26/06/2014

Os alemães fizeram a parte deles

Nós também fizemos a nossa: jogámos com 1 GR, 8 jogadores de futebol que conseguiam correr, mais o Ronaldo porque tem que jogar sempre e o Eder que não é bem um jogador de futebol (e eu até pensava que era, juro).

Mas não chegou. Já dei toda a cacetada que queria dar no Paulo Bento e estou cansado. Mas, caramba, tinha custado muito por em campo, nos 3 jogos, 10 jogadores em mínimas condições mais o Ronaldo? Mesmo que esses fossem o Eder, o André Almeida, fossem eles quem fossem...

Diz que não se demite. Pois bem, eu digo: "obviamente, demitam-no".


6 comentários:

  1. Acho incompreensível sobretudo no caso dos Sportinguistas, como é que ainda é possível defender esse homem.

    Casmurrice para lá do absurdo, péssimo futebol, incapaz de aprender... todos estes anos e continua a fazer os mesmos disparates.

    Em tempos pensei que pelo menos tinha alguma independência e carácter mas até sobre isso já não restam dúvidas.

    ResponderEliminar
  2. FCS, o pior é mesmo a repetição do erro. Disse aqui ao meu compincha Gorbyn que o pior, com a Alemanha, não tinha sido o resultado mas a exibição. O homem vai e, com exceção dos lesionados e castigados, repete o 11 com os USA...

    Ao menos o Scolari, em 2004, revolucionou o 11 após a tragédia grega do 1º jogo. Depois perdeu com a Grécia da mesma maneira, é verdade. Mas tivemos momentos excecionais que provavelmente não teríamos tido se mantivéssemos o 11 que nada jogou com os gregos no 1º jogo.

    Não há milagres. Com uma equipa que conseguisse correr, tínhamos muito provavelmente ganho aos USA. Não era preciso jogar grande coisa, bastava ser capaz de... correr.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Koba,
      o que é que isso interessa? "capaz de correr"? o que é importante é o "grupo" e a "gratidão"!
      2002 voltou. Está lá tudo. Péssima convocatória, injustiças para com jogadores para se dar prémios a outros, prémios carreira, últimas oportunidades, erros tácticos, estágio para render dinheiro e não treinar, melhor do mundo limitado, USA, 4 pontos, 3º lugar e adeus.

      Relativamente ao Éder, tenho de apoiar-te. Muito mau. Julgava-o melhor, a sério.
      Ontem o Moutinho fez o melhor jogo, bastando ter 2 jogadores com a minima qualidade ao seu lado, Carvalho e Amorim. Foi da noite para o dia.

      Espero bem que Bento fique. Ainda há muito desconhecido e sem hipóteses de jogar no seu clube para ser valorizado.

      Eliminar
    2. Cantinho, o PB conseguiu a magia de nos colocar a discutir não se jogam bem, não se passam a bola entre eles, não se estão bem posicionados, etc mas se conseguem... correr.

      É o grau 0 do futebol: conseguir correr, de preferência durante 90 minutos. Nunca pensei ter esta discussão.

      O exemplo que dás do Minorca é evidente: bastou que lhe colocassem ao lado dois jogadores que conseguiam correr (compensá-lo quando subia, acompanhá-lo na pressão quando necessário, etc) e soltou-se.

      O que mais chateia nisto é o PB ter achado que o 1º jogo "correu mal" quando foi evidente para todos que não foi só o penalty, o golo sofrido cedo, a expulsão e o golo a acabar a 1ª parte, que, concedo, até são "azares" (aham...) a mais em 45 minutos. Foi a total incapacidade de segurá-los e/ou de construir fosse o que fosse. E depois ficou 60 minutos a ver o Meireles a arrastar-se com os USA.

      Vai mesmo ficar porque tem o apoio precisamente dos jogadores que lá levou. E provavelmente dos líderes do balneário (Ronaldo em particular). E já avisou que não fecha portas a ninguém.

      Temo o pior.

      Eliminar
  3. Koba,

    Não sou um particular adepto do treinador Paulo Bento. No entanto do ponto de vista do carácter duvido que haja no futebol alguém mais sério que PB. Aliás um este traço de carácter talvez seja o seu principal problema, parece torná-lo num individuo que muda menos do que devia, monolítico.

    Não tenho que o defender mas também não me esqueço que foi com ele que ganhamos os últimos troféus. E, apesar de estar completamente esgotado e de se ter tornado "chato", não foi o único culpado do sucedido.

    Muito do fenómeno também se explica pelas características de nós como povo, com qualidades e defeitos muito próprios. Fartamo-nos de invocar o exemplo de Ferguson mas não temos paciência nem vontade para esperar pelos resultados, sacrificando-os muitas vezes à novidade e ao imediato. Talvez por isso mesmo fosse a altura ideal para terminar o seu mandato. A menos que ganhe, o que está longe de se poder garantir, chegar a 2016 vai ser uma longa e penosa estrada.

    Para abreviar a conversa diria que estou decepcionado, que muitas coisas pareciam poder correr muito melhor, há erros mais ou menos óbvios de PB mas nenhum de gravidade extrema como os que concorreram para o desfecho do Mundial 2002. Erros como esses eram possíveis com Oliveira mas PB supera-o em caracter e em qualidade como treinador. Oliveira era e é um básico como se pode ainda hoje constatar nas aparições que faz no canal da Bola.

    Quanto à falta de velocidade e falta vitalidade geral não creio que seja caso único. Ainda ontem vi o jogo Argélia X Rússia e os russos estiveram impotentes e não me pareceu por falta de brio ou vontade. Não por acaso, os russos também estão possessos com o Capello, como não podia deixar de ser. Sintomaticamente a única equipa que vi correr como se não houvesse amanhã, acabando por sair um tanto ou quanto de forma injusta e condenada pelos pormenores foi o Equador.

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Leão,
      Percebo o seu texto, mas deixe-me dizer-lhe que não conheço suficientemente o plantel da Rússia (já nem vou à convocatória, esqueçamos isso agora) para saber se os que foram jogando eram os que estavam melhor.
      Mas creio conhecer suficientemente bem o de Portugal para saber que, mesmo com aqueles 23, era possível ter apresentado, contra os USA (já nem vou ao j
      ogo com a Alemanha, esqueçamos também esse), um 11 em condições de disputar o jogo.
      Por ora, e ainda a quente, é o meu principal ponto.
      Mas analisemos mais friamente, nisso tem toda a razão.
      Abraço

      Eliminar