28/07/2014

Ninguém gosta de perder!

E ninguém quer perder, sejamos claros.

Escrevo quando faltam 5 minutos para acabar o jogo com o Twente, quando ainda vamos perdendo 0-1.

Mesmo sendo amigável, espero que o Sporting dê a volta. Mesmo a jogar com 10. Com dois golos nos descontos.

Mas a existir algo de positivo a retirar disto, que seja um "back to reality". Assustava-me, sou sincero, a euforia à volta do Sporting. As capas do "Leão já convence" e coisas do género.

Sei que lá dentro a conversa é diferente. Que o Marco Silva - até como mecanismo de auto-defesa, que se aceita e se compreende - não quer essa pressão nele e na equipa. Mas há os adeptos. Os que vão ao estádio e esperam goleadas à 2ª jornada. Os que se impacientam com 0-0 ao intervalo. E esses precisam de realidade, não de euforia.

Fico contente com o que vi até agora. Mas se somos mesmo candidatos, temos que sê-lo com os pés no chão. Fazendo valer o que temos de bom, mas conscientes das nossas limitações.

Isto dito, sexta-feira quero ganhar, claro. Quero ganhar sempre.

PS: 0-2 aos 90 minutos. O jogo está perdido. Que seja o único nesta época desportiva (difícil...). E que dele treinadores, jogadores e principalmente adeptos retirem as ilações que haja a retirar.

ps2: revi agora o jogo e gostei, mesmo da primeira parte. Nao da exibição, nao das falhas defensivas, naoda  ineficácia, mas gostei do futebol que a equipa quer jogar. Nesta fase, e o mais importante.

2 comentários:

  1. Concordo contigo. Também gostei de ver ontem o Sporting. Algumas falhas individuais. Em consequência disso sofremos 2 golos. Mas não me preocupa o resultado. Sou a única a achar que é importante perder na pré-época?

    ResponderEliminar
  2. Di, não és a única seguramente, pelo menos o Carrillo concorda :)

    Percebo o sentido do "importante perder". É importante que a pré-época revele o que há a melhorar e é importante que os adeptos entendam isso. Mas convém lembrar a pré-temporada do Sá Pinto e perceber porque é que se perde. Com o Sá Pinto não havia futebol. Com o Marco, a meu ver, há futebol. Há também muito por melhorar, mas faltam 3 semanas para começar o campeonato. E a equipa já revela algumas coisas que me agradam. Dois exemplos: não me lembro de um lance em que a bola tenha sido despejada pelos centrais, houve sempre a tentativa de sair a jogar; nas jogadas pelas alas, houve (quase) sempre a preocupação de colocar a bola com algum critério ao invés de centrar para o barulho.

    Isto não invalida, claro está, alguma indefinição para 6ª feira. Esse ponto preocupa-me mais do que a derrota de ontem. Não estou a conseguir perceber qual vai ser o plantel principal, mas temo que seja dada prioridade aos supostos reforços, mesmo tendo sérias dúvidas quanto a alguns deles. E veremos o que acontece aos Bs que estão na calha para subir e não vão subir. Como se viu pelo caso do João Mário, às vezes a solução "equipa B" já não chega.

    ResponderEliminar