29/12/2014

Especulações que fazem (?) sentido

O que me faz sentido face às ocorrências dos últimos dias (mas não deixa de ser especulação, não tenho qualquer inside info):

1. Bruno de Carvalho decidiu despedir Marco Silva. As razões, desconheço. Desconhecemos, (quase) todos nós. Resultados, declarações, divergências, aposta nos BB, temas de empresários, não sei.

2. A opinião pública reagiu mal. Os principais apoiantes de BC dividiram-se, mesmo os mais fervorosos. Os opositores aproveitaram a ocasião para assinalar que BC seria o responsável pelo que corresse mal este ano. [há uma coisa em que BC é seguramente responsável: o seu discurso fomenta a divisão entre "apoiantes de BC" e "opositores de BC" - nunca corrigiu esta "detalhe" e temo que um dia pague caro por isso]

3. BC, assim, aguardou. Guardou a decisão até à última (leia-se: não quis despedir Marco antes do Natal, o que seria "politicamente" mal interpretado). Provavelmente para manter o sigilo, manteve a decisão com um núcleo restrito de confiança (Vieira, Quintela, eventualmente Inácio).

4. A 26.12, BC terá comunicado a decisão a 2 ou 3 opinion makers de confiança (José Eduardo, Eduardo Barroso, eventualmente Paulo Andrade) e restantes membros dos órgãos sociais. A partir daí, seria necessário construir uma imagem de Marco Silva que facilitasse o despedimento.

5. Começa a preparar-se o terreno para o anúncio da decisão. José Eduardo, a 26.12, à tarde, antecipa o conteúdo do seu artigo n'A Bola no dia seguinte. Como em qualquer caso em que se pretende passar uma mensagem subliminar, BC deixa cair, "a talhe de foice", que os únicos representantes do Sporting em que se revê são Eduardo Barroso e, guess what?, José Eduardo.

6. Sucede que, na noite de 26.12, conclui-se que o despedimento não seria possível. Coloco várias hipóteses:
(i) o departamento jurídico concluiu que não existia justa causa [será possível que apenas no dia 26.12 o departamento jurídico tenha dado um parecer final a BC e que este, precipitadamente, tenha começado o processo mediático antes de conclusões jurídicas "seguras"?]
(ii) a decisão, quando comunicada a membros dos órgãos sociais, colocou em causa a estabilidade diretiva [poderia estar em causa a demissão de algum ou alguns dos membros, há muito se ouvem zunzuns sobre algumas pessoas não apreciarem o estilo "one man show" de BC]
(iii) o núcleo duro do plantel opôs-se à decisão [nem seria preciso o núcleo duro: bastaria Nani ameaçar bater com a porta em Janeiro]
(iv) [a mais remota] Marco e BC falaram e entenderam-se.

Mais um capítulo da autofagia. Nisto, BC não é diferente dos seus antecessores: cada vez mais inculca a autofagia como elemento do nosso ADN.


25 comentários:

  1. Koba,

    votos de um bom ano 2015.

    Quanto às especulações todas elas fazem sentido uma vez que a direcção não está interessada em esclarecer o que quer que seja, parecendo talvez acreditar que esta situação lhe seja vantajosa. É a única conclusão a tirar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leão,
      Retribuo os votos: um bom ano de 2015 para si também (desportivamente acho difícil, que o seja no demais).
      Curiosamente até me esqueci, no ponto 6, da hipótese mais provável: não há substituto. Obviamente nem Vitor Pereira nem Rui Faria aceitam vir nestas condições. Um substituto teria que ser da casa (Inácio ou João de Deus). Ou alguém que aceitasse treinar um grande a qualquer preço. Ou um estrangeiro. BC não pode arriscar nenhum destes cenários porque sabe que vai acabar por pagar ele a conta. Não estou a ver como saímos disto.

      Eliminar
    2. Koba,

      Vitor Pereira há uns meses num programa de TV onde comenta de vez em quando, deixou bem claro que não aceitaria a responsabilidade de assumir a candidatura ao título com a politica de reforços empreendida no defeso. O Rui Faria já teve tantos convites que nunca aceitou, viria agora porquê?

      Resta-nos as hipóteses de que fala, ou um Van Basten de ocasião. O Azenha parece-me "abola" a prestar mais um serviço de consulta de opinião. Talvez, quem sabe, sejam mesmo a falta de condições financeiras a ajudar-nos desta feita.

      Eliminar
    3. O Azenha não seria bem aceite por nenhum sportinguista, nem pelo mais fervoroso apoiante de BC. BC sabe bem que isto está a fazer tremer todo o "projeto", não seria com um nome que não inspira qualquer confiança que melhoraria a sua imagem. Começo a achar que se os resultados não forem bons, vamos para eleições por causa de um conflito com um treinador...

