30/12/2014

Escrever direito por linhas tortas

Assumo claramente que estou muito desiludido com as últimas intervenções de BC e tudo o que causaram. Seja qual for a verdade dos factos, a instabilidade deste final de ano (ainda que seja apenas mediática, o que muito duvido) veio de dentro para fora. Mesmo admitindo que tudo o que se diz por aí sobre Marco Silva tem um fundo de verdade, fazer passar a mensagem (ou permitir que ela passasse) foi um erro tremendo. O blackout é absurdo por isso mesmo: não foram os OCS que criaram o problema que o Sporting vive atualmente, foi o próprio Sporting.

Isso não me impede de dizer que o que ontem se fez naquela Taça muito engraçada já devia ter sido feito há muito tempo. Como bem sabe quem me leu nos últimos anos, há muito defendo que esta competição deveria destinar-se a jogadores menos utilizados e jogadores da equipa B. Devia ser uma opção assumida pelo clube, independentemente dos dolos não intencionais da vida. Devia, aliás, ser uma opção de todos os clubes, em particular os grandes. O Benfica fê-lo no ano passado - e tinha um plantel tão forte que acabou a conquistar a competição. A meu ver, fê-lo, pela primeira e única vez, da forma como o deveria ter feito sempre: jogando (também) com os menos utilizados.

Boeck, Esgaio, Geraldes, Tobias, Sarr, Rosell, Slavchev, Gauld, Podence, Heldon, Tanaka. Podiam também jogar muitos outros, como Wallyson, Dramé e Sakho que depois entraram, ou Iuri Medeiros, ou Cissé ou Fokobo. O essencial é dar uma oportunidade competitiva a quem tem menos ritmo e a estrutura considera ter potencial.

Foi uma opção de BC. A meu ver, os motivos não foram os certos - a opção deveria ser estrutural e não conjuntural. Mas a opção é dele. E graças a essa opção, escreveu-se direito por linhas tortas.

PS: Com um golo adversário aos 5 minutos de jogo, viu-se que as coisas são bem mais difíceis, não é Rui Vitória? Mesmo contra um misto de BB e jogadores nunca antes utilizados... Jogar assim 30 jornadas em 34 não é para todos. Isto para os que defendem Rui Vitória como uma boa opção para substituir Marco Silva, o tal que "não ganha aos pequenos"...

PS2: Que não se interprete este post na lógica do "uma no cravo, outra na ferradura". Não retiro uma vírgula ao que escrevi e comentei no post anterior. O que está mal é para apontar; o que é bem feito (ainda que pelas razões erradas) é para salientar também. Parece-me normalíssimo.


9 comentários:

  1. Koba,

    Concordo com o post. Ainda estou optimista e acho que as coisas se vão resolver pelo melhor (fica Marco Silva e fica BdC).

    Em relação ao jogo, apesar de não ter gostado nada da 2ª parte da nossa equipa, gostei de ver alguns jogadores em acção. Esgaio continua a mostrar que tem lugar no 11. No 1º golo vê-se a diferença dele para o Cédric. Esgaio explora o meio enquanto que Cédric vai a linhar mandar cruzamentos para trás da baliza.

    Ainda não tinha visto Tobias a jogar mas gostei. Falta ver como é com a bola nos pés já que neste jogo não deu para ver muito nesse aspecto. Deveria ter bem mais minutos que Sarr que cada vez que disputa um lance treme por todo o lado.

    Gauld e Wallyson a mostrarem que já deveriam ter tido mais minutos na equipa A. Geraldes também esteve competente.

    PS: Rui Vitória é um bom treinador para clubes do estatuto do Guimarães. No Sporting, não passa de um Paulo Sérgio.

    Cumps,
    RMSCP

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só uma discordância: esse Cedric era o do ano passado, ainda fez umas aparições este ano mas creio que tem passo a passo progredido e evitado os cruzamentos para a molhada (ou para a bancada).

      Eliminar
  2. O título do post poderia ser "ver para além da felicidade o resultado", mas não.

