07/04/2014

Olheiro amador, exigências e "ses", bom jogo


1. Olheiro amador, uma carreira com altos e baixos

Tenho como "coroa de glória" da minha "carreira" de olheiro amador Jimmy Floyd Hasselbaink. Ao fim de 3 ou 4 jogos no Campomaiorense, disse para os meus colegas e amigos que teria que vir para o Sporting. Fui ridicularizado e gozado por todos. Nesse ano o Sporting contratou para PL esse craque que dava pelo nome de... Missé-Missé. Jimmy assinou pelo Boavista, depois Leeds, depois Chelsea, seleção da Holanda, etc. Todos vinham ter comigo e diziam "eh pá, mas como é que viste que este gajo era uma máquina?". Eu respondia: "estava lá tudo, toque de bola, potência, remate com os dois pés, velocidade". Fiquei visto como uma autoridade na matéria.

Mas na realidade foi um golpe de sorte. Hoje vejo-o claramente. E porquê? Porque nunca, mas nunca, antecipei que o William Carvalho poderia ser metade do jogador que é. Nunca me enganei tanto na avaliação do potencial de um jogador como com William Carvalho. Achei que poderia ser uma razoável opção mas no início da época até questionei o porquê de André Santos não ter lugar no plantel se William o tinha (como penitência por tal heresia já prometi que não saio de Lisboa quando o Benfica for campeão).

William é muito mais do que prometia ser. O potencial, afinal, estava lá; e evoluiu imenso. O que é sinal de que os jogadores não têm o destino traçado aos 18, 19, 20 ou 21 anos. Uns podem evoluir, outros não, pior ou melhor, o que só torna mais grave a minha apreciação - é que eu sempre acreditei que um jogador pode evoluir mesmo depois disso, mas nem esse benefício da dúvida dei ao rapaz.

William, meu caro, ainda não arrumaste com a minha "carreira" de olheiro amador. Mas que me fizeste repensar muita coisa, isso fizeste.

2. Exigências e "ses"

Esta época tem sido positiva e aconteça o que acontecer até final da temporada será sempre considerada como positiva. Parece-me indiscutível.

Por isso mesmo, creio que posso dizer esta frase: seria injusto exigir mais do Sporting este ano. Depois do que foi a época passada, depois da turbulência que o clube viveu no início de 2013, depois de ter tomado posse um novo presidente, depois de se ter alterado a equipa técnica, depois de se ter alterado metade da equipa principal (Maurício, Jefferson, William, Montero são completas novidades, Martins não era titular indiscutível), depois de se ter reduzido o orçamento de 40M€ para 25M€, exigir mais seria, reitero, injusto.

O que não significa que eu não diga o seguinte: se o Sporting tivesse jogado sempre como jogou na 1ª parte em Paços de Ferreira, estaria mais próximo do Benfica. É certo que este Sporting funciona melhor fora do que em casa. E é também certo que o Paços está em antepenúltimo. Mas um coletivo a funcionar daquela forma teria permitido ao Sporting fazer mais pontos do que os que tem. Gostei mesmo de ver a 1ª parte (e gostei também de ver a reação ao golo do Paços).

E se tivesse sido sempre assim... Mas enfim, não foi. Resta a esperança (muito, muito ténue) de que o Benfica empate com o Rio Ave e perca em Arouca (vá, parem lá de rir...). Impossível. O Benfica ganhando hoje é campeão nacional e fim da história. Com mérito. Porque quando esteve mal, aguentou-se (tal como o Sporting). Mas quando esteve bem andou uns furos acima do Sporting. Na apreciação global não só é melhor como foi melhor (são coisas diferentes: o Porto também é melhor mas não foi melhor).

3. Bom jogo

O Paços fez um excelente jogo no Sábado. Em condições normais, aquele Paços chegaria para tirar pontos ao Sporting versão LJ 2014 (à versão LJ 2013 seria mais complicado). Mas o Sporting fez um jogo ao nível do que fez em Coimbra na 2ª jornada. Creio mesmo que o Sporting não jogava assim desde aí (fez outros bons jogos, mas o melhor que retive foi mesmo esse).