      Eliminar
  2. A autofagia não é um elemento do ADN do Sporting, apenas um elemento do ADN daqueles que constroem o seu percurso pelo incitamento ao ódio. Como pode dormir descansado aquele que tem por inimigos todos aqueles que não partilha o mesmo sentimento (chamar-lhe opinião é ir longe demais)? Como pode dormir descansado aquele que pode vir a ser a vítima dos mesmos actos que perpreta a outros?

    Se algo houve de positivo nesta novela foi a confirmação de que a autofagia NÃO está no ADN do Sporting, porque até muitos dos mais arreigados brunistas apelavam ao consenso, mesmo depois de perceber a intenção de despedir o treinador. Se há algo que essa demonstração transversal (chamemos-lhe "inter-sectorial") demonstra é que os sportinguistas não pretendem a flagelação provocada por este tipo de novelas e pretendem conceder tempo e estabilidade a quem tem funções que exigem tempo e estabilidade para gerar resultados.

    Nada disto teria acontecido se o Bruno de Carvalho tivesse sumariamente despedido o Marco Silva no dia 19 de Dezembro, em vez de esperar por um eventual mau resultado no Funchal. Haveria contestação e incompreensão, mas - e se a "comunicação" ou a "imagem" eram o principal problema - não haveria novela e os danos seriam mitigados em função de um apelo a um projecto mais estável e duradouro proposto pelo presidente.

    Mas não. O processo escolhido foi outro e passou por arrastar o Sporting pela lama, com recados ao mais baixo nível, espalhados em todas as plataformas, a que se junta a hipocrisia de um clube em "blackout". E sinceramente parece-me que quer o valor imaterial de um comportamento digno, quer o sinal que isto transmite para futuros treinadores, valem mais do que a indemnização que o Marco Silva receberá pelo seu despedimento. Aliás, qualquer pessoa com um mínimo de senso dirá que o valor da indemnização do Marco Silva cresce a cada dia em que as suspeitas sobre a sua honorabilidade são deixadas no ar.

    E se isto é o que vale o Sporting de Bruno de Carvalho, não há que temer que saia e depressa.

    Há, isso sim, que temer as razões pelas quais o Bruno de Carvalho poderá pretender sair depressa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. António, está a interpretar o "temo" de forma literal. Mas, de qualquer forma, não me parece bom irmos para a terceira eleição em 4 ou 5 anos, seja por que motivo for.

      No demais, concordo com a análise ao tema: se quer despedir (pelas supostas razões que agora circulam por aí), despede sem dependência de resultados.

      Eliminar
  3. Koba,

    Começo por dizer que despedir Marco Silva seria um erro quaisquer que sejam as razões. Agora também não tomo o Bruno de Carvalho por parvo, ou seja, qual é o motivo de ele vir à televisão dizer que o Marco Silva vai continuar no banco em Guimarães para depois o despedir? Faz quase lembrar o momento em que o Godinho Lopes disse que o Domingos Paciência ia continuar e despediu-o no dia a seguir...

    A meu ver (podem dizer que sou optimista, que acredito no Pai Natal, etc), o despedimento do Marco Silva não passa de especulação. Até podem ter havido desentendimentos entre ambas as partes mas (pelas palavras do presidente) parece ter sido tudo dentro do normal.

    Quanto aos elogios a José Eduardo, penso que Bruno de Carvalho se referia a estas declarações: http://www.record.xl.pt/Futebol/Nacional/1a_liga/Sporting/interior.aspx?content_id=921867

    Isto porque as frases incendiárias que José Eduardo mandou surgiram minutos antes da entrevista começar.

    Duvido que Bruno de Carvalho se apresse a esclarecer alguma coisa até porque, na sua intervenção, ele disse que não iria dar entrevistas todos os dias para esclarecer boatos.

    Cumps,
    RMSCP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há boatos e boatos. As acusações do JEduardo são graves e colocam o nosso treinador numa posição insustentável. O silencio da Direção desde sábado é ensurdecedor...

      Repare-se que no dia 24/12 a Direção não teve pejo em desmentir notícias sobre desentendimentos entre os membros dos órgãos sociais. sobre as inúmeras notícias sobre MSilva... silêncio ensurdecedor.

      O despedimento esteve... e está em cima da mesa.

      BdC pode não ser parvo, mas está à beira de rebentar com a pressão que ele próprio colocou sobre o clube - e sobre ele, já que ambos, infelizmente, hoje se confundem.

      Eliminar
    2. Eu também penso que ele deveria dar um ponto final em tudo isto, mas penso que não irá fazer devido ao que ele disse durante a intervenção.

      O despedimento só acredito quando vir porque, como disse antes, não faz sentido que Marco Silva seja despedido neste momento.

      RMSCP

      Eliminar
    3. BdC podia de facto dar uma entrevista a defender MS, mas o próprio já meteu uma ação em tribunal contra o JE, logo o assunto será resolvido de outra forma. Portanto compreendo as 2 posições.

