13/04/2015

Notas soltas sobre a falta de (noção da falta de) qualidade(s)

Como habitualmente, enervei-me a ver um jogo do Sporting e perdi mais alguns dias de vida. Pelo que vi na TV, acho que o Marco Silva viveu igual experiência. É que há coisas que não dá para explicar. Já outras têm explicações aparentemente simples (pelo menos aos meus olhos).

1. Miguel Lopes, Jefferson, Adrien, Carlos Mané. Todos estes jogadores, se olharmos ao que valem tecnicamente, têm lugar no plantel do Sporting, isso não discuto. Têm, todos eles, um problema que já aqui apontei a Adrien, mas não é justo que "viva" sozinho com esse peso: todos pensam que valem mais do que realmente valem. Lopes acha que pode sempre fintar o seu opositor direto ou trocar a bola de primeira. Jefferson acha que o seu cruzamento vai sempre direito à cabeça de um PL imaginário que ontem nem estava em campo. Mané acha que consegue ultrpassar qualquer adversário em 1x1, sejam quais forem as circunstâncias (mas não o vejo ultrapassar nenum!). Adrien tem um momento muito bonito na 2ª parte, que desperdiça porque, com o PL a entrar para o meio, vindo da direita, e sendo ele (PL) canhoto, resolve fazer um passe picado para a sua direita ao invés do passe mais simples, rasteiro, para apanhar o melhor pé do colega. As bolas que se perdem com a falta de noção das limitações destes 4 são incontáveis.

2. Ewerton e Tanaka. Dois jogadores que ainda não perceberam o que representa o Sporting no atual panorama. O primeiro não percebeu que seria expulso à primeira oportunidade, o segundo teve sorte - o Setúbal ainda jogava com 11 na altura em que resolveu tentar chegar a uma bola com um golpe de karaté. Faltou dizer a Ewerton que não fizesse faltas até o árbitro se esquecer da necessidade de compensar Venâncio (mas nem culpo o Marco Silva - não houve sequer tempo para passar a mensagem). Falta um Manel, um Oceano, um Rui Jorge, um Pedro Barbosa, um líder em campo que perceba o futebol português. Sim, o árbitro isto e aquilo. Mas qualquer tipo com o mínimo de conhecimento da realidade percebeu que aquilo ia acontecer à primeira oportunidade.

3. Paulo Oliveira e Rosell. Dois jogadores que dão o que têm e sabem o que não podem dar. Rosell poderá não ser tão vertical quanto William mas ontem foi muito mais seguro se compraramos com o William dos últimos jogos. Era dos poucos que me fazia respirar quando a bola lhe chegava aos pés. Não tinha relvado, nem jogo, nem colegas para grandes obras-de-arte. Esteve bem. Assim como Oliveira. Convence-me mais com um jogo como o de ontem do que com aqueles cortes fabulosos que indiciam que alguém não estava no sítio certo.

4. João Mário e Carrillo. Obrigado aos dois por darem qualquer coisa de qualidade ao jogo de ontem. Não deve ser fácil quando os restantes 20, por mais que queiram, não conseguem. Falta-lhes companhia. Não renovar com Carrillo será um erro que viremos a pagar tarde demais. Creio que BC, Inácio e Marco Silva o sabem.

5. Slimani. Depois do jogo que fez contra o Nacional, é inacreditável que saia do banco e jogue sequer 15 minutos. Memorizei dois lances, aos 73 e 76, não estou seguro da ordem. Num deles, completamente sozinho, falha o tempo de salto e cabeceia para trás. Num outro, consegue (e bem!) segurar a bola perto da linha de fundo. Perante a chegada do colega para o remate, faz um passe miserável, a bola sai aos repelões e o remate (de Rosell) acaba nas nuvens. Os gestos técnicos mais simples, mais básicos, podem ser comprometidos por um jogador fora de forma. Quando esse jogador nem sequer é um prodígio, tê-lo em campo é ter 1 a menos.

