04/10/2013

Pondo a escrita em dia


1. Grande vitória em Braga no passado Sábado (que não tive oportunidade de comentar atempadamente por estar fora do país). O Sporting pode não ter feito um grande jogo mas a partir da expulsão do Aderlan foi seguro e paciente, demonstrando uma assinalável maturidade. Sinais mais, como habitualmente, para Jefferson e Montero (estou definitivamente convencido, muito boas contratações) e ainda para Maurício, que esteve muito bem. Duas notas especiais:
- a primeira para o Diogo Salomão, relativamente a quem tenho tantas vezes demonstrado desconfiança: embora tenha saído ao intervalo, creio que fez uma razoável primeira parte. Provavelmente a falta de ritmo e o facto de estarmos com 1 a mais contribuiu para a substituição;
- a segunda para o Carrillo - os adeptos têm que perceber que um jogador como o Carrillo vai perder muitas bolas, como perdia o Nani e perdiam tantos outros na idade do Carrillo. As coisas não lhe saíram muito bem, é verdade, mas tentou quase sempre da forma certa e isso, para mim, é o mais importante.

2. Excelente a arbitragem do Paulo Baptista em Braga. Um árbitro com quem normalmente não nos damos muito bem. Creio que o discurso ponderado e sereno de Bruno de Carvalho (e também Leonardo Jardim) após o jogo com o Rio Ave contribuiu, e muito, para a boa prestação do Paulo Baptista. Isto não significa que eu não acredite no "sistema" e não acredite que o "sistema" tem os seus preferidos (se continuarmos neste ritmo, mais lá para a frente acabaremos por embater de frente com este tema). Significa, apenas, que entendo que a postura permanentemente calimérica em nada contribui para mudar a situação. Veja-se, aliás, a postura do Benfica e os resultados que tem tido...

3. Não costumo ligar aos fait-divers e às trocas de bocas mas sinceramente não percebo porque diabo o Rui Costa (que me habituei a admirar e respeitar) se foi meter com o presidente do Sporting, que se limitou a dizer a habitual generalidade "os treinadores devem limitar-se a treinar". Sei que meia dúzia de bocas não fazem mal a ninguém, mas se ficar por aqui não se perde grande coisa.

4. Lesão de Jefferson - péssima notícia! Durante um mês sem o jogador que mais tem provocado desequilíbrios nos adversários sendo que a segunda opção para o lugar é... bem, nem sabemos bem quem será. Juntamente com Montero, seria o jogador que eu não queria perder nesta fase. Provavelmente, será o Marcos Rojo a ocupar o lugar, entrando o Dier para central. Veremos como corre com o Vitória de Setúbal (boa equipa, atenção!) para podermos estabilizar uma solução para o jogo no Dragão.

5. A equipa B redimiu-se da derrota em casa com o Aves e foi ganhar a Tondela. Não me preocupa particularmente que a equipa B seja ou não campeã da II Liga. Mas preocupa-me que jogue bom ou mau futebol - e uma equipa que joga pouco ganha poucas vezes. Como disse aqui em tempos o nosso leitor Mike Portugal, uma descida de divisão seria um forte rombo no projeto da equipa B. Convém que pelo menos a equipa jogue o suficiente para andar fora dessa luta.

6. Os rivais históricos continuam a jogar muito pouco mas isso não me aquece nem me arrefece. O Sporting, este Sporting, este plantel, esta equipa, tem que se preparar para lutar pelo 3º lugar. Isto não é conversa de conveniência, até porque o Futebola3 está muito longe de representar o discurso "oficial" do Sporting. É a minha opinião. Eu gosto da maioria dos jogadores do Sporting mas a categoria individual dos jogadores do Porto e do Benfica é superior. "Basta" que os ponham a jogar futebol e aquilo acaba por encarrilar.

7. No Porto, basta que o Fonseca volte a inverter o triângulo do MC. Para isso, penso que estará à espera que o Herrera mostre o que levou PC a pagar 8M€ por este jogador, porque está a ter dificuldades em substituir o Minorca. Mais difícil no caso do Benfica. Parece-me sinceramente que já estão todos fartos uns dos outros: os jogadores fartos de Jesus, Jesus farto do Benfica, os adeptos fartos do Vieira e por aí fora. Claro que isto resulta da nossa mentalidade latina, tipicamente impaciente. Convém lembrar que na Alemanha, numa fase complicadíssima, Merkel vai para o 3º mandato, algo inédito na história da democracia portuguesa (o primeiro de Cavaco foi tão curto que nem conto com ele...). Voltando ao Benfica, entendo que, no geral, o trabalho de Vieira é positivo, o de Jesus é muito positivo e os jogadores são todos eles bons ou muito bons. Mas hoje reconheço que, de facto, poderia ter feito bem ao Benfica uma mudança, fosse ela qual fosse. E a mais fácil era a do treinador, que estava em fim de contrato. Mas, como sabem os que me foram lendo, eu teria cometido exatamente o mesmo erro que cometeu o Vieira e teria renovado com o JJ...

2 comentários:

  1. Passados alguns jogos, parece que o Cedric não acusou a vinda do Piris, antes pelo contrario e a contratação deste já começa a fazer sentido.

    ResponderEliminar
  2. FCS,
    Não acusou porque manteve, e bem, a titularidade. O receio era que o Piris viesse para titular, o que face ao percurso acho que seria expectável.
    Entretanto está esclarecido um ponto em que eu não tinha razão: o Piris pode de facto jogar tanto à direita como à esquerda. O que, isso sim, confere mais sentido à contratação.
    SL

    ResponderEliminar