15/10/2014

Com a cabeça limpa



Primeiro ponto: acho que já chega de bater no Paulo Bento. Andámos a perder tempo? Sim. Mas Paulo Bento já saiu, agora o selecionador é Fernando Santos, bola para a frente.

Com Fernando Santos, o que vejo é jogadores com a cabeça limpa. Não há nuvens negras porque estão lá, mais este menos aquele, os melhores 23 que poderiam estar. Quem não está, percebe porque não está, quem está sabe que está por mérito. Parecendo que não, isto é importante.

Não quero comparar com o passado, nem isso interessa agora. Quero apenas frisar que não há casos, condicionamentos, favoritos, receios, adaptações manhosas, cedências aos "experts" e "opinion makers". Há apenas um selecionador que monta um esquema que, na opinião dele, é o que mais favorece os jogadores que tem. E convoca aqueles que, de entre os disponíveis, melhor estão em condições de jogar nesse sistema. Tudo clichés e lugares comuns? Talvez. Mas, como tenho dito desde sempre, o maior mérito de um selecionador nacional é o de não inventar muito e aproveitar, na medida do possível, algum trabalho que esteja já feito.

Não tem medo, face às ausências de melhores e mais experientes opções, de lançar Cedric, Eliseu, William, João Mário. Se são os melhores que tem, faz todo o sentido.

Quanto ao jogo, foi aquilo que eu digo há anos e anos que deveria ser: um Portugal muito melhor do que uma Dinamarca sem um único jogador de classe. Vão longe os tempos de Michael Laudrup, Elkjaer Larsen, Soren Lerby, Molby, Morten Olsen (odeio a figurinha mas como central era fabuloso) e mesmo de Schmeichel, Jensen e Brian Laudrup. São 11 matraquilhos (bons matraquilhos, com organização, disciplina tática, concentração, etc., mas matraquilhos) a jogar aquele enervante e chatinho futebol nórdico, mas nada mais do que isso.

No final, Bendtner dizia "foi um desastre, não jogámos bem e um ponto tinha sido bom para nós (...) criámos apenas duas oportunidades (...) jogámos mal, foi terrível". Não pá, não foi nada. Tu estavas era muito mal habituado, a um Portugal medroso e sem personalidade. Tu e os teus colegas de equipa achavam que ia ser igual. Não foi.

Claro que um golo aos 90+4 é sempre um pedaço de sorte. Mas merecida. É que, mesmo considerando os dois lances perigosos dos dinamarqueses, tive sempre a sensação de jogo controlado. Mesmo que o atual esquema ainda não me convença totalmente, chegou bem para suster os dinamarqueses. Mas uma nota para o Fernando Santos: os nossos laterais deparam-se vezes demais com situações de 1x1. Estes eram matraquilhos, cuidado com a Sérvia.

Se tivesse ficado 0-0, diria provavelmente o mesmo: "Não ganhámos, mas mostrámos que a Dinamarca é chata e pouco mais do que isso". O 0-0 de ontem seria um resultado aceitável. O 1-0 foi ótimo.

O grupo é difícil mas, com estes 3 pontos, mais vitórias em casa com Arménia, Sérvia e a própria Dinamarca, acredito que o apuramento seja possível. Quanto aos jogos fora, todos difíceis. Convém não contar com muitos pontos vindos daí. Empate na Sérvia é bom resultado, mesmo na Albânia e na Arménia veremos o que fazem os adversários "diretos" - por agora, ficaram-se por empates. Se os igualarmos nesses resultados, sacarmos um empate na Sérvia e os batermos a ambos em casa (nem admito que não ganhemos à Arménia em casa, pese embora seja mais difícil do que parece), estamos apurados,

PS: não vi o jogo dos sub-21, deve ter sido uma grande joga. 5-4! Acho que hoje, se tiver tempo, vou pelo menos espreitar nas gravações automáticas.

14 comentários:

  1. E só Air Ronaldo consegue permanecer suspenso 20 segundos mais que o central, aguentar e depois marcar o golo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. André, uma máquina

      E a concentração competitiva do bicho, aos 90+4, de acreditar e estar no sítio certo e resolver mais uma vez.

