21/07/2014

Primeiras apreciações (ao vivo)

Fui ontem ao Restelo ver o jogo e fiquei com algumas impressões bastante positivas, mas também com algumas dúvidas.

Defensivamente acho que a equipa esteve a um nível muito razoável. Pese um ou outro lance de desconcentração de Dier e um ou dois momentos em que Maurício acompanhava o seu adversário mesmo quando este apenas ia beber água, a defesa esteve bem:

- Boeck sempre muito tranquilo (e mais seguro como opção de passe porque joga com os pés bem melhor do que Patrício;
- Cedric ao nível do ano passado, mas sem despejar bolas à toa (o que só melhora a sua prestação);
- Jefferson mais discreto, mas também melhor posicionado (e admito que uma surja em consequência da outra);
- Dier muito bem, a mostrar que é titular de caras, ainda que tenha abordado mal um ou dois lances;
- Maurício naquele seu estilo que não convence os experts mas é muito eficaz (pena a falta quase no final que podia ter comprometido tudo).

Outro ponto muito importante: na defesa, mesmo Maurício tentou sempre sair a jogar, sempre. Claro que o Benfica não está oleado e a pressão não é a mesma do ano passado, mas gostei de ver que o passe para o GR era o último recurso e que a equipa tenta sempre sair a jogar. Não se viram charutadas.

O meio-campo esteve bem:
-  Rosell parece ser bom jogador. Gostei de o ver a recuar para começar a construir e a compensar os centrais quando necessário. Mais importante: não se limita ao passe para o lado e para trás;
- Adrien às vezes complicou mas esteve bem a maior parte do tempo e continua a ser o jogador que acelera o jogo quando necessário;
- gostei de ver "este" André Martins, bem mais adaptado à posição do que no ano passado. Pareceu-me aliás, que jogava um pouco mais atrás, o que só o favorece (vi bem?);
- gostei muito de ver João Mário, grande categoria com a bola nos pés, sério candidato ao lugar de Adrien;
- não gostei de ver Slavchev, fico até com dúvidas se será aquela a posição do búlgaro... a rever.

No ataque, tudo mais ou menos na mesma, mas com um Carrillo empenhado a conversa é logo outra:
- Carrillo continua a demonstrar que é o melhor jogador desta equipa, se conseguir que a sua qualidade apareça durante os jogos (e se a colocar ao serviço do coletivo);
- Capel continua a demonstrar que aprendeu a ser jogador de futebol a ver o kick & rush dos anos 80. Mesmo quando está em situações de vantagem numérica, conduz sempre a bola em direção à bandeirola de canto. Reitero o que aqui disse várias vezes: se alguém explicar ao senhor que a baliza é no meio, podemos ter ali um jogador útil. Caso contrário, vamos ter imensos lances de levantar o estádio que acabam com cruzamentos à balda que as defesas contrárias facilmente resolvem...
- Montero voltou à equipa para fazer o que sempre fez, ser o pivot do jogo ofensivo. Esteve bem, tem que voltar aos golos para ganhar confiança e voltar ao ritmo do início da época anterior;
- Tanaka esteve muito discreto, mas ainda fez uma assistência que Slavchev desperdiçou;
- Mané entrou bem, mas depois desapareceu do jogo;
- Heldon praticamente não se viu.

Ao olhar para estes, e sem perceber ainda se Chico Bala é para o centro ou para a ala, diria que há boas alternativas no MC, no ataque continuamos a precisar de "outro Carrillo" (assumindo que o verdadeiro é o de ontem!), que pode perfeitamente ser o Carlos Mané, na defesa este Rabia virá provavelmente porque sai o Rojo (não acredito que saia o Dier e ainda assim seja titular nos jogos mais importante da pré-temporada), pelo que faltaria apenas uma opção para DE sendo que eu defendo que deveria ser encontrada na equipa B.

Sinais positivos, esperemos que o estágio na Holanda os confirme.

9 comentários:

  1. Koba,

    claramente é preciso outro médio para as alas, com a qualidade futebolística do Carrillo.
    Maurício não é de confiar - aquele último lance que falas é claro das suas limitações - há muitos braços e faltas no seu jogo.

    Bons sinais, mas é um jogo de preparação.

    Adrien é um jogador brutal!!!

    abraço

    ResponderEliminar
  2. Koba,

    no essencial estamos de acordo nas apreciações. Alguma divergência relativamente a Martins, que me parece ser necessário dar uns passos atrás e ao centro para poder ser ainda mais útil. Não tem o toque de João Mário mas tem outra disponibilidade física e velocidade. João Mário compensa isso com maior amplitude nas deambulações, apareceu várias vezes à esquerda, terrenos que André Martins não pisa.