6. Setúbal. Não percebo como ao fim de anos e anos continuam a ter lugar na I Liga alguns jogadores deste Setúbal. A sua especialidade é ganhar lançamentos laterais e pontapés de baliza chutando a bola contra os adversários. Nisso, os setubalenses são fortíssimos. Nisso e nos lançamentos laterais. No resto, não jogam nada. Marcam um golo porque o nosso central daquele lado está no chão, o segundo vem compensar e o lateral (Miguel Lopes) não percebeu que tinha que vir mais dentro (ok, acontece, mas "só ao Sporting", já sabemos). E podiam ter empatado porque o Sporting, em posse, a ganhar pela margem mínima, consegue levar um contra-ataque aos 90+2. Nem num sketch dos Monty Pithon se lembrariam desta...

7. Arbitragem. Péssima, como habitualmente com Olegário Benquerença (outro que acha mais do que é). Não percebo a surpresa. Ainda assim, ontem não foi por aí, não foi mesmo. O jogo deveria estar mais do que resolvido antes disso, considerando as duas equipas. E Ewerton avisado. Que sirva de lição.

21 comentários:

  1. Koba,

    Eu estou farto de ver o Sporting a jogar este futebol deprimente. É triste andarmos à rasca para ganhar ao Vit. Setúbal. Atribuo grande parte das culpas ao treinador como já sabes, por isso adiante...

    1. Eu desse lote retirava Mané. É verdade que também sofre do mesmo problema, mas é um jovem e ainda vai bem a tempo de aprender. Haja alguém que lhe ensine. Um aparte para dizer também que sempre disse que a fraqueza deste plantel eram os laterais porque sempre achei que eram muito pouco inteligentes.

    2. Concordo no caso de Tanaka, mas discordo completamente no caso de Ewerton. Aquilo para mim não é falta. Só com árbitros portugueses mesmo.

    3. Acho que Rosell não teve, de todo, os minutos de jogo que merecia. Cumpriu sempre que substituiu William e fica a ideia de poder ter existido uma rotação melhor do plantel (nesta e noutras posições) mas agora já é tarde para lamentar.

    4. Nem me passa pela cabeça a não renovação do Carrillo. Será um erro enorme perdermos Carrillo e Nani de uma só vez.

    5. O Slimani é um autêntico cepo. É impossível construir uma jogada que passe pelos pés dele. Nunca poderia ser titular no Sporting mas, a meu ver, seria muito útil no banco (o seu jogo aéreo é bastante bom).

    6. Muito fracos há já não sei quantas épocas. Nem me lembro de ver uma equipa do Setúbal jogar um jogo de decente. Esse lance é mesmo de amador. Até aqui se nota a completa desorganização da equipa.

    7. Acho que tem sido ao nível dos que nos tem habituado. Nada de novo, portanto.

    Cumps,
    RMSCP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. RMSCP,
      1. Eu até acredito que todos podem aprender, atenção. O tema é que fica mais difícil para um treinador (lá estou eu a defendê-lo...) quando metade dos jogadores em campo tomam sistematicamente as piores opções. E aí podemos verificar o seguinte:
      a) duvido que o Cedric esteja de fora apenas por questões técnicas;
      b) o Jonathan ficou (injustamente) queimado no Dragão;
      c) para o lugar do Mané não há outro (ou há, mas ainda pior).
      Quanto ao Adrien, é + difícil compreender...

      2. Eu percebo a leitura, mas respondo sempre da mesma forma: estamos em Portugal. Em Inglaterra o Nani fala com os árbitros como quer, por cá leva alguns 5 ou 6 amarelos por protestos. Estamos em Abril, ainda não aprendeu?

      3. Aqui concordo.

      4. A mim passa-me, infelizmente. Espero que nestas alturas os sportinguistas entendam que há discursos que não se coadunam com a realidade, como o dos tetos salariais...

      No demais, concordo com tudo.

      SL

      Eliminar
    2. Koba,

      O J.Silva não é uma questão de estar queimado. É mesmo fraco a defender. Ainda mais que o Jefferson.

      Eliminar
    3. Mike, esse jogo correu mal. Mas o miúdo tem 20 ou 21 anos e estava ao lado de um jogador (Tobias) com quem, segundo creio, nunca tinha jogado. Quantos jogos fez o Jonathan este ano em que ninguém se lembrou disso? Onde andava o Jefferson em Wolfsburg?