      Eliminar
  2. Uma das razões para o jogo não ter funcionado tão bem para nós ontem foi o Danny não estar num dia inspirado, nem o Tiago nem o Moutinho serem jogadores criativos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mike, não fiquei particularmente convencido com a exibição e com o sistema de jogo, gostei da atitude competitiva e do facto de não termos ido à Dinamarca fazer as figuras tristes do costume

      O Tiago e o Moutinho são jogadores que conferem solidez, sobriedade, certeza no passe, rigor posicional, etc, concordo que na criatividade faltou ali qualquer coisa. Quanto ao Danny, pergunto-me se o ideal naquela posição não seria o Nani (mas aí quem acompanharia Ronaldo na frente?)

      Eliminar
    2. Para jogar com Dinamarcas e afins não precisas de ter 3 gajos no meio-campo para conferir solidez (William, Tiago e Moutinho). Mais valia substituir o Tiago ou o Moutinho pelo João Mário que sempre dá criatividade e ajuda bastante a defender.

      Eliminar
  3. Koba,

    Paulo Bento. As últimas notas sobre este "caso":
    - Danny, Tiago, Ricardo Carvalho (que jogador...) e Quaresma trazem mais opções (e qualidade) à selecção. Bento acho que não. Em vez de Danny optou por Josué e Rafa, em vez de Carvalho optou por R. Costa e Neto, em vez de Tiago optou por Meireles e em vez de Quaresma optou por Varela e Ivan Cavaleiro. Se a isto se juntar as opções William (em vez de Veloso), Cédric (em vez de A. Almeida) e Eliseu (em vez de, novamente, A Almeida), percebe-se que aquele mito de "não há base de recrutamento" é mesmo isso, um mito. E isto, por muito que não queiras falar em Bento, tem de se falar.
    Mas a culpa não é só de Bento. Há uma hierarquia. E esse topo desta pirâmide podre que é a FPF deixou que Bento levasse as opções para a frente. Chegou Santos e, pelos vistos, não houve problemas em trazer de volta os renegados. Que raio de líderes são estes? Cobardes.

    "Quem não está, percebe porque não está, quem está sabe que está por mérito. Parecendo que não, isto é importante."

    Muito importante. E acrescento. Acho que estes que ali estão percebem que podem ceder o seu lugar a outros. Nada está garantido. Trabalhar (bem) nos clubes dará acesso à Selecção. Esperemos que sim (embora eu queira ver quando se chegar à fase final).

    Jogo:
    - vi o jogo em casa de uns familiares. Quando se dá o golo, alguém exclama: "Ganda sorte!!!". Porquê? Eu vi uma equipa que controlou o jogo (excepto os últimos minutos da 1ª parte) e que acreditou que podia ganhar. As substituições foram nesse sentido. Foi aos 95m? Podia ter sido na 1ª parte e no início da 2ª. Merecido. Mas é como dizes, a Dinamarca é nada.

    O apuramento está feito antes de começar. Vão quase mais equipas ao Euro do que existem países na Europa. Vê lá que até vai haver vaga para Israel, esse grande país europeu...
    Mesmo os resultados surpresa que se têm visto é resultado do relaxamento que as grandes selecções detêm relativamente ao apuramento. De uma maneira ou de outra, vão todas lá parar.

    ps: o jogo de sub-21 foi bom em termos de ataque. A nível defensivo (mais do que atacas as defesas, há que colocar em causa "o processo defensivo" [toma lá uma expressão futebolística!!]) foi muito fraco. O jogo na Holanda foi muito melhor, em todos os aspectos.
    Foi uma caminhada fantástica de uma grande geração. Bernardo Silva é o expoente máximo e um jogador excepcional. Ainda bem que o Benfica já o vendeu (embora vá aparecer daquelas notícias que foi vendido ao Lim ou Mendes por 30 a 50M - tanga). Esgaio a demonstrar que não merece a sombra de um Miguel Lopes que a única qualidade que tem é estar longe dos relvados (mau demais), Iuri a pedir mais tempo e mais jogo com os grandes e um Mané que não merece estar atrás de Capel nas opções. Oliveira também ganhou minutos o que é importante.

    abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mané não merece estar atrás de Capel há muito tempo. Infelizmente não conseguimos vender o Espanhol e agora é preciso faze-lo render na mostra da champions (não concordo com isto mas acho que é o que se está a passar).