Em Paços, para além da muito boa performance coletiva, Patrício fez duas ou três defesas de sonho (muito embora seja mal batido no golo); Rojo voltou a marcar; William fez um jogo e um golo de grande categoria; Adrien fez mais um jogo a caminho da seleção (assim o espero) e marcou um golão; André Martins fez o melhor jogo pelo Sporting desde Barcelos (já lá vão 14 jogos!); e Slimani fez duas assistências (se fosse eu o treinador não teria feito a segunda porque pedi a sua substituição por Montero antes disso).

Agora, ganhar ao Gil Vicente em casa. Fazer o nosso papel porque não acredito que este Braga tire pontos ao FCP. Manter os 8 pontos de vantagem até ao limite. Porque os jogos mais complicados vão mesmo ser os últimos.

***

PS: A minha aposta sobre o Wilson Eduardo está perdida, a menos que contabilizássemos os golos na equipa B (infelizmente não contam). Aliás, creio que Wilson será hoje um nome relativamente indiscutível na lista de dispensas da próxima temporada, a menos que saiam Capel e Carrillo (caso em que, ainda assim, estou seguro que o Sporting contrataria um extremo para acompanhar Heldon, Mané e Wilson - tripla claramente insuficiente para uma época com Champions - e Wilson não seria mais do que a quarta opção). Significa isto que há jogadores que evoluem e outros que não evoluem? Ou que na realidade o William tinha por onde evoluir e o Wilson não? Fica a dúvida. De qualquer forma, entendo o seguinte: pelo que vi nesta temporada, o Wilson, neste sistema de jogo, e como extremo, não aporta o suficiente para ser titular do Sporting ou sequer um suplente sólido (como creio que será o Heldon). Se jogássemos com 2 AV poderia ser uma razoável opção (ainda para mais com orçamentos limitados também na próxima temporada), mas como extremo creio que não terá lugar. Império 1 - Koba 0, marca os temakis quando quiseres.

6 comentários:

  1. Começando pelo fim:
    Também concordo que Wilson "já era". A aposta também está perdida. O Wilson serviu para aquele período em que Jardim, no sábado, disse que os adversários tinham menosprezado o Sporting. Nós, pelos vistos, sobrevalorizamos o Wilson. Fez o seu papel mas também tenho dúvidas que possa fazer mais. Juntamente com Magrão (espero), Welder (quem?), Píris (já nem convocado é) e Vítor (com pena minha), deverá ser dispensado. A subida de Mané também terá contribuido para tal. No entanto, até agora, Heldon não mostrou mais que Wilson.

    1. Quando vi o jogo de pré-época contra Fiorentina ou Real Sociedad não percebi os elogíos positivos a William. Pareceu-me tudo menos um jogador concentrado no jogo. Veio o jogo com o Arouca... A partir daí digo sempre para o meu parceiro de bola "se tivesse dinheiro, sem dúvida que comprava o William. Vai ser ainda maior, muito maior".

    2. A Champions ainda não está garantida (só o play-off e a fase de grupos da Liga Europa). Ainda assim, em termos desportivos (e no que diz respeito ao futebol profissional), esta época (esta época) tem de ser positiva. Por outro lado, agora ninguém aceita o 3º lugar, tem de ser, pelo menos, 2º.

    3. Não consegui ver os 2 últimos jogos. Agora, pelo que escreveste e já li em outros espaços tenho de ir ver, pelo menos, a 1ª parte deste último.
    As minhas "espinhas" são duas: empate em casa com a Académica o que não nos deixou ir à luz na liderança; empate em Setúbal (na maneira como foi "construído", uma semana depois daquele golo anulado ao Belenenses contra o Benfica).

    abraço

    ResponderEliminar
  2. Cantinho, quando o Sporting contratou o Heldon eu disse, e mantenho, que percebia a contratação. Isso não significava, nem significa, que as contratações que fazem sentido tenham sucesso. Na cabeça do Guardiola, o Ibrahimovic fez todo o sentido (e o Guardiola não é propriamente um blogger); mas o resultado foi o que se viu. Isto dito, o Heldon tem estado abaixo das expetativas e acredito que consiga dar mais do que tem dado até aqui.

