09/02/2015

Ver (ou tentar ver) os pontos positivos

1. O primeiro ponto positivo foi o magnífico ambiente no estádio. Um amigo lampião, que foi a Alvalade ver a bola, descrevia o ambiente como sendo "pior do que na Turquia". Já o tinha dito aqui: não gosto do nosso estádio, mas tem uma acústica absolutamente única. Quando todo o estádio apoia a equipa, o ambiente é diabólico.

2. O segundo ponto positivo: ninguém, dos nossos, tremeu. Não tremeu a dupla de centrais, como não tremeu o meio-campo. Os extremos e PL foram anulados, mas também o foram os do Benfica. Tobias, no seu primeiro derby e terceiro ou quarto jogo "a doer", esteve sempre impecável.

3. Terceiro ponto positivo: a segunda parte. Na primeira parte o Sporting nunca conseguiu sair a jogar. A pressão do Benfica era asfixiante, 4 homens a pressionar alto, saída de bola sempre em bola longa, onde os nossos "pini-pons" defrontavam "gigantones". Algumas segundas bolas, mas pouco mais do que isso. Um lance, nessa primeira parte, esquecido por JJ: quando diz que Jonas se isolou e podia ter dado em Lima, esquece-se do lance em que João Mário se isola e, podendo rematar, tenta dar (mal) no meio. Na segunda parte, sem grandes oportunidades, é certo, o Sporting conseguiu jogar, mantendo (e até melhorando, a meu ver) o que já tinha feito na primeira parte: impedir o Benfica de jogar.

4. Quarto ponto positivo: William Carvalho. Quando pode (e quando quer...) é um jogador fabuloso. Não percebo como é possível discutir a melhor exibição de ontem e incluir Jardel ao barulho. Jardel fez um golo no último lance do jogo e isso foi decisivo para o resultado, sem dúvida. Mas a avaliação de uma exibição é feita pelos 90 (94, infelizmente...) minutos. William esteve absolutamente imperial. Com "este" William durante todo o campeonato, seguramente não estávamos a 7 pontos.

5. Doeu. Doeu muito. Foi dos momentos mais dolorosos que já vivi num estádio de futebol. E vão dois este ano, sendo que o de Coimbra ainda doeu mais (talvez pelos 400kms, ou pelos 40€ do bilhete, ou por ser a pior equipa do campeonato, não sei... sei que ontem o masoquismo me levou a lembrar-me de Coimbra para me sentir ainda pior). Mas a verdade é esta, custa dizê-lo mas tem que ser dito: se temos que passar por aquela tremenda infelicidade num derby como fase de um processo de crescimento, que seja no deste ano. Sei que isto soa horrivelmente, soa mesmo. Ontem mal consegui dormir, revia o lance na minha cabeça a pensar o que podia ter sido diferente e o que podia ter sido evitado. E hoje de manhã, quando pensei "acabou o campeonato", dei comigo também a pensar que, na realidade, ficaríamos a 4 pontos do Benfica, sem mais confrontos diretos para realizar, e tendo um calendário incomparavelmente mais difícil, que inclui uma deslocação ao Dragão. E outras bem difíceis, como Barreiros e Paços de Ferreira (só para dar exemplos de campos onde os rivais perderam). Relançaríamos a luta, o que seria obviamente um enorme aliciante para o resto do campeonato (mais para terceiros do que para nós, em boa verdade), mas as nossas hipóteses seriam escassas. Não me intepretem mal: fiquei de rastos e adorava ter ganho ontem, merecíamos ter ganho ontem. Mas se aquilo que todos comentávamos cá fora à saída do estádio é mesmo verdade ("não soubemos gerir o jogo", "não soubemos atirar-nos para o chão", "não soubemos simular lesões do Patrício", "o Marco não meteu o Sarr ou o Rosell", "somos uma equipa ainda imatura"), isso significa que temos que passar por isto para aprender a lição. Neste sentido, e apenas neste, "ainda bem" que aconteceu neste jogo e não num outro qualquer em que seja decisiva a conquista dos pontos. Estamos mal habituados e para nós um jogo em que podemos reduzir de 7 para 4 a distância é um jogo decisivo. Mas, na verdade, não é. Decisivo foi o Sporting-Porto de 99/2000, ou o Porto-Sporting de 2001/2002 (hoje só falo dos de boa memória, como compreendem). A infelicidade não dura para sempre e a experiência ajuda a evitá-la. Espero que a de ontem sirva para que isot seja gerido de outra forma em jogos em que (espero eu) esteja em causa muito mais do que reduzir uma enorme diferença para o 1º. Basta pensar no adversário de ontem e na época de 2012/2013 para perceberem o que estou a dizer.

