02/09/2014

O bom derby

Em primeiro lugar, gostava que todos os derbys fossem assim. Não ao nível do resultado, pois quero que o Benfica ganhe todos, mas pelo grande ambiente, emoção até ao fim, e sobretudo, porque o árbitro não foi o mais importante e o resultado apenas dependeu do talento (ou falta dele nalguns casos) dos homens que estavam em campo.

Saí do estádio com uma sensação de desilusão e insatisfação por não ter ganho o jogo quando considerava termos sido claramente a melhor equipa. Uma análise mais a frio faz-me recuar e considerar que o empate não é assim tão injusto. Afinal de contas, as grandes oportunidades de golo foram até bastante divididas. Talvez aquela sensação no final do jogo se devesse ao facto do domínio durante aqueles 20 ou 30 minutos da segunda parte ter sido mais evidente e de terem sido desperdiçadas várias oportunidades durante aquele período. Ou então porque o golo do Sporting foi conseguido por força de um enorme frango mas a verdade é que a frustração reinava...

De forma muito resumida, o Benfica entrou melhor, dominou e marcou um excelente golo numa grande jogada colectiva. Continuou forte mas o erro infantil de Artur, derrubou a equipa e o Sporting foi melhor a partir daí. Os vários cantos, as saídas em falso de Artur e o falhanço de Slimani fizeram com que a sensação de golo estivesse claramente do lado do Sporting. Na segunda parte, deu para recordar o rolo compressor do Benfica e falhou-se demasiado golo. Depois Enzo, Salvio e Gaitán rebentaram fisicamente, pouco se passou a partir daí e o Sporting acabou por falhar uma grande oportunidade mesmo no final.

Algumas notas:
- Artur fez certamente o último jogo a titular e todos agradecemos. No entanto, estou ao lado de Jesus porque acho que fez bem em lhe dar a titularidade. Não podia retirar um guarda-redes que tinha estado bem nos penaltys e era arriscado lançar Júlio César num jogo com esta carga emocional;
- Eliseu não é tão forte como Siqueira a atacar mas é bem melhor rematar e a defender;
- Maxi continua impressionante;
- Jardel manteve o que já tinha escrito num post anterior. É excelente nas recuperações, rápido, com grandes cortes mas depois decide muitas vezes mal e com passes disparatados. Na mesma jogada consegue várias vezes um excelente movimento defensivo seguido de um grande erro. Gosto muito dele mas depois de Garay é um decréscimo qualitativo;
- Excelente jogo de André Almeida a defender. Sei que estamos mal habituados mas sabe a pouco quando nos recordamos de Matic e Fejsa;
- Enzo mesmo ainda à procura da forma, é de outro mundo. A jogada em que sai de dois adversários e ainda saca o amarelo a Jefferson, diz tudo;
- super Gaitán e super Salvio enquanto houve pilhas;
- detesto ver o Talisca no onze inicial. Reconheço qualidade mas espero que não seja a nova teimosia de Jesus. Alguns passes e toques interessantes mas ainda é muito lento para o futebol europeu e decide muitas vezes mal; 
- Com a equipa a perder fulgor físico e com os laterais amarelados, Ola john na ala e Gaitán no meio, era assim tão má ideia?!

Já começamos a encher o balão de confiança lá de cima...
 

3 comentários:

  1. Salvio fez um jogo horrível.
    Artur hipotecou um jogo que seria ganho, no entanto, concordo com a observação.
    A última observação faz todo o sentido, mas acho que JJ quis mostrar á Direcção que não tinha soluções para um jogo destes. Só fez 1 substituição.

    Fechou o mercado. Continuamos sem avançados, excepto o Lima que está numa má fase. Veremos. Não estou optimista. Mas já estive mais pessimista.

    Ass. Galaad

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, Salvio é capaz de ter errado mais do que habitual neste jogo, com alguns falhanços e más decisões, mas não deixou de fazer os habituais desequilíbrios.

      Se Samaris e Cristante forem realmente reforços podemos ter um meio campo forte, já que mesmo sem avançado, Enzo é que é a grande contratação! Vamos ver como Júlio César arranca e como estes do meio campo se integram.

      Abraço

      Eliminar
  2. Muito bem! Gostei de ver aqui reconhecimento a um grande profissional como o Maxi. Quanto ao Jardel, deixem-no ganhar confiança e vão ver um grande central tb com a bola nos pés. Basta confiança, porque a defender já é dos melhores e a sair a jogar tb não se lhe exige grandes coisas.

    Quanto às substituições, penso que o que vai na cabeça de JJ é que no inicio de época, só se ganha mais condição física fazendo os 90 minutos. É diferente qd estamos no meio, ou mesmo no final de época.

    Relativamente ao Talisca, o patinho feio do autor da opinião, digo apenas o seguinte. Como pode um jogador ganhar ritmo europeu (já que tem qualidades e muitas, digo eu) não jogando? Isso não é possível!

    Quanto às oportunidade de uma e de outra equipa, não concordo que tenham sido distribuídas pelas duas equipas e mais, aquela do Slimani isolado na cara do Artur que este defendeu, estava em claro fora de jogo. Se tem entrado, lá tinha o Proença dado mais um recital!

    AS

    ResponderEliminar