      Eliminar
    4. Koba,

      Eu não estou só a falar desse jogo em particular, estou a falar de todos. Só o vi defender relativamente bem em um jogo (que já nem lembro contra quem foi mas ficou marcado).

      Eliminar
    5. Mike, esta defesa anda a ser trabalhada aos repelões desde o início da época. Elogio o Ewerton por se ter adaptado rapidamente, mas trata-se de um jogador com alguma experiência. O Jonathan acabou de chegar, nem sequer é o titular e já teve, desde o início da temporada, como centrais do lado esquerdo, Sarr, Maurício, Tobias e agora Ewerton se jogar. Não é fácil. E atenção: uma das críticas que se faz à equipa do Sporting é que não defende bem, como equipa. Porque deverá o Jonathan pagar o pato mais do que outros?

      Eliminar
  2. "Não renovar com Carrillo será um erro que viremos a pagar tarde demais"

    Ok. Eu acho que seria O reforço de 2015/16

    Mas dito assim parece que se trata apenas de uma questão de vontade unilateral do Sporting.

    Admitindo que o jogador até está disposto a renovar até onde é razoável ir?

    ResponderEliminar
  3. O Ewerton fica avisado.

    Então fica a saber que não pode fazer faltas? Que tem que jogar a medo?

    O homem nem falta fez....

    ResponderEliminar
  4. FCS,

    Há uma coisa que, desculpe-me, não consigo entender: porque é que sempre que vem um caso destes à baila, começa logo o discurso do "não depende só de nós"? Mas há alguma coisa que dependa de nós, afinal? É que o Bruma era isto, o Ilori aquilo, o Dier aqueloutro, eu só oiço desculpas. Mas renovações de jogadores de qualidade está difícil...

    Quanto ao Ewerton, temos duas opções:

    a) olhar para o Olegário como o culpado (que obviamente foi, o lance é forçadíssimo);
    ou, para além disso,
    b) perceber que era evidente que aquilo ia acontecer e que nos minutos seguintes ao lance tinham que se evitar faltas do Ewerton. Apenas isto.

    Os factos são estes e não adianta muito protestar agora: o Ewerton foi expulso, ficámos com 10 e no próximo jogo está fora. Podemos continuar a nossa batalha pela verdade desportiva, sim senhor, muito bonito, mas se entretanto não se importarem, eu preferia que deixássemos de ser os patos de serviço.

    Há coisas que se evitam. O Nani já levou 5 ou 6 amarelos por protestos. Também sempre por culpa dos árbitros, seguramente...

    ResponderEliminar
  5. O Dortmund conseguiu renovar com o Robert Lewandowski?

    Não tentou, não quis?

    Claro que é difícil segurar os jogadores de qualidade. Basicamente porque não há dinheiro, ele não estica! Já sei... o Slavchev... e o Shikabala.

    Mas com tantos shikabalas e com tostões, hoje o plantel é mais valioso e competitivo que há 2 anos.

    Não curto, não chega? Pois...

    O Ewerton não podia fazer faltas, assim como Jefferson e o Tanaka....

    Mas desculpe não quero monopolizar.

    ResponderEliminar
  6. FCS, antes de mais como sabe está à vontade... eu gosto da discussão, por isso é que lanço os temas. Caso contrário, ficava calado.

    O exemplo que dá é muito feliz: imagine que o Carrillo vai parar ao Porto. Mas vamos suspender o exemplo e já lá voltamos.

    Acho que sou suficientemente insuspeito para lhe dizer o seguinte: tem que chegar um momento em que esta direção tem que assumir a responsabilidade por alguma coisa. Passados 2 anos e 2 épocas, chega de falar do passado, dos empresários e dos fundos. Todos lidam com isto, sem exceção. Mas nunca vi uma direção tão protegida pelos seus adeptos. O meu histórico fala por mim - estou à vontade para dizer isto. Chega de dizer "ainda vamos ver se o Shikabala foi um erro ou não" quando todos os sportinguistas já perceberam que foi um erro.

