30/09/2013

Desolador

O Benfica que não convence ninguém e que não se convence a si próprio, continua aí bem evidente e parece que para durar. Na realidade, como poderia esperar uma mudança rápida para um Benfica competitivo e que colocasse finalmente em campo a superioridade evidente que tem em relação às restantes equipas do campeonato, com excepção do Porto, quando os equívocos que o colocaram nesta posição se mantêm? Como dizia Einstein "Loucura é querer resultados diferentes fazendo tudo exactamente igual". Uma vez que as semelhanças entre Jesus e o homem da relatividade se limitam à exuberância capilar, o treinador do Benfica teima em tentar colocar o Benfica no caminho do sucesso mantendo os mesmos equívocos que o desviou dessa rota. Nem sei por onde começar…



Em primeiro lugar, o mais fácil e evidente para todos. Um dos equívocos que se vem arrastando desde a pré-época e que apenas a chegada de Siqueira veio colocar em stand-by: Cortez é mau demais para ser verdade. Não só defende mal como também ataca mal, não arrasta os defesas para dar espaço aos extremos, não sai um cruzamento (neste jogo teimava em acreditar que conseguiria fazer atravessar a bola pelo corpo dos defesas adversários como se tratassem de meros fantasmas),limita-se a fazer umas simulações de corpo para depois acabar por passar a bola para o lado ou para trás e é de uma lentidão embaraçosa. Se a isto juntarmos um Maxi fora de forma (sim, estou a ser optimista), os laterais simplesmente não se transformam numa mais-valia. Contra equipas que defendem com 10 jogadores, se os laterais não têm a capacidade de criar desequilíbrios, fica muito complicado criar jogadas de perigo e os extremos acabam por ter sempre dois jogadores na sua zona de acção. Venho a pedir Cancelo desde a pré-época e, para já, até peço André Almeida a defesa esquerdo! Com estes é que não dá! Até dou permissão para inventanços e testar um Urreta com garra e velocidade a defesa direito! Estou por tudo!


Depois, Jesus quer uma táctica ofensiva e assim coloca dois avançados. Só que depois joga também com dois trincos! Não me lixem com a história de que Matic já jogou a 10 e que agora com Fejsa pode ter mais liberdade e apoiar mais o ataque. O sérvio foi o melhor jogador do campeonato a jogar a 6 por isso não troquem o homem de posição! E Enzo foi a grande surpresa do campeonato a jogar a 8?! E a dupla Matic-Enzo funcionou perfeitamente?! Os dois continuam no plantel?! Não há melhor do que eles para aquelas posições?! Então continuem lá!!! Jesus que adapte as restantes posições em vez de nivelar tudo por baixo!

Lima está completamente fora de forma. Markovic é um fora-de-série mas não rende na linha. Hello?! 1+1? É assim tão difícil de perceber?

Jogo de merda, sem oportunidades de golo, sem motivos de interesse e sem merecer a vitória. Por incrível que seja, ganharíamos o jogo se não fosse um erro da arbitragem. Mas não consigo ficar f#$%&/ com a arbitragem quando não se joga nada contra um Belenenses em casa e se tem 45 minutos para chegar ao segundo golo. O Benfica tinha que fazer muito mais. Fico muito mais revoltado com a prestação da equipa do que com os árbitros deste jogo. Assim como fico muito mais revoltado com o Proença na mesma jornada. Como dizia um amigo meu antes do início do jogo: “Para ganhar o campeonato, não basta ao Benfica ser mais forte do que as outras equipas. Tem que ser bem mais forte e mesmo assim só é campeão na última jornada.” Eu acrescento que ao Porto basta ser igual ao principal adversário (ou até ligeiramente inferior) pois as arbitragens fazem o resto como se viu contra o Guimarães.


No fim do jogo, o que me fez realmente confusão foi o encolher dos ombros que vi na maior parte dos adeptos (em primeiro lugar, fez-me confusão a fraca assistência mas também quem pode censurar quem não quer gastar dinheiro numa competição completamente distorcida?). Houve assobios mas longe de ser uma despedida hostil da equipa. E raros foram os lenços brancos. Será que é consequência dos adeptos perceberem que uma rescisão de 8 milhões não é razoável? Ou já perceberam que em nada influenciam as decisões do clube (depois de terem perdido a oportunidade de o fazer nas eleições)?

Ainda é cedo para desistir, ainda podemos dar a volta mas confesso que tenho que ir às profundezas do meu benfiquismo para conseguir resgatar um pouco que seja de fé…

24/09/2013

Começa a aquecer!

O ambiente começa a aquecer logo à 5ª jornada.

Quatro jogos polémicos (sim, são quatro), com motivações (e mediatismos!) diferentes:

1. No Sporting-Rio Ave, um penalty indiscutível, ao alcance da visão do árbitro e do fiscal-de-linha, não foi assinalado. Leonardo Jardim, e muito bem, evita desculpar-se com arbitragens porque o Sporting jogou francamente pouco (e o Rio Ave jogou francamente bem). Como fui dizendo a alguns amigos que não aceitaram as declarações do nosso treinador tão bem quanto eu, faltou só uma pequena nuance: assinalar que não comentava por se tratar de um só lance e não de todo um jogo repleto de patifarias. Pois bem, Bruno de Carvalho, com quem tenho estado 100% de acordo relativamente à postura perante as arbitragens, subiu ontem esta percentagem para 110% ao dizer precisamente isso - destaco esta parte: "quando o árbitro se enganar, desde que não seja um disparate durante o jogo todo, o que temos de fazer é jogar melhor e marcar mais golos". Há dois pontos em que a minha identificação com o presidente do Sporting é total: este tema da arbitragem e a postura perante os adversários, em particular o FCP. Nestes dois aspetos, tenho que confessar que já aguardava por um presidente assim há muitos anos.

