11/09/2013

Conversas Secretas


Divulgo, em exclusivo, as conversas secretas mantidas entre cada um dos jogadores de Portugal e Paulo Bento ao intervalo do jogo com o Brasil (sim, sou um dos poucos ainda acordados a ver o jogo):

Rui Patrício: "Mister, há aqui algo de estranho: é a primeira vez que tenho saudades da forma como se defendem os cantos no Sporting"

João Pereira: "Alguém anotou a matrícula da mota que tem passado por mim constantemente? Só vi que tem o número 10 mas não decorei o resto"

Bruno Alves: "Eu não tenho culpa, eles é que insistem em cabecear os meus cotovelos"

Pepe: "Não será melhor ligar ao Ronaldo? Acho que ele chega a tempo da segunda parte"

Coentrão: "Tendo em conta que eu sou extremo de formação, mister, não acha estranho que hoje seja o único a defender decentemente nesta equipa?"

Miguel Veloso: "Mister, deixe-me lá jogar a segunda-parte, está cá o tipo do Guinness e a continuar neste ritmo o record do maior número de passes para trás num jogo de futebol já cá canta"

Minorca: "Qual é mesmo o prémio de jogo?"

Meireles: "Não mister, acho que o meu cabeleireiro não consegue fazer nada deste género para si..."

Vieirinha: "Mas eu juro-lhe que não cheguei ao estádio agora, joguei toda a primeira parte!"

Nani: "Mister, desculpe mas não consigo concentrar-me no jogo, só me lembro do penteado do Meireles..."

Nélson Oliveira: "O que dava mesmo jeito era uma cadeirinha de baloiço e uma jola... já que não estou ali a fazer nada, ao menos descanso e bebo um caneco!"

5 comentários:

  1. Coentrão e Moutinho (vulgo, Minorca) estão muito bons.

    A verdade é que Paulo Bento (seguindo o trajecto iniciado por Queirós) conseguiu banalizar a selecção. Claro que a isto junta-se a ausência de portugueses nos 11 do Benfica e Porto o que não ajuda a construir um bom plantel.

    Com a excepção de Ronaldo (topo dos topos), Pepe, Nani e Coentrão (jogadores bons, de grandes equipas) e, logo a seguir, Patrício, Moutinho e Danny (jogadores bons), a selecção é mediana.

    E quando se vê um meio-campo incapaz e, num jogo treino no outro lado do mundo, não se fazem novas apostas, percebe-se que o caminho é mesmo aquele que se escolheu, o da merda.

    Jogadores como Ricardo Carvalho (incrível a forma como se abdicou deste grande jogador), Hugo Viana, Éder, Adrien, Martins, Custódio, Manuel Fernandes, Vítor, Josué, Miguel Rosa, Pereirinha, Carriço, Steven Vitória, Licá, já deviam ter mais minutos com a selecção.
    Os que lá estão sabem que não vão sair. E quando estão lesionados, vêem que quem os substituiu não foi sequer opção nos amigáveis. O lugar é cativo.

    Para mim, Portugal podia ser isto:

    Patrício
    Pereira; Carvalho; Pepe; Coentrão;
    Custódio (ou Veloso);
    Moutinho; Hugo Viana;
    Nani; Ronaldo; Danny (ou Postiga, para soltar mais Ronaldo);

    Mais as opções em cima enumeradas (esqueçam Sílvios, Amorins, Micaeis, Ricardo Costa, Sereno, etc), a selecção podia ser melhor.

    Mas vamos ao Mundial e tudo estará bem. Esperemos que Ronaldo se aguente e se apresente na melhor forma.

    ResponderEliminar
  2. Via o jogo e pensava "sou do tempo em que o Pedro Barbosa e o João V. Pinto se sentavam no banco"... Nem todos os actuais são maus, temos o enorme Ronaldo, há Nani, Coentrão, uns que cumprem melhor ou pior, mas não há um pingo "daquela" classe :(

    ResponderEliminar
  3. Nani esteve muito mal. Quando começou por perder as primeiras bolas simplesmente porque não queria passar para trás (não sei, parece que tem algo ainda a provar), vi que nos iria causar muitos problemas. 20 minutos mais tarde confirmava os meus receios...Claro que a culpa da derrota não está apenas nele, mas o resultado podia ter sido diferente. Acho que estamos numa fase em que simplesmente não temos jogadores do calibre que tinhamos anteriormente para preencher de forma satisfatória o onze inicial e o banco. Para além disso, Paulo Bento não tem feito um trabalho muito interessante até aqui...

    ResponderEliminar
  4. Cantinho,

    Não podia concordar mais. Tirando o caso do Neto (exceção que confirma a regra), Bento não dá oportunidades a mais ninguém. Como aqui escrevi em tempos, está a copiar o modelo Scolari do "grupo coeso" onde ninguém entra e ninguém sai. Mas esquece-se que a geração de Scolari era muito superior a esta. E apoiava-se num grande Porto (rotinas adquiridas num clube que depois eram meramente transportadas para a seleção). Ah, e tinha Deco...

    Depois, mais do que os casos Carvalho e Bosingwa (em que o selecionador foi radical mas os jogadores tiveram a sua quota-parte de responsabilidade), a implicância com Hugo Viana é incompreensível. O próprio jogador já desistiu da carreira na seleção (é assim que interpreto a escolha pelos EAU - não indo à seleção, mais vale ganhar uns trocos valentes nos últimos anos de carreira).

    Já agora, quanto ao comentário de Patrício: a seleção nacional é um susto a defender nos cantos. Já o fora na Irlanda do Norte e ontem repetiu a dose. Vamos ao Mundial? Talvez. Mas quem sofre dois golos da Irlanda do Norte em cantos tem que temer pela vida. Porque o lote dos possíveis adversários no play-off é fortíssimo.

    M., essas gerações eram superiores, isso é indiscútível. Mas Paulo Bento pouco ou nada faz para dar oportunidades a outros para além dos "óbvios". Repare que o Licá, por exemplo, vai à seleção quando chega ao FCP. O mesmo com o Josué. E vamos ver como será se o Vítor for titular do Sporting. Têm que ser sempre os clubes a dar a primeira oportunidade, Paulo Bento nunca o faz (o caso de Neto é elucidativo).

    ResponderEliminar
  5. Miguel, sem tirar nem por:

    (i) "não temos jogadores do calibre que tinhamos anteriormente para preencher de forma satisfatória o onze inicial e o banco";

    (ii) "para além disso, Paulo Bento não tem feito um trabalho muito interessante até aqui".

    ResponderEliminar