    O que vejo (e nem digo que seja o seu caso - ou que no seu caso a intenção seja essa) é que perante um putativo falhanço a primeira coisa que se atira cá para fora é a preparação da desculpa para o falhanço. Já chega.

    "Hoje o plantel é mais valioso e competitivo que há 2 anos". Isto, desculpe, mas só me vem dar razão. Até quando é que vamos usar este argumento? Daqui a 10 anos ainda vamos dizer "o BC não conseguiu pela 20ª vez renovar com um jogador, como aliás nunca conseguiu, salvo os da equipa B. Mas temos um plantel melhor do que tinha o Godinho Lopes" Um plantel melhor do que aquele que conseguiu a pior classificação de sempre do clube. Com menos dinheiro, é verdade, mas não me parece um feito muito complicado de alcançar...

    Até quando, caro FCS?

    Agora voltemos ao exemplo. Carrillo assinou pelo Porto. O empresário é um bandido, o fundo é de gente malvada. Mas lá no fundo, no fundo, acho que todos conseguimos perceber que o presidente que teve o jogador nas mãos durante 2 anos e meio (não são 2 meses e meio, como o Bruma, são 2 anos e meio) e não conseguiu renovar terá alguma responsabilidade.

    ResponderEliminar
  7. Koba,

    Excelente texto (e comentários)! Revejo-me em muita coisa escrita por ti. Parece que vimos o jogo juntos e fomos comentando o mesmo com as mesmas preocupações. Parece que tivemos atentos aos mesmos pormenores do jogo (aquela dos jogadores do Vitória só saberem chutar contra os adversários é genial).
    Este Sporting e o seu futuro (e nós sabemos qual vai ser... 3ª época, 3º treinador e com um plantel claramente inferior - Nani, William, Carrillo, Cédric, Montero bye bye...) preocupam-me, e muito.

    Vamos lá:

    1. Na mouche! Do Miguel Lopes não falo (é promessa até ao final da época). Dele, só vou referir uma coisa. Desde do jogo com o Guimarães, onde fez um bom jogo e 1 bom cruzamento (golo de Slimani), ontem voltou a fazer 1 bom cruzamento (no meio houve uma 2ª parte com Guimarães, um jogo com Paços e Nacional). Neste particular onde, dizem, é muito melhor que Cédric, foi assim TÃO melhor? Atenção que, neste momento e face ao rendimento que Cédric tinha vindo a apresentar, não questiono que esteja a ser a 1ª opção, mas não me digam que é melhor que Cédric (que não é) nem que é uma sumidade em cruzamentos e afins.
    Neste momento estou em modo "irritação" com Jefferson e Adrien. Não percebo que se ache que são, agora, indiscutíveis. Os seus jogos roçam o ridículo. Jefferson, em Setúbal, além de defender mal, atacou sempre muito pior. Jonathan não merece estar tanto tempo de fora. As pessoas esquecem-se que Jefferson só começou a fazer bons jogos, após um tempo longe da equipa, com Jonathan a titular.
    O Mané assume esse risco e eu gosto. E o lance que tem com o Helder Cabral, onde tenta passar por ele atirando-lhe a bola à frente é uma finta muito forçada e que dá em falta (o que a mim não me parece).

    2. Tanaka, sim. Ewerton, não concordo. Como referes, não houve tempo. E o Ewerton não fez falta (começa logo aqui). E só uma mente corrupta é que vê amarelo/expulsão ali. Eu sabia que se ia jogar com 10. Mas, pelas limitações óbvias, pensei que seria o Jefferson. Rui Jorge e Barbosa? A sério? São esses o exemplos de serenidade em campo, perante o que estava a acontecer com o Olegário? Seriam os 1ºs a serem expulsos (quantas e quantas vezes??)!
    Depois da expulsão do Venâncio, se os amarelados cuspissem para o chão, iam para a rua. O Patrício levou amarelo, 15s depois do remate do Lupeta! É este o limite de tempo que tolera numa reposição em jogo?

