12/02/2014

Paixão vs Realismo

Este não é propriamente curto mas é escrito numa lógica sintética porque os holofotes devem merecidamente ser apontados ao post que o Gorbyn (seguramente) vai escrever. O Benfica jogou muito bem e mereceu claramente ganhar, foi dos mais inquestionáveis derbies de que há memória. Cedo se percebeu que o Sporting não teria qualquer hipótese.

Ainda assim, vou sumariamente analisar o jogo e o momento que atravessamos sob duas perspetivas:

1. A visão do adepto apaixonado

(i) Não jogámos nada, fomos totalmente incapazes de ultrapassar a linha de meio-campo em posse e mais uma vez demonstrámos que o que temos ainda não chega para ganhar aos outros grandes;

(ii) Os jogadores entraram a medo, com mais medo ficaram depois do início fortíssimo do Benfica e estavam a quilómetros uns dos outros;

(iii) Alguém contou com quantos o Benfica entrou em campo? É que pareciam sempre ser mais do que os nossos...

(iv) Ficámos com a sensação (justa? injusta?) de que esta equipa não dá mesmo para muito mais;

(v) As apostas em Eric e Slimani foram completamente falhadas. Desinspiração ou trabalho de casa de JJ?

(vi) Estamos a 1 ponto do Porto e o Nacional a 7 pontos, será que dá para disputar o 2º lugar ou devemos concentrar-nos no 3º?

2. A visão do adepto realista

(i) Jogámos o que o Benfica deixou e a verdade é que este ano só temos derrotas com equipas com orçamentos claramente superiores, estamos dentro do normal e esperado nesta fase;

(ii) Os jogadores entraram na expetativa porque jogar na Luz não é fácil e mesmo com uma tática arrojada seria sempre preciso dar a iniciativa do jogo ao adversário;

(iii) O Benfica treina o mesmo esquema de jogo há vários anos, os jogadores estão claramente mais rotinados do que os nossos e isso nota-se claramente nestes jogos;

(iv) A equipa não foi montada para discutir estes jogos taco a taco, perdemos na Luz e no Dragão, empatámos em casa com Benfica e Porto (Taça Lucílio) precisamente porque eles ainda vão sendo mais fortes do que nós, como é normal;

(v) Perdemos o efeito surpresa de Domingo. Além disso, quando Jardim mudou Dier para DC e Marcos Rojo para DE, foi precisamente uma falha de Rojo e uma precipitação de Dier a causar o 2º golo. Quanto a Slimani, a verdade é que quando saiu não melhorámos;

(vi) Deixemos o Porto e o Benfica disputar o título e concentremo-nos em ganhar os nossos jogos. Claro que é difícil desligar dos jogos dos rivais históricos mas temos que nos concentrar, sem pressão, em assegurar os objetivos desta época. Vamos passo a passo e com passos seguros.

No plano individual: o melhor nem sei dizer quem foi (não desgostei do Heldon, mas se calhar fiquei mais impressionado com aquele slalom na 2ª parte do que com qualquer outra coisa), mas as exibições de Cedric, Rojo, Piris, Dier, Martins e Montero foram francamente fracas. Quando no quarteto defensivo 3 jogadores rendem abaixo do que é esperado, é difícil fazer melhor.

Mas o essencial é que a exibição coletiva, como o próprio Jardim reconheceu, foi má.

Notas finais:
a) gosto muito da seriedade do Jardim no final dos jogos;
b) a arbitragem foi excelente;
c) fiquei muito surpreendido (pela positiva) com a transmissão e comentários da BenficaTV (um ou outro "dezlize" não apagam uma ideia geral de aparente imparcialidade - na medida do possível, claro está).

2 comentários:

  1. Caro Koba,

    vou comentar apenas o que estiver em desacordo e assim, em vez de vir aqui abanar a cabeça ou nem comentar por não ter nada a acrescentar, aproveito para dizer alguma coisa.



    Jogámos o que o Benfica deixou - e o contrário também é verdade: deixamos jogar o que eles quiseram e foi por aí que perdemos.

