10/07/2014

Os meus clubes lá fora - só porque sim e a propósito de nada

Já aqui o escrevi uma vez (mas não encontro o post): apesar de adorar ver futebol, não tenho muitos clubes de que seja adepto por esse mundo fora.

Em Portugal, para além do Sporting, e de alguma simpatia pelo Belenenses, tenho como 2º clube o Sporting Farense. Ex-aequo em 3º, por razões meramente afetivas, o Quarteirense e o grandioso Atlético Clube Alcacerense. Como estes nunca ganharão nada, posso mesmo dizer que sou adepto de um só clube.

Lá por fora, a questão cromática, reconheço, tem alguma influência. Porque até seria natural identificar-me com os clubes que normalmente são associados ao Sporting, em termos de estatuto e posição nos respetivos países. Mas as cores dão cabo da lógica. Na Holanda temos o Ajax (Benfica) e o PSV (Porto), o Sporting seria o Feyenoord. Mas vermelho e branco não dá. Em Espanha não é só a cor: o Atletico, pese embora a última época (efetivamente excelente), está muito longe de ter a dimensão histórica e social do Sporting. Para agravar, além do vermelho e branco, têm azul nos calções. No way! Em Inglaterra é outro drama (mesmo que nada tenha a ver com Portugal em termos de distribuição de forças): Chelsea (azul), Liverpool, Arsenal e Naite (vermelhos).

No entanto, há alguns clubes que me fazem esquecer as cores e lá acabo por gostar deles, por uma ou outra razão.

Em Espanha, não tenho clube. É-me indiferente. Mas admiro estes:


França, como todos sabemos, não entusiasma. Mas divido-me entre o apelo cromático e uma história de prestígio e o único clube francês que minimamente admirei desde que vejo futebol:



Em Itália, também nenhum me entusiasma em particular. Mas muitos anos depois da verdadeira glória, acabei por ficar fã destes, muito graças à memória de Maradona, claro:


Na Alemanha tenho um clube, aliás dois. Um, o preferido de sempre, apenas porque jogavam de verde. O outro, mais recentemente, porque o primeiro deixou de andar lá em cima:



Porque já vai longo, deixo-vos com os últimos de que sou fã. Como sabem rejeito sempre os Benficas (Flamengo, Corinthians) e os Portos (Vasco, São Paulo). Não podia, obviamente, deixar de ser adepto do Flu (único clube a nível internacional que me faz ficar a vibrar em frente à TV, ainda que muito, muito longe da emoção a ver o Sporting, como é óbvio) E de ter uma simpatia pelo Fogão (que, na sua simplicidade, tem "apenas" o símbolo mais bonito que já vi num clube de futebol). Curioso como nunca fui apreciador da seleção brasileira mas tenho no Brasil o único clube de que verdadeiramente gosto, para além do Sporting.



Termino assim, a cantar com Nelson Rodrigues, com Arnaldo Jabor, com Chico Buarque e com Gilberto Gil (e, já agora, com a Deborah Secco...).

Vence o Fluminense
Com o verde da esperança,
Pois quem espera sempre alcança.
Clube que orgulha o Brasil,
Retumbante de glórias e vitórias mil!

38 comentários:

  1. É engraçado, isto das afectividades clubísticas fora do nosso ambiente.
    Eu, por exemplo, fiquei fã de dois clubes que ganhavam competições europeias quando eu, com 7-8 anos, me comecei a interessar por futebol: Nottingam Forest e Borussia Mönchengladbach.
    Nunca mais o fizeram (e os ingleses até têm atravessado um longo período em ligas secundárias), mas continuam no coração, vá-se lá perceber...

    SL

    ResponderEliminar
  2. H, percebo perfeitamente

    Sou um pouco mais novo e apanhei uma fase incaracterística: ora ganhavam clubes "esquisitos" como o Steaua e o Crvena Zvezda ou era basicamente o Milan a arrasar com tudo (respeito máximo, afetividade 0).

    Quanto ao Mönchengladbach, respeito máximo. Mas a primeira memória que tenho deles é serem eliminados pelo Real do Buitre (odiava...) após uma vitória por 5-1 na primeira mão... Isto por volta de 85 ou 86.

    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Odiava esse Real Madrid (será que gostei de algum?). Umas das minhas maiores alegrias é a derrota na meia-final da Champions com o Milan de Sacchi em que levam 5-0. Vi esse jogo dezenas de vezes.