    3. Nada a acrescentar. Não gosto das saídas de bola do Oliveira, só isso. E gostei muito do Rossel, muito mesmo.

    4. Carrillo já tem o seu destino. E na próxima época vai estar fora das convocatórias. Não quererá renovar nem aceitará a merda de clubes que a direcção vai arranjar para ele. Ele tem um destino. Um destino que lhe paga o dobro do máximo que o Sporting lhe oferece e que lhe dará algo que o Sporting não pode dar, dimensão desportiva (títulos e Champions). Em 2 anos e meio, já devia ter renovado.
    Além de Carrillo e J. Mário, havia mais jogadores disponíveis (mas que não jogaram) que podiam dar um futebol melhor a este Sporting. Não jogam porquê? Estavam no banco...

    5. Concordo, em tudo. Slimani é jogador de banco, mais nada. Jogar com ele é abdicar de jogar futebol. E o pior é que jogamos para ele (o que é errado) mesmo quando ele não está em campo (duplo erro). Acabou-se (quem?) com um jogador como o Montero em detrimento disto. Não consigo entender isto.

    6. Para mim o Vitória é isso que tu escreveste. E já nos tirou uma meia-final da Taça da Liga, a jogar com 10... E, pior, o único jogador a sério que têm (Suk, melhor que Tanaka e... Slimani; o GK também é bom) na Luz, esteve no banco... Há coisas que só cá...

    7. Uma merda corrupta será sempre uma merda corrupta. E Olegário é isso tudo. E não concordo que se relativize esta arbitragem com a nossa exibição (uma, também, "ajudou" à outra).

    um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantinho, se me disseres que ao leres o texto te lembraste do lance do Pedro Queiroz com o Carrillo na primeira parte fico genuinamente assustado :)

      1. Também gosto que o Mané assuma o risco. Mas tem que perceber que (ainda) não tem pedalada para muito do que tenta fazer. Esse lance é um bom exemplo (com ou sem falta, o Cabral tem o lance controlado e, experiente, atira-se para o chão ao primeiro toque - é preciso perceber que, em Portugal, os árbitros marcam isto, mas já lá vamos).

      2. Este vai ser longo, desculpa lá. Mas quero que fique claro o que estou a tentar dizer:

      O que digo do Ewerton tem a ver não com justiça, ou seriedade, mas com ratice. Lembras-te de um jogo Sporting-Benfica, com o Peseiro, que ganhámos 2-1 em Alvalade com 2 golos do Liedson? Na primeira parte o Rui Jorge foi expulso num lance da treta com o Geovanni, por indicação do fiscal-de-linha. O árbitro ficou nitidamente condicionado (não tinha sido ele a ver o lance...). Na segunda parte, o Liedson vai isolar-se, leva um encosto mínimo do Alcides, faz um triplo mortal em queda, o estádio vem abaixo, o banco do Sporting salta... e o Alcides leva vermelho direto. Nem digo que não fosse motivo para isso. Digo é que o Sporting claramente provocou aquela expulsão porque sabia que o árbitro, não tendo a certeza da expulsão da 1ª parte, iria querer equilibrar à primeira oportunidade. Sabes quem era o árbitro? Duarte Gomes. Mesmo aqueles que nós consideramos que estão do outro lado da barricada estão sujeitos a este tipo de pressão.

      O que aconteceu naquele lance? Olegário quis resolver a coisa de forma salomónica: um amarelo para cada. Só quando toma a decisão se apercebe que, afinal, a sua decisão tem um impacto real completamente diferente numa e noutra equipa, na medida em que uma fica reduzida a 10 e a outra não. A partir daquele momento, o Vitória sabe que o árbitro está condicionado. E põe pressão em cada decisão de arbitragem. Nem teve que fazer grande pressão, porque 2 minutos depois o Ewerton faz uma falta (em Portugal, os árbitros marcam aquilo, eu não gosto mas marcam). Que nunca seria para amarelo em lado nenhum do mundo, porque o adversário está de costas para a baliza. Mas o árbitro está condicionado pelo "excesso" (julga ele) da consequência da sua decisão anterior. Vejamos, se o Olegário quisesse mesmo gamar, como parece que se acha, porque sequer expulsaria o Venâncio no lance anterior? Simplesmente faria o aviso do "acabou" tão típico quando "os árbitros querem controlar o jogo sem cartões".

