25/04/2014

Não vai ser fácil...

Num jogo em que o Benfica teve o brinde/mérito de começar o jogo logo a ganhar, considero que perdeu a oportunidade de viajar para Turim com um resultado bem mais confortável. Nem que fosse o 1-0. Culpa do poderio da Juventus? Também. Esta é provavelmente a segunda melhor equipa com que o Benfica jogou esta época e também a segunda equipa com o plantel mais caro. Praticamente tri-campeão italiano e isso já diz muito. Sendo assim, uma vitória por 2-1 não deixa de ser um excelente resultado. Se eu acho que podia ter sido melhor? Na minha opinião, podia. 

Poderão dizer que estou outra vez na perseguição a Jesus mas há coisas que simplesmente não consigo entender. Amigos meus dizem que não sabemos o que se passa nos treinos e outras limitações que não vêm a público mas para o que vejo nas quatro linhas, há coisas simplesmente absurdas. Para começar, jogar apenas com 10 num jogo destes não tem explicação. Mas quem é que no seu perfeito juízo colocaria Cardozo a titular?! Estava no onze inicial mas de facto não se viu em campo. Depois, a ganhar 1-0 e com a Juventus a encostar o Benfica às cordas demorou uma eternidade a mexer na equipa. Durante a primeira parte, o Benfica ainda fez uma boa exibição. Circulou bem a bola e ainda teve uma grande oportunidade que Sulejmani desperdiçou. E aqui entra, para mim, outro equívoco de Jesus. Apostava que esta seria a aposta para render Gaitán mas apenas pelo histórico. Não percebo como se deu tantas oportunidades a um jogador como o sérvio enquanto Cavaleiro foi encostado para a B (depois de ser chamado à seleção). O Sulejmani, à imagem de Nolito de quem o treinador nada gostava, não tem capacidade física para participar num jogo deste nível. Notou-se bem a diferença nos escassos minutos em que o jovem português esteve em campo. Com a boa exibição que o Benfica ia fazendo na primeira parte, acredito que com Lima tudo tivesse sido melhor.



Como dizia, durante toda a segunda parte estava à espera do golo da Juventus a qualquer minuto. O meio campo do Benfica era um deserto. Enzo subia para tapar (e com sucesso) as ações de Pirlo enquanto André Gomes tinha que desviar para a linha para fechar as diagonais de Pogba. Resultado: ninguém no meio-campo. Como André Gomes não prima pela velocidade, o facto de chegar mais tarde à zona de Pogba fazia com que fizesse a marcação já com o francês com a bola controlada e daí as dificuldades evidentes (completamente diferente da sua zona de acção no jogo com o Porto). Quando Jesus finalmente mexeu na equipa, só ele deve ter percebido. Queria que tirasse Cardozo para colocar mais um elemento no meio campo. Percebi depois que André Almeida ia entrar mas era Sulejmani a sair. Para mim fazia algum sentido André Almeida, rotinado a lateral, ajudar a fechar Pogba. Não, foi mesmo o super rápido André Gomes que foi para a ala. Brilhante.
Depois com Lima a equipa melhorou e com Cavaleiro encontrou-se. Marcou um golo e podia ter marcado mais dois por Markovic e Cavaleiro (e um penalty por marcar?). Porém, a Juventus também continuou a criar grande perigo junto à baliza de Artur e também podia ter marcado.

Grande exibição dos defesas, com destaque para Garay e Sequeira (fiquei com a sensação que a lentidão do Maxi teve alguma culpa no lance do golo…). Para Itália, só o onze normal do Benfica, sem invenções poderá dar alguma esperança e até preferia começar com um só avançado (Lima) mas não acredito que Jesus vá nesta…

Contra o Porto, espero que não jogue um único titular. O cansaço físico do Benfica acho que foi bem evidente na segunda parte e a hipótese de chegar à final europeia é bastante mais importante que uma final da Taça da Liga.

1 comentário:

  1. Concordo, na generalidade, com o que foi escrito. Uma nostas apenas:
    1) Sulejmani apesar de, teoricamente, também não ser a minha escolha para integrar o onze, acabou por não fazer um mau jogo. Teve até nos pés a oportunidade de ampliar a vantagem quando ainda estava 1-0. Por vezes até surpreendeu com alguns raides. Foi do pé direito que saiu a assistência para o primeiro golo.
    2) Em tese concordo com o que foi dito acerca da opção por Cardozo. Mas também aceito que tenha jogado de início. Quem sabe se o Lima tivesse jogado de início estaria fresco para marcar o golo que marcou. Compreendo a gestão do jogo em si e do cansaço da equipa.
    3) Apesar de tudo gostei da prestação do André Gomes que com tenra idade tem uma calma incrível para jogar no meio com jogadores cheios de experiência e que o pressionaram constantemente. O lapso foi o fazer dele um trinco e não tem rotação para tal. É um 8.
    4) No lance do golo da Juventus foi notória a falta de Fejsa mais imperial. Muito mérito do avançado...talvez se não têm ido ao lance à queima...
    5) Destaco a grande forma do Sequeira. Muito forte fisicamente. Rodrigo também deu sinais de cansaço a meio da segunda parte.

    AS

    ResponderEliminar