    Os jogadores entraram na expetativa - A equipa estava impreparada para o que tinha pela frente, basta ver que podíamos ter entrado a perder. Os jogadores não chegaram a demonstrar outra coisa que não fosse não perceber como travar o adversário que se devia esperar ir entrar forte. Não vou tão longe em falar em sobranceria mas pareceu-me pelo menos que a equipa não ia preparada para o que tinha pela frente.

    eles ainda vão sendo mais fortes do que nós, como é normal - de acordo o que deveria levar Jardim a reconhecer isso na forma de preparar o jogo. O facto de serem mais fortes não é forçoso que nos ganhem todos os jogos ou que nem lhes ganhemos nenhum.

    uma falha de Rojo e uma precipitação de Dier a causar o 2º golo - Concordo, mas reveja o posicionamento do Mauricio, parecia que andava à procura de um orelhão para fazer uma chamada para o Brasil. O Dier teve um jogo tão infeliz mas nesse lance pelo menos fez-se a ele.

    Deixemos o Porto e o Benfica disputar o título e concentremo-nos em ganhar os nossos jogos - Vamos ver que danos que uma derrota com o cariz desta deixa na equipa. Uma coisa é perder outra é perder e nem sequer discutir o jogo. Eu acredito que era possível pelo menos fazê-lo.

    Individualmente deu-me pena o Adrien pela inutilidade do esforço e o Dier pela exposição que a táctica de JJ lhe deu. O miúdo também não ajudou muito, porque nunca se preocupou em utilizar os processos mais simples. Heldon foi dos que deu mais nas vistas mas participou muito pouco nas tarefas defensivas deixando quer Adrien (que já tinha que se preocupar com o desacerto de Dier) quer Piris completamente "enrascados".

    Não gostei que Jardim se virasse aos jogadores. Como digo no meu post "É fácil culpar os soldados de falta de atitude e coragem. Mais difícil é ao general aceitar que não gizou um plano onde as melhores qualidades dos seus comandados viessem ao de cima." Estou à vontade para o dizer assim como estive para o elogiar como tenho feito.

    ResponderEliminar
  2. Caro LdA,

    Antes de responder: confesso que tem sido difícil discutir o Sporting. É que eu vivo, diariamente, com uma luta interior entre o apaixonado e o realista. O apaixonado vai ganhando alguns rounds, o realista outrose. Ambos têm a esperança de ganhar a luta por KO.

    Não é fácil ser apenas realista... Basta que o Benfica perca em Paços (pouco provável) e o Sporting ganhe ao Olhanense (muito provável) e o apaixonado volta a arrumar com o realista para o canto do ringue, de onde este provavelmente só voltará a sair entre a 22ª e a 23ª jornadas.

    Isto dito, é óbvio que concordo com todos os pontos do seu comentário (tenho que rever o posicionamento do Maurício).

    Quanto aos danos: foi precisamente o que o meu "realista" quis dizer após a eliminação da Taça da Liga. Já é mau o que nos aconteceu ontem, se volta a acontecer para a Taça da Liga, ainda para mais em casa, as consequências podem ser terríveis (ainda para mais depois de um desgastante processo na secretaria!).

    Claro que era possível discutir o jogo... No ano passado, a 40 pontos de distância e com uma equipa imberbe, estivemos presentes e controlámos a primeira meia hora. Depois foi a capelada que se viu (e a falta de pernas também).

    Quanto às declarações de Jardim, repito o que já comentei esta manhã com outros sportinguistas: não me parece que devamos interpretar as suas palavras como um ataque ao empenho dos jogadores (muito embora numa das declarações tenha precisamente sido essa a palavra usada, num momento menos feliz e que infelizmente parece descontextualizar o que mais disse o treinador). Devemos, sim, interpretar como um reparo à atitude coletiva da equipa. Na flash interview, foi necessariamente mais conciso e objetivo e acabou por também ser mais acertado: "Jogámos com o Montero mais atrás mas não foi devido à estratégia. A equipa manteve a ideia de jogo mas entrou receosa, deixou o adversário tomar conta do jogo e isso foi fatal." Era a isto que ele se queria referir, a meu ver, quando falou de atitude.

    No demais, o meu "realista" diz-me outra coisa: em tantos jogos realizados este ano, e contra todas as expetativas, falhámos de forma clara e sem margem para dúvidas apenas no jogo de ontem. Contra a melhor equipa do campeonato. No estádio da Luz.

    Já o meu "apaixonado" relembra-me que em Novembro fomos lá e empatámos 3-3 nos 90 minutos...

    ResponderEliminar