6. Excelente arbitragem.

Uma nota final para dizer isto: se os jogos acabassem aos 90 minutos, como antes sucedia, o Sporting teria precisamente os mesmos pontos. Porque se é verdade que teria feito +4 com o jogo de Coimbra e com o de ontem, também é verdade que teria feito apenas 1 nos jogos com Arouca (em casa) e Braga. Não é um "olha, que se lixe". É apenas a constatação de um facto: como muito bem disse o Marco Silva, isto é futebol e aquilo pode acontecer a todos os clubes em todos os jogos. Já nos aconteceu ganhar o acesso a uma final europeia daquela forma; já nos aconteceu empatar na Luz, depois de estar a perder 0-2, nos últimos minutos do jogo; já nos aconteceu de tudo um pouco. É um pouco como o chavão da arbitragem de que, no final, entre pontos ganhos e perdidos, a coisa anda normalmente equilibrada. O que seria diferente, isso sim, seria a campanha na Champions: se aguentássemos os descontos, estaríamos tranquilamente apurados para os 1/8. Mas não podemos esperar desinvestir, jogar com uma defesa com média de 21 ou 22 anos e achar que tudo acontece de um dia para o outro. Não acontece. Leva tempo. E exige paciência.

PS - aos que já tinham lido, desculpem os aditamentos mas tenho mesmo que dizer duas coisas:

(1) acho que é a primeira vez que um clube dá dois passos decisivos rumo ao título graças a lançamentos de linha lateral...

(2) disseram-me agora, e é verdade, que empatámos com o Moreirense nos descontos. Ou seja, se os jogos acabassem aos 90, teríamos menos 1 ponto...

5 comentários:

  1. . Teoricamente, claro, mas esteve muito bem e por 3 vezes negou-vos o golo. Foi o Artur que manteve o Benfica no jogo e mostrou grande personalidade apesar da campanha nojenta perpetrada por toda a CS durante a semana.

    4. William. O melhor em campo, dizes tu. De um modo geral também concordo. Esteve impecável e quando focalizado é dos melhores. Do nosso lado, foi, indubitavelmente Samaris. E, como no melhor pano sempre cai a nódoa, foi sobre ele que recaiu o erro que originou o vosso golo. Acontece. É futebol. Jardel fez um bom jogo mas nada de transcendental.

    5. Percebo tudo o que tu dizes, e apenas quero dizer que ainda não vos afasto da luta pelo titulo. Ficou mais dificil, é verdade, mas longe, muito longe de estarem fora quando ainda há 45 pontos em disputa (acho eu...). Sim, o vosso calendario é mais divicil mas tem capacidade para ganhar qualquer jogo.

    6. De um modo geral concordo. Maxi podia e devia ter sido expulso por uma cotovelada ao Nani num lance de disputa aérea a meio campo quando já tinha amarelo, mas também considero que o primeiro foi mal mostrado. Tecnicamente, acho que vos beneficiou em pequenas coisas e pequenos detalhes, mas todas as arbitragens fossem assim. Se alguém perdesse, não seria pelo árbitro. E deixo já um aviso a alguns doutores que por essa blogosfera pululam que o lance do golo do Benfica é TOTALMENTE legal. Apenas para que não restem dúvidas...

    A contabilidade do pos-90 minutos que tu tratas com uma independência admirável, diz apenas respeito ao teu Clube, pelo que não me cabe opinar. Podia fazer o mesmo exercício para o Benfica, mas, assim de repente, acho que não mudava nada á nossa situação. Excepto, claro, neste jogo.

    PS1. Referes-te a Alvalade e cavalo-merinho, correcto? Concordo.
    PS2. ...

    Agora, se me permites, umas notas pessoais:

    1. Clube Visitante?????? De outros mais a norte já estaria habituado. Da vossa parte, não...

    2. Comemorámos o empate como se tivessemos ganho a CL? Os outros adeptos do Benfica não sei, mas eu sim!!!! Repara; enfrentaram um Benfica totalmente dizimado por lesões, jogadores nucleares fora de forma (vide Salvio) e com titulares a ultrapassarem o ridículo (Ola John e Eliseu). JJ não podia nem tinha meios para fazer mais contra uma equipa que jogava em casa, com 49000 nas bancadas, em boa forma e magistralmente motivada. E mesmo assim (por um azar que nós ja experimentámos n vezes...) nem assim nos conseguiram ganhar quando deviam e podiam, tal era o desequilíbrio de forças, ter o jogo resolvido por 2 ou mais aos 80 minutos. Ou seja: vocês não nos conseguem ganhar, nem mesmo quando merecem!!! E ainda ficámos com 4 pontos de avanço sobre o segundo, o que, para a nossa contabilidade e tendo já Alvalade despachado é fenomenal.

