21/08/2013

O melhor reforço da temporada


Não tive a possibilidade de ver em direto o jogo do Sporting com o Arouca. Em dia de aniversário do meu Pai, a quem aliás devo o meu sportinguismo, a prioridade foi o convívio com a família.

OK, a história não é bem assim. Tanto eu como o meu Pai, principalmente o meu Pai, queríamos ver o jogo. Mas no local onde estávamos, sempre houve SportTV1, SportTV2 e SportTV3; nunca ninguém se perguntou porque não teríamos SportTV4 porque era irrelevante; até que a SportTV4 foi substituída pela SportTV Live, onde o jogo foi transmitido; e o meu Pai, que tanto queria ver o jogo, já não foi a tempo de resolver o problema. Assim, fomos sabendo o que se passava pelos SMS que nos iam enviando.

O resultado final não deixa de ser uma prenda para 64 anos de sportinguismo. Parabéns Pai.

O que fica deste primeiro jogo, que pude rever mais tarde já sabendo o resultado, é que o Sporting mostrou, fundamentalmente, capacidade de reação e um nível futebolístico que considero bom para esta fase da época. O adversário era o Arouca, que se argumentou ser inexperiente mas cujos jogadores, segundo me disseram no Domingo de manhã, somavam mais 100 jogos na I Liga do que os nossos...

Creio que já não vale a pena, a esta distância, fazer a análise do jogo e do ambiente vivido em Alvalade no Domingo (que, pelo que percebi, foi fantástico). Remeto para o texto do Cantinho do Morais no qual me revejo (quase) integralmente. Acrescento as seguintes notas:

1. O melhor reforço da temporada é claramente o treinador. Leonardo Jardim, a meu ver, está a disfarçar algumas debilidades visíveis nesta pré-temporada, nomeadamente em termos de organização, estratégia, construção do plantel e dispensa de excedentários. A equipa apresenta-se como uma equipa, nota-se que treina e trabalha como equipa. Aquilo que tanto insisti quando me referia ao futebol do Sporting do ano passado, numas bocas popularuchas que ia mandando na altura (o clássico dichote "parece que nem treinam juntos") está lá para trás, num passado que agora vejo como muito distante. Não escondo que simpatizo com o treinador desde o início e sou, por isso mesmo, suspeito nesta análise. Mas foi, a meu ver, o melhor ato de gestão desportiva praticado por BC e Inácio.

2. Maurício é um central daqueles que cai no goto dos adeptos porque marca golos. O que é importante, obviamente, embora não essencial (basta olhar para o lado e ver Garay que não marca muitos golos e é um central de eleição). Mas a verdade é que Maurício tem ido um pouco além disso. Parece-me certinho e consciente das suas limitações (um pouco a fazer lembrar o Tonel, ainda é cedo para dizer se para melhor). Ainda algo duro, porém, para aquilo que é o estatuto do Sporting. Quem me acompanha aqui desde o início sabe que não há nada que mais odeie do que o discurso do Sporting-Calimero. Contudo, creio que todos sabemos que o estatuto de um clube é essencial para a admissão ou rejeição de certos comportamentos em campo. O Sporting, este Sporting, nunca poderia ter um Javi Garcia ou um Bruno Alves. Acabariam expulsos jogo sim, jogo não. Maurício tem que moderar a pancada ou "aprender a dar porrada" (mais um dichote, desculpem lá). Sim, é essencial saber dar porrada. O Oceano nunca foi meigo e acredito (não contabilizei) que tenha tido menos expulsões na carreira do que o João Vieira Pinto...

3. Parece que terei que me penitenciar quanto ao William Carvalho. Talvez por ter ao lado um parceiro que sabe o que fazer à bola, o William terá sido influenciado (por osmose?) a fazer uma bela partida, em particular na construção de jogo. O passe para o Wilson no segundo golo é excelente e demonstra que o William tem mais futebol nos pés do que eu pensava. Mea culpa. Vamos ver se mantém a qualidade na construção perante equipas que (o) pressionem com mais qualidade. Mas por ora, gostei da dupla William-Adrien.

