10/03/2014

No mínimo, convincente

Antes deste jogo, dizia a amigos que estava muito confiante para este jogo. Porquê? Porque sabia que o Benfica ia encarar este jogo como um dos mais importantes da época e isso faria toda a diferença um vez que a nível de qualidade individual não há qualquer dúvida. E assim foi. O Benfica encarou este jogo como se do outro lado estivesse Porto ou Sporting. Por coincidência (e por outros motivos), repetiu o resultado conseguido contra essas mesmas equipas. Na mesma linha desses jogos, a vitória foi clara e sem margem para dúvidas.

O Benfica entrou fortíssimo e ficou em vantagem logo aos 6 minutos (folgo em saber que Marco Silva também gosta da estratégia de Jesus de defender os cantos com a filinha pirilau na linha da pequena área, o Luisão agradece) mas antes disso já tinha perdido duas ocasiões de golo. E também não foi surpresa quando aos 19 minutos já vencia por duas bolas. Depois disso foi o novo Benfica. O novo Benfica que sabe chegar à vantagem mas que depois também sabe gerir o jogo, descer as suas linhas, fechar o caminho para a baliza com toda a equipa a defender e a funcionar como bloco  (sim, o facto de não existir Cardozo facilita este trabalho), a não se importar que o adversário tenha a bola, a não permitir uma única ocasião de golo e a tentar aproveitar qualquer deslize do adversário para contra-ataques rápidos. É claro que se não fosse o trauma da época passada, era muito mais fácil assistir a esta estratégia. Com aquela sucessão de Maio, estamos sempre à espera de mandar duas bolas ao ferro, falhar ocasiões de golo e depois sofrer um golo de canto aos 85 e outro de livre nos descontos. Está demasiado fresco ainda. Ainda dá para recordar aquela sucessão incrível de alegrias e o futebol espectacular para depois... E é por isto que festejamos um golo em Setúbal quase como se fosse um golo do Benfica e que esperamos ansiosamente por um Sporting-Porto para ver se dá um empate e assim encurtar ainda mais o caminho para o título. Com tanto trauma, com tanta vantagem pontual desperdiçada nas últimas épocas, estamos assim a pedir uma almofada cada vez maior para sonharmos com o título mais descansados.


Destaques do jogo:
- finalmente uma casa decente para apoiar a equipa com 56 mil nas bancadas;
- Gaitán está numa forma fenomenal e incluiu a assistência para Luisão, o grande passe para Siqueira que depois ofereceu o golo a Rodrigo e a assistência para Lima que viu o golo mal anulado;
- Fejsa fez mais um jogão, mesmo com um amarelo logo aos 8. Durou o jogo todo, segurou o meio campo, corte atrás de corte, recuperação atrás de recuperação e também bons passes. O fantasma de Matic não existe no Estádio da Luz e espero que o de Fejsa não apareça na Choupana;
- Defesa de betão;
- Salvio está com muita vontade mas tão fora de forma...;
- Ruben, mais uma vez, deveria ter entrado mais cedo;
- Jesus tem que receber os elogios. Não permitiu que a época passada entrasse no balneário e foi um Benfica confiante e que sabia o que queria que hoje entrou em campo. Recebe os elogios porque depois de uma defesa que no início da época não parava de sofrer golos, hoje praticamente não os sofre.E sobretudo porque, ao contrário do que esperava, parece que aprendeu mesmo alguma coisa com a época passada. Vamos ver se isto se confirma com a gestão que fará contra os londrinos.

O Sporting empatou (não entro aqui na discussão do que levou ao empate, deixo isso para o meu amigo Koba) e obviamente que isso beneficia o Benfica e daí os festejos. No entanto, para mim, não deixou de ter um sabor agri-doce. Festejei porque respeito o Sporting e os 5 pontos ainda não eram uma diferença significativa mas preferia que o Sporting mantivesse 4 pontos para o Porto. Obviamente que quero um Porto que ganhe menos do que tem acontecido nas últimas décadas pelo que se não for à Champions, será mais complicado contratar como fez na época seguinte à do Benfica ser campeão em que, só em dois laterais, gastou mais de 30 milhões de euros.

Já só consigo pensar na próxima jornada. Para já, a Liga Europa passa-me completamente ao lado...

2 comentários:

  1. Muito boa análise! Tb eu gostaria de ver o Sporting mais longe daqueles que usam de meios ilícitos para ganharem os seus jogos.

    AS

    ResponderEliminar
  2. Apenas um desacordo. Nao é só na defesa que o Estoril joga "á Benfica". É em todo o campo. Eduardo

    ResponderEliminar