03/11/2013

Em recuperação

Obrigações profissionais não me permitiram fazer os posts relativamente ao Cinfães, Olympiacos e Nacional pelo que aproveito o comentário ao jogo com a Académica para algumas notas relativamente a esses jogos:


-  para a Taça, o que interessava era dar minutos a quem ainda pouco jogou e especialmente ver Cavaleiro, Bernardo Silva e Cancelo. Infelizmente não deu ainda para ver este último (o que me parece uma estupidez de todo o tamanho) e o Bernardo entrou já muito perto do final. Quanto a Cavaleiro, foi dos melhores em campo e em boa altura, pois fazia muita falta sangue novo à equipa e um jogador que trouxesse motivação e garra a sério. A exibição foi "Satisfaz  Menos" e não percebo como é que um treinador do Benfica pode falar em arbitragem num jogo contra o todo poderoso Cinfães;


- contra os gregos, foi uma noite europeia bem triste. Começou pela grande molha que apanhei no caminho para o estádio e continuou na primeira parte em que o Benfica pouco fez (ao contrário do que Jesus viu) e em que os gregos foram melhores, com mais do que uma oportunidade para marcar. Com o vento forte, continuei a levar com a chuva na bancada e tinha tanta vontade de estar na bancada quanto os jogadores de estar no relvado. Na segunda parte, cheguei a pensar que o jogo corria o risco de ser interrompido mas pelo menos nessa fase os jogadores mostraram alguma vontade! Depois o Roberto que conhecemos não nos falhou. Menos mal mas a adiar as decisões para o difícil jogo na Grécia;


- contra o Nacional finalmente percebi que ainda há esperança. O bom Benfica da época passada, apesar de ligado à máquina, deu alguns sinais de que ainda é possível a recuperação. Entrada forte, pressão elevada e momentos de bom futebol. O entusiasmo nas bancadas é logo evidente. Para isso, muito contribuiu Cavaleiro. Não pelo futebol jogado, que também não foi mau, mas pela ligação que conseguiu estabelecer entre as bancadas e a equipa. Os incentivos dos adeptos foram mais que muitos e isso também tranquiliza a equipa. Vitória sem margem para dúvidas;


- na sexta em Coimbra, um Benfica apático e sem dinâmica viu Cardozo fazer a diferença. Na realidade, o Benfica chegou ao dois zero sem fazer muito por isso e depois foi só controlar a partida e gerir o esforço. Parece que finalmente o Benfica sabe guardar a bola quando está em vantagem, fazendo o adversário correr atrás da bola enquanto deixa o tempo passar. Para isso muito contribuiu Ruben Amorim, que não tem capacidade para substituir Matic ou Enzo mas que se enquadra bastante bem com eles quando a táctica altera para 3 homens no meio campo. O passe para Markovic é excelente e o remate do sérvio é de génio! Já disse que estou disposto a pagar mais para vê-lo a jogar no meio?! Muito bem os centrais, fracos os laterais (Cortez péssimo talvez seja mais correto). Enzo simplesmente fantástico!
 
Com o empate do Porto, era fundamental que os próximos dois jogos corressem bem para o Benfica conseguir uma recuperação mais rápida e deixar definitivamente de estar ligado à máquina.

Sem comentários:

Enviar um comentário