2. No Guimarães-Benfica, diga-se em abono da verdade, a arbitragem também não foi particularmente feliz, sendo o Benfica o principal prejudicado (se aos 11 segundos Maazou fosse expulso ou pelo menos amarelado, por exemplo, creio que ninguém ficaria particularmente chocado). Mas o Benfica ganhou e tudo passaria entre os pingos da chuva não fosse o meu consócio JJ ter "perdido a cabeça". E porque "perdeu" Jesus a cabeça? Muito simples: sabendo que o início de época não está a convencer, e que tem ainda muitos adeptos contra ele, Jesus quis aproveitar o momento para se colocar, simbolica e literalmente, ao lado dos adeptos. É que, infelizmente, nem todos os adeptos do futebol (e é claro que isto não se aplica só aos do Benfica) têm a lucidez do meu amigo Gorbyn ou do blogger Ricardo (que não conheço de lado nenhum mas venho lendo há tempo suficiente para perceber que nunca comeria aquele gelado com a testa...). Os adeptos do futebol, a esmagadora maioria deles, revê-se naquele Jesus. E muitos dos que estavam contra ele ontem, hoje mudaram de opinião. É assim a bola...

3. No Estoril-Porto, tivemos arbitragem & pancadaria, num 2 em 1 a fazer lembrar os "saudosos" anos 90 e personagens tão gratas quanto, por exemplo, o enorme Pedro Morcela. Para além do erro descarado no penalty que dá o 1º golo ao Estoril, tivemos barraca no festejo dos golos. Nuno Lobo (um senhor) festejou a conversão do tal penalty, Adelino Caldeira (um cavalheiro) ter-lhe-á mandado uma berlaitada, Pinto da Costa (um mister) festejou o 2º golo do FCP com o punho cerrado na tromba do Nuno Lobo, que ainda foi insultado de tudo e mais alguma coisa e apresentou queixa. Já o presidente do Estoril assistiu a tudo mas como bom zuca quer é sambar no Carnaval e não arranjar confusões. Em suma, mais uma Caldeirada dos diabos em que, estou seguro, o Sr. Adelino certamente não terá qualquer responsabilidade. Afinal, trata-se de um tipo do melhor que há.

4. No meio disto tudo, o Braga conseguiu sair do buraco para onde se dirigia alegremente com umas arbitragens bem bacanas em 3 jogos consecutivos de que ninguém fala, porque o Caldeira, o Lobo e o Jesus ocupam as parangonas e não há espaço para o Braga. Salvador e Jesualdo agradecem 2 jogos consecutivos contra 9 e aquele penalty evidente não assinalado a favor do Arouca a 10 minutos do fim do jogo. E com isto o Braga é 2º, 1 ponto atrás do FCP, e pode passar para a liderança no Sábado. Mas ninguém se lembra disto! A "sorte" que é ter como adeptos poucos milhares de gatos-pingados e não vender jornais... Veremos no Sábado como correm as coisas.

E termino dizendo que, por mim, não me importava nada de repetir o resultado conseguido em Braga na época passada!

PS: Como bem alertou o JPDB neste comentário, o Sporting não inscreveu Evaldo, Jeffren e Labyad, o que significa que nem na equipa B podem jogar. Discordo e considero incompreensível. Em particular quanto a Jeffren, que não abriu a boca desde que começou a pré-temporada, não percebo o porquê de todo este radicalismo. Estes jogadores, goste-se ou não dos seus salários, têm algo de diferente dos que lá estão e podiam dar versatilidade à equipa (no caso do Evaldo não tanto mas recorde-se que até na pré-época foi experimentado). Basta ver que nos próximos jogos, se bem percebo, o extremo alternativo a Carrillo e Wilson (Capel fica de fora 3 semanas) será... Salomão. Enfim, espero que em Janeiro se repense toda esta situação.

23/09/2013

Valeram os 3 pontos

O jogo com o Guimarães é um daqueles momentos importantes da época em que se vence um jogo complicado, numa fase crítica, mesmo jogando bastante pouco. A equipa continua a não convencer pelo que, enquanto não estabiliza o seu jogo e não define o seu 11 mais forte, importa conseguir o essencial.

Quanto ao jogo, até à expulsão foi um jogo bastante físico e com poucos momentos de interesse. O Benfica esteve sempre mais dominador mas provocava pouco perigo. Depois da expulsão, teve o golo e pouco mais...

Destaques:
Para começar, mais uma vez o relvado de Guimarães estava num estado lastimável. Começa a ser hábito;
- Artur continua horrível a jogar com os pés;
- os laterais teimam em não trazer qualquer mais valia à equipa;
- Matic a 8 ainda não mostrou metade da qualidade que já evidenciou a 6;
- Fejsa é uma excelente contratação. Dá garra, velocidade e poder físico à equipa;
- Enzo esteve bem mas também prefiro claramente vê-lo no meio e Markovic esteve desaparecido mas também desequilibrador quando esporadicamente surgiu no meio;
- Cardozo voltou ao registo normal: não fez uma mas é dele o golo.
- Como é possível não marcar o penalty sobre Lima?! Dois foras de jogo mal assinalados quando Enzo ficava na cara do guarda-redes?! Tudo normal para um início de época...


Bom, de uma forma geral, parece-me que, com as recentes lesões, este Benfica agrega uma série de equívocos que estão a bloquear o seu potencial. A dupla do meio-campo que tão inesperada quanto eficazmente deu conta do recado na época passada, está desfeita. O melhor jogador do campeonato passado, mudou de posição. Markovic que aos 19 anos promete e muito a jogar no meio, foi encostado à linha. Percebo que a indisponibilidade de Gaitán e Salvio sejam problemáticas (podemos até incluir Sulejmani neste lote mas aqui já tenho algumas dúvidas) mas acho que Jesus está longe de tomar as melhores opções. Se fosse eu a ter a possibilidade de andar a dar safanões à polícia e sair com um abraço dos agentes da autoridade, optaria antes por:

- promover Cancelo à equipa A e apostar num verdadeiro defesa-direito que ataca como poucos. O que já o vi fazer na equipa B, abre boas perspectivas;
- jogar com Matic, Enzo e Markovic no meio. Matic é fenomenal a 6 e isso não se pode perder, Enzo é o verdadeiro box to box e Markovic é puro talento que não pode andar preso a uma linha. Fejsa terá que ser o 4º elemento que garante a rotatividade a Matic e Enzo sendo que ainda poderemos contar com Ruben Amorim. Djuricic ainda pensa que o importante é mostrar que aguenta a pressão dos adversários sem perder a bola. Anda perdido em campo pelo que tem que ficar mais tempo no forno até ser uma alternativa a Markovic;
- Nas alas arriscava, nesta fase de lesões, um desinspirado Ola John e a incógnita Sulejmani, embora preferisse recuperar Urreta e até arriscar o Ivan Cavaleiro; Gaitán demora muito?!
- Na frente Lima alternando com Cardozo.