4. Adrien que, diga-se, está a ser aquilo que eu pedia no tal MC que entendia ser necessário na projeção do que deveria ser a nossa pré-temporada: o jogador decisivo no ritmo de jogo da equipa. Está num nível muito alto. Com este Adrien, reconheço que não precisávamos de outro MC (tinha dito, com alguma descrença, que Adrien só deveria ficar se fosse aposta para titular e que nesse caso não precisaríamos de outro - mas reconheço que não estava particularmente confiante com esta possibilidade). Agora, pergunto: "este" Adrien já estava no plantel ou (lá está!) foi Leonardo Jardim que fez "este" Adrien? Não sei... mas, com as habituais suspeitas, desconfio da segunda hipótese.

5. Wilson Eduardo é um jogador que não enche as medidas dos experts mas a quem reconheço grande utilidade. Tem uma postura impecável (mais um que me parece consciente das suas  limitações e que usa isso em seu benefício) e não sendo um Bolt não é propriamente lento. Pode ser um jogador importante porque o Sporting precisa que outros jogadores marquem golos para além do PL. E porque tanto pode jogar à esquerda, como à direita, como no apoio ao PL como ao lado do PL, podendo ser usado para mudar toda a disposição ofensiva da equipa. Pela minha parte, ainda bem que temos Wilson Eduardo e que Leonardo Jardim o está a aproveitar.

6. Dois pontos de discordância com o Cantinho do Morais (os únicos), em dois temas:

(i) o primeiro, em que sou altamente suspeito: gostei de ver o Carrillo. Não fez um grande jogo, mas ao contrário do ano passado em que aparecia em 1 ou 2 jogadas geniais que na maioria das vezes não davam em nada, desta feita vi um Carrillo mais objetivo, mais participativo no jogo coletivo e que aliás fez uma excelente assistência para o golo do Wilson Eduardo. Mas concordo com o Cantinho quando refere que Carrillo tem que aproveitar a confiança que Leonardo Jardim tem nele. Porque quando Carrillo conseguir integrar no jogo coletivo os rasgos individuais que fazia no ano passado (e até eu digo que no ano passado não fez mais do que isso) insisto que vai ser um jogador de top;

(ii) o segundo, em que sou insuspeito porque sempre gostei do jogador, salvo nos últimos tempos: não fiquei fã do que fez o Capel. Capel insiste em levar o jogo permanentemente para a linha e cruzar sem olhar para a área. Quantas vezes vai acontecer um PL de 1,75m cabecear sozinho, praticamente na pequena área, no meio dos centrais adversários? O cruzamento saiu perfeito, ok, mas dificilmente volta a repetir-se. E digo o mesmo do segundo cruzamento. Montero resolveu com uma obra-prima, mas quantas vezes vai beneficiar da complacência dos centrais adversários? Insisto que Capel tem que ser mais versátil no seu jogo.

7. Tinha aqui dito que se Fredy Montero se revelasse um craque, seria o primeiro a elogiar BC e Inácio. Pois bem, não preciso de ver mais para perceber que Fredy Montero é um excelente jogador. Resta saber se é o PL de que precisamos para 30 jornadas de campeonato nacional (à imagem de Acosta ou Liedson), mas a qualidade está lá. Parabéns a BC e Inácio até porque, para a qualidade que parece ter, diria que não foi caro.

8. Nota final para o cântico. Agrada-me muito ver Alvalade a cantar algo que não é ofensivo para ninguém, apenas diz respeito ao Sporting e a nenhum outro clube e envolve todo o estádio. Excelente. Mas, um pouco contra a corrente, não posso deixar de dizer que a letra do cântico está longe de ser fantástica e aquele final não faz sentido. Bastaria substituir "Sporting tu nunca vais acabar" (que não cabe no tempo da música) por, por exemplo, "Sporting teu nome é imortal" (que jogaria com o "força é brutal" em vez do "história para contar"). Mas enfim, não se pode ter tudo. Ficaria muito satisfeito se inventassem outros cânticos de igual valia, desde que obedecessem à mesma lógica e pusessem todo o estádio a cantar.

PS1: O post vai longo, mas não resisto a comentar os históricos rivais. Nem Porto nem Benfica fizeram jogos ao nível da qualidade que as suas equipas têm. O Porto disfarçou uma péssima primeira parte com uma segunda a jogar contra 10, o Benfica nem isso conseguiu (mas não jogou contra 10). Convém dizer que tanto o Vitória como o Marítimo fizeram excelentes jogos, o primeiro em particular surpreendeu-me bastante. Vai ser muito difícil jogar no Bonfim e na Madeira... Convém também dizer que o árbitro do jogo do FCP foi o árbitro mais criticado pelo próprio FCP durante o ano passado. How convenient...

