04/12/2013

Bom resultado, bom jogo, bom futebol


Resultado: justíssimo, podiam ter sido mais mas 4-0 ajusta-se. A vitória era essencial para não passar um sinal de tremideira num momento em que o Sporting podia passar para 1º. Cá para nós que ninguém nos ouve: ainda bem que o Benfica também ganhou para que esta equipa não tenha desde já o peso de ser líder isolado do campeonato.

Jogo: correu bem porque o Sporting marcou cedo, claro, mas também porque a equipa entrou a jogar bem e depois disso, tirando 10 minutos na primeira parte, a equipa foi gerindo bem o resultado que criou. O Paços também não era equipa para reagir com força ao 1º golo do Sporting, mas isso nos últimos anos não tem sido argumento para desvalorizar as exibições do Sporting.

Futebol: o Sporting apresentou um futebol de qualidade e com consistência ao longo do jogo. Este era o adversário ideal para isso, sim senhor, mas a verdade é que a equipa jogou bem, corrigindo o mau jogo de Guimarães e apresentando uma atitude competitiva muito melhor. Não se limitou a ser eficaz ou a aproveitar os erros do adversário; apresentou uma dinâmica interessante, jogando com diversidade e com a participação de todos os jogadores. Ao primeiro minuto criou a primeira oportunidade e a partir daí construiu diversos lances coletivos, bem trabalhados, onde só foi falhando o último passe (André Martins, meu caro: a menos que acuse no anti-doping, sugiro um viagra antes dos jogos para ver se esses últimos passes saem com mais... determinação, digamos assim!). O Sporting não deslumbrou mas agradou. Nada a ver com Guimarães, nada a ver com futebol direto. Grande Jardim, percebeu que aquilo em Guimarães não foi nada.

Não deveria fazer destaques individuais porque a exibição foi coletivamente boa e porque não houve ninguém a jogar abaixo do mínimo exigido. Mas William Carvalho esteve mesmo muito bem e começa a desmentir aqueles, como eu, que muito embora dando o benefício da dúvida à ocupação do lugar (até porque todos sabem o que penso de Rinaudo), desconfiavam da capacidade de William para outras tarefas, nomeadamente para sair a jogar. O rapaz tem bons pés e tem velocidade de raciocínio, tem que ser um pouquinho mais rápido a executar mas isso melhora-se.

Agora encaremos com tranquilidade, mas de forma séria, a pressão inerente à posição em que estamos (que apesar de inesperada é a que tradicionalmente deveríamos sempre ocupar). Ganhar os próximos jogos e tentar ficar por ali por cima, esse é agora o objetivo. Se formos primeiros, melhor: estamos mais próximos de assegurar o 3º lugar. Logo que o 3º lugar esteja assegurado, caso tal venha a suceder mais cedo do que esperamos, olhemos para a classificação e vejamos se dá para mais. Até lá, pés no chão.

PS: Sabem porque é que Paulo Fonseca não é um treinador "à Porto"? Um treinador "à Porto" sabe que Capela tem uma dívida a pagar desde o Benfica-Sporting da época passada. Logo, nunca tira o habitual marcador de penalties porque sabe que vai cair um penaltyzito a 5 minutos do fim, dê lá por onde der. Se Fonseca não o sabe e é daqueles que acredita que o Porto perde 2 jogos em 120 porque tem uma grande equipa... está ali a mais.

3 comentários:

  1. Por acaso não esperava uma resposta tão boa. Foi, no geral, realmente boa a exibição do Sporting.
    E a sorte de Calisto não ter jogado com Bebé e Caetano o jogo todo serviu-nos na perfeição.
    Além de William, Martins e Montero, destacaria o Cedric. Fez um grande jogo. 1ª parte sempre em alta rotação, que pouco baixou na 2ª.
    Adrien, menos focado pelos media e blogs leoninos, também jogou bem, fazendo excelentes passes (principalmente na 1ª parte) a "rasgar" defesas adversárias.
    Foi bom! Venha o Gil, sempre perigoso e complicado.

    26 mil espectadores. Não censuro quem não foi. Mesmo com o Paços a jogar na 5ª feira, não se admite que se jogue às 20h num domingo à noite, com uma temperatura a rondar os 4º. Um domingo inteiro que, após a Corrida Sporting, pedia um jogo pelas 15 ou 16h.
    Mas isso aconteceu, uma vez, em Agosto, quando estavam quase 40º...

    grande abraço!

    ps: o Benfica é um adversário directo no acesso aos lugares da Champions. Embora perceba o que dizes, é sempre bom que perca pontos nessa luta.

    ResponderEliminar
  2. Koba,
    Fiquei preocupado com o jogo de Guimarães, pelas exibições, pela forma como Jardim pôs a equipa a jogar. Felizmente houve alterações, eventualmente pensadas especificamente para o adversário do dia e as diferenças foram notórias. Muito interessante a observação que faz do facto de não sermos lideres isolados. Afinal só precisamos de arcar com essa responsabilidade na última jornada...

    Uma pequena divergência relativamente a André Martins. Tanto ele como Cédric depararam com o mesmo problema, apesar de fazerem tudo muito bem até ao último momento. Com Montero a arrastar os defesas até zonas muito próximas da baliza falta quem ofereça uma ou mais opções de passe ao portador da bola. Fiquei com essa sensação durante o jogo e dei-me ao trabalho de rever algumas jogadas e nunca apareceu ninguém na zona central ou próxima, entre as costas de Montero e a linha de inicio da grande área. À velocidade que os lances se desenrolam a tarefa de quem tem a bola é muito complicada, não restando muitas alternativas senão rematar.

    Sobre o Capela só me ocorre dizer que a impunidade é total, as asneiras que faz constantemente já mereciam que apodrecesse na jarra.

    ResponderEliminar
  3. Cantinho, também achei que o número de espetadores ficou um pouco aquém do que a equipa vai merecendo. E conhecendo o Sporting como conheço, nada teve a ver com a exibição de Guimarães. Inexplicável.

    LdA, é precisamente isso, e se calhar faltou dizê-lo: fizeram ambos tudo bem até ao último momento. Só excluí o Cedric porque na primeira parte tem uma assistência fantástica, em esforço, num lance em que todos aplaudiriam mesmo que a bola saísse e em que ele conseguiu colocar a bola redondinha na cabeça do Montero. Mas em geral concordo com a sua apreciação. Faltava ali o extremo do lado contrário ou o Adrien a dar uma opção de passe recuado.

    Só uma nota adicional: em 5 ou 6 lances idênticos, houve um jogador que fez uma assistência para golo. Carrillo...

    Abraços aos dois

    ResponderEliminar