14/12/2014

Sem euforias

Já não escrevo há algum tempo. Gostava de ter mais tempo para analisar os jogos que o Benfica vem fazendo mas a realidade é que com o trabalho e miúdos, nem sempre consigo. Por isso, aqui vai um resumo bastante sintético:

Os últimos jogo vêm fortalecendo a minha convicção de que, de facto, os onzes definidos por Jesus estão longe de ser aqueles que dariam mais força e competitividade ao Benfica. O caso mais flagrante tem sido aquele que parecia mais difícil defender quando pedia a saída de Talisca do onze inicial quando marcava golos atrás de golos. O jogo da taça e a segunda parte com o Belenenses, bastaram para dissipar algumas dúvidas que até eu tinha (sei que não tenho o dom de estar sempre certo). Por outro lado, o jogo contra o Bayer mostrou que, apesar de eu criticar muito Jesus e de não gostar muito das suas opções, é mesmo um grande treinador. Só um grande treinador conseguia colocar uma equipa de reservas a jogar bastante bem contra um dos melhores plantéis da Alemanha e que só não venceu porque Lima não quis.

O jogo desta noite, foi uma vitória muito, mas mesmo muito importante. Mas não podemos entrar em euforias. Numa noite normal, o Benfica não teria ganho o jogo. Numa noite normal, Jackson tinha marcado pelo menos dois golos. Sendo assim, ainda bem que não foi uma noite normal. Prefiro ganhar e não ser a melhor equipa do que perder e ser a melhor equipa.

Foi um Benfica que jogou bastante bem na pressão alta, logo à saída para o ataque do Porto, que discutiu muito bem o jogo no meio campo, mas nunca conseguiu impor o seu jogo. De uma forma fria, podemos dar os parabéns a Jesus por ter apostado na estratégia que lhe poderia dar mais dividendo e eles aí estão.

Principais notas:
- Júlio César dá, sem sombra de dúvidas, uma tranquilidade que desde Oblak não existia;
- Almeida fez mais um grande jogo! Espero que Jesus perceba rapidamente que é a melhor solução para a posição 6 enquanto Fejsa não regressa ou não fica em forma;
- Maxi é uma carraça impressionante e Brahimi não fez mais do que alguns bailados sem grandes consequências;
- Jardel é excelente a defender, antecipar e a cortar. Pena que seja tão mau com a bola nos pés e a decidir;
- Samaris, apesar de não ser um 6, este bastante melhor;
- Talisca muito melhor a construir mas quase zero no plano defensivo (e ainda fez o remate que permitiu o segundo golo de Lima);
- Salvio demasiado escondido e pequeno para Alex Sandro;
- Gaitán é de outro campeonato.
- Ola John tira-me a razão quando entra no jogo e parece que está num filme diferente. É demasiado irritante que tanto talento e capacidade física não sejam aproveitados.



O Benfica fica numa excelente posição mas ainda não consigo achar que já seja o favorito. Deverá ter ficado ao mesmo nível do Porto, sobretudo porque Janeiro poderá levar Enzo e não se sabe como regressará Fejsa. O foco no campeonato poderá ser uma mais valia mas ainda há jogos complicados fora de portas e nos jogos complicados o Benfica só se safou esta noite mas continuou sem jogar bem num jogo de elevado grau de dificuldade.  

1 comentário:

  1. Não menosprezes esta vitória, foi igual a tantas outras que o FCP obteve nos nossos estádios ao longo destes 30 anos... quando eram eles a ganhar dizia-se vitória "à Porto", apenas não se diz "à Benfica" porque ainda precisam de fazer isto mais vezes e ao longo de vários anos

    Esse estatuto em que regularmente se ganha sem, aparentemente, jogar um pirete, mas mantendo o controlo do jogo durante 90 minutos, sem tremer, era o que definia a tal "mística" que o Benfica tinha quando comecei a ver futebol. Felizmente, o Benfica perdeu-a durante 20 anos; infelizmente, parece estar a recuperá-la.

    Ainda têm muito que pedalar, mas de tudo o que o Benfica fez desde que JJ chegou, a vitória de Domingo é, sem dúvida, o momento que mais me preocupa. O facto de nem sequer terem festejado euforicamente uma vitória no Dragão é sintomático...

    Mas só ficarei verdadeiramente em choque no dia em que jogarem uma final da Champions e um Hajry da vida entrar em campo. Aí, vou ter que concluir que voltou "aquele" Benfica que era um grande europeu com Silvinos, Velosos, Ditos, Abeis, Elzos e Vatas.

    ResponderEliminar