      Eliminar
    2. Se há ódio justificável é o que nutro pelo RM... Em miúdo assistia a mt a tv espanhola, uma vez que sp vivi mt próximo da fronteira com Espanha... A TVE era, naquela altura, um autentico meio propagandístico do RM... A tendencia pró merengue era de tal forma, que ganhei um pó inusitado. A lavagem cerebral chegava até aos programas infantis. Um enjoo, uma coisa asquerosa... Ganhei um pó àquele clube tão protegido e vangloriado pela CS, que ficou para sempre.

      Eliminar
    3. Cantinho, "gosto" deste, do atual. Ou melhor, entre este e esse, nem comparo. Esse era detestável. Só gostava das cambalhotas do Hugo Sanchez a festejar os golos. Mas pelo que li abaixo temos uma divergência: é que ADOREI a final em que o Milan espetou 4 batatas no Barça do Cruyff...

      Virgílio, do que se vê ainda hoje, não mudou muito...

      Eliminar
    4. Em minha casa sempre ouvi dizer: "Real Madrid é Benfica de Espanha".
      Isso para mim chegou para raramente querer que ganhem (digo raramente porque quero que vençam, sempre, Benfica e Porto).

      E o roubo de Di Stefano ao Barça tem contornos idênticos ao do Eusébio.

      Eliminar
  3. Eu não tenho grande lógica na escolha, mas vou tentar justificar as opções. Há uma selecção que é selecção que me serve de referência e de quem tenho grandes memórias, Holanda 1988. Talvez isso seja um bom Norte para algumas das minhas escolhas.

    Portugal (além do Sporting): Sporting da Covilhã e Belenenses (os estádios que mais visitei além de Alvalade; também fui muitas vezes à Reboleira mas o Estrela foi sempre muito "vermelho" na sua massa adepta)

    Inglaterra: Liverpool (antes de existirem referências ao Sporting no meu quarto, já lá andava o Kenny Dalglish, Rush, Barnes, Grobbelaar, Aldridge, etc;

    Itália: Milan dos anos 80 (Sacchi, Van Basten, Gullit, Rijkaard, Maldini, Baresi, Ancelotti, Donadoni, etc); Juventus dos 90 (Baggio, Conte, Peruzzi, Vialli, Ravaneli, Sousa, Muller); agora? Todos menos o Inter!

    França: nada, nunca me disse nada.

    Espanha: Barça, Barça, Barça!! Dream Team e Pep Team! A final de Wembley e o golo de Koeman foi um golo do Sporting! Também gosto do Athletic e recordo com saudade Lizarazu, Guerrero, Alkorta, Urzaiz, Etxbarria com Fernandez ao leme;

    Alemanha: Bayern. Nunca houve outro mais. Tive um familiar que viveu em Munique e isso foi a influência máxima e decisiva. A final de Barcelona com o Man United (que já me tinha tirado uma Taça das Taças com o Barcelona - vingança de Hughes...) foi um murro no estômago.

    Holanda: Ajax (pela filosofia e pela equipa de 1995) e PSV por Romário, Gerets, Van Breukelen, Koeman, etc [tb devido a uma certa final europeia que fez chorar muitos milhões]

    Brasil: zero, nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cantinho, Liverpool não consigo mesmo, não sei porquê, pode ser só cromático. Dos atuais, o que prefiro é o City. Mas sem grande sentimento, no último ano até acho que o Liverpool merecia mais.

      Itália, esse Milan é para mim a melhor equipa de sempre (estou preparado para a cacetada na comparação com o Barça do Pep), já comentei acima sobre aquele 4-0 ao Barça (talvez o maior banho tático que vi na vida - e na altura nada percebia disso). Juve também gostava mas não aguentei o impacto do Apito Dourado lá do sítio...

      Alemanha e Holanda, não consigo gostar dos "benficas" lá do sítio :)

      Por fim, gostei que o Naite ganhasse essa final porque foi no ano em que os ingleses regressaram às competições europeias. Mereciam.

      Eliminar
    2. Esse 4-0 foi um misto de emoções. Ainda existia muito daquele Milan que Capello refinou com Savicevic.
      O Barcelona já tinha feito a sua parte, pois tinha eliminado o Porto nas meias-finais. Não me aborreceu.