No final, mais um episódio vergonhoso para o Benfica. Não dá para alegar rescisão com justa causa por ter um treinador que não respeita (no mínimo) a polícia mas também os seguranças que estão a fazer o seu trabalho e, desta forma, ir buscar já o gajo do Estoril?




22/09/2013

A quente

Por enquanto, só isto:
- jogámos pouco e não merecíamos ganhar;
- o Rio Ave tem de facto uma boa equipa;
- desinspiração coletiva, a começar no treinador que voltou a fazer uma substituição que passou uma mensagem negativa à equipa (mas gostei muito de o ouvir no fim do jogo, deu a cara sem subterfúgios);
- Adrien com um aproveitamento muito fraco nos passes, falhou dezenas deles;
- Martins muito previsível, principalmente na 2ª parte;
- Carrillo, que tão bem começara, a parecer um jogador vulgar;
- penalty inacreditável não assinalado a favor do Sporting (ainda mais considerando o local onde está o árbitro), que ainda assim não serve de desculpa para a perda de pontos e para o pouco que jogámos (e prova provada de que obviamente não estávamos a ser "levados ao colo").

No demais: há que ter paciência, estes resultados vão acontecer mais vezes do que queremos. Nós somos Sporting, queremos sempre ganhar. Mas este ano ainda não dá para ganhar a esmagadora maioria dos jogos. Todos o sabemos.

PS: Concordo plenamente com o Leonardo. Espero que a postura seja para manter. E se a coisa começar a inclinar, que fale o presidente.

16/09/2013

Aprender com as vitórias


De todas as vitórias conseguidas esta época, a de ontem será aquela que mais parece indicar que o Sporting está, de facto, muito diferente. Simplesmente porque, apesar de indiscutível e merecida, foi conseguida num jogo em que não jogámos particularmente bem; e porque, há que reconhecê-lo, apesar do mérito a que já aludi, beneficiámos de alguma sorte.

Em boa verdade, apesar das nossas inúmeras oportunidades desperdiçadas, não fizemos nada por aí além para as conseguir criar, apenas aproveitando a fraca qualidade do adversário - e o Olhanense teve as duas melhores e mais claras oportunidades do jogo (Diakhité de cabeça à barra, Vitor Bastos também de cabeça por cima - isto para não referir aquele lance do mau atraso do Maurício na primeira parte).

Por outro lado, convém referir que o primeiro golo é claramente em fora-de-jogo (daqueles de que me apercebi sem recurso à repetição porque reparei que Montero estava adiantado antes do livre e deu para perceber que não tinha recuado o suficiente), sem prejuízo de o Ricardo ter feito lembrar o Artur naquele famoso clássico de há 2 anos em que o Maicon também marcou em fora-de-jogo.

Ou seja, sem fazermos uma exibição de grande qualidade, aproveitámos bem os erros alheios e tivemos a sorte de os nossos erros não terem consequências por aí além.

E é este o ponto essencial: são estes jogos que os treinadores devem aproveitar para fazer crescer as equipas. Jogos em que não jogámos particularmente bem, nem estivemos particularmente bem defensivamente, mas acabámos por ganhar. Porque o ambiente nesta semana, sendo obviamente bom, permite encaixar melhor as sarabandas que o treinador será obrigado a dar. Muito em particular, o fantasma das bolas paradas voltou a aparecer. Quando tudo parecia no bom caminho (controlámos bem o Benfica que é fortíssimo nesses lances) eis que o Olhanense, um dos mais fortes candidatos à descida, põe a nu algumas das nossas fragilidades.

De resto, e resumidamente, sinais + para Jefferson, Adrien, Martins e Montero. O único sinal - preocupante (apesar da assistência para o segundo golo) vai para Wilson Eduardo, que já não tinha feito um grande jogo com o Benfica e ontem decidiu quase sempre mal, emperrou por diversas vezes o jogo da equipa e errou inúmeros passes. A propósito, revelo que tenho uma aposta em curso sobre este jogador em que arrisquei que marca esta época 10 golos (em todas as competições); mas começo a ver que o meu "adversário" nesta aposta tem razão nalgumas limitações que aponta ao Wilson, nomeadamente no plano técnico, que, diz ele, se tornam mais visíveis à medida que o Sporting vai melhorando (e os adversários vão redobrando cuidados, o que afeta em primeira instância os tecnicamente menos dotados). Espero que o Wilson corresponda à aposta que fiz nele e saiba defender-se bem das acrescidas dificuldades que pode vir a encontrar.

Próximo adversário: Rio Ave. Em princípio, com o 11 habitual ou perto disso. E porque digo isto? Porque se é verdade que temos tido sorte no julgamento dos foras-de-jogo, convém dizer que não temos a sorte de jogar frequentemente contra 9 nem a sorte de defrontar na jornada seguinte equipas reduzidas a 9 na jornada anterior...

13/09/2013

Muito bem BC!


Tentarei ao longo do dia desenvolver algumas ideias sobre o resumo ontem publicado no Jornal Sporting relativamente à atuação da SAD durante a pré-época. Tinha dito há uns dias que a iniciativa me parecia muito boa, partindo do pressuposto de que a montanha não iria parir um rato. Pois bem: a montanha não pariu um rato, muito pelo contrário. Eu esperava um resumo com valores globais (por exemplo, totais pagos em rescisões por mútuo acordo), mas foram indicados valores por operação, o que é mais do que eu esperava.

Por ora, quero apenas dizer o seguinte (do melhor para o pior):
- a iniciativa é notável, a todos os títulos;
- a informação é esclarecedora e é relevante para os sócios perceberem o trabalho que está a ser feito;
- a informação é objetiva - não há qualquer comentário despropositado ou processo de intenções;
- apenas considero dispensável a última coluna com a separação "actual direcção/compromissos assumidos por anteriores direcções" - até quando se vai continuar a trabalhar por referência, ainda que mínima, a quem lá estava antes?

Como já disse, tentarei aqui desenvolver algumas ideias. Mas quem subscreve ou compra o jornal Sporting, certamente dispensará o meu post ou outros sobre o tema.

Recomendo vivamente a leitura do Jornal. Está lá tudo, nas páginas 2 e 3.

12/09/2013

Jornal Sporting

Percebi agora ao ler o site do Sporting que saiu hoje no Jornal Sporting aquilo que corresponde, verdadeiramente, ao tal comunicado que designei "à BC".

