhor também mas se formos a ver perdemos por detalhes. Detalhes que, face ao momento da época em que estamos, é normal ainda não estarem corrigidos.

    Enfim, o que custa é que uma eliminatória que estava ganha rapidamente se perdeu...

    Cumps

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acima de tudo recuámos muito. É raro concordar com o Freitas Lobo mas ontem ouvi-o na SportTv e ele disse exatamente o que eu pensava: às tantas, a tática não sobrevive à cabeça dos jogadores. A bola começou a queimar, os chutões começaram a ser regra. Do 1-1 até ao 2-1, não me lembro de o Sporting ter conseguido sair a jogar e chegar à área adversária uma só vez. E estamos a falar de mais de 20 minutos de jogo.

      Vejamos se com vários milhões a menos na conta não teremos que vender...

      Abraço

      Eliminar
  4. Concordo plenamente com a questão do cansaço. Cheguei a comentar que esses jogadores que referes e até Aquilani parecia que tinham baterias de iPhone. O erro de Jesus poderá ter sido, de facto, a demora em refrescar o meio campo mas poderá ter duvidado da qualidade disponível? Quanto à táctica, muito me surpreendeu. Ao contrário do que me tinha habituado, Jesus assumiu a mais correcta. Para não falar na arbitragem, prejudicial na primeira mão e no mínimo tendenciosa na segunda, faltou William para segurar o meio campo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nem mais. William faz muita falta. Um 6 faz muita falta, em geral.

      Eliminar
  5. MMS,

    (obrigado pelas referências. Ontem um amigo meu dizia-me que não conseguia ter um blog - ele até conseguia - porque custava-lhe escrever depois de um jogo como aquele. Para mim, que fiquei mesmo muito fod%#do, foi a forma de relativizar e mostrar que isto é tudo uma hipocrisia e que de desporto já não tem nada).

    Concordo com aquilo que dizes e questionas no post. Mas desculpa, para mim o que faltou ontem foi uma arbitragem honesta, mais nada. Mesmo com todas as falhas que mencionas (e que eu vi e desesperei por elas, quando via o jogo), o Sporting marcou 2 golos e sofreu 2. Não golos com braços. Não há (excepto pelo Vata e por adversários do Sporting). E o Doumbia devia estar na rua, minutos antes de marcar o 2-1.

    Os maus resultados levantam questões. Os bons não. O Adrien tem um erro que leva a um golo cometido com o braço. Os centrais do CSKA sofrem um golo, a 8 minutos do fim, do Slimani num canto, saltando no meio deles. A defesa do Sporting (e JJ) é, hoje, considerada incompetente e ninguém questiona a do CSKA nem o seu treinador.

    Aquilo ontem não era para nós. É esquecer e não cair novamente na armadilha.

    grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantinho, só não concordo com o tema do braço. A bola bate no braço de forma casual. O facto de ter dado golo é dos tais que "só acontece ao Sporting". Mas não há qualquer culpa (nem dolo, nem sequer negligência) do jogador. Peço desculpa pelo conceito jurídico, mas "ajuda-me" na interpretação dos lances de mão.

      Ontem só me conseguia rir ao ler o teu texto - "Parece que esta derrota valeu-nos 3M de euros. Não está mal. Fomos bombos mas fomos caros, num claro sinal de prestígio internacional." Muito boa a ironia.

      grande abraço

      Eliminar
    2. Mostra-me o dolo no braço de Sarr na época passada no Restelo na Taça da Liga e o dolo de Cédric no Dragão há duas épocas atrás?

      Para mim é simples. A bola não ia na direcção da baliza. Ia ao contrário. Bateu no braço do avançado e entrou. O braço não está escondido. Não teve intenção? Não. Mas só assim é que a bola entrou? Sim. Então é ilegal (para mim, não estou a sustentar-me em nenhuma lei).

      grande abraço

      Eliminar
    3. Seria uma longa (e chata!) discussão. Mas de facto se ia ou não na direção A ou B é irrelevante. Só releva a intenção (caso óbvio) ou as (menos óbvias) situações de negligência. Aquelas em que o jogador coloca o braço numa posição pouco natural e/ou em prolongamento do seu corpo. Não é o que acontece ali.

      Nos dois casos que referes, para mim não é penalty. Mas recordo-te o equipamento que esses dois jogadores vestiam...

      Eliminar