      Man United nunca!

      Eliminar
  4. Exercício curioso. Desde puto sp apoiei (simpatizei vá) com clubes doutros países / campeonatos. E desenvolvi ódios, qs irracionais, a outros tantos.

    Espanha: Betis (Os sevilhanos tb pelo aspecto cromático e Barça até... meteram-se com o Figo. Agora, para minha desgraça, só curto o Real Bétis Balompié. E chega. Percebo o gosto pelo Atl. Bilbau: clube histórico, cheio de idiossincrasias peculiares e... pq são ‘los leones’); Real Madrid? Arghhhhhhhhhhhhhhhhhh….

    Itália: Inter em contraponto ao Milan (ódio eterno por causa do Rossi do mundial de 82) e Juve (os 2 últimos: ambos clubes factualmente batoteiros). Tb gosto mais da cor do equipamento do Inter.

    França: coincidimos. Não há nenhum clube francês que me atraia. Como o Saint Ettiene é verde… Mas tb é só por isso…

    Alemanha: Colónia (por causa do littbarsky). Como desapareceu nas divisões inferiores, e o Werder Bremen apareceu forte mais tarde, substituiu o FCKoln. O verde, mais uma vez a fazer das suas.

    Inglaterra: Sempre o MU. Desde que ainda atravessava o deserto… O ambiente em Old Trafford foi sp mágico, mesmo nos anos ruins. No meio de tanto clube Londrino, houve tempos em que os gunners tb mexiam um pc. Mas aquele franciú dá-me nervoso miudinho… Curiosamente, gde parte dos meus amigos eram Liverpool, mas nc fui à bola com eles.

    Holanda: Feyenoord e a sua banheira de Roterdão, sem dúvida. Tenho fetiche com camisolas bipartidas… Os adeptos do Ajax são uns cagões. Lamps, lá do sítio. A sério…

    Bélgica: Standard de Liége… Por causa do lateral direito da minha infância: Eric Gerets. Nem “Sporting” no nome me faz gostar do Anderlecht.

    Turquia: Só podia ser o Besiktas… Detesto o Gala (os lãps turcos). Fehner e Trabzon, os outros gds, são-me indiferentes.

    Não sigo outros campeonatos europeus… Nem o russo. Ah! na Suiça houve um tempo que achava graça aos gafanhotos… Grasshpoppers, mas uma triste eliminatória contra o SCP, nos idos de 80 ou 90 (não me recordo), acabou de vez com esse sentimento.

    Brasil: Simmm! 1.º Flu! Tem verde, claro. E os adeptos são, parece-me, mt parecidos connosco. O Flu é o gde rival do Fla (que são os adeptos mais irritantes do mundo, piores que os lãps). Depois, o Vasco (no Rio) a Portuguesa em (São Paulo) tb simpatizo, por motivos óbvios, mas menos que o Flu. Emblema do fogão é giro, sim, mas e o do Vasco? Mais ainda, na minha opinião… com a caravela portuguesa… Referencia especial para o detestável São Paulo, clube da fina-flor paulista. Não curto os gajos. O Verdão? Nã… é italianada. O Corinthians é o Mengão da maior cidade brasileira. Ultima nota para o Grémio de Portalegre, só por causa do equipamento… pc comum.

    E por fim… Argentina: Onde é impossível não tomar partido… Onde a paixão é ampliada até aos maiores níveis de loucura. E aí, só podia dar River. Ódio eternos aos bosteros (Boca Juniors) cujos adeptos rivalizam em “cagonice” com os urubus brasileiros… e, claro, os lã_piões tugas.

    Resumindo, os ódios de estimação são essencialmente estes: Flamengo, Boca Juniors, Milan, Real Madrid, (suspenso uns anitos até o CR7 se fartar…).

    Por fim: pode-se simpatizar com outros clubes, mas AMAR só mesmo um: o nosso SCP!


    SL

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na Alemanha desde puto que me habituei a detestar o Colónia, fomos eliminados por eles por volta de 87 ou 88, 1-1 em casa, 0-2 fora. O golo do empate deles em Alvalade foi um penalty no último minuto. Na altura, para mim, penalty contra o Sporting era proibido pelas leis do jogo. Aqueles boches compraram o árbitro de certeza! :)

      Como pude esquecer-me da Argentina??? Gravíssimo!! Mas aí discordamos: entre um e outro, sou Boca. Graças ao Beto Acosta e ao Papa, sou San Lorenzo. Mas entre o Boca e o River, Boca, sempre Boca. Bombonera talvez o estádio com mais mística em todo o mundo. Na Argentina são tantos os clubes "grandes" que creio que não há um Benfica ou um Sporting ou um Porto. Definitivamente Boca. Mas primeiro San Lorenzo, claro!

