27/08/2013

Dias movimentados - tanto para escrever e tão pouco tempo para o fazer...


Foram 5 ou 6 dias movimentados em Alvalade, notícias quase sempre boas (vitórias a todos os níveis) e um título oficial (vitória na Supertaça em Andebol sobre o FCP) mas pouco tempo para comentar o carrossel de novidades.

Vamos aos principais temas, por ordem cronológica:

23.08 (manhã) - A entrevista de BC

Surpreendente entrevista de BC no dia em que todos diziam que sairia a decisão da CAP no caso Bruma. Comentei com amigos e familiares que a entrevista de BC, naquele dia e naquelas circunstâncias, só podia significar que BC já sabia que ia perder o caso Bruma (o que acabou por não acontecer). BC nessa entrevista não só não salvaguardava de forma clara a imagem do jogador como também não manifestava qualquer aproximação aos empresários (que, goste-se ou não, representam o Bruma), pelo que concluí que BC estava a preparar o terreno para a derrota na CAP. E, eventualmente, até estava...

Também incompreensível manter-se uma tática de guerrilha com os empresários. Pensei que Zahavi era um tema do passado, mas BC foi ressuscitá-lo sem qualquer motivo aparente (que não fosse, lá está, o de tentar justificar uma putativa derrota na CAP). Continuo sem perceber porquê. Cheguei a falar do objetivo de obrigar os jogadores a mudar de empresário mas depois disso jogadores representados por Zahavi renovaram contrato. Há algo aqui que me escapa...

Noutro plano, muito boas as declarações relativamente ao tema da arbitragem. É exatamente a estratégia que defendo há anos: em vez de fazermos o papel dos calimeros que se queixam a torto e a direito (ver como mau exemplo os nossos paineleiros...), o Sporting deve falar de arbitragem apenas quando efetivamente se justifique mas de forma firme e fundamentada. Foi o que BC fez após o jogo da Luz e que aqui aplaudi. A manter.

23.08 (noite) - Vitória na CAP

Primeiro ponto: a vitória na CAP é uma vitória do Sporting e uma vitória de BC; e é uma derrota de Bruma, Baldé e Bebiano. Parece-me indiscutível. Não obstante, mantenho o que fui dizendo ao longo dos tempos: só o facto de o tema ter chegado à CAP já era uma derrota do Sporting e de BC, que não resolveram o tema de forma a evitarmos este filme. A renovação antes da confusão representaria sempre o sucesso do Sporting e de BC; a vitória na CAP é uma batalha vencida numa guerra de todo indesejada.

De qualquer forma, é uma circunstância obviamente favorável ao Sporting nesta fase uma vez que obrigará Bruma e os seus empresários a, pelo menos, ouvirem o que BC te para propor. Vamos ver como acaba.

Uma nota: espero que a vitória na CAP não leve BC a pensar que, afinal, não precisa nada de corrigir a rota como aqui referi...

24.08 (noite) - Vitória em Coimbra

Vitória importante e bem conseguida, com uma equipa a jogar coletivamente. O futebol, para esta fase, está num nível muito razoável, acredito que ainda melhore. Gostei de Jefferson, André Martins e, claro está, do "meu" Carrillo que está cada vez mais comprometido com a equipa.

No final do jogo, o Leonardo Jardim citou-me quando referiu que "o futebol é o momento". Ligou-me antes a perguntar se o podia fazer e eu disse-lhe que não havia problema desde que ganhássemos o próximo jogo. Prometeu-me que assim seria.

E quanto ao derby, sei que sou dos poucos a pensá-lo, mas creio que para o Sporting não foi necessariamente má a reviravolta do Benfica. Prefiro o Benfica minimamente confiante do que um Benfica que teria que ganhar em Alvalade, sim ou sim. É que esse, estou convencido, ganharia mesmo, fosse lá como fosse: o próprio FCP (e consequentemente o "sistema") preferiria um Sporting com 6 pontos e um Benfica com 3 do que um Sporting com 9 moralizado, ainda que o Benfica ficasse com 0 (já o disse aqui várias vezes, o FCP tem a grande qualidade de nunca nos menosprezar, mesmo quando assumidamente não somos favoritos ou sequer candidatos ao título).

27.08 - Novamente Bruma

Parece claro que, depois das notícias precipitadas sobre o "castigo" que seria a integração de Bruma na equipa B, e consequentes declarações (também precipitadas) a referir que Bruma não aceitaria treinar-se com a referida equipa B, as partes começam a convergir para um ambiente em que um acordo (seja ele qual for) é possível. O próprio Bebiano, que foi quem mais gasolina foi deitando para a fogueira neste caso, começa o dia de hoje a deitar água na fervura. Parece-me bem.

Ontem um amigo deu-me aquela que me parece ser a melhor sugestão que li até agora para a resolução deste caso - renovação por 4 ou 5 anos, com 1º ano de empréstimo a um clube europeu onde possa evoluir até acalmarem as hostes (o Galatasaray até poderia ser uma boa opção porque o ideal seria um campeonato semelhante ao nosso), com uma opção de compra que afastasse os abutres (aqui eu diria que nunca poderia ser inferior a 20M€).

***

E venha o derby para a terceira vitória consecutiva!

