28/04/2015

Marco(s)

1. Jogo agradável ontem. Tenho dúvidas de que possa servir de exemplo para alguma coisa, porque a grande dificuldade deste Sporting não está neste tipo de jogos contra equipas que até nem se importam de jogar futebol (por estranho que isso pareça), mais a mais quando estão claramente safas da descida de divisão. Mas que fizemos um bom jogo, isso fizemos.

2. Convém, no entanto, reconhecer que o início do jogo não poderia ter corrido melhor: podíamos ter levado um golo aos 20 segundos por estar tudo a dormir, o jogador do Moreirense desperdiça apenas por demérito próprio porque ninguém fez grande coisa para lhe causar problemas; marcámos 1 minuto depois num remate falhado que, por acaso, foi acompanhado por alguém que, por acaso, até estava fora-de-jogo mas, por acaso, o fiscal-de-linha não viu. O lance foi muito rápido (e também temos direito ao erro que nos favorece) mas há ali uma irregularidade. Correu tudo bem.

3. Depois disso, dois golos de rajada em lances que têm tanto de meritório como de feliz: no segundo golo, muita gente na área (mérito nosso, sem dúvida), bola a bater em todo o lado (mérito dos outros, talvez), golo à terceira tentativa, num remate à meia-volta com a bola a entrar no único sítio onde poderia mesmo passar (na repetição vê-se isso); no terceiro, domínio de bola mal conseguido mas vai redondinha para os pés de Tanaka. O mérito está lá, sem dúvida. Mas a sorte acompanhou e continuou tudo a correr bem.

4. Claro que depois nos abandonou, naquele que é mais um golo que entra diretamente para o anedotário, depois do de Maribor e dos que sofremos em casa contra Penafiel e Guimarães. Alguém já se lembrou de ir ao Guinness registar o maios número de golos absurdos sofridos numa época? Eu lembro-me destes 4, mas deve haver mais...

5. Na segunda parte, algum regresso à "normalidade", com o GR do Moreirense a defender tudo e o último passe a sair menos bem. 10/15 minutos com o Moreirense por cima, alguma correções, o próprio Moreirense deixou de acreditar e o jogo ficou resolvido. Mais um para Montero, end of story.

6. Dá jeito ter um jogador, como Montero, em que até os domínios de bola menos felizes não representam, automaticamente, a bola para o adversário. Veja-se o lance do golo de Tanaka, ou o primeiro lance de perigo do Sporting na 2ª parte. Este último lance, em particular, Slimani só faria na playstation. Não quero que com isto se entenda que não gosto de Slimani - quero que se entenda que, com os jogadores que o Sporting tem do meio-campo para a frente, não ter Montero é ter menos uma opção para se fazerem algumas das jogadas que ontem se fizeram. Slimani é um bom jogador para outro tipo de futebol.

7. Gosto do Moreirense, gosto do treinador do Moreirense, gosto da equipa do Moreirense e gosto ainda mais do São Gião. Quando uma equipa joga num estádio que fica mesmo ao lado do São Gião, não merece levar 4-1. E ontem não merecia mesmo. Mas custa-me ver aquele discurso no final do "podia estar 2-3 se não fosse mal anulado o golo ao Moreirense". Vejamos: o golo anulado é ao minuto 40 ou 41, o golo que valeu aos 43 ou 44. É certo que este Sporting é algo instável mas convém pelo menos entender que sofrendo um golo aos 41 o jogo seria diferente até aos 45. Como diferente seria, claro, se a ordem fosse a inversa - golo válido aos 41 e golo anulado aos 44. Aí sim, a história do jogo poderia ter mudado e o Moreirense teria legítimas razões de queixa.

8. Independentemente de o jogo ter corrido muito bem, de não servir de exemplo, de o Moreirense ser o adversário que é nesta fase da época, dos erros de casting de Marco Silva (Montero vs Slimani em particular) e de tudo o que acima referi, pergunto-vos (e sei que tenho muitos críticos do Marco Silva entre os meus leitores): à jornada 30 da época passada, o Sporting jogava sequer um futebol parecido com o que jogou ontem em Moreira de Cónegos? É ou não expectável que, com uma pré-temporada mais estável, em particular com um sector defensivo estabilizado, possamos evoluir na próxima temporada?

9. 66 pontos. Veremos como terminamos a época. Mas registem isto: se fizermos os 12 pontos que falta disputar, fazemos 78 pontos. Quando fomos campeões, em 99/2000 e 2001/2002, fizemos, respetivamente, 77 e 75 pontos. Acho que, nestes casos, ninguém vai argumentar que "ah e tal, o plantel do Marco é melhor"...

5 comentários:

  1. Koba,

    1. Não gostei assim tanto, mas tenho que concordar que pelo menos já tentámos jogar futebol. Mais do que uma equipa, destacaram-se as individualidades.

    2. Concordo. A eficácia ajudou bastante. O fora-de-jogo é daqueles practicamente impossíveis de detectar por isso aceita-se a decisão.

    3. Excelente finalização acrobática de Montero, mas muita sorte também.

    4. Isto não se chama azar. Chama-se incompetência. Não só de William (que comete um erro a fazer lembrar o Sarr) mas de toda a defesa. Não se percebe como é que ficam todos a a olhar, à espera que a bola caia, principalmente o guarda-redes...

    5. Bom cabeceamento mas muito permissiva a defesa do Moreirense nesse lance.

    6. O que Montero traz à equipa é criatividade. Aquele passe que ele faz para Nani depois de levantar a bola enquanto pressionado por um defesa não está ao alcance de todos. Numa equipa que se diz grande como o Sporting, tem de jogar sempre.