      Quanto aos exemplos, repara que não falei de serenidade, mas de experiência. Um Rui Jorge, que ao fim de meia dúzia de jogos no Sporting teve a coragem de dizer "os árbitros não respeitam o Sporting" (estava habituado a fazer o que queria...), perceberia imediatamente o que ia acontecer. E diria imediatamente ao Ewerton "atenção, este gajo nos próximos minutos vai andar de olho em ti, evita as faltas, evita os agarrões, daqui a 5/10 minutos isto passa-lhe".

      Numa coisa concordo contigo: os grandes não têm tolerância nas reposições. Um Fachini pode passar o jogo todo a demorar 20 segundos e não se passa nada. O Patrício, à primeira de copas, vai logo de amarelo. Mas convém dizer isto: num grande, efetivamente, dá mais nas vistas.

      O resto vai no comentário seguinte!

      Eliminar
    2. (continuação)

      3. Também não sou apreciador das saídas de bola. Mas o próprio tem noção do que pode e nºao pode fazer. Também gostei muito do Rosell.

      4. Uma das críticas ao Marco Silva com que estou de acordo diz respeito ao Adrien/André Martins. O Sporting fez jogos seguros com o André Martins no meio-campo. Mas há que perceber isto: o André Martins está em renovação; o Adrien, provavelmente, está na montra. É a única explicação que encontro.

      5. Outro ponto em que concordo nas críticas. Parece que o Marco Silva desistiu do Montero. E até foi ele que o tirou da seca de golos. Mas depois, quando Slimani aparece, mesmo que coxo de uma perna e cego de um olho, salta logo lá para dentro. Esta custa mais a entender. A menos que mais uma vez esteja em causa a montra: Slimani tem que valorizar o máximo possível...

      6. Não sou particular fã do GK. É grande e cobre bem a baliza e neste jogo até fez duas boas defesas. Mas não me esqueço do jogo da 1ª volta com o Benfica...

      7. Que o Olegário é mau, todos sabemos. Mas não foi ele que conduziu o Suk para dentro da nossa baliza nem foi ele que isolou o Lupeta aos 90+2...

      Um abraço

      Eliminar
    3. Claro que é esse o lance!! Junto à linha lateral e linha final. Carrillo tenta dar a bola para Jefferson em calcalhar e esse lumbersexual rasca do Queiroz chuta contra Carrillo e sai de lá com aquele ar superior de "sou fodido!".

      1. Esses lances enervam-me. Há um no Dragão (ainda com 0-0) entre Montero (ou J Mário) e Casemiro, na área do Porto que é de rir. Mas aceito a tua critica.

      2. Compreendo o que dizes. Mas porra, não é falta! Não é uma rasteira (o exemplo da expulsão do Rojo, em Arouca, logo após o Arouca ficar com 10). Não é um puxão. Não há nada de violento ou físico ali. É zero! E repara que quando o Olegário dá vermelho ao Venâncio, Patrício puxa o Ewerton e diz-lhe algo. Talvez não tenha é a força de um Rui Jorge...
      E é óbvio que Olegário não sabia que ia expulsar o Venâncio. Aliás, ele chumbou no exame escrito da APAF, logo é normal que tivesse assinalado mal o nº do Venâncio (tanta raiva para um filho "leonino", não? Um pouco como o pai, antes de ser repescado por esta direcção. Dá que pensar...).

      4 e 5. Estará o André Martins em processo de renovação? Duvido... Abdica-se dos melhores para projectar outros? Mas aquilo é para jogar futebol e ganhar ou é para ter lucro (ou não ter prejuízos)? E, parece, o mesmo aplica-se ao Capel. E os jogadores sabem que é por isso? Alguém explicou isso ao Montero? Achas que eles querem ficar num clube onde não são prioridade?

      7. É mau e não deve ser dissociado da nossa exibição. Mas é óbvio que o Suk devia ter levado um pau do Rossel e o Jefferson foi um atrasado mental e devia ter ganho a falta (que sofreu) em vez de cruzar.

      um abraço

      Eliminar
    4. Nem mais! O ar do bicho "viram-como-se-resolvem-estes-lances-com-estes-pseudo-craques-que-eu-como-ao-pequeno-almoço". Maravilhoso...