Uma vez que sou subscritor do Jornal, já o devo ter na caixa do correio. Logo à noite vou ler atentamente.

Mas fico sinceramente satisfeito pela divulgação de dados exatos e concretos sobre as medidas tomadas durante esta pré-época.

11/09/2013

Conversas Secretas


Divulgo, em exclusivo, as conversas secretas mantidas entre cada um dos jogadores de Portugal e Paulo Bento ao intervalo do jogo com o Brasil (sim, sou um dos poucos ainda acordados a ver o jogo):

Rui Patrício: "Mister, há aqui algo de estranho: é a primeira vez que tenho saudades da forma como se defendem os cantos no Sporting"

João Pereira: "Alguém anotou a matrícula da mota que tem passado por mim constantemente? Só vi que tem o número 10 mas não decorei o resto"

Bruno Alves: "Eu não tenho culpa, eles é que insistem em cabecear os meus cotovelos"

Pepe: "Não será melhor ligar ao Ronaldo? Acho que ele chega a tempo da segunda parte"

Coentrão: "Tendo em conta que eu sou extremo de formação, mister, não acha estranho que hoje seja o único a defender decentemente nesta equipa?"

Miguel Veloso: "Mister, deixe-me lá jogar a segunda-parte, está cá o tipo do Guinness e a continuar neste ritmo o record do maior número de passes para trás num jogo de futebol já cá canta"

Minorca: "Qual é mesmo o prémio de jogo?"

Meireles: "Não mister, acho que o meu cabeleireiro não consegue fazer nada deste género para si..."

Vieirinha: "Mas eu juro-lhe que não cheguei ao estádio agora, joguei toda a primeira parte!"

Nani: "Mister, desculpe mas não consigo concentrar-me no jogo, só me lembro do penteado do Meireles..."

Nélson Oliveira: "O que dava mesmo jeito era uma cadeirinha de baloiço e uma jola... já que não estou ali a fazer nada, ao menos descanso e bebo um caneco!"

10/09/2013

Notas finais da pré-época... e bola "prá" frente!


Disclaimers:

1. Nunca fui apoiante de BC, pelo simples motivo de que não sou apoiante de ninguém no Sporting. Sou apoiante do Sporting.

2. Em 2011 não votei BC, votei naquele que me parecia ser o mais interessante projeto desportivo, o de Dias Ferreira (hoje, com distância, vejo que o único realista era, provavelmente, o de Abrantes Mendes).

3. A propósito da eventual organização de um Congresso, tive um encontro com BC em Janeiro de 2013 em que tivemos uma longa conversa sobre o momento do Sporting. Fiquei na altura com uma ideia muito diferente da que tinha relativamente ao "candidato BC 2011".

4. Nas eleições de 2013 assumi, juntamente com outros sócios, o compromisso de não-envolvimento no processo eleitoral em virtude de uma proposta apresentada a todas as candidaturas relativamente, uma vez mais, à eventual organização de um Congresso.

5. Durante a campanha eleitoral, tive novo encontro com BC (e com os restantes candidatos), mais uma vez sobre o tema "Congresso", em que BC se revelou não só disponível para organizar o Congresso como também apoiante de algumas das ideias que sugeríamos discutir.

6. Ainda não estou seguro que o comunicado a que se referia BC seja a comunicação à CMVM realizada na última 6ª feira porque essa comunicação, na realidade, não detalha o que foi feito nos muitos casos resolvidos. Eu estava à espera de um comunicado "à BC", com mais detalhe sobre cada um dos tais 25 casos resolvidos. Pode ser que não me engane e ainda tenhamos esse comunicado produzido esta semana.

Isto dito, vamos às muito breves notas finais da pré-época, começando com uma ideia muito simples: para um resultadista, como eu sou, o balanço do que se conseguiu até agora tem que ser positivo; mas relativamente à estratégia desportiva, creio que ainda teremos que esperar uns anos para ver como estamos.

1. Estratégia

Já abordei o tema aqui e não mudei a ideia que então tinha. Não vou repetir os argumentos, vou apenas referir que mantenho algumas dúvidas quanto à estratégia de BC no médio prazo. Mesmo a renovação de contratos com os jovens da formação gera algumas questões, que colocarei noutro post.

Conclusão: a rever. Creio que só com o decurso de uma ou duas épocas poderemos tirar alguma conclusão mais precisa.

2. Organização

Houve falhas de organização nesta pré-temporada, como abordei aqui. A Taça de Honra, se aproveitada de outra forma pelo Benfica, poderia ter sido um golpe duro na nossa auto-estima. Este aspeto, no próximo ano, deve ser corrigido. No demais, não tenho muito a apontar. Fizemos mais jogos do que no ano passado e os adversários permitiram testar as nossas virtudes (e confirmá-las) e as nossas debilidades (e corrigi-las).

Uma vez que o tema da Taça de Honra foi salvo pelo resultado, a nota é positiva. Mas gostaria de ter um derby minimamente sério no próximo ano.

3. Construção do plantel

Com uma ou outra nota de dúvida ou precipitação (Welder, Cissé, eventualmente Magrão), o Sporting reforçou as posições em que estava necessitado. Agradou-me particularmente Vítor que veio trazer aquilo que eu próprio pedia para o nosso MC (e que pensava que estava subjacente à contratação de Magrão). Quanto a Piris, não entendo, pelas razões que antes referi. As dúvidas estão, precisamente, nos lugares de reserva que podiam ter sido resolvidos com jogadores da formação (implicaria voltar a discutir a estratégia).

A nota é positiva, mas convém dizer que estamos numa fase em que tiros ao lado se pagam muito caro. Para o ano, temos que ser ainda mais cirúrgicos, como dizia BC, nas contratações. E não esquecer quem está este ano na equipa B.

4. Escolha dos reforços

Parece-me que houve critério na escolha dos reforços. As exceções serão, uma vez mais, Welder e Cissé (uma vez mais: eventualmente Magrão). Jefferson tem correspondido, Maurício tem sido uma agradável surpresa, Montero mais do que isso. Quanto aos "recuperados", a integração de Wilson tem corrido bem e a de William Carvalho (outra surpresa) ainda melhor. Vamos aguardar por Slimani (parece-me que foi contratado quando se percebeu que Cissé não tem ainda andamento).

Nota positiva.

