25/11/2013

Super Matic depois da boa barra

O post deste jogo será talvez um pouco menos assertivo do que gostaria e muito mais dado a percepções imediatas. Não é que tenha decidido deixar de lado análises mais aprofundadas, só que as condições em que acompanhei este jogo são completamente diferentes da forma como normalmente vejo os jogos do meu Benfica pelo que todas as observações serão realizadas com o seguinte disclaimer (mais reforçado do que é hábito): "isto foi o que me pareceu mas é provável que tenha sido apenas impressão minha". De facto, são residuais os jogos em casa que não tenho a possibilidade de acompanhar do meu lugar de há 10 anos mas compromissos de outra ordem levaram-me bem para o interior do Alentejo e para a comum solução de ver o Benfica-Braga num dos cafés da vila. Não existiu qualquer problema ou dificuldade com a televisão ou transmissão, as minis é que eram incrivelmente baratas e as rodadas não pararam!

Sendo assim e para minimizar as hipóteses de disparates:

- Djuricic continua demasiado macio e a passar quase totalmente ao lado dos jogos. Não está ainda preparado para assumir a titularidade em jogos importantes;

- Se Sílvio estava bem do lado esquerdo, do lado direito só serve para estragar jogadas com cruzamentos para a linha de fundo. Jesus, deixa por favor o homem jogar do lado esquerdo! Estava a jogar bastante bem, a flectir muitas vezes para o meio com perigo e é sempre mais fácil puxar a bola para o pé direito e assim, com ela quase parada, não falhar os cruzamentos;

- Percebeu-se a ideia de Jesus em alterar os laterais (Sílvio apenas de lado) para tentar aproveitar a maior capacidade ofensiva de Siqueira face a André Almeida. Isto em teoria porque na prática ainda pouco vi do lateral esquerdo que justifique tal aposta (com excepção do golo) ainda para mais quando teima em se apresentar nas condições físicas exigidas. Neste momento, não hesitava em manter Silvio na esquerda e André Almeida no lado direito, independentemente do adversário;

- Enzo não estava nos dias dele, o que é bastante raro e faz muita diferença na equipa;

- Markovic parece que nos últimos jogos se esqueceu de como marcar golos e não conseguiu dominar uma bola em desmarcação. O gesto aquando da substituição revela imaturidade e a foto no facebook no dia seguinte num mercedes descapotável branco e em festa com os amigalhaços revela estupidez. Tanto quanta a de Jesus em não o colocar no meio;

- O desvio de Markovic para o meio é ainda mais justificável pela boa entrada de Cavaleiro;

- Atualmente na frente só temos Cardozo. Ontem não houve Cardozo, pelo que andou por lá o fantasma do Lima e a habitual inoperância de Rodrigo.


Tivemos bastante sorte nos lances do Braga que acabaram na barra, sendo que o Rafa parece um jogador a manter debaixo de olho (viram o golo contra o Olhanense?!). O Braga estacionou o autocarro e o Benfica não conseguia atravessar a muralha com um jogo demasiado previsível. O que vale é que apareceu Matic que fez tudo sozinho: roubou a bola, foi para cima dos defesas e rematou certeiro para a vitória. Se este menino sair em Janeiro para pagar os empréstimos que se vencem em Dezembro e Janeiro, acabam-se estas mais valias que os jogadores de classe superior permitem.

 Voltámos a um ponto que considerávamos improvável nas primeiras jornadas do campeonato, estando a apenas um ponto do Porto depois do surpreendente empate com o Nacional. Era importante que a desconfiança se instalasse nas Antas mas por outro lado, o Benfica não consegue fazer três jogos seguidos de grande qualidade para conquistar definitivamente a confiança…

Sem comentários:

Enviar um comentário