    O Sporting alinhou ontem - em 14 jogadores utilizados - com 9 contratações efectuadas pelo Bruno de Carvalho: Geraldes, Sarr, Rosell, Slavchev, Gauld, Heldon, Tanaka, Dramé e Sakho, todas cirurgicamente realizadas para conferir ao Sporting a profundidade necessária (apenas um dos quais para sua Equipa B, Dramé) para ser esmagado por um adversário cuja equipa principal deverá ter um orçamento pouco superior ao da Equipa B do Sporting (e seguramente inferior ao orçamento constituído pelos jogadores que ontem alinharam).

    Para além da confrangedora qualidade de algumas destas cirurgias, do facto de terem sido os de sempre a jogar melhor, de novamente se ter deixado de fora um dos melhores jogadores do Sporting para dar espaço ao mini-Messi de 3 milhões de euros, do Sporting ter chegado aos 80min com 2 remates realizados e de uma vitória obtida a jogar num modelo de jogo que não é aquele que se pediria a jogadores do Sporting caso viessem a alinhar pela equipa principal, o que sobra deste jogo? A constatação do falhanço em toda a linha do arremedo de projecto de Carvalho para o futebol do Sporting e a sua incapacidade de compreender um mínimo olímpico da actividade a que preside (o desporto).

    Claro que a constatação que equipas muito inferiores também podem ganhar jogos - essa anormalidade que é própria do desporto! - e as conclusões que daí se podem tirar vão ter de ficar para uma próxima ocasião. Só que nessa ocasião se o Sporting jogar tão bem quanto ontem e perder, o que até é o mais provável, as conclusões podem é ser bem diferentes. Se calhar em vez de louvar a aposta em reservistas e contratações furadas, estar-se-ia a perguntar por que razão não jogaram o Iuri, o Matheus Pereira, o Chaby, o Ponde, o Betinho, o Palhinha, o Riquicho, o Zézinho, o Luka, o Farley, o Guedes, o Domingos Duarte, o Ricardo Tavares, entre tantos outros que para poderem jogar na Equipa B têm de correr o dobro de outros que foram contratados para a Equipa A.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. António, os resultados, na Taça da Liga, são-me indiferentes, por isso nada comentei quanto a isso

      Digo, apenas, que é uma competição em que devem jogar os jogadores menos utilizados da equipa A (que são aqueles, mal ou bem, são aqueles - e já por diversas vezes dei a minha opinião sobre eles) e os jogadores com maior potencial da equopa B (aqui sim podemos discutir se são aqueles ou são outros - mas não vou por aí porque não tenho conhecimento suficiente do plantel da equipa B para opinar)

      Eliminar
  3. Eu também assumo que estou desanimado e apreensivo com tudo isto que se tem passado.

    Mas recuso-me a acreditar que isto tudo seja porque o presidente do Sporting acordou mal disposto e fez birrinha. Tem que haver algo... a partir daí muito provavelmente o processo tem sido mal (muito) gerido.

    Chegamos a um ponto que ou o treinador saí ou tem que ser defendido. Estou à espera!!

    Agora também sei bem de que lado quero estar na guerra. E não quero estar ao lado do mst, bruno prata, do guilherme aguiar, do serrão, do pedro guerra, do gomes da silva, do carlos barbosa, do dias da cunha, zeferino boal, dos janelas e dos farinhas cá do burgo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sei que parece um lugar comum, mas o lado certo é o do Sporting... seguramente não será o lado de todos esses que refere, mas pergunto-me se será o lado do José Eduardo e do Eduardo Barroso?

      O ponto, de sempre, é que nesta fase já não devia haver "lados da guerra" fomentados de dentro para fora. Poderia haver guerras com árbitros, OCS, rivais, Liga, etc. Mas esta e outras do género não deviam ter começado sequer.

      Eliminar
    2. FCS, e do lado do Ricciardi, quer estar?

      Eliminar
  4. Não faço questão.

    Já agora também lhe deixo uma questão. Não acha estranho esta unanimidade toda contra o homem?

    Ou o homem é realmente o anticristo e então já devia haver dezenas de provas reais e concretas ou então alguma coisa o homem tem feito bem.

    Não me lembro dos anteriores terem gerado este ódio na comunicação social, comentadores benfiquistas e portistas etc etc.

    Estranho não?

    ResponderEliminar
  5. Só para acrescentar o Farinha Alves à lista!

    ResponderEliminar