      SL

      Eliminar
    2. Quanto a Athletic acho brutal, acho mesmo, que só joguem bascos. Uma loucura, no bom sentido, fazer uma AG para contratar um jogador quando não é bem certo que seja basco.

      Eliminar
    3. Virgílio,

      excelente remate!

      O ambiente de Old Traford não será melhor que o de Anfield Road.

      Eliminar
    4. Virgílio,

      Inter??????? Como???
      Jamais, das maiores tristezas desportivas... (Oceano, porquê??)

      Eliminar
    5. Koba,

      Eu recordo-me dessa eliminatória. Já não me lembrava era do pormenor do penaty. Foi ladroagem! De certeza !!! :D Infelizmente o SCP contra clubes alemães dá-se qs sp mal... O Littbarsky era, naquela altura, um dos meus jogadores preferidos. Custou mt, mas perdoei-lhe...

      És bostero? Bahhhhhhhhhh. Não há massa associativa tão parecida com os lã_piões. Estou em choque, c'um caraças. Para mim, bosteros, urubus, merengues e lãps é td a msms raça!

      Eh pah, um conselho: mantém-te por Buedo / Almagro e foge de Boca... Se não aceitares o meu conselho, então segue o exemplo do Papa Xico! :P Bostero é q não te perdoo... LOL!

      Eliminar
    6. Cantinho... Inter é daquelas cenas qs inexplicáveis. Um gajo define os gosto por pequenas coisas q te marcam e passado tanto tempo, só mesmo estes exercícios deliciosos para te fazer rebobinar e tentares perceber o pq da tua opção, que cmg aconteceu bem cedo, ainda criança ou adolescente. Para além do factor "Paolo Rossi", adianto outro pormenor, que fez a diferença: no inicio de cada época havia tipo um mini torneio em San Siro, com o Inter, o Milan e 1 equipa convidada. Tipo um triangular em que jogavam tds contra tds, mas apenas em 45 minutos. Vi o derby de Milão pela primeira vez nesse (meio) jogo que terminou com a vitória do Milan por 1 a 0. Mas a vitória foi de tal forma injusta, com o Inter a atacar os 45 minutos e o Milan qs no fim a ganhar... à italiana... A injustiça do resultado e o melhor jogo do inter (com Bergomi a lateral direito) fez-me pender para o INTER. E entre vermelho e negro e azul e negro, prefiro a segunda combinação de cores. Detesto encarnado. Estou em crer que essa aversão sai fora do âmbito do racional: é qlql coisa orgânica, genética, não sei. Mas é qlq coisa de radical. Como exemplo: nc usei uma peça de roupa encarnada! hehehe

      As eliminatórios são posteriores a essas escolhas, e já não alteraram. Continuando ccom o msm exemplo italiano, não é por o Inter ter eliminado o SCP, que passei a gostar mais do Milan... Abç.

      Eliminar
    7. Virgílio, San Lorenzo para a vida, embora não consiga deixar de simpatizar com a Bombonera...

      Quanto a ambientes, Dortmund, uma loucura de estádio, não sei como construímos aquele edifício do terror inspirado sabe-se lá em quê ao invés de nos inspirarmos em Dortmund. Quando vejo aquilo levo o pecado da inveja a limites que nem o Papa Xico perdoaria!!

      Inter curiosamente simpatizava na altura porque tinha os meus jogadores preferidos: Matthaus, Klinsmann e Brehme. Hoje, à distância, vejo que nem havia comparação com o trio holandês do Milan (e se fossem só esses... com Baresi e Maldini não sei como nunca ninguém ali arriscou jogador só com dois defesas!), mas na altura eu achava mesmo que rivalizavam. Toda a gente se lembra do Oceano, poucos se lembram de um golo escandalosamente falhado pelo Joca Cadete no jogo em Itália.