      2. Bem lembrado o Rojo em Arouca. É precisamente isso! Com a seguinte diferença: o Olegário ainda é pior do que o Cosme Machado. E olha que não é fácil...

      4 e 5. Aqui estou apenas a especular. Simplesmente acho estranho. Talvez por querer defender o Marco Silva, tento procurar motivos lógicos para defender que o Slimani tenha sempre oportunidades mesmo quando não está nas melhores condições; ou que o Adrien continue titular quando nitidamente não está em forma. Reconheço que nestas situações possa não ser insuspeito.

      Muito interessantes as tuas perguntas!

      Abdica-se dos melhores para projectar outros? Com a época praticamente resolvida, admito como possível.

      E os jogadores sabem que é por isso? Alguém explicou isso ao Montero? Infelizmente, no caso do Montero, eu acho que onde há fumo, há fogo. Vai sair, independentemente de ser melhor ou pior do que o Montero. Parece-me (e aqui não estou a defender o Marco Silva, apenas a tentar analisar as decisões técnicas) que não corresponde ao estilo de PL que o Marco quer. Dizem-me alguns experts meus amigos que isto faz sentido porque o Slimani, mesmo sendo pior, dá ao Marco algumas coisas que ele quer, essencialmente imprevisibilidade e profundidade. Nesta lógica, o Montero torna-se mais fácil de anular porque, por um lado, faz sempre o mesmo movimento e, por outro, acaba por anular as possibilidades de ataque mais direto.

      No fundo, o contrário da lógica que presidia no tempo em que, com Liedson, ninguém arriscava o 4x3x3 porque Liedson sozinho no ataque não iria render o mesmo...

      Um abraço

      Eliminar
  8. Eu gosto do André Martins, não me esqueço a exibição que fez contra o Athletic Bilbão. Mas a realidade é que desde então quem treina o Sporting só o vê como 10. Deve haver alguma racionalidade nisto não?

    Dito isto, para os terrenos que o André pode/pisa estão para surgir o Gauld, o Wallyson, o Chaby, O Iuri, e começam a surgir também o Francisco Geraldes e Rafael Barbosa.

    Assim sendo vejo com alguma naturalidade que saía. Acaba por fazer parte da lógica de um clube formador.

    Espero é que não saía a custo zero...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. FCS, seguramente que sim. Infelizmente acho que está relacionado com o facto de o André ser baixo, franzino, etc. Atenção: eu não menosprezo a componente física de uma equipa. Ganhar com 11 pini-pons (ou 7, ou 8) só é possível se eles forem o Dani Alves, o Jordi Alba, o Xavi, o Iniesta, o Messi. Mesmo assim dá jeito que lá ande um Piqué e um Busquets...

      E concordo que se efetivamente não o querem para 8, acabará inevitavelmente por sair. É pena, mas aí a responsabilidade será mais técnica do que diretiva.

      Eliminar
  9. Só uma achega á discussão, o adrien joga e jogará sempre porque é um cão de caça atrás da bola. É isso não faz parte das características do Martins, que anda sempre a fugir do choque. Mesmo que se posicione melhor...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Metralha,
      Essa do posicionamento eu só apanho com os experts. A mim o que me chateia mesmo é a quantidade de bolas que perdemos porque o Adrien acha que consegue sempre fazer maravilhas com a bola nos pés. E às vezes até faz, mas de seguida estraga com um passe de que ninguém se lembraria. O exemplo que dou no post é elucidativo, mas nem é dos piores. Os piores são mesmo os lances em que Adrien, quase no nosso meio-campo, arrisca fintas quando está coberto por 2 adversários. Não só entrega a bola como ainda cria uma situação de inferioridade numérica, tudo numa questão de segundos. O André Martins é muito mais seguro. Para mim, é por aqui.
      SL

      Eliminar
  10. Koba, perde muitos mas tb ganha mts duelos. Mas eu concordo com isso, é irritante a forma de adrien jogar qdo pensa q é o zidane. O adrien do dragão no jogo da taça é o grande jogador. Mas esse só aparece raramente.

    ResponderEliminar