5. Bruma, Ilori e Dier

Trato estes casos separadamente porque me parece relativamente unânime que, de todos os jogadores lançados o ano passado, são os mais promissores.

Quanto a Bruma, a abordagem inicial foi arrogante e precipitada, o que causou o processo na CAP. Mas o Sporting ganhou o processo e acabou por resolver bem o tema. Nada melhor do que aprender com os erros quando os resultados são positivos. É isso que espero que aconteça.

Já no que respeita a Ilori, creio que se cometeu precisamente o erro que aqui fui referindo diversas vezes: tratá-lo como mais um. Terá sido proposta a Ilori um contrato até 2018 ou 2019 com a tal cláusula de 45 ou 60 milhões. Percebo que um jogador com ambição de sair (ainda que guardasse essa ambição para depois) e que já tem propostas de fora (ou seja, já sabe que tem mercado) não aceite este tipo de contrato. O tema não foi inicialmente abordado da forma mais aconselhável, muito embora a transferência tenha acabado por realizar-se por valores razoáveis.

Quanto a Dier, aguardemos. Há contrato até 2016. Tratá-lo como os outros é, como já disse, errado.

Veremos se BC aprendeu algo com os casos Bruma e Ilori. Isto, claro, se quer ficar com jogadores desta qualidade e transferi-los, sim, mas mais tarde e por valores "a sério". Não posso dizer que o balanço é positivo porque o objetivo deveria ter sido o de conservar os jogadores e as estratégias utilizadas conduziram, como se vê, a um resultado diverso. Isto sem prejuízo de considerar igualmente que, face às circunstâncias, um encaixe de aproximadamente 20M€ não deixa de ser positivo.

6. Dispensados

O balanço só poderia ser feito se percebêssemos a modalidade utilizada: "cheque&vassoura" by Luís Duque ou "negociação até ao último cêntimo" à la BC. Não sabemos.

O que sabemos é que ficaram alguns casos por resolver. E que estes temas, mesmo os entretanto resolvidos, foram deixados para o fim, eventualmente ao abrigo da estratégia "antes quebrar que torcer". Eu não o teria feito assim mas obviamente não conheço ao pormenor o contexto em que vive o Sporting e também não sei se havia disponibilidade financeira para resolver em Julho todos os casos complicados.

Parece-me, igualmente, que o comunicado de hoje vem mais uma vez lançar para a fogueira alguns toritos de lenha desnecessários. Alguns destes jogadores frequentam o balneário onde estão todos os outros, convirá não esquecer.

Preocupam-me em particular os casos de Jeffren e Labyad, jogadores que, com outra gestão mediática dos processos, poderiam ser reintegrados nos trabalhos da equipa A e até, quem sabe, ser úteis no futuro (imaginemos que Capel sai em Janeiro... será que se Jeffren estivesse integrado - e motivado - poderia ser uma boa alternativa?).

Mas não deixo obviamente de reconhecer que foram resolvidos diversos casos complicados (com Boulahrouz e Pranjic à cabeça).

***

Contas feitas, como já disse, entendo que o balanço é positivo. E que temos condições para ficar em 3º lugar, fazendo uma boa época. Para as épocas seguintes, fica a dúvida: qual o objetivo das inúmeras renovações e dos contratos de longo prazo?

Resta saber como vamos reagir às primeiras complicações. O discurso tem sido no sentido de preparar esse embate, e muito bem.

Tenho gostado muito das palavras de Leonardo Jardim, da discrição de Inácio e da mais recente postura de BC, menos interventiva mas mais assertiva.

Um ponto essencial: goste-se ou não do estilo, há uma liderança clara no Sporting. Temia pelos papagaios mas BC impôs uma ordem que há muito não se via. Ele é o líder, espero que o seja também nos maus momentos (e confio que o será). Louvo-lhe a coragem (ou inconsciência!) de pessoalizar todos os temas, pelo que tal implica em termos de responsabilidade.

Da minha parte terá sempre todo o apoio desde que dê a cara (e vai dar, não duvido).

07/09/2013

Bentos de discussão


1. Comecemos pelo indiscutível: creio que não há hoje dúvidas de que Cristiano Ronaldo é o melhor jogador português de todos os tempos. E a nível internacional será, provavelmente, o jogador mais completo de todos os tempos. O que não significa ser o melhor do mundo hoje, essa parte já é mais discutível. Mas, por favor, nem se atrevam a comparar este super-craque com o "desayunero" Sr. Luís Figo (sim, acabei de inventar "desayunero"). Há coisas que nem a democracia pode tolerar.

2. Discutível: a insistência de Paulo Bento naquele meio-campo sem rasgo. E quanto a Vieirinha, OK foi giro, correu bem com a Rússia mas Nani... é Nani. Acho é que ontem Bento mexeu sempre bem a partir do banco.

3. Mais do que discutível: os looks de Miguel Veloso e Raul Meireles. Acho que nunca aqui comentei estes temas mas toda a gente viu Patrício e Ronaldo a cantar o hino sem conseguir conter o riso com o look de Meireles...

4. Volto ao indiscutível: das piores arbitragens que já vi, que árbitro tão fraquinho.

5. Espero que Rússia e Israel empatem na próxima terça-feira!

05/09/2013

O comunicado e notas sobre os rivais

1. Bruno de Carvalho anunciou ontem que no final desta semana será feito um comunicado em que serão explicados os casos resolvidos ao longo do defeso. Percebe-se a espera: há esperança na resolução dos casos de Evaldo, Labyad, Jeffren e Bojinov até amanhã. Quanto à iniciativa, e partindo do pressuposto de que a montanha não irá parir um rato, parece-me muito boa. Aguardemos então pelo comunicado para um balanço finalíssimo.