      Lembrei-me também que em Itália gosto da Fiorentina, se fosse um pouquinho mais forte poderia ser que ficasse adepto. Gosto do Palermo porque se isto for lido algum dia por um máfias qualquer estou safo :)

      Ah, e Cantinho... por essa lógica do Inter: Barça???? Golo de Roberto com o jogo a acabar depois de banho de bola em Alvalade??? 2-5 (e fomos gamados) já na fase Paulo Bento??? Nunca!!

      Eliminar
    8. Koba e Virgílio,

      nem consigo olhar para o Inter. Via Zenga, Berti, Ferri e até Bergomi e quase que vomitava. Não dá, desculpem. E aquele jogo em Milão... bola fora do campo, segue jogo, Douglas faz penalty a um gajo que está de costas para a baliza e longe desta!! (tb nunca fui fã do Douglas). 2º golo em fora de jogo. E lembro-me do falhanço do Cadete (acho que dava o 2-1). Mas foi cá que perdemos as poucas hipóteses que tinhamos e aí o Oceano... Lá era derrota e roubalheira certa.

      Não me lembro do golo do Roberto mas o meu pai ainda hoje se recorda disso (e teve que o ver ao vivo). E ele é grande fã do Barça! Recorda o voo do Damas, impotente, a grande exibição de toda a a equipa e a injustiça (um pouco igual aquela eliminatória com o Real em 1994).
      Fomos gamados no 2-5? Não me lembro (a sério). Recordo de fazermos o 2-3 e o Caneira marcar um auto-golo logo na jogada seguinte. Guardiola já tinha tirado Xavi e Iniesta e ficou preocupado com o nosso 2º golo (lembro-me de referir isso na conf imprensa).
      Enquadro-me na filosofia do Barça, na cultura catalã e na cidade brutal. Gosto mesmo deles.

      Eliminar
    9. Cidade gosto mesmo muito, quanto ao clube e aos catalães fica para o tal jantar e após as tais imperiais!

      Gamados fica sempre bem quando levamos 5 batatas! Mas enfim, num dos golos do Messi estávamos a formar barreira para o livre e o árbitro deixou andar e o penalty do Krkic foi marcado porque era o Barcelona (reconhecerás certamente, mesmo sendo fã, que é dos clubes mais beneficiados na Europa nos últimos anos, aquele jogo em Londres com o Chelsea foi uma roubalheira histórica)

      Lembro-me do golo do Roberto como se fosse hoje... mas a pior memória desse tempo é o golo da Atalanta. Como estavam na Série B eu, puto, não percebia como era possível não os eliminarmos. Não sabia que nessa altura qualquer clube italiano da Série C seria candidato à Europa em Portugal...

      Eliminar
  5. Ah!!! E as guerras domesticas que pontualmente tenho com a minha mulher? É de Tomar o o União equipa à Milan e são italianos (bahhh)... É o clube preferido, dela logo após o SCP, claro!... E eu detesto e estou sp a picar. Os últimos anos têm sido gloriosos! LOL!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Virgílio, em casa não tenho essas guerras, a minha mulher abomina futebol... Mas lembrei-me de um picanco que tinha com um amigo simpatizante do Sesimbra, nos tempos em que Sesimbra e Quarteirense estavam na mesma série da III!

      Eliminar
    2. Nada como uma googlada para resolver estas coisas! Foi mesmo de penalty: http://www.footballdatabase.eu/football.coupe.sporting-lisbonne.cologne.32375.en.html. Ná para perceber se o penalty foi repetido ou não, provavelmente é o eco na minha memória. By the way, sei que é só um resumo, mas que massacre ao Harald Schumacher...

      Essa campanha começou com 3 batatas no Feyenoord, 2 de Jordão (vénia) e 1 do grande Manel (dupla vénia). Ou foram 2 do Manel e 1 do Jordão?...

      Eliminar
    3. O Harald Sapateiro!!!! Que Guardião... Era mau, tinha mau feitio, mas era enorme na baliza! A Alemanha sp produziu GR carismáticos. E, pelos vistos, mantém a tradição: O Manel Noia é impressionante...

      O meu irmão, que era mais novo, como não conseguia jogar à frente na equipa de putos lá do bairro, começou a ir à baliza. Foi aposta certeira: ganhou a alcunha de Schumacher!

