02/08/2014

Contrastes


Mau: cheguei ao estádio pelas 20h. Pouca gente para entrar, apresso-me para o meu lugar. Quando chego, penso que estão a montar um palco. Errado. Estão a desmontá-lo. A apresentação já aconteceu. Com o estádio às moscas, como se vê pela foto. Diz-me o meu pai que as portas se abriram já bem depois das 19h (atraso imputável à empresa de segurança, segundo constou) e 5/10 minutos depois de as portas se abrirem, começou a apresentação. Enfim, poderiam tê-la feito como o estádio um pouquinho mais composto, não? Surpresa apenas a apresentação de Naby Sarr. No demais, o esperado.

Bom: 31.000 adeptos numa sexta-feira de agosto parece-me muito bom mesmo. Recordo que o Benfica-Ajax, disputado num sábado de julho, teve 25.000 espetadores. E não me falem do momento das equipas. A pré-época é o que é e, tanto quanto sei, o Benfica ainda é o campeão em título. E depois de escrever esta frase vou fazer uma pausa e tomar um Alka-Seltzer...

(voltei, já me sinto melhor)

Mau: o jogo de Maurício. Um desastre. Intervenções trapalhonas logo a abrir, a bola a queimar nos pés, as habituais faltas desnecessárias. Por coincidência, no dia seguinte a sair o Dier. Mas OK, foi mesmo coincidência, sei que com o Maurício podemos contar. E sei que teve que levar com um Rojo acabadinho de chegar de férias (incrível como jogou a titular...) ainda fora do ritmo da equipa. Rojo que, por sinal, passou o jogo a charutar. Só faltou mesmo aquela cavalgada com tiraço para a bancada que o Cantinho tanto aprecia. Ainda não tinha visto nesta pré-temporada o Sporting a charutar. Alguém fale com o senhor e lhe explique que já não funciona assim, por favor.

Bom: todo o meio-campo, até às substituições. André Martins parece motivadíssimo, Adrien apresenta-se com muita confiança e este meio-William que temos por agora já é um ótimo jogador. Quando estiver em forma e for o verdadeiro William, vai ser ainda melhor do que no ano passado. Incrível como vê sempre primeiro as opções de passe à sua frente e normalmente a bola sai redondinha para o colega melhor posicionado. Depois começou a disparatar como que a dizer ao Marco que queria sair ao intervalo. Não saiu, mas pouco mais durou.

Mau: duvido que o William fique...

Bom: Carrillo empenhado e a jogar o mesmo jogo que o resto da equipa, Montero essencial no jogo ofensivo e (vamos ver se alguém concorda comigo) o melhor Capel que vi nos últimos tempos. Curiosamente, um Capel que inicia a jogada do primeiro golo com um passe que o velho Capel não faria, dada a sua obsessão com a bandeirola de canto (para onde corre desvairado sempre que tem a bola nos pés). Um jogo com a equipa, sem correrias parvas, sem grande destaque, é verdade, mas com um contributo que gostei de ver. Este Capel pode ficar. Bem orientado, pode ser um jogador útil à equipa.

Mau: sofrer golos depois da hora, logo 2, um na primeira parte, outro na segunda. E se o segundo resulta de um erro individual do Jefferson (precisa urgentemente de concorrência), o primeiro faz lembrar os "bons" velhos tempos do Sporting em que evitávamos cantos contra nós a todo o custo, inclusivamente preferíamos que o adversário beneficiasse de um penalty, podia ser que o Patrício defendesse.

Bom: Rosell não é William mas gostei uma vez mais. E nunca pensei dizer isto mas gostei mesmo de ver o Tanaka. E o público adora o japonês. Quando marcar um golo em Alvalade, o estádio vem abaixo.

Mau: Mané muito displicente, a desperdiçar por infantilidade um lance claro de golo; Paulo Oliveira algo preso e inseguro (pareceu-me); o grande Marcelo não ter entrado; e alguém ter dito ao Chico Bala que podia ficar com a bola do jogo mas sem lhe explicar que isso apenas sucederia quando o jogo terminasse. Da próxima peçam ao Slimani para lhe explicar em árabe.

PS: quem fez também um jogo desastrado foi Pereirinha, pela Lazio. Mas gostei de ver como foi bem tratado em Alvalade, ele que saiu a custo 0 porque, lembrem-se disto, o Sporting não conseguia renovar o contrato com ele. A este, e ainda bem, ninguém insulta nem chama nomes à mãe, ao pai, ao empresário, etc.

8 comentários:

  1. Também tenho gostado do Tanaka. Muito inteligente tal como Montero. Acho que fariam uma boa dupla lá na frente.

    ResponderEliminar
  2. Bem Koba, muita coisa em que concordo e outras nem tanto (o normal, portanto).

    Por partes:
    - Apresentação: estádio vazio? Um clássico do Sporting (e aqui não há "este" Sporting o "outro" Sporting). Este ano foi a 1ª vez que saltei esta parte. É penoso demais. Muito longa e os jogadores a acenarem para ninguém. Aspecto a rever. Por mim, era ao intervalo. 10 minutos chega bem para apresentar 24 jogadores. Os discursos podem vir no fim. Sarr apresentado? Esgaio e Tobias de fora? O esperado (não por razões desportivas).
    - Assistência: também me surpreendeu.