3 comentários:

  1. Bem Koba, confiares tanto num texto que comenta algo que não viste... pode não dar bom resultado.

    Tou a brincar. Obrigado.
    Mas não devo ter sido claro nos pontos em que discordas de mim (e até estão juntos):

    - Carrillo e Capel:
    Comentava para o meu companheiro de Alvalade e de muitas discussões em torno do futebol e do Sporting que é reconfortante ver que Jardim, ao colocar Carrillo, Carvalho em vez de Capel e Rinaudo é sinal que ele sabe de futebol, não ouve a bancada e percebe que há jogadores melhores que outros, em quem se deve apostar.
    Carrillo fez um jogo (ok, 30 minutos - repartidos pelo tempo que esteve em campo) onde, mesmo "Parado, lento, alienado, cansado", demonstrou muito e que é muito importante tê-lo na equipa. Jardim sabe disso, agora é esperar que ele o saiba também. Titular em Coimbra, sem hesitar.
    Capel. Não gosto da forma como joga (e que tu bem retrataste) mas ele teve uma boa entrada em jogo. E uma das nossas limitações como equipa é o facto de não se poder ficar sem jogador como ele, mesmo sendo limitado. Ganha muitos metros, compromete-se com o jogo e com a equipa e isso também é importante. Não chega para ser titular.
    Quando digo que entrou bem, não é porque tenha feito duas assistências, mas sim porque não foi para o campo perder tempo. Foi jogar, e isso viu-se.

    Agora é jogar em Coimbra, onde vamos passar um mal bocado, pois a derrota em Barcelos é muito enganadora.

    O que me chateia do Porto e do Benfica é o seguinte:
    - o Paços joga numa caixa de fósforos, um estádio onde poucos passam, nomeadamente aqueles que querem jogar futebol. Está em obras. Quem não jogará lá? Braga e Porto. Óbvio.

    - Bruno Amaro deu pancada e pancada (até marcou um golo) e nunca levou amarelo. Um jogador do Gil Vicente foi expulso por demorar a marcar um livre: não joga na Luz.

    Com isto, não se pode lutar.

    ResponderEliminar
  2. Confiaria sempre na análise mas por acaso pude ver o jogo calmamente, à noite, graças às abençoadas gravações automáticas do MEO (em casa tenho SportTV Live) :)

    Quanto ao Carrillo fui reler e de facto essa mensagem está lá, eu é que interpretei mal. Quanto ao Capel, parece que vai mesmo sair. Parece contraditório mas tenho pena, porque com as qualidades que tem podia ser um jogador muito melhor do que é. E efetivamente "a malta" gosta dele, ele mexe com o ambiente do jogo e do estádio.

    Outros fatores: quando o árbitro nomeado para o primeiro jogo do FCP é o mesmo que, segundo os portistas, lhes quis roubar o campeonato na época passada... está tudo dito. Isto para não referir que o Kieszek já foi jogador do FCP (mas o único caso deste género a levantar suspeitas no futebol português é o auto-golo do Manaca em 79/80 de que ainda hoje se fala - o que acho maravilhoso) e que obviamente os acordos entre Paços e FCP (treinador, Josué, Dragão, etc.) foram obtidos na semana que antecedeu o Paços-FCP da época passada.

    Enfim, tudo normal...

    ResponderEliminar
  3. Claro que está tudo normal.

    Isso e o Amoreirinha ser sempre expulso (ou dar casas) quando joga contra o Benfica.
    Parece que há gajos que têm contratos vitalícios com a "casa-mãe".

    Mas mais escandaloso, é o Kieszek dar uma cabeçada num gajo e levar 1 jogo de suspensão. O mesmo que Rui Patrício levou por agarrar um gajo num jogo-treino. Ou mesmo que um jogador que marque 2 golos e tire a camisola em cada um deles.

    1 cabeçada = 1 jogo.
    1 bomba atómica ou limpeza racial/étnica = 3 jogos + 100 euros de multa.

    Esta LIGA é uma comédia.

    ResponderEliminar