03/05/2014

Com o Sven a sofrer

Parece que já começa a ser um hábito. Jogos épicos (nas várias competições), com muito sofrimento, a jogar muitos minutos com um jogador a menos (neste caso chegaram mesmo a ser dois) mas no fim, um enorme sorriso e imensa euforia. Alguns dizem que assim até sabe melhor. Pessoalmente dispenso a parte do sofrimento, não sou muito dado a masoquismos e prefiro passar um jogo inteiro em clima de festa. No entanto, nesta segunda mão com a Juventus, teve mesmo que se sofrer, depois sofrer mais um bocado e antes do final, sofrer ainda mais.

O jogo começou bastante bem para o Benfica. Foi um prazer ver aquela entrada com personalidade bem vincada,  sem se intimidar com o estádio (grande frase de Jesus na antevisão do jogo quando questionado se temia o ambiente em Turim "Ambiente? Estamos habituados a jogar no Estádio da Luz!"). Foi a melhor fase do Benfica e depois nunca mais se aproximou deste nível. Boas trocas de bola, velocidade, a desequilibrar nas alas e a levar perigo à baliza de Buffon. Foram apenas 10 ou 15 minutos e depois apenas dois lances esporádicos de Rodrigo. Nada mais. A partir daqui só deu Juventus, com o Benfica a tentar fechar os caminhos para a baliza e a não conseguir sair em contra-ataques rápidos e com perigo (com excepção de um dos dois lances de Rodrigo que já referi). O meu destaque positivo vai mesmo para a excelente organização defensiva onde Luisão esteve irrepreensível,  acompanhado por Garay, Siqueira (este homem está com uma pedalada brutal!!!) e Amorim e um Oblak, mais frio que um iceberg, que dá uma segurança impressionante nas bolas pelo ar e em que a bola molhada não é uma dificuldade acrescida (excelente decisão de Jesus). Mais uma vez reforço, há um grande mérito na forma como Jesus trabalhou esta equipa no plano defensivo e que foi decisiva para a forma como esta época está a terminar. Destaco, no plano negativo, a incapacidade ofensiva que o Benfica apresentou durante quase todo o jogo. Tenho a impressão que não vi o Lima durante largos períodos do encontro e os restantes elementos da frente também acrescentaram muito pouco a nível ofensivo (a defender tenho a certeza que trabalharam e muito!). 

Do que vi na primeira mão e depois neste jogo, e sei que isto vai chocar muitos dos que sofreram como eu, acho que a melhor equipa ficou pelo caminho. E não estou a confundir plantel com equipa. Acho que foi melhor equipa em jogo jogado (adoro esta expressão). Mais forte defensivamente e mais forte ofensivamente. Marcou menos um golo porque o Benfica teve imenso mérito mas causaram sempre mais perigo e com um pouco mais de sorte teriam mesmo marcado em Turim e também na Luz. Acho que o Benfica tem equipa para fazer mais mesmo contra uma grande equipa como a Juventus. E acho que não me estou a pôr a jeito para levar com a habitual "Mas ó anti-Jorge Jesus, preferias jogar bem e perder o jogo?!".(a resistência a ideias contrárias ao clima de festa pode ser tramada...). Até considero que o Benfica deveria ter jogado com um só avançado pelo que concordo claramente com a ideia de primeiro fechar a baliza e só depois perceber se conseguimos chegar às redes contrárias. Teríamos evitado tantas bolas junto à nossa grande área se tivéssemos mais um homem no miolo talvez conseguíssemos mais espaços para os extremos. Só isso. No entanto, reforço que o Benfica tem todo o mérito em passar à final, pelo que lutou mas também pelos bons golos e mesmo por um penalty roubado na primeira mão.

Agora que venha a final e o fim da maldição de uma vez por todas! Ao contrário da final do ano passado e mesmo desta meia final, não vamos encontrar nenhum tubarão pelo que é jogar com toda a concentração do mundo, como numa final (ao contrário de Jesus não acho que uma final seja igual a qualquer outro jogo) e que o talento e qualidade dos jogadores do Benfica venha ao de cima. A viagem está comprada, o hotel marcado e o carro reservado. Só faltam 8 dos 6.850 bilhetes para mim e para alguns dos que normalmente partilham comigo esta devoção que não se explica. Será certamente bastante diferente de ver este jogo em Londres, num bar sueco, em que o resto do pessoal está mais preocupado com as pints e conversa e sem som na televisão. Pelo menos estava na mesa do Erickson com a foto e assinatura dele e foi assim mais um a sofrer.



Vamos a eles Benfica, atacar este sonho do outro mundo que parecia tudo menos possível há praticamente 12 meses atrás!!


"Não há nada comparável ao Benfica" (Marcelo Rebelo de Sousa)


 

4 comentários:

  1. Contrariamente ao que que é habitual, desta vez não concordo genericamente com o que foi escrito. Mao se viu mais Benfica nos dois jogos disputados porque fomos tendo sempre o que queríamos no primeiro, lembra-te que marcamos o segundo golo logo a seguir ao deles e depois no segundo fomos gerindo até à expulsão e depois era inevitável. O Benfica deste ano ttocou as notas técnicas e as exibições de correrias e domínios por um pragmatismo que nos confere a possibilidade de ganharmos tudo. Haver vamos! Viva o Benfica!

    AS

    ResponderEliminar
  2. Contrariamente ao que é habitual, desta vez não concordo genericamente com o que foi escrito. Não se viu mais Benfica nos dois jogos disputados porque fomos tendo sempre o que queríamos no primeiro, lembra-te que marcamos o segundo golo logo a seguir ao deles e depois no segundo fomos gerindo até à expulsão e depois era inevitável. O Benfica deste ano trocou as notas técnicas e as exibições de correrias e domínios por um pragmatismo que nos confere a possibilidade de ganharmos tudo. A ver vamos! Viva o Benfica!
    AS

    ResponderEliminar
  3. Concordo inteiramente que o Benfica deste ano é muito mais pragmático e "redultadista" e que isso evitou muito desgaste nos jogadores. Mas não acho que o Benfica tenha gerido os jogos. Depois do primeiro golo na primeira mão, durantes largos períodos já se esperava o golo da Juventus. Aquilo não caiu do céu. E na segunda mão também não foi gestão, foi sofrer. Sofrer com 11, depois com 10 e por fim com 9. Não se pode dizer que o Benfica conseguiu anular a Juventus.

    ResponderEliminar
  4. Gorbyn,
    Acho que se pode dizer as duas coisas: o Benfica anulou a Juventus mas, ainda assim, sofreu. Mas que anulou... anulou. A Juventus não fez nada na segunda parte. Eu estava a ver o jogo com a frieza própria de quem se está nas tintas para o resultado e a 10/15 minutos do fim fiquei com a nítida sensação de que a Juventus não ia conseguir marcar o golo.
    Abraços

    ResponderEliminar