    Uma nota também para Cédric que acredito vá melhorar com o tempo nas mãos de Marco Silva. Não vejo o treinador a permitir que as suas missões ofensivas se fiquem por centrar desde a linha lateral. O mesmo será válido para Jefferson. Sobre o suplente deste não creio que se encontre na B, o Mika até deixou isso mais ou menos claro contra o Belenenses.

    Sobre o Heldon: embrulhávamos o Héldon com papel de parede com a cara do Wilson Eduardo e enviávamos para Zagreb ;)

    Sobre Tanaka, Paulo Oliveira e Slavchev temos que aguardar, para já com alguma reserva. Schikabala não surpreende o comportamento - recusou-se a participar na festa - nem a ausência até porque ainda decorre o ramadão.

    Para mim a maior necessidade seria substituir os excedentários como Héldon, um avançado com a mobilidade que se advinha necessária ao modelo de MS.
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Cantinho, quanto ao Maurício, se gozar da complacência de que ontem gozou o Talisca, estamos tranquilos. Com arbitragens mais exigentes, vamos de facto ter problemas. Pergunto-me o que vem fazer este Rabia, espero que depois de ontem fique claro quem é "o" titular e quem é "o" outro...

    Gostei mesmo muito de ver o João Mário, embora numa fase mais aberta do jogo. Eventualmente há lugar para os dois. Já o Slavchev terá que ver da bancada durante uns tempos...

    Pergunto-me se o Mané, com jogos e jogos em cima, não poderá ser o jogador que acompanha o Carrillo.

    Um ponto muito positivo do Tanaka que me esqueci de referir no post: fui ver o jogo com amigos benfiquistas e quando eu disse que o Tanaka ia faturar instalou-se o pânico. Ninguém quer passar pela vergonha de levar uma batata do Tanaka. Só isso arrasta meia defesa para cima dele :) Há que capitalizar isto!!

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mané tem tudo mas é preciso mais (dele e de opções com a sua qualidade). Também acho que deve ser ele e Carrillo (ou então Tanaka).

      Também vejo muito gozo relativamente ao Tanaka. Pode ser que surpreenda. E esse medo que falas tem de ser capitalizado.

      Durante muito tempo eu também dizia se o Hugo ou o Gaspar marcarem um golo ao Sporting, em Alvalade, eu abandonava o estádio. Há limites. O Beira-Mar, Setúbal e Rio Ave nunca capitalizaram esse meu medo.

      abraço

      Eliminar
  4. Leão,

    Pareceu-me que o Martins, ao contrário do que acontecia no ano passado, estava na mesma linha do Adrien quando o Rosell recuava para distribuir jogo. Pareceu-me... mas vi só um jogo.

    Contra o Belém não vi quase nada, admito que o Mica tenha falhado o teste. Quem mais na equipa B para esta posição? Aquele King também não serve (conheço mal)? É que faz-me uma confusão dos diabos gastar dinheiro em suplentes quando temos equipa B...

    O Wilson ali não funciona, infelizmente. Acho que poderia ser útil num sistema com 2 AVs mas (como o Capel demonstrou) aquele sistema exige grande qualidade dos alas/extremos. Wilson não a tem. Capel também não, por motivos diferentes. Seria o Carrillo, o Mané, o Heldon no banco e pergunto-me quem mais...

    Quanto ao AV com mobilidade, refere-se a uma alternativa ao Montero (para além do Tanaka) ou um jogador para as alas que possa vir dentro? Se é a segunda, acho que já o temos: Carlos Mané. Mas claro que é preciso dar tempo...

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Eh pá, ia-me esquecendo do momento zen do jogo: alguém reparou naquele lance em que o Jefferson deixa toda a equipa do Benfica em jogo porque foi retirar uma bola que tinha voltado a entrar em campo? Não queria acreditar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me lembro desse momento. Enfim...

      Mas lembro-me do Cédric deixar sair uma bola na 1ª parte, o fiscal marcar o fora mas o apanha bolas deu a bola ao Benito num local muito mais à frente (onde não estava o Cédric), que marcou logo o fora para o Ola John, apanhando a equipa muito descompensada, criando perigo. Pouco rigor do árbitro num lance que é irregular.

      Eliminar
  6. Podias ter dito alguma coisa. No meu Bairro és sempre convidado de casa.

    Também lá estive, para ver se ainda reconhecia o Campeão Nacional.
    E levei os putos, para cobrar.

    Não foi fácil. Mas difícil mesmo foi contrariar o meu cérebro que teimava que estávamos a jogar contra o Naval.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uns debocham com a Naval, outros com o Leça, a verdade é que aquele equipamento é estranho. Não só pelos calções, o próprio tom do verde parece diferente.

      Benfica ainda está muito longe do que (seguramente) vai ser...

      Eliminar