2. É certo que JJ, no final da época passada, foi um dos responsáveis pelo arrastamento do Benfica para um terrível pesadelo. É também certo que JJ, neste início de ano, tem cometido alguns erros que parecem demonstrar alguma desorientação. É igualmente certo que os sócios e adeptos do Benfica estão divididos quanto ao apoio a JJ. Mas eu insisto que o homem faz milagres. Porque a gestão das últimas pré-épocas do Benfica não faz qualquer sentido e o Benfica, ainda assim, disputa campeonatos até ao final e tem feito campanhas europeias notáveis. Graças ao futebol que pratica (mérito de JJ) e à capacidade do treinador de inventar recursos onde não os há (o ano passado fez de Melgarejo defesa esquerdo, fez de Enzo médio-centro, compatibilizou Lima com Cardozo e "apenas" transformou Matic num médio-defensivo ao nível dos melhores da Europa). Nesta pré-época, apesar de o Benfica ter aparentemente investido onde efetivamente precisava (DE, alternativas a Matic e Enzo), fica ainda assim muita coisa por perceber: o caso Cardozo, as contratações de Pizzi, Fariña e Lisandro, o empréstimo de Silvio - aparentemente - já lesionado, as não inscrições de Cortez e Funes Mori (e são apenas alguns exemplos). Se JJ no meio disto tudo voltar a disputar o campeonato e fizer campanha europeia ao nível das anteriores, seja qual for o ambiente no balneário, não há como negar o mérito do treinador. Isto dito, os benfiquistas querem títulos e se JJ nada ganhar vai à vida dele. Mas a continuarem com esta organização, vamos ver que treinador consegue fazer o que JJ fez no Benfica.

3. Em contraponto, este ano o FCP fez uma pré-época muito tranquila (salvo aquela derrota azarada com o Galatasaray onde o FCP falhou dois penalties). Vendeu cedo e por valores suficientes para se organizar calmamente depois. Contratou/reintegrou jogadores para as posições em que efetivamente estava necessitado (DD/DE, MD, MC, EE/ED, AV) - isto sem prejuízo do habitual contentor de contratados para emprestar, seguindo uma estratégia que há muito conhecemos e de que já falei aqui várias vezes (a ver vamos se em Janeiro o Carlos Eduardo, por exemplo, não acaba a reforçar o necessitado Paços de Ferreira). E estava a jogar muito bem. No entanto, deixem-me dizer o seguinte: quer em Setúbal, quer em Felgueiras contra o Paços de Ferreira, aquilo não foi nada fácil. E se em Felgueiras o Jackson desperdiçou algumas 5 claras oportunidades de golo, em Setúbal na primeira parte o Porto tremeu e muito (este ano estou a gostar muito do Vitória e já o tinha dito antes de ganharem 4-1 em Guimarães). Claro que o FCP, como todos sabemos, beneficia da sorte de nunca ser prejudicado por arbitragens (o que é diferente de ser beneficiado por elas - o que às vezes também sucede, juntando-se a fome à vontade de comer). Mas a jogar como jogou em Setúbal, antecipo que o FCP vai perder mais pontos do que no ano passado. Ainda assim, é o grande favorito à vitória final.

4. Quanto ao Braga - que antecipo seja o rival direto do Sporting na luta pelo 3º lugar - começou muito bem (já na pré-época tinha estado bem e inclusivamente tinha ganho ao Sporting) mas um jogo arrogante e desleixado contra uns romenos de 2ª linha parece ter feito abanar toda a confiança, ao ponto de perderem em Barcelos contra um Gil Vicente a jogar com 9 (sendo o golo marcado num lance de bola parada em que estão 8 jogadores do Braga dentro da área e 2 do Gil Vicente...). Se o Braga não endireitar rapidamente, e nós continuarmos neste ritmo de evolução, creio que teremos melhores hipóteses do que o Braga na luta pelo 3º lugar. Disso dependerá - e muito - a nossa capacidade de reagir às derrotas (e elas vão surgir, como é óbvio). Que o Braga reagiu muito mal, disso não tenho dúvidas.

03/09/2013

Fecho de mercado Parte II - Reforços, Encalhados, Transferidos e Duvidosos [mas continua a faltar a Rússia e a Turquia]

REFORÇOS

Surpresa ao final do dia com o anúncio de Vítor e Piris (e ainda um brasileiro, Everton, para a equipa B e a renovação com o ex-junior Wallyson).

Se o primeiro surpreende (porque parecíamos ter ali várias opções com Martins, o contratado Magrão e o jovem Chaby) mas acaba por agradar por se tratar de um bom jogador, o segundo confesso que além de surpreender me deixa apreensivo:

a) será que Cedric vai mais uma vez ser relegado para o banco (num ano em que temos todas as condições para fazer crescer os jogadores e viver com os erros deles - sim, gosto muito do Cedric, mas obviamente comete erros)?

b) alguém se lembra do Welder?

A menos que Piris possa fazer outras posições no campo, algo que, pelo que fui investigando, nunca terá sucedido. Esta gostava mesmo de perceber melhor.

ENCALHADOS

Evaldo, Boulahrouz, Jeffrén, Bojinov, Labyad, Golas, Owusu, Stojanovic - estes são os casos que ficaram por resolver.

Duas dúvidas, a primeira estratégica e meramente especulativa, a segunda genuína:

a) será ainda possível colocar estes jogadores nos mercados turco ou russo (sendo que as inscrições para a UEFA, se não estou em erro, fecham hoje)? Difícil...

b) o Sporting ainda pode inscrever, por exemplo, Golas, Evaldo, Stojanovic, Jeffren e Labyad (quanto aos outros creio que a questão nem se coloca)?

TRANSFERIDOS [COM EDIÇÃO]

Brumao Sporting comunicou a venda por 10M€ + 3M€ e ainda 25% da mais-valia. Face às circunstâncias, o negócio é bom. Poderíamos voltar a falar das circunstâncias e do que nos conduziu até aqui mas a meu ver seria contra-producente. Já tudo foi dito, já tudo foi debatido. 10M€ na conta e bola para a frente. Que o Sporting e os seus dirigentes retirem deste caso as consequências devidas é o que desejo.

Ilori - Oficial no Liverpool por 7.5M€ mais 25% de futura venda. É o negócio possível, como ontem disse. À imagem de Bruma temos que olhar para a frente: 7.5M€ na conta, vamos ver quanto mais no futuro, bola para a frente.

Zezinho - Foi emprestado ao Veria da Grécia. Duvido que conte para o projeto de BC/Inácio/Jardim.

Rubio - Foi emprestado ao Pandurii da Roménia, mas pela cláusula de opção de 10M€ (dificilmente exercível) parece contar mais do que eu pensava. Para o ano provavelmente estará de volta.

Plange - Resolução amigável, assinou pelo Vitória de Guimarães, retemos 50% dos direitos económicos. Solução compreensível.

DUVIDOSOS

Rui Patrício - salvo abordagens da Rússia ou da Turquia, fica em Alvalade.

