21/04/2014

Futebol a zero

Sim, o Benfica foi campeão ontem, merecidamente. Creio que já tudo se disse sobre isso. Da minha parte, queria apenas salientar que o grande obreiro da vitória é o presidente Vieira que segurou JJ quando todos achavam que o ciclo estava esgotado. Vamos ver se JJ se mantém, espero que não!

Mas falemos de futebol. Que antes era a 3, depois a 2, depois a 1 e agora com a exibição do Sporting  no Sábado diria que ficou reduzido a 0.

O jogo do Restelo foi indubitavelmente o mais enervante jogo desta época. O pouco que jogámos chegou a ser desconcertante. Tudo lento e previsível, coletiva e individualmente.

No plano individual, ninguém esteve particularmente inspirado. Mesmo Carrillo, quando entrou, parecia estar em slow motion. Mas enfim, não devemos depender da inspiração individual e esta equipa também não nos criou essa expetativa.

O problema é que, coletivamente, não conseguimos contornar o sistema montado pelo adversário e que consistia em deixar os nossos centrais soltos, usar os alas para pressionar a saída de bola nos nossos laterais e usar o Fredy para pressionar a saída de bola no William. E se ficou mais uma vez demonstrado que os nossos centrais têm algumas dificuldades em conduzir eles próprios o jogo, ficou também patente a inércia de toda a equipa, que optava (?) por ficar parada.

Toda? Não! Uma aldeia povoada por um irredutível gaulês (André Martins) ainda resiste ao invasor (mau futebol).

André Martins bem tentou mas sozinho era difícil. Adrien deu uma ajudinha aqui e ali mas foi essencialmente André Martins quem tentou agitar o jogo. Claro que, como sempre digo, os que tentam agitar perdem mais vezes a bola e ficam sujeitos aos reparos e às críticas. Os que passam para o lado e para trás vão disfarçando as insuficiências. E os Capeis vão ganhando faltas "perigosas" com as suas iniciativas inconsequentes.

Foi tudo tão mau que me irritei mais neste jogo do que provavelmente em toda a época. Em cada passe, em cada receção, em cada jogada, estava lá tudo o que de menos bom tem o futebol do Sporting: lentidão, previsibilidade, dificuldades em sair a jogar contra equipas fechadas, falta de criatividade.

Pode ter sido um jogo menos bom, apenas isso. Mas estamos no final da temporada e a verdade é que, olhando para trás, vimos 3 ou 4 jogos muito bons deste Sporting (um deles recentemente, a 1ª parte na Mata Real). No resto, convenço-me que este futebol do Sporting tem solidez, é suficiente para a Liga, assegurará certamente que estamos nos lugares de topo, mas vai precisar de um abanão se quisermos dar um salto de qualidade. O Leonardo Jardim que eu sempre defendi, e que tanto elogiei, tem que dotar a equipa de um plano de jogo mais versátil, mais criativo e mais dinâmico.

Atenção!, pode ser que isso esteja nos planos do próprio LJ - dotar a equipa de rotinas que lhe confiram solidez e com outros recursos avançar para uma segunda etapa. Dizem-me os experts que isto é um disparate (i.e., preparar uma equipa num ano, fazê-la evoluir no seguinte), espero que estejam enganados!

Mas disso falarei mais tarde, quando fizer o balanço da temporada. Por ora, o sabor agridoce de termos conquistado o acesso à Champions com o pior jogo da temporada, a fazer lembrar o Sporting do ano passado. Mas se me perguntarem o que prefiro... claro que prefiro ganhar assim do que perder a jogar bem.

2 comentários:

  1. Koba,

    Realmente foi um jogo muito fraco em que a vitória surge de uma burrice do jogador do Belém (que nem sequer levou amarelo; aliás, só levou amarelo depois de ter feito uma entrada por trás ao Slimani igual à que o Rojo fez, só que este levou vermelho... critérios).
    Também não gostei e enervei-me com a displicência do Jefferson no último lance do jogo, que deu canto para o Beleneses (Jefferson fez mais um jogo péssimo a defender).

    No entanto, acho que a equipa já não joga para nada desde do jogo do Benfica com o Rio Ave. É verdade que a Liga ficou decidida em Setúbal mas os jogadores (e o LJ) acreditavam que o Benfica podia perder pontos em Braga ou em casa com o Rio Ave, deixando algum suspense (havia sempre um Porto vs Benfica na última jornada) na definição da Liga. Não havendo nada para lutar (o Porto já há muito tinha desistido) baixou-se muito em quase tudo: intensidade, crença, motivação, criatividade e concentração. Por isso é-me difícil analisar este jogo e os que restam até ao fim.
    O profissionalismo está lá (sempre esteve) mas há dias em que trabalhamos, só por trabalhar.

    Veremos como evolui. Mas repito, jogou-se muito pouco (o Belenenses também não este interessado em mais).

    abraço

    ResponderEliminar
  2. Cantinho,
    Ontem estava na ressaca do título do Benfica e por isso ainda irritado. Foi mais um desabafo do que outra coisa. Tudo o que referes faz sentido e espero, sinceramente, que tenhas razão.
    Um abraço

    PS: o que não invalida que haja jogadores, como Capel ou Piris, que estejam esgotados e precisem de outros ares...

    ResponderEliminar