      Eliminar
    4. Mike, RMSCP

      Concordo com o Duarte. O treinador do clube foi atacado e até agora a direção nada disse.

      Reparem bem (uso a frase do RMSCP por uma questão de facilidade): "Duvido que Bruno de Carvalho se apresse a esclarecer alguma coisa até porque, na sua intervenção, ele disse que não iria dar entrevistas todos os dias para esclarecer boatos." Esta é mais uma dita "a talhe de foice", como se nada fosse, mas nada tem de inocente: é o pretexto para BC não vir agora em defesa do treinador.

      Mas vou mais longe: eu, pessoalmente, não acredito que o José Eduardo dissesse tudo o que disse sem um contexto semelhante ao da minha especulação (pode não ser exatamente como descrevi, mas não deve andar longe). Os que, em público e privado, destruíram Marco Silva, fizeram-no a contar com um despedimento em que seria necessário destruir a imagem do treinador para que a decisão desportiva ficasse fora da discussão.

      Como sabem os que por aqui passam, normalmente preciso de factos para dar opiniões. Mas a lógica, neste caso concreto, leva-me a concluir que José Eduardo disse o que disse com as questes bem quentes. Precisaria de uma grande reviravolta factual para acreditar que isto veio do nada e de meras especulações...

      SL a todos

      Eliminar
    5. "costas bem quentes", era o que queria dizer

      Eliminar
  4. Koba e não esquecer uma coisa

    nas 3 declarações que fez(bola tv, aeroporto e texto do jornal) o José Eduardo deu sempre a entender que o Marco silva ia sair ou já teria mesmo saído( inclusive utilizado estranhamente a primeira pessoa do singular ao dizer que "EU tinha tentado", "EU tinha feito isto e aquilo)

    alias neste tempo todo as 2 únicas pessoas que atacaram publicamente o treinador , foram as 2 mencionadas pelo presidente

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Riga, talvez por distração, não me deparei com críticas do Eduardo Barroso ao Marco Silva. Ouvi sim relatos de que, em privado, a "campanha" (que, atenção, não sei se é campanha, pode até ter fundo de verdade) estava em marcha.

      O que mais me entristece nisto tudo é que não vejo como saímos daqui com o mesmo presidente, o mesmo treinador e em condições de disputar seja o que for...

      Eliminar
    2. se não me engano foi na cronica que ele escreve na bola em que escreveu que o marco silva estava contra o presidente e andava a fazer tudo para sair do Sporting

      Eliminar
  5. Argumento digno de uma novela mexicana: drama, incerteza, ódio, suspeição, traição. Faltou só incluir um canastrão com nome de Azenha para ser uma obra prima.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O ódio, a existir, não é no "meu" filme, será no filme real...

      Eliminar
    2. Será... Se.. Existir... se... Pois...

      Eliminar
    3. "A existir", não sei se existe ou não

      O post é assumidamente especulativo e assumo isso. Pode não ser particularmente produtivo mas assumir, nesta situação, que é tudo inventado para nos desestabilizar parece-me ainda menos produtivo. Acho que devemos tentar perceber o que se está a passar.

      Eliminar
  6. É só teorias de conspiração! de um lado e do outro, E assim se alimenta os porcos....

    ResponderEliminar
  7. Um bocado confuso com a resposta de alguns jogadores hoje.

    ResponderEliminar
  8. Porque afinal parece que o plantel tem mais profundidade do que se dizia.

    Há jogadores que claramente merecem minutos na equipa A. O Tobias e contra mim falo, nunca questionei a sua qualidade apenas a maturidade e capacidade de concentração, mas se calhar provou que pode e deve jogar mais. O Geraldes, é este o verdadeiro? Se assim é para quê o Miguel Lopes? O Wallyson a provar que não é necessário levar ao esgotamento o Adrien sistematicamente. E depois enfim qualquer dos extremos que jogou ontem para mim deveriam estar à frente do Capel. O próprio Gauld está assim tão atrás do André Martins desta época por exemplo?

    A gestão deste jogadores afinal é responsabilidade de quem? Atenção que não estou a dizer que agora deviam entrar todos na equipa mas certamente já houve minutos para jogar.

    Custou-me muito o empate com o Moreirense, aquele meio campo que se adivinhava de rastos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa é a parte em que a responsabilidade, em princípio, é de Marco Silva. A menos que haja algo que nos escape sobre a possibilidade de utilizar jogadores da equipa B, as opções técnicas são do treinador.

      Quanto ao Gauld e ao André Martins - na posição em que jogou o Gauld, está provavelmente à frente, sim.

      Eliminar
  9. Mandando mais umas achas para a fogueira, no meio disto tudo qual é o papel da proeleven e da international foot?

    ResponderEliminar