      Eliminar
    2. Cantinho,

      Como sabes, nunca perdi uma oportunidade para bater no Paulo Bento e o meu principal argumento foi, precisamente, esse: a base de recrutamento era usada como desculpa para convocar sempre os mesmos estarolas. Repara que dos nomes que referiste, nada menos do que 6 foram ontem titulares. Mais de meia equipa!... Mas, enfim, só quis virar a página, obviamente que a comparação é inevitável.

      O apuramento está bem encaminhado mas longe de estar garantido. Tivemos bastante azar com os "fracos". Não temos San Marinos, nem Gibraltares que são 6 pontos no bucho e deixam a decisão para os confrontos diretos, onde em casa normalmente somos fortes. Pelo contrário, temos equipas que até meio do percurso vão pelo menos alimentar o sonho do 3º lugar e tornar-se ainda mais difíceis. Pelo caminho que levávamos, antecipava um máximo de 12 pontos. Duvido que chegasse. Agora antecipo 15 pontos, acredito que possa ser suficiente.

      Quanto ao Esgaio, não acho mal que seja emprestado, pode crescer e evoluir mais jogando mais tempo e mais regularmente. Seria suplente do Cedric... A questão no meio de tudo isto é o que fazer com o Geraldes.

      No Mané vs Capel acho que nem preciso de dizer nada...

      Abraço

      Eliminar
    3. Mike,

      isso do Capel é grave. Assumir (e aceitar) que um jogador deve jogar para fazer com que vá embora é muito mau. Ainda mais quando se está a colocar em causa o mais importante (pelo menos para mim): o rendimento e sucesso desportivo.
      Também ninguém queria o Carlos Martins e não vi a titular em detrimento do Enzo ou do Gaitan para que fosse vendido (muito menos na Champions). Veremos se não se vai fazer o mesmo com Miguel Lopes (que acho incrivel que alguém o considere uma opção digna - mas ninguém tem memória dos jogos fracos desse rapaz?).

      Koba,
      Concordo quando se deve mudar a página. O que não se pode fazer é esquecer. Isto corre o risco de correr bem e depois não há memória para elogiar quem merece e responsabilizar quem errou. E os mesmos jornalistas e paineleiros que elogiam, agora, os renegados e os novos são os mesmo que, há 5 meses, diziam que não serviam para a Selecção e que não "há base de recrutamento".

      O Geraldes que vá para ao pé do Shikabala (e que leve com ele quem os contratou).

      Eliminar
  4. É o denominado "problema cultural" luso.

    Danny e Ricardo Carvalho eram opções do Paulo Bento, até ao dia em que resolveram achar que eram eles que escolhia a equipa. A partir desse momento, deixaram de o ser. Culpa do Paulo Bento, está claro. Assim como será culpa do Fernando Santos acaso repitam a façanha. Já dos jogadores, um dos quais até disse que procederia como o Paulo Bento, a culpa não deve ser...

    Já o Eliseu queria ser o lateral esquerdo da selecção quando há um tal de Coentrão, que por acaso é melhor. Foi à selecção com o Paulo Bento e não lá voltou. Vamos ignorar olimpicamente as declarações do Eliseu acerca da não convocação do Antunes para o Mundial e vamos ainda ignorar que o Eliseu jogava mais vezes a médio/extremo esquerdo no Málaga do que a lateral e que a selecção tem melhores opções para a ala do que ele. A culpa também deveria ser do Paulo Bento.

    Tiago, o jogador que por autorecreação se exclui da selecção nacional após o Mundial de 2010, ainda o Paulo Bento não tinha chegado à selecção. A culpa da sua não presença nos jogos seguintes? Do Paulo Bento, com certeza.

    E Cédric, o não convocado para o Mundial (e não convocado antes, não apenas por apenas ter feito uma época ao mais alto nível - o que não acontecia com os seus concorrentes directos - mas também por haver jogadores melhores, como o Sílvio, neste momento está lesionado), calhou também não ser convocado para o jogo com a Albânia porque tinha partido uma costela. Culpa? Do Paulo Bento.

    Já o Fernando Santos, além de ter colocado no onze titular 3 (três!!) jogadores cuja relação com a selecção depende da sua titularidade - Ricardo Carvalho, Tiago e Danny -, já tem liberdade para fazer as suas escolhas "não condicionado" e que apenas "monta um esquema que, na opinião dele, é o que mais favorece os jogadores que tem. E convoca aqueles que, de entre os disponíveis, melhor estão em condições de jogar nesse sistema". O Paulo Bento, infelizmente, já não tinha o direito de achar que determinados jogadores serviam melhor os interesses da selecção, no curto, no médio ou no longo prazo.