      Eliminar
  6. Só para insistir um pouquinho nos melhores de sempre, e sem recorrer à net, apenas de memória:
    - Rossi
    - Tassotti
    - Costacurta
    - Baresi
    - Maldini
    - Albertini
    - Rijkaard (depois Desailly)
    - Donadoni
    - Gullit (depois Savicevic)
    - Simone (depois Boban)
    - van Basten (depois Massaro ou Papin).

    Posso estar a misturar gerações mas isto é o luxo no seu estado mais puro. Irrepetível.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nessa equipa não havia Albertini (Ancelotti) nem Rossi (Galli) nem Simone (Colombo). Ainda antes de Simone esteve lá o Papin, Massaro e Weah (este tb com Simone).

      Mas essa mistura é demolidora. A base é Sacchi e os upgrades é Capello. Muito bom.

      Eliminar
    2. Sim, verdade, era Ancelotti antes de Albertini

      Mas o Simone já era o "joker" a sair do banco antes de vir o Papin, tenho ideia

      Eram equipas brutais. Agoram perdem-se com Emanuelssons e Patos. Uma pena...

      Eliminar
  7. Estou cansado ... Fizeram-me puxar pela memória. Estive em Alvalade contra o Colônia. Lembro-me pouco do jogo, têm a certeza que foi penalty?
    E no Barça do Roberto tenho a impressão que entrou o Virgílio para defender o resultado e logo a seguir o balde água fria ... O meu pai é um agoiro, disse logo que íamos levar um golo qdo viu a substituição. ( ou era o Virgílio ou o Gabriel )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Metralha, há coisas em que a memória não me engana, outras em que me baralha.

      Foi ao minuto 90, tenho a certeza; marcou o Klaus Allofs, também tenho a certeza; e tenho quase a certeza que foi de penalty e até digo que, se bem me lembro, o penalty foi repetido (ou então marcou golo em bola corrida, mas como não há lei da vantagem no penalty, o árbitro parou o jogo). O que sei é que ainda tenho nos meus ouvidos dois festejos dos boches nesses minutos finais...

      Esse do Barcelona é que não me lembro quem entrou.

      Eliminar
    2. [aqui é que é o sítio certo]

      Nada como uma googlada para resolver estas coisas! Foi mesmo de penalty: http://www.footballdatabase.eu/football.coupe.sporting-lisbonne.cologne.32375.en.html. Ná para perceber se o penalty foi repetido ou não, provavelmente é o eco na minha memória. By the way, sei que é só um resumo, mas que massacre ao Harald Schumacher...

      Essa campanha começou com 3 batatas no Feyenoord, 2 de Jordão (vénia) e 1 do grande Manel (dupla vénia). Ou foram 2 do Manel e 1 do Jordão?...

      Eliminar
    3. É engraçado ver este resumo quase 30 anos depois... como o tempo passa...

      Eliminar
  8. Tirando o Sporting só tenho um clube, AS ROMA.

    Tudo terá começado com a admiração por Giannini ('Il Princepe') no Italia 90, o filme Ultrà, Assalto ao Estádio e a sua mítica Curva Sud e, retroativamente, a fabulosa equipa de 83/84, com Falcao e Bruno Conti em destaque.

    A cereja no topo do bolo... ter acompanhado o clube in loco no ano do ultimo scudetto, com destaque para as miticas transfertas a Turim (2-2, num fabuloso comeback de Nakata e Montella, perante o génio de Zidane) e Napoli (2-2, num ambiente guerra que jamais esquecerei).

    Respeito por Liverpool (You will never walk alone é impressionante) e Bilbao (pela identidade única e fabulosa receção na meia final da liga europa. Os gajos são meios totos, com cabelos à Fanã, mas sabem receber como ninguem e tem um amor e devoção ao clube espetaculares).

    O resto foram admirações por jogadores e equipas, mas isso não sao clubes.

    Mas, o que interessa é....

    Sporting Sempre!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo, como calcula, enquanto fã do Napoli, não posso mesmo gostar da Roma :)

      Já o Liverpool merece respeito, pois claro.

      Eliminar
    2. É o chamado derby do sol.

      Senti che puzza scappano li cani
      stanno arrivando i napoletani
      o colerosi, terremotati,
      con il sapone non vi siete mai lavati.....
      Napoli merda, Napoli colera
      sei la vergogna dell'Italia intera,
      napoletano sporco africano
      stai pur sicuro prima o poi ti accoltelliamo

      Sporting Sempre!

