30/08/2013

Update (vários casos resolvidos) e Derby

Sei que disse em comentário no último post que só iria fazer o balanço deste final de mês na próxima semana, face ao permanente avolumar das notícias. Mas uma vez que queria deixar duas notas sobre o derby, faço rapidamente um update dos temas que estavam por resolver:

Turan - transferido a custo 0, mantemos 40% do passe, foi o possível.
Evaldo - ?
Boulahrouz - ?
Onyewu - rescisão com nota simpática de despedida, solução muito melhor do que um despedimento.
Pranjic - outra rescisão com nota simpática de despedida, a meu ver solução melhor do que a do empréstimo mesmo que no imediato seja mais cara.
Jeffrén - ?
Bojinov - ?
Labyad - arrepende-se de ter saído cedo demais do PSV, seria bom que ligasse ao Bruma a explicar porquê.
Bruma - Gala por 12M€ ou renovação (segundo parece tem contrato até 15/16, será mesmo assim?).
Ilori - parece certo no Liverpool. Se for mesmo por 9.3M€, não retirando uma vírgula ao que sempre disse (devia ter sido alvo de uma abordagem prioritária), não deixo de reconhecer que é um bom negócio (creio que, entre compras e vendas, é o central mais caro da história do Sporting).

Quanto ao presidente BC, apenas um comentário: estava à espera de todas estas notícias de rescisões, com exceção do André Santos, desde Maio; contudo, mais vale tarde do que nunca.

Duas notas quanto ao derby:

- o futebol é o momento e o nosso é aparentemente melhor do que o deles. Será que o nosso melhor momento chega para derrotar a (objetivamente melhor) equipa adversária? Temos que ser cautelosos, preparar bem o jogo e por de lado excessos de confiança. O adversário é mais forte. Ponto. Temos que controlar as suas forças e aproveitar as suas fraquezas (também as há). É possível ganhar, claro que sim, mas se a sobranceria dos mais fortes tem efeitos normalmente perniciosos, o que dizer da sobranceria dos que nem sequer são mais fortes (e tenho visto alguma por aí)?

- aconteça o que acontecer amanhã, o Sporting deve manter uma linha de pensamento igual à que mantinha até aqui. Quero ganhar e acredito que é possível. Mas da mesma forma que espero que uma eventual derrota (vade retro!) não abale a ideia (de futebol) que se estava a construir, espero também que uma vitória não arraste para a euforia um grupo de jogadores que tem ainda muito para crescer antes de pensar em vôos mais altos.

E venha o Derby!

Sem comentários:

Enviar um comentário