    1. Eu nem isso. Pareceu-me um jogador algo lento e a jogar para o lado e para trás. E de facto não é dos mais rápidos que aí andam, mas posiciona-se bem e recupera muitas bolas. Sai a jogar muito bem, distribui bem o jogo, é preciso no passe longo, joga com os dois pés, enfim, está uma máquina. Mas eu reconheço que não vi nada disto.

    2. Sim, se ficarmos em 3º vai saber a desilusão. Mas analisando em abstrato será, ainda assim, positivo.

    3. Cuidado porque eu não tenho uns critérios tão exigentes quanto os dos experts :). Mas, para mim, foi a melhor exibição desde Coimbra, na 2ª jornada.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  3. Koba, estava a torcer pelo wilson nessa aposta. O Temaki ás vezes safa--se bem. :)

    ResponderEliminar
  4. Koba,

    1- Essa do William era fácil de falhar. Creio que nem mesmo o Jardim, que detém o mérito de ter visto mais do que os outros não imaginava que ele se afirmaria como afirmou num tão curto espaço de tempo. Confesso que quando o vi pela primeira vez não levei a sério a aposta, imaginei como o comum dos mortais que o lugar seria de Rinaudo.

    2- Concordo em geral. No entanto essa sensação de satisfação e até de superação relativamente ao alcançado esta época desvanecer-se-ia sem o 2º lugar que espero se confirme o mais rapidamente possível. Seria até profundamente uma grande desilusão e até injusto, seja lá o que isso for em futebol.

    3- Foi de facto o regresso à consistência. O Sporting pareceu mais personalizado e simultaneamente descontraído. Não será alheio a isso o facto de ter conseguido uma distância mais segura para o 3º lugar. No fundo beneficiamos do mesmo espírito com o que o SLB tem gozado desde que nos ganhou na Luz, jogando menos pressionado vindo por isso ao de cima a qualidade do seu jogo e dos seus jogadores.

    O facto de Wilson não ter evoluído pode-se explicar pelas suas próprias limitações e pelas que lhe são impostas pelo modelo de Jardim. O que este pede aos extremos é carrilar o jogo pelas laterais e trocas mais com o lateral-direito do que movimentos de aproximação à referência atacante ao centro. Dessa forma Wilson poucas vezes teve oportunidade de fazer golos, falhou até muito pouco nesse aspecto.

    Sempre vi o Wilson como uma solução de recurso, por força do condicionalismos da própria época. Para a época que vem precisamos de mais. Atrevo-me a dizer até que precisamos de muito mais do que Héldon, cuja contratação nunca me pareceu muito feliz. Isto porque o jogador se assemelhava muito no Marítimo ao que Wilson já era na Académica. Se para o ano Wilson for para o Marítimo é muito provável que tenha uma prestação/produtividade muito semelhante à de Hledon. Aí até eu apostaria nele para uns 10 golos.

    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Assim é que é:
    Seria uma grande desilusão e até profundamente injusto, seja lá o que isso for em futebol.

    ResponderEliminar
  6. Leão, mais do que o tema dos golos, que seria um mero indício da utilidade de um jogador, o que me preocupou foi a queda de rendimento do Wilson a partir do início do segundo terço do campeonato (e nunca mais se reecontrou). Era sempre previsível e aportava pouco à equipa. Se ele não tivesse marcado os golos todos que eu dizia mas tivesse feito uma temporada sólida, estaria aqui com o discurso da "vitória moral". Mas a verdade é que perdi em toda a linha!

    Abraço

    ResponderEliminar