      Eliminar
  9. O afecto e a emoção contam mais que a racionalidade das coisas nisto do futebol e das suas paixões. E nem sempre têm uma justificação aceitável.
    O meu primeiro clube foi o Sporting Farense. Morava pertinho do S. Luís e, naquele tempo, a miudagem tinha encontro marcado à 5ª feira no treino de conjunto semanal. A minha grande frustração da juventude foi não conseguir vestir a camisola farense… acabando em S. Brás de Alportel. Entretanto surgiu o Sporting de Portugal, que se tornou uma paixão assolapada quando fui para Lisboa em 1972. Estas são as minhas paixões futebolísticas. E únicas.
    Sigo com interesse outros clubes algarvios, nomeadamente o Olhanense e o Padernense.
    Em Espanha sonho com o sul e o Sevilha colhe o meu gosto. Na Itália sigo o Livorno há muito tempo, pelos adeptos que se posicionam à esquerda. Na Inglaterra o Liverpool por assumir o mais belo “association”. Na Escócia o Celtic pela camisola. O Saint Étienne faz parte do meu imaginário. O Bruges porque Bruges é uma cidade historicamente especial para nós, portugueses. O Feyenoord porque nunca fui àbola com o Ajax. O Borussia de Dortmund é um interesse recente. O Vasco da Gama no Brasil pela cruz de Cristo. O San Lorenzo porque jogou com o Sporting quando eu era miúdo e nunca mais me esqueci.
    E é tudo! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Zargo (e Virgílio), o hino do Vasco é lindo (o mais bonito de todos), e o emblema é também lindo (ainda que prefira o do Botafogo - por sinal um nome fantástico), mas no resto sou Flu dos pés à cabeça!

      Vamos todos cantar de coração
      A Cruz de Malta é o teu pendão
      Tens o nome do heróico português,
      Vasco da Gama tua fama assim se fez

      Tua imensa torcida é bem feliz
      Norte e sul,
      Norte e sul deste país
      Tua estrela, na terra a brilhar, ilumina o mar

      No atletismo és um braço;
      No remo és imortal;
      No futebol és o traço de união Brasil-Portugal

      Eliminar
    2. Belíssimo! "Norte e sul"... num clube que teve o mestiço Cândido Araújo como presidente (1904), quando isso parecia impossível. E viva o Vascão, pois claro!!!

      Eliminar
    3. Boas!

      Bem, há para aqui matéria que nc mais acaba... Ai se não tivesse que trabalhar...

      O vasco, para além de ter sido fundado por portugueses, é um clube que marcou a história do futebol brasileiro, e por mts boas razões. Nomeadamente porque foi o percursor na utilização de negros e analfabetos na sua equipa principal de futebol. Na altura (creio que anos 20 ou por aí...) não era permitido, mas a direcção do Vasco insistiu e pagou por isso, uma vez que os restantes clubes cariocas (Flu incluído, Koba) eram contra, provavelmente por temerem essa equipa Vascaina. Um exemplo de luta contra a segregação racial e social. Ficaram mesmo sem competir durante uma ou duas épocas. Foram marginalizados, mas não deram a mão a torcer e, no final... ganharam a luta. Acabaram por fazer prevalecer a razão sobre o preconceito e foram campeões... É uma história magnifica, digna de filme... Contada por um vascaino fanático, numa madrugada de shopinho em Paris! :)

      Zargo: O Celtic de Glasgow, caramba! Imperdoável o meu esquecimento. Outro clube de que gosto... Qd olho para a classificação do campeonato escocês, gosto de ver os católicos a liderar. Outro clube com quem cruzamos na Europa. Mais do que uma vez. Mas, nc me esqueci duma eliminatória que tínhamos bem encaminhada, ganhando em Alvalade na primeira mão por 3 a zero... Na segunda mão, em Glasgow... foi o descalabro...e o Bela_frangueiro_Katsirz abriu a capoeira... Sofremos uma das derrotas mais humilhantes: cinco secos, e um rádio destruído na minha casa... LOL!


      SL!

      Eliminar
    4. Virgílio, muito bom, grande história, grande Vasco, não conhecia esses pormenores

      Quanto à Escócia, obviamente prefiro o Celtic ao Rangers. Mas, uma vez mais, sem afetividade. Não fosse a nossa insistência em perder com o Rangers, até teria pena deles...

      Eliminar