    7. Mentalidade tuga, simplesmente.

    8. Não faço comparações com épocas anteriores. Tenho dito que a jogar da forma que jogamos muito dificilmente conseguiremos ser campeões. Continuo na minha, acho pouco provável que possamos evoluir na próxima época com Marco Silva. No entanto, também achei este jogo diferente dos outros que temos tido ultimamente.

    9. Já lá vão muitos anos. Não acho que possamos usar essa época como comparação para o futuro. O futebol evoluiu, os rivais evoluíram e até as equipas pequenas evoluíram. Sempre defendi que temos o 2º melhor plantel em Portugal. Estou desapontado com esta época por acreditar que podíamos ter feito melhor porque tínhamos condições para tal.

    Cumps,
    RMSCP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. RMSCP,

      4. Claro que não foi azar. Foi nabice. Também podemos dizer que houve nabice do Moreirense no nosso 2º golo. Nós tivemos sorte com aqueles ressaltos, o Moreirense teve sorte com os ressaltos no golo que marcou. Mas foi essencialmente nabice.

      6. É precisamente esse o lance a que me refiro.

      8. A nossa discordância de sempre: acredito precisamente no contrário. E tenho a história do meu lado :) - mudar todos os anos nunca nos trouxe nada.

      9. Não concordo que tenhamos o 2º melhor plantel, mas nem vou por aí. O dado é meramente estatístico mas creio que estamos de acordo que toda a gente evoluiu. Nesse sentido, assinalo que uma época que termine com 78 pontos será em termos pontuais a melhor de sempre do Sporting com 34 clubes a 3 pontos. Com possível vitória na Taça. Pedir mais a um treinador deste Sporting com tantas limitações, no seu primeiro ano e com a quantidade de aventuras que se foram vivendo na pré-época e em Dezembro parece-me, manifestamente, excessivo. E revelador de alguma impaciência quando o momento é o de ser paciente. Não estamos a falar de um Octávio ou de um Carlão, futebol 0. Acredito cada vez mais, que o presidente deveria intervir nesta fase, para garantir a tranquilidade de que precisamos para o resto da temporada.

      SL

      Eliminar
  2. Koba,

    pelos vistos também partilhamos o gosto pelo S. Gião, além do clube do Sporting. Também, bolas, quem pode não gostar do Sporting e das iguarias do Pedro Amaral Nunes?

    Também concordamos numa coisa (discordando mas respeitando a opinião do RMSCP): não temos, nem de perto nem de longe o 2º melhor plantel da LIGA. Temos menos soluções do que o FCP e há uma diferença muito grande entre muitos dos titulares do SLB e os nossos.

    ResponderEliminar
  3. Com as pressas esqueci-me de acrescentar que concordo com a paciência e prudência que o ponto 9 recomenda. Não é apenas Marco Silva que tem que evoluir, o que me parece evidente. Da parte da SAD há também um longo caminho a percorrer no sentido de se tomarem melhores decisões, nomeadamente na avaliação dos jogadores a adquirir, na noção das prioridades, na interacção com o que existe na formação e também no envolvimento/responsabilização do treinador na formação do plantel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leão,

      Subscrevo tudo. Reforço, quanto ao treinador, o seguinte: não escondo, nunca escondi, que simpatizo com o Marco Silva. Também não escondo que me agradam as ideias (ofensivas) do Marco Silva, que (também não me custa reconhecer) se viram mais ontem em 90 minutos do que em todo o último mês. Mas há temas que, para mim, ultrapassam a mera lógica da pura subjetividade.

      Os pontos essenciais, para mim, são estes:
      1. Marco Silva leva 4 anos e pouco como treinador profissional e já chegou ao Sporting, num clima de quase unanimidade quando foi contratado.
      2. Nesse período, conseguiu uma promoção, dois apuramentos consecutivos para competições europeias (algo inédito na história do Estoril sendo que, no primeiro, fê-lo imediatamente após subida de divisão - e à nossa custa, convém lembrar!) e uma presença na final da Taça de Portugal.
      3. Pelo meio, algumas gracinhas, que representam pouco mas reforçam a ideia de que é alguém que está acima da média: primeira vitória de sempre do Estoril no Dragão, única equipa a vencer em Alvalade em 13/14, roubou o título ao Benfica em 12/13. Nunca perdeu com o Sporting enquanto treinador do Estoril, já no Sporting eliminou o FCP no Dragão. Na Liga Europa, jogos taco a taco com o vencedor da competição, na fase de grupos, perdendo um jogo por 1-2 (em casa) e empatando 1-1 em Sevilha.
      4. Num juízo que poderia ser considerado subjetivo, mas que creio ser reconhecido com unanimidade, apresentou momentos, ao longo destas 3/4 épocas, de grande qualidade futebolística. Nunca colocou autocarros em lado nenhum e jogou sempre de igual para igual, mesmo não tendo armas equivalentes.
      5. Pode, caso o resto do campeonato lhe corra bem, bater o record de pontos do Sporting em competições a 34 jornadas com 3 pontos por vitória. Pode não ser fantástico, mas o nosso record são 77 pontos, com Inácio. Marco pode fazer 78.

      Se isto não chega para que os sportinguistas (a começar pelos que dirigem o clube e a SAD) tenham paciência, não sei o que chegará.

      Um abraço

      Eliminar