7 comentários:

  1. Eu diria mesmo emprestar sem opção de compra, de resto, estou de acordo.

    ResponderEliminar
  2. Mike, a opção de compra seria a solução de compromisso (concedendo aos empresários que se o jogador for um craque e alguém pagar 20M€ por ele podem levá-lo), mas concordo consigo que a melhor opção seria sem opção de compra.

    ResponderEliminar
  3. Koba,

    boa retrospectiva dos acontecimentos. A minha divergência/dúvida está apenas na solução imediata para o caso Bruma, embora compreenda a motivação que a rege. Creio que, mesmo com todos os condicionalismos, o Sporting é e sempre foi o melhor clube para o jogador neste momento.

    Com as limitações pessoais de de vária ordem do Bruma, que o decurso deste processo acabou por expor, duvido que a ida para outro país, e logo para longínqua Turquia- nos costumes e língua, etc - parece-me uma solução com fraca possibilidade de pagar dividendos.

    Servindo-me, embora sem permissão, da sua máxima que o futebol é o momento, Bruma terá que fazer o calvário que escolheu. Não creio que para o ano fosse muito mais fácil fazê-lo. Por isso o melhor me parece ser a reintegração, o apuro da forma física e sobretudo psicológica. Com as condições que tem e com o esquema de Jardim a parecer-me muito favorável às suas características, e a manter-se como todos esperamos, um bom percurso no campeonato, lá para Janeiro já deve ter cânticos dedicados na bancada.

    Abraço, SL

    ResponderEliminar
  4. LdA, percebo o ponto. Mas pelo que vejo por essa blogosfera fora (ainda que concedendo na diminuta representatividade da mesma), temo pela reação a uma possível reintegração do Bruma.

    A menos que BC opere um milagre na comunicação relativamente a essa possível reintegração (o que será complicado mesmo relativamente aos seus indefetíveis), suspeito que o Bruma teria que (i) treinar apenas em Alcochete (sendo resguardado nos treinos em Alvalade), (ii) ir jogando pela B para regressar à melhor forma (o que já percebemos não ser propriamente do seu agrado) e (iii) ser lançado na equipa A nos jogos fora (ficando nós à espera do momento mágico em que Bruma decida um jogo e recupere a estima dos descontentes para o podermos lançar em Alvalade sem que tal seja contraproducente para o ambiente no estádio em redor do jogador e consequentemente da equipa).

    Isto para não referir que na equipa B estão uns 10 ou 12 profissionais (mais ou menos exemplares, conforme o caso) de quem o Sporting se quer ver livre e relativamente aos quais terá atuado disciplinarmente por motivos, diria, mais triviais (com as eventuais exceções do Bojinov e do Onyewu) e que verão entrar pelas portas de Alcochete um tipo que não se apresenta para treinar há 40 dias, que fez declarações públicas de duvidosa índole relativamente ao clube ("eu quero é jogar, no Sporting ou noutro clube qualquer") e cujos representantes, ainda recentemente, consideraram a equipa B como um degrau de despromoção e um local que serve para aplicar castigos.

    Estou, assim, a aplicar simultaneamente dois dichotes populares que aqui se enquadram - (a) não há ferida que não cicatrize com o tempo e (b) longe da vista, longe do coração - para encontrar uma solução. Um ano longe daqui fará todos esquecerem o que aconteceu.

    Admito que a Turquia possa não ser a melhor solução, apenas a referi porque houve interesse do Galatasaray, o campeonato tem parecenças com o nosso e o Bruma jogaria num clube que joga para ganhar. Mais a mais, há vários jogadores portugueses em Istambul que poderiam ser um suporte (a nível pessoal) para o Bruma. Obviamente que, por exemplo, um empréstimo a um clube espanhol (como há uns anos fazíamos com o Huelva) poderia ser mais producente do ponto de vista pessoal (mas o enquadramento num clube que não joga sempre para ganhar seria positivo?).

    Enfim, o grande problema de todo este filme é precisamente o facto de estarmos a discutir possíveis soluções, sendo que não há nenhuma que seja perfeita.

    Um abraço e SL

    ResponderEliminar
  5. Koba, resposta curta. Varela e Carlos Martins. Evolui-se jogando, ninguém joga para não perder.

    ResponderEliminar
  6. Metralha, pergunto-me se a evolução de um jogador com o perfil (desportivo e pessoal) do Bruma não precisa de um clube com ambição, é mais esse o sentido.

    Outro ponto: para além da necessidade de jogar (concordo) hoje chamaram-me a atenção (e bem) para a necessidade de o clube de destino ser um clube com vocação formadora porque, não esqueçamos, o Bruma ainda está em formação.

    O tema é: quem está interessado em ter o Bruma emprestado?

    ResponderEliminar
  7. Koba,

    pelo perfil intelectual do Bruma não interessa onde jogue, quer é jogar onde lhe digam para jogar.
    Se BdC conseguir renovar com Bruma será uma grande vitória para o Sporting, independentemente do valor do novo contrato (poderá ser em piores condiçoes do que aquele que estava acordado com GL) mas deixa-nos numa melhor posição negocial com qquer empresário nas proximas renovações.

    ResponderEliminar