Capel - idem.

PLANTEL

Atendendo às últimas novidades, tudo indica que será assim:

GR: Patrício e Marcelo
D: Cedric, Piris, Jefferson, Maurício, Rojo, Dier
M: William, Rinaudo, Adrien, Martins, Magrão, Vítor
E: Carrillo, Wilson, Capel, Salomão
A: Montero, Slimani, Cissé

De prevenção deverão estar:
- para a defesa: Welder, Nuno Reis, Ruben Semedo, King/Mica
- para o meio-campo: Fokobo, João Mário, Chaby
- para as alas: Iuri Medeiros
- para o ataque: Betinho

02/09/2013

Fecho de mercado, dia cheio, plantel fechado? [mas falta a Rússia e a Turquia]

Eis as principais novidades, incógnitas e conclusões:

Evaldo - ?

Boulahrouz - tudo aponta para a cessação do contrato por acordo, o importante é resolver o tema, seja como for.

Jeffrén - tudo aponta para um empréstimo ao Espanyol com opção de compra, resta saber quem suporta os salários (e a serem verdadeiras as limitrações físicas, como vai passar os testes médicos).

Bojinov - caso igual ao do Boulahrouz.

Labyad - pode assinar pelo Ajax, aguardemos para ver em que condições.

Bruma - tudo aponta para Galatasaray por 12M€ mas como o mercado turco só fecha no fim da semana, pode acontecer que o tema se prolongue para além do dia de hoje. Aguardo pelo fim do tema para um comentário final. Mas acho que para o Bruma (e para o Sporting) ainda havia condições para renovar contrato. Atualização: o Record assegura que o negócio está fechado mas não dá detalhes...

Ilori - Oficial no Liverpool por 7.5M€ mais 25% de futura venda. É o negócio possível, já aqui abordei as dúvidas sobre este tema no que respeita à abordagem inicial. Um ponto a favor do jogador e do seu empresário: de que me lembre, nunca vieram para a praça pública pressionar. O Sporting entenderá que tem outras opções (?) e esta transferência, por exemplo, terá facilitado a renovação do Carlos Mané. Enfim, é o que é: gostava de manter o jogador mas o jogador não queria ficar. E o que nasce torto tarde ou nunca se endireita...

Rui Patrício - ao que tudo indica, vai ficar em Alvalade.

Capel - ao que tudo indica, vai ficar em Alvalade. Estranha aquela conversa com JJ no final do derby ambos com as mãos a tapar a boca... de que falavam?


Zezinho - incluído nesta lista porque ao que tudo indica será emprestado ao Veria da Grécia. Algo a ver com o tema Bruma?

Rubio - incluído nesta lista porque supostamente andou a treinar com o Pranjic e o Boulahrouz com a supervisão do Vidigal, algo que estranhei e ainda não consegui perceber. Também estaria a caminho do Veria da Grécia mas o processo não avançou. Sai? Fica na B? Atualização: Rubio no Pandurii por empréstimo com opção de compra de 10M€.

Outros - o que vai acontecer/aconteceu a Golas, Plange (Vitória de Guimarães?), Owusu e Luka Stojanovic? Atualização: Plange confirmado no Vitória de Guimarães, Sporting retém 50% dos direitos económicos. Não conheço suficientemente o jogador mas face à idade que tem percebo que não se enquadrasse na lógica dos restantes que renovaram contrato. Percebe-se a opção.

PLANTEL

Atendendo às últimas novidades e às convocatórias deste início de época, tudo indica que será assim:

GR: Patrício e Marcelo
D: Cedric, Welder, Jefferson, Maurício, Rojo, Dier
M: William, Rinaudo, Adrien, Martins, Magrão, Chaby
E: Carrillo, Wilson, Capel, Salomão
A: Montero, Slimani, Cissé

De prevenção deverão estar:
- para a defesa: Nuno Reis, Ruben Semedo, King/Mica
- para o meio-campo: Fokobo, João Mário
- para as alas: Iuri Medeiros
- para o ataque: Betinho.

Sejamos realistas: temos limitações na defesa e nas alas que são evidentes (sim, é verdade, mantenho desconfianças quanto ao que o Salomão pode fazer) e não há um substituto para o Adrien (eventualmente o João Mário mas até na B tem sido suplente...).

O objetivo não pode ser mais do que o 3º lugar.

Curiosamente, acabámos de vender dois jovens jogadores em posições onde entendo que o plantel não é suficientemente competitivo. Prova de que BC tinha esperança em mantê-los? Teremos novidades (entradas) até ao final do dia?

Aguardemos. Tentarei que o post esteja em permanente atualização.

01/09/2013

A confirmação

Não foi surpresa nenhuma. Apenas confirmou a tendência dos últimos jogos que ainda foi disfarçada pelo milagre dos descontos. Por muita esperança que os benfiquistas tenham de que finalmente Jesus abrisse os olhos e ver o que já começa a ser evidente para muitos ou, ainda menos razoável, que alguns jogadores atingissem um nível que simplesmente nunca conseguirão atingir, a verdade é que apenas consigo concordar com Jesus quando ele diz "Está tudo normal".

Está tudo normal quando uma equipa de milhões não consegue vencer um Sporting com uma equipa de tostões porque insiste em erros que não são de hoje:
- já tinha referido em posts anteriores como achava impressionante Jesus ainda não ter percebido que Lima e Rodrigo simplesmente não são compatíveis. Em Alvalade, manteve o erro;
- apesar da diferença de qualidade existente entre os dois plantéis, era necessário respeitar a liderança, confiança e motivação com que o Sporting ia para o derby, ainda para mais com as bancadas lotadas e com a euforia em alta. Jogar com apenas um avançado era a solução mais prudente, pelo menos para uma fase inicial do encontro. Não podendo ser Markovic, que fosse Gaitán, Djuricic, Ruben Amorim ou André Gomes;
- os laterais estão completamente horríveis! É um desespero vê-los tanto a defender como a atacar. Se para o lado esquerdo não vejo qualquer solução possível, para o lado direito tem que se arriscar em Cancelo imediatamente!;
- Jesus já se estava a imaginar numa golpada a dizer: "senti que Cardozo estava confiante, que queria responder com golos e felizmente tomei a decisão de o colocar em campo para fazer o que melhor sabe". Sim, eu próprio também disse que seria o derradeiro "golpe de teatro" em toda esta peça que já vai longa. Mas vamos ser razoáveis. Estamos a falar de um jogador que necessita estar em forma para ser útil à equipa. Com meia dúzia de treinos, era pedir demais ou esperar o improvável...