    Maurício:
    - mas surpreendeu alguém? Faltas parvas, uso excessivo de braços, bola que pica, desconcentração. Está lá tudo. O titularíssimo do Sporting "que está na pole position" (Inácio dixit). Como dizia eu a um amigo meu, o Twente e a Lázio (onde Maurício deu show) foram as 3ªs melhores equipas que ele enfrentou na vida, depois de um jogo no Dragão (onde fez um penaltu quase fora do campo aos 5 minutos) e 3 contra o Benfica (com uma média de 2 golos sofridos por jogo). O 1º golo mostra a capacidade de Maurício. Minuto 44. Falta a nosso favor. Carrillo no chão. O que Maurício faz? Marca com rapidez (minuto 44 e estamos a ganhar) para um William apertadíssimo por adversários. Este faz um passe que é interceptado, a Lázio cavalga até à área. Canto. O resto já descreveste.
    Erros e mais erros de quem tinha de ser 3º central e não titular (mas esse já foi embora).
    Rojo: desde fintar mesmo sendo o último homem a charutos, está lá o Rojo de sempre. Faltou a cavalgada porque não tem ritmo. Mas dá-lhe tempo...
    Foi titular porque na hora da verdade percebeu-se que o uso de Tobias (tal como Esgaio, Iuri e Chaby) na pré-época foi só areia nos olhos dos sócios para se dizer que a aposta na formação é real. Mas não é.

    Bom: Martins, Adrien, Cédric, Montero, Rossel (está melhor que William, neste momento), João Mário, Tanaka e, até, Slavchev.
    Concordo com os teus maus e mesmo que Capel tenha estado melhor, a bola quando chega aquele lado esquerdo (Jefferson incluido) o modelo de jogo muda, pois a qualidade não é a mesma. Neste momento Capel tem lugar no plantel porque é melhor que Heldon e Shikabala. Mas falta ali um jogador melhor.

    O 2º golo no Inatel não acontecia. Bola no quintal e agarrar o adversário. Jefferson não esteve para aí virado. Isto custa pontos e dinheiro. A rever.

    Muito Mau:
    - Organização do jogo, principalmente porque não deram a constituição da equipa da Lazio e por isso andei a tentar perceber se o 17 era mesmo o Pereirinha. O bom toque de bola está lá. Mas foi fraco, tal como a restante equipa.
    (Pereirinha saiu porque nunca foi opção: Mesmo depois de ter feito excelentes jogos a def-direito nunca teve oportunidades. Na época em que sai, Sá Pinto colocou Boulahroz e Gelson a def-direito quando não tinha Cédric. Achas que ele ia renovar? Por favor...)
    - Speaker: mau demais; esteve os penaltys todos a gritar, nem deve ser permitido; e a 3 minutos do fim informa o estádio que o jogo está a terminar e vai haver a entrega a Taça. Um minuto depois a Lázio empata. Lindo...
    - Discurso de BC: era escusada a alfinetada para o Dier e todos aqueles "que não querem estar no Sporting"; mostrou rancor; não gosto desse tipo de atributos.

    abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantinho, apenas duas notas:

      - uma de concordância, quanto ao speaker. Comentei isso mesmo com o meu pai...
      - uma quanto ao Pereirinha. Seja qual for o motivo, não quis renovar. Mas foi recebido com grande simpatia em Alvalade. E acho muito bem, a questão é: porquê? Ambos sabemos a resposta...

      Abraço

      Eliminar
    2. Simples. O Pereirinha não renovou com a outra direcção. Antes não era uma desfeita ao Sporting, mas agora o "Bruno" nunca pode ser contrariado. Há adeptos que não prestam mesmo.

      Eliminar
  3. Infelizmente não pude ir à bola ontem. Que alfinetada o presidente deu a Dier? Com também com culpas nesse cartório também acho que seria escusado.

    Um aspecto sobre o jogo que já tinha reparado com o twente, a equipa quando está cansada entra no default mode e só joga pelas laterais como o ano passado, quando existe pernas e pulmão parece que estamos a evoluir em relação ao passado.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. RRAleixo, confesso que não liguei uma coisa à outra, mas ainda bem que fez este comentário porque vou estar atento. Pode ser uma "defesa" da equipa, esse tipo de jogo é efetivamente mais seguro e a equipa está mais rotinada porque o MS começou há pouco tempo. Vou estar atento, como disse.

      Eliminar
  4. A apresentação individual de jogadores do Sporting é completamente desnecessária. O clube não tem dinheiro para contratar jogadores de renome, logo os adeptos não se dão ao trabalho de irem uma hora e meia mais cedo para o estádio para verem jogadores que na maioria dos casos não lhes dizem nada. O resultado foi uma "mise-en-scène" totalmente falhada, com um estádio vazio a receber os jogadores, o que só desprestigiou o Sporting. É no que dá imitar os outros, quando a nossa realidade não tem nada a ver com a de um clube rico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que a apresentação se poderia fazer ou ao intervalo, como sugeriu o Cantinho, ou 15 minutos antes de começar o jogo. Quiseram fazê-la antes do aquecimento, deu no que deu: "um estádio vazio a receber os jogadores, o que só desprestigiou o Sporting". Não podia concordar mais.

      Eliminar