    Eu, que detestava o Paulo Bento enquanto treinador do Sporting, partilho a maioria das suas opiniões. Acho que o Tiago não tem lugar, acho que o Ricardo Carvalho - em devido tempo encostado pelo Mourinho - não deve merecer uma segunda oportunidade para ser um FDP (e quem teve de se sacrificar nos últimos 4 anos não se esqueceu) e que, por haver melhores opções que o Danny (e muito melhores do que o Quaresma), esse é outro que irá ter uma passagem fugaz pela selecção.

    Aí talvez a culpa já não seja do Paulo Bento, mas nunca se sabe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como seguramente percebeste pelo post, eu não partilho a maioria das opiniões do Paulo Bento, bem pelo contrário.

      Quanto ao Ricardo Carvalho, esteve mal, foi castigado, o castigo acabou, o Paulo Bento pessoalizou (como já tinha feito no Sporting tantas e tantas vezes). Culpa de quem que não tenha voltado à seleção?

      Quanto ao Danny, a história nunca foi bem contada, por ninguém. O Paulo Bento alguma vez disse que o Danny queria fazer a equipa? Porque deixou de o convocar, para depois se queixar da base de recrutamento?

      Quanto ao Eliseu, podia ser Antunes, ou até Joãozinho ou Ruben Ferreira, ou Júlio Miguel do Rebordosa. Não estando o Coentrão, joga a DE, surprise!, o DE que no entender do treinador está em melhor momento, second surprise!, jogando a DE. São de facto critérios estranhos... os do Queiroz com o Ricardo Costa e do Paulo Bento com o André Almeida, isso sim, critérios com sentido.

      Tiago, o jogador que se manifestou disponível para voltar e que o próprio PB disse que não voltou porque seria injusto para "o grupo que fez a caminhada". Sim, o jogador disse que até percebia. Mas pensar nos interesses da equipa? Nada disso. Os grupos da sueca estavam feitos, depois como íamos perceber quando o Tiago tivesse a manilha de trunfo?

      Os 3 jogadores "cuja relação com a selecção depende da sua titularidade", enfim, só se tens acesso a informação não disponível para os demais. Nunca ouvi o Danny ou o Tiago com essa conversa. Aliás, o Tiago quando abdicou era titular, não foi certamente por ficar no banco que deixou de ir...

      O Paulo Bento tinha o direito de achar o que quisesse. Mas para além de nunca ter tido uma alternativa ao esquema de sempre, preferia jogar com 11 adaptações a mudar o que fosse. Aliás, isso também sucedeu no Sporting.

      O Tiago tem lugar nos convocados (no 11 mais discutível), o Ricardo Carvalho, como todos, deve merecer uma segunda oportunidade (bom, se tu fosses treinador do Benfica no ano passado, o Cardozo teria sido proscrito - não preciso de te recordar quem aguentou o Benfica no pior momento da temporada, pois não?), quanto ao Danny ontem teve um jogo menos conseguido mas, caramba, jogando a titular num dream team e estando disponível, pelo menos convocado acho que deve ser.

      A culpa do Paulo Bento acabou, felizmente, na derrota em casa com a Albânia.

      Eliminar
    2. faltou dizer, quanto ao Cedric, que apenas é usado como prova de que há vida para além dos óbvios

      Eliminar
  5. Koba,

    Não gostei da selecção, simplesmente jogaram melhores jogadores a fazer a mesma coisa... Não entendo como é que não conseguimos dominar o jogo em posse de bola contra uma equipa nórdica. Julgo que há meia hora de jogo está 63 % para a Dinamarca. Ou corremos menos ou estamos mal organizados.
    Eu não quero acreditar que se consiga defender o Paulo Bento seja no que for... Coerência é uma coisa, casmurrice é outra completamente diferente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Metralha, como disse acima ao Mike, "não fiquei particularmente convencido com a exibição e com o sistema de jogo, gostei da atitude competitiva e do facto de não termos ido à Dinamarca fazer as figuras tristes do costume".

      Do ponto de vista do futebol, há muito a melhorar, muito mesmo.

      Mas a jogar assim, ganhámos na Dinamarca, uma seleção vulgaríssima que nos causou imensas dificuldades nos últimos anos

      Eliminar