Quanto ao jogo, foi efetivamente uma primeira parte inteiramente do Sporting. Com poucas ocasiões de golo mas muitos cantos e livres indirectos. Se Jardim apontou que o Benfica foi superior nas faltas cometidas, não deixa de ser verdade que algumas vezes os jogadores do Sporting caíam sem falta mas logo se ouvia o apito. Neste capítulo e apesar do Benfica apenas se dever queixar de si próprio, é inegável o fora-de-jogo de Montero no passe anterior ao golo (Luisão hoje posso ser eu a insultar-te por te esqueceres da marcação?) e, apesar de não ser um penalty evidente, a gravata a Cardozo efectivamente existe. Na segunda parte, o Benfica teve uns 10/15 minutos de domínio antes do golo mais 10 minutos depois do golo em que pensei que ainda íamos vencer a partira. A seguir e surpreendentemente, deixou o Sporting controlar o jogo e não fez mais perigo. É claro que as lesões também condicionaram bastante Jesus mas não deixa de ser uma grande desilusão ver este Benfica. Tenho a impressão que, esta época, o meu Red Pass apenas vai valer a pena pela oportunidade que me dá de ver um jogador como Markovic várias vezes ao vivo. Se já tinha dito que o sérvio era, sem sombra de dúvidas, craque, ver um golo daqueles, num derby, de um miúdo de 19 anos (e ficou por marcar outro alguns minutos antes numa jogada parecida) é de loucos!


Primeiras notas do derby

1. Grande entrada com o estádio a ajudar (grande ambiente). Golo muito bem construído: boa intervenção de Montero (com um fora-de-jogo que ninguém percebeu - e ninguém reclamou na altura), grande visão de André Martins. Primeira parte bem controlada com exceção de um lance (Cortez sozinho na esquerda, Salvio desperdiçou). Benfica só criou perigo com lances de bola parada, em particular lançamentos laterais.

2. Grandes exibições dos dois GR, Artur principalmente. Decisiva exibição do brasileiro para ganhar a confiança que parecia perdida. Patrício a salvar em dois lances na mesma jogada.

3. Sinais mais no Sporting para Jefferson, Adrien e Montero; no Benfica para Matic e Markovic.

4. Curiosa a intervenção dos treinadores no resultado. Sou o fã n.º 1 de Jardim e na altura percebi a substituição, mas a verdade é que Wilson por Dier passou uma mensagem de recuo que infelizmente foi ouvida... e no final custou a perceber que o Benfica não ia mesmo sair a atacar e que o jogo era nosso (quando eu e muitos outros gritávamos da bancada desde o minuto 70 que eles tinham rebentado e o meio-campo nada construía); quanto a JJ, se tem lançado Sulejmani (ou mesmo Djuricic) por Gaitán, mantendo a tática, provavelmente teria conseguido vencer o jogo. É que Cardozo assustou, sim senhor, pelo efeito psicológico de já ter marcado 10 golos ao Sporting; mas a partir do minuto 70 foi um jogador a menos (está com uma pança maior do que a minha - sei que a maioria dos leitores não me conhece pessoalmente, mas o Gorbyn, insuspeito benfiquista, poderá confirmar que isto não é positivo num profissional de futebol).

5. O Benfica - este Benfica - jogou pouco para a equipa que tem. Quando Markovic foi a correr buscar a bola logo após o golo em vez de festejar com os colegas ou os adeptos, pensei para comigo que iríamos repetir o filme de terror da época passada. Mas não. Houve o natural entusiasmo pós-golo mas a partir dos 70 minutos não houve Benfica. A meu ver porque estavam a jogar com um a menos, como já referi (e o Lima e o Rodrigo demoravam uma eternidade a recuar). Faltaram claramente as pernas.

6. Markovic é um grande jogador. Se o JJ me tivesse dado ouvidos e o lançasse de início, teria sido pior para nós. A maior diferença entre os planteis, neste momento, é esta: o Benfica perde 3 dos melhores jogadores e saca do banco 1 boa alternativa (Ruben Amorim), 1 craque (Markovic) e o melhor marcador estrangeiro da história do Benfica. Se nós perdêssemos, paralelamente, Adrien, Carrillo e Wilson as alternativas certamente não teriam a mesma qualidade. Isto sem prejuízo de também considerar o 11 do Benfica superior ao nosso neste momento. Mas a diferença do banco era gritante.

7. Montero convenceu-me uma vez mais. Não pelo golo mas pelas inúmeras bolas que segurou, distribuiu e passou (não esquecer que é ele próprio que faz o passe que antecede o golo). Claro que marcar golos também dá muito jeito, em especial nos derbies (há avançados que só marcam aos pequenos...). Mas participa no jogo coletivo da equipa e ainda finaliza bem. Muito boa contratação.

8. Leiam bem: o Sporting não perdeu nada por empatar com o Benfica em casa, mas o Sporting não é candidato ao título.

[os PS seguintes são aditamentos que fui fazendo à medida que comecei a ver os resumos dos jogos e alguns comentários]

PS: Acabo de ouvir JJ falar de arbitragem. Jorge, és meu consócio, um grande treinador e tenho muito respeito por ti. Mas depois do que aconteceu no ano passado, lamento, não podes falar de arbitragens este ano. Ainda mais se o adversário é o teu Sporting (e te esqueces que o Maxi Pereira, para não variar, acabou o jogo).

PS2: JJ na conferência de imprensa dá a entender que o recuo final do Benfica se deveu a respeito pelo Sporting "candidato ao título". Só acredita nesta tanga quem quer.

PS3: Já me tinham dito que o Cedric é um jogador com perfil de líder e que poderia ser facilmente o capitão de equipa. Que grande categoria e classe agora nesta entrevista na zona mista.

PS4: Já não me lembrava mas houve um momento em que terei sugerido que o Montero não seria tudo o que dele disse no post: aquele momento em que ele, com a mão, tira um golo certo ao Carrillo...

PS5: É verdade que a primeira substituição do Jardim foi defensiva (e correu mal); mas dizer, como já li por aí, que o Sporting acabou o jogo a "defender o resultado" revela um problema que recomendo seja resolvido aqui.