21/10/2013

Sporting x Alba, Portugal x Suécia

Sporting x Alba

O jogo esperado, goleada das antigas a uma equipa dos distritais. O golo sofrido era dispensável, mas deu para que os esforçados rapazes de Albergaria-a-Velha fizessem a festa.

No conflito "rotina" (e ritmo) vs "oportunidade" (e motivação) acabou o primeiro por ganhar. Poderia não fazer sentido rodar toda a equipa, mas correr o risco de perder Adrien ou Montero num jogo destes era desnecessário. De qualquer modo, percebo a opção, foi muito tempo de paragem.

E deu para experimentar os dois PL, algo que só mesmo um jogo destes permitiria experimentar.

Portugal x Suécia

Ou Ronaldo x Ibrahimovic. Essencial a presença de ambos para as respetivas seleções: se Ronaldo não jogar, passa a Suécia; se Ibrahimovic estiver ausente, passa Portugal.

Jogamos primeiro em casa, o que permite, com um jogo sério e em que tenhamos a capacidade de nos superar, determinar como se joga a eliminatória. O clássico dichote do "ganhar sem sofrer golos" aplica-se aqui. Mas perfeito mesmo seria encarar o jogo de cá para resolver tudo, como se não fosse necessário viajar até à Suécia.

Espero que, desta vez, Paulo Bento esteja à altura dos acontecimentos. E que perceba que os dois anteriores play-off com a Bósnia resultaram de uma série de anormalidades - o normal, num play-off, é ter um lote de equipas deste nível. Isto para dizer que a imbecilidade de lutar para o play-off, como se houvesse sempre Bósnias, Eslovénias e Estónias ali à nossa espera, tem que acabar. Mas disso falaremos depois.

Por agora, que ninguém se iluda: com muito boa vontade, é 50/50. E a Europa do futebol não ficará minimamente chocada se passar a Suécia.

2 comentários:

  1. Eu ficarei chocado se a Suécia passar pois globalmente só temos melhores jogadores do que eles, mesmo com as convocatórias estranhas do Paulo Bento.

    ResponderEliminar
  2. Mike,
    Estou tentado a concordar mas, na realidade, os jogadores suecos jogam quase todos em ligas competitivas e vão encarar isto com seriedade. Quando recordo o nosso histórico recente com a Dinamarca (seleção uns furos abaixo da sueca) confesso que fico assustado. Não pelo que valem os jogadores das duas equipas (os nossos já eram melhores do que os dinamarqueses e foi o que foi) mas pela forma como nós e eles encaramos os jogos.

    ResponderEliminar