21/10/2014

Os grandes vencedores do clássico






1. Os adeptos, muitos e bons, a silenciar o Dragão. Um espetáculo.

2. Bruno de Carvalho, pois claro, depois de uma semana de grande desgaste a atrair os holofotes para ele, deixando o treinador e a equipa "sossegados", numa estratégia que vem sendo repetida sempre que se aproximam momentos de maior tensão. Mas que continua a resultar.

3. Nani. Para quem dizia que vinha cá passar férias e desestabilizar, está aí a resposta. Concordo a 100% com Jorge Jesus: um bom jogador é o que joga sempre bem, um grande jogador é que joga bem e faz todos os outros jogar bem. Nani é um grande jogador.

4. Patrício. Depois da pressão do "perdeu sempre na Luz e no Dragão", depois da miserável campanha que o Cantinho bem recorda no seu post, duas exibições fantásticas. Sou sincero: Patrício parecia, já no ano passado, algo desmotivado e até resignado. Este ano, talvez porque a equipa está de facto mais competitiva, deu um salto para o nível que eu contava que ele tivesse nesta altura. Precisa muitos destes jogos, onde é um grande campeão.

5. O grande vencedor de entre os grandes: Marco Silva. Sou suspeito, sempre disse que com Marco o Sporting ia ser muito melhor do que foi o ano passado. E é. Mesmo com uma defesa instável (Marco faz o que pode, mas creio que esta dupla de centrais é que menos problemas individuais nos vai gerar). Montou uma estratégia para ganhar no Dragão e ganhou com categoria, com uma exibição coletiva de grande qualidade. Sem espinhas.

PS: nem valia a pena falar dos grandes derrotados, mas são óbvios - Pinto da Costa e Lotapeg (mais uma vez cito JJ). Em particular o segundo. Continua a inventar tendo o melhor plantel em Portugal. Cheira-me que ainda vai passar a Navidad à terra-mãe...

PS2: sim, já sei - falta ali o William Carvalho! Pois bem, o que eu quero é que o William jogue assim todos os jogos, claro está. Mas mesmo admitindo que até posso ter visto mal o jogo, não me lembro de ter visto alguém a pressionar o William. Para um jogador da categoria dele, jogar assim, soltinho, é fácil (Lotapeg a dormir uma vez mais...). Difícil é fazer uma segunda época ao nível da primeira. Se o fizer, terá o merecido destaque.

4 comentários:

  1. 1- Concordo

    2- Nem por isso. Se para desviar as atenções do treinador e da equipa o presidente fragiliza a posição dos adeptos, que estão menos protegidos que os atletas e dirigentes algo não foi totalmente bem feito.

    3-Concordo e ainda vou ver se encontro por aí uns adjectivos para o Nani.

    4- O melhor Patrício de sempre, a muralha de Alvalade.

    5- Concordo embora me pareça que, mesmo com os elementos que tem para escolha, à dinâmicas colectivas a melhorar, a exposição da equipa em alguns momentos de perda de bola é muita e ainda vamos ver por exemplo com o Maritimo os centrais a bater bolas para as costas de Mauricio e Oliveira, que não são nada rápido. Uma paragem do campeonato para afinar estratégias vinha mesmo a calhar.

    PS: o que me surpreende em Lopetegui nem são as ideias, mas sobretudo as escolhas que fez para as ideias que tem. Para uma equipa que privelegia a posse e quer sair a jogar, ter centrais como Marcano e Indi e ainda por cima os laterais alinhados com os centrais é, no mínimo, estranho.

    PS2: jogando mais sobre a posição seis e sem preocupações de fechar à direita ou subir é William mais confortável e a sua melhor versão.

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LdA,

      2. Eu referia-me à exposição mediática. O presidente de tempos a tempos vem mandar umas larachas que ocupam as páginas dos jornais. E, de repente, já ninguém se lembra das roscas do Sarr, do mau momento do William, do Martins estar no banco vai para 1 mês, etc. De qualquer forma, parece-me que se empolaram as declarações de BC. Estou à vontade para o dizer porque já critiquei muitas vezes BC e também considero as declarações excessivas; mas desta vez, lendo bem o que disse BC, acho que as declarações se referiam, apenas, ao ambiente criado pelos responsáveis do FCP aos adversários (não necessariamente aos adeptos). Estava a referir-se, a meu ver, aos muitos guardas Abéis que por ali passaram ao longo dos anos. Não foi assim, atenção, que interpretei as parangonas; mas foi assim que interpretei a totalidade das declarações. Para além do mais, parece-me que esta foi uma vitória política de BC: numa semana em que o isolaram, conquistar uma vitória naquele que é, para nós, o recinto mais difícil, mostra uma força que o Sporting não aparentava ter.

      5. Seguramente que não são rápidos e há problemas de posicionamento. Mas sem erros individuais de INATEL (como diria o Cantinho), a coisa fica um pouco melhor. O Sporting até com o Penafiel teve jogadores isolados perante o Patrício... A menos que o Rabia me surpreenda, aqueles são os melhores centrais que ele tem, era isso que queria dizer. Vi o Tobias este fds e assustei-me com aquela atitude com o árbitro - será que já tem maturidade para a I Liga? E olhe que eu defendo que esteja na equipa A desde o início da época...

      Abraço

      Eliminar
  2. O Koba, a propósito do Sporting de Leonardo Jardim, escreveu que era necessário um “simplificador de processos”. Foi há muitos meses, mas guardei a ideia no bolso e nas longas conversas sportinguistas avançava com ela para tentar concluir um debate que parecia inconclusivo.
    Agora, com Nani, finalmente, temos o “simplificador de processos”, isto é, alguém que estabelece coerência e consequência ao futebol leonino.
    Coerência porque, agora, há um sentido, uma lógica, que se percebe perfeitamente na bancada quando se observa a movimentação dos jogadores. Consequência na medida em que ocorrem com frequência jogadas de grande perigo que, com elevada probabilidade, se materializam em golo.
    De facto, o “grande jogador é o que joga bem e faz todos os outros jogar bem”!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Zargo, nem mais!... já não me lembrava da expressão, mas cai muito bem ao Nani.

      Na seleção podemos não ter a noção porque anda ali um estratosférico CR. Mas está um jogador fabuloso. Evoluiu brutalmente. Basta pensar que joga como "extremo" e ainda não o vi, por uma só vez, correr para a bandeirola de canto e largar um charuto.

      SL

      Eliminar