12/08/2014

Assim já brinco

Há jogadores que não só mostram que são grandes jogadores cada vez que fazem um passe, desmarcação, remate ou corte mas sobretudo porque à volta deles tudo fica melhor e mais fácil para os restantes. Ou seja, não só têm um impacto directo no futebol da equipa como ainda têm um impacto no futebol dos colegas. Isto está na linha de um dos últimos posts em que dizia que até eu era capaz de fazer alguma coisa de jeito (contra equipas pequenas) se jogasse no meio campo com o Matic e Enzo. Na supertaça foi o que se viu. "Bastou" entrar o enorme Enzo e, não só colocou toda a sua qualidade em campo, como tudo à sua volta melhorou. Até o Talisca parecia jogador de futebol (de repente sai de 6 e passa para 10?).


Com aquele onze, onde apenas substituía Talisca por Ola John, o Benfica é claramente candidato a ganhar o campeonato. Sobretudo num meio campo a 3, com Gaitán vagabundo. Por isso, as dúvidas apenas se colocam quando se coloca na equação a saída de Enzo e/ou Gaitán.

Foi um massacre. Um número impressionante de remates logo na primeira hora e domínio completo. Se nos velhos tempos do FM, tivesse um jogo com mais de 30 remates e posse de bola a rondar os 70%, fosse a penaltys e perdesse, sentia-me legitimado para desligar o computador sem gravar. Só podia ser bug do jogo. O jogo de ontem veio provar que não era bug. Pode mesmo acontecer...


Destaques:
- Artur assinou mais uma petição para a sua saída, oferecendo as duas únicas oportunidades do Rio Ave. Depois fez o que, no Benfica, apenas tinha visto Quim fazer: defender estes penaltys um passo à frente da linha. Como diz o meu amigo Koba, os árbitros raramente mandam repetir e isso beneficia sempre os guarda-redes que arriscam não cumprir as regras. Foi ele que ganhou os penaltys e a felicidade era evidente;
- Luisão e Jardel estão vários patamares acima de Sidney e César. Mas como disse no início, até qualquer um destes deve parecer bem melhor ao lado de Luisão;
- Maxi apesar de menos rápido, tem um pulmão que até cansa de ver;
- Eliseu é boa aquisição. Sempre bastante bem, a apoiar bem o ataque durante a primeira parte e mesmo com mais de 30 anos deu uma ratada no Ukra num sprint durante a segunda parte;
- Super Enzo, super Salvio e grande Gaitán;
- Talisca ainda não me convence. Vai mostrando uns pormenores mas ainda está longe de ser jogador a sério;
- pela primeira vez vi Derley a mostrar futebol ao nível do que se exige para o Benfica;
- Ola John é o melhor carteiro do plantel. Aquele cruzamento para o Lima merecia melhor finalização;   

Mais um título para a grande época do Benfica e de Jesus. Notável mas o desafio de elevado nível de dificuldade, bem superior ao da época passada, poderá se iniciar agora caso a janela de transferências ainda seja mais madrasta (desportivamente) para o Benfica. 

Esperamos para ver (com a ansiedade em níveis elevados). 

3 comentários:

  1. Gorbyn, já o tinha dito e repito: o vosso 11 atual (ainda) é melhor do que o nosso (e anda ela por ela com o do Porto). Os problemas são dois: sair mais alguém e banco. O Benfica não tem o banco do ano passado, parece-me evidente. Jardel é um excelente banco e um razoável titular (diria mesmo "bom" se pensarmos apenas no campeonato), não me parece que o Benfica tenha outro joker destes para a defesa, para o MC ou para as alas.

    Mas o 11, este 11, continua a ser muito forte. E Artur, não sendo brilhante, se recuperar confiança fica ela por ela com os outros GRs dos grandes. Viste o golo que o Porto sofreu do WBA?...

    ResponderEliminar
  2. Sim vi, um erro infantil de facto. Não acredito que o Enzo não saia bem nem que não entre mais dois ou três jogadores. Ainda não deu para ver jogadores como Sulejmani, Pizzi, Lisandro, Candeias e Fejsa chega em Janeiro. Com André almeida, Sílvio (?), Bebé e Derley, não está mal para consumo interno.

    ResponderEliminar
  3. O Candeias acho que já foi dispensado...

    ResponderEliminar