    3. O Benfica levou o autocarro e não jogou futebol espectáculo. É a mais pura das verdades. Clara como água. Mais claro que isso só o facto de não termos jogado ponta de ponta... Mas os doutores que agora querem crucificar o Jesus (lol) por se apresentar assim em Alvalade, são os mesmos que o quiseram comer vivo quando o acusaram de ter 5 pontos de avanço e nunca ter abdicado de um futebol de ataque vertiginoso que nos custaram derrotas e um campeonato, quando o que eles queriam era uma exibição igual á de ontem!!! JJ cresceu, e sabia que não tinha meios para ganhar o jogo de ontem. Então, obviamente, tratou de não perde-lo o que conseguiu até aos 87 minutos e depois foi... futebol. E a hipocrisia de alguns até é de tal nível que nem sequer conseguem perceber que o plantel do Benfica não tem nada, mas NADA, a ver com o plantel do ano passado. E, se olharmos até com mais atenção, perdemos neste jogo em relação a 2 meses atrás Gaitan, Julio Cesar e Enzo. Com todas estas condicionantes é preciso não perceber muito de futebol para pensar que íamos a Alvalade discutir olhos nos olhos o resultado com o Sporting...

    4. Peço desculpa todos os leitores do Fa3, mas agora num tom pessoal: Koba, os meus copos????

    Abraço

    Galaad


    ResponderEliminar
  2. Koba, aqui Galaad.

    Ponto por ponto.

    1. Admito que assim possa ter sido. Maior assistência de sempre em vossa casa contra um Clube "visitante" teria forçosamente de ter esse efeito.

    2. Como te disse de véspera, era por ai que residia a minha esperança do Benfica poder ganhar o jogo. Os miúdos estiveram simplesmente impecáveis e o Lima, Salvio, Jonas e Ola John (ridículo...) pura e simplesmente não fizeram nada. Os meus parabéns e que não se mantenham assim.

    3. Não concordo. Na primeira parte não se passou nada, que me lembre, digno de registo. Na segunda parte, acho que o Sporting esteve sempre por cima e só por uma vez o Benfica conseguiu fazer alguma coisa (no lance do Lima). O Sporting pressionou e manietou o Benfica de todas as formas possíveis e imaginarias. Conforme ambos dissemos antes do jogo, não seria pelo Artur que o Benfica perderia este jogo

    ResponderEliminar
  3. Galaad,

    1. É sempre assim quando estão 35.000/40.000 pessoas. Não é preciso encher. Como sabes já o digo há muito tempo e o estádio nunca encheu. Não tem a ver com o adversário. Aconteceu, por exemplo, com o Newcastle, o City e o Bilbao, cujos adeptos não se ouviram o jogo todo.

    3. Não percebi a tua discordância, dissemos basicamente o mesmo... Ta,bém acho que não se passou nada de especial. Mas como o JJ resolveu salientar um lance em que o Jonas se isolou num dos flancos e decidiu mal como "a melhor oportunidade do jogo", relembrei um lance, ainda na 1ª parte, em que aconteceu exatamente o mesmo com o João Mário.

    5. Capacidade para ganhar qualquer jogo é diferente de capacidade para ganhar os jogos todos. Isso é que decide os campeonatos. Porque o Sporting este ano não perdeu com nenhum dos favoritos ao título. Mas empatou com Moreirense, Belenenses, Paços, Académica...

    6. Nem me lembro desse lance do Maxi. Não vi ninguém do Sporting falar de arbitragem. E bem.

    Notas pessoais:

    Visitante - não é bonito, mas também não é mais do que um fait-divers...

    Empate - como sabes, eu também comemorei assim em Dezembro de 2011, percebo perfeitamente. E nessa altura estava longe de ter a vantagem que vocês têm. Empatar um derby nos descontos, mesmo que não significasse nada, seria sempre motivo para festejar efusivamente.

    3. Talvez o único ponto de discordância - acho que o Benfica tem coletivo para jogar para ganhar em Alvalade. JJ teve medo, esse é o ponto. Quem joga para empatar, arrisca-se a perder. Só não perdeu por manifesta sorte, como reconhecem todos os benfiquistas. Como dizem os experts, uma coisa é controlar o jogo, outra bem diferente entregar o controlo ao adversário. JJ (que, como sabes, acho um treinador brilhante) geriu a partida muito mal. Pôs-se a jeito e foi salvo pela sorte.

    4. Deixa ver o que a patroa decide!!!

    Abraço

    ResponderEliminar