18/07/2013

Red Pass pago, esperança renovada

E depois de uma época como a anterior, não está a ser fácil ficar novamente empolgado com o futebol. Talvez por isso os posts sobre as “camisolas berrantes” tenham tirado também um período sabático. No entanto, o red pass está renovado! Não havia como largar o lugar que é meu desde que este estádio foi construído. A convicção de que é para os bons e maus momentos, a esperança imutável de que a época que se avizinha vai ser nossa assim como o privilégio de partilhar as alegrias e tristezas com bons vizinhos de bancada, só podiam levar a mais um contributo para os cofres da Luz (nem sempre devidamente valorizado por quem o recebe…).

Ainda não consegui ver nenhum jogo desta pré-época, mas acredito que nesta fase também pouco importa. Seria mais uma curiosidade de ver o toque de bola e as movimentações das novas contratações do que outra coisa. Dos onze iniciais que tenho visto, parece que já temos uma óptima novidade: deverá ser esta época que Jesus finalmente abdica dos dois avançados! Quem acompanha este Futebol a 3 sabe bem o quanto eu defendo esta opção. Certamente que a saída de Cardozo contribuirá para esta opção mas outros factores como o desgaste da equipa ao longo da época, capacidade de controlar a bola, competitividade contra equipas de maior dimensão e solidez defensiva poderão entrar em linha de consideração. Por outro lado, será um sinal de que ainda haverá uma réstia de esperança para a conhecida teimosia de Jesus.


Quanto ao plantel, já é outra história. Com o andar da carruagem, iremos repetir os erros da época passada com mais um plantel desequilibrado e a arriscar as necessárias vendas ao encerrar das janelas de transferências, agravando ainda mais os desequilíbrios (Matic e Enzo serão aqui os principais riscos). Fazendo uma análise da frente para trás:

- Lima e Rodrigo deverão alternar na posição de ponta de lança, restando saber quem será o 3º homem caso nenhum dos recém-chegados como Markovic e Djuricic possa também fazer esta posição;

- No meio campo avançado (alas e 10), quantidade e qualidade para todos os gostos. Mesmo com uma hipotética venda de Gaitán ou qualquer outro, há opções de qualidade para garantir a devida rotatividade pois a polivalência também existe. Para 3 posições temos Gaitán, Djuricic, Farinã, Markovic, Sulejmani, Salvio e Ola John (Urreta só acredito que fique se um dos outros for vendido);

- No meio campo de trabalho e para duas posições, apenas temos duas opções de qualidade (Enzo e Matic) já que as restantes opções dificilmente estarão à altura para manter o nível dos titulares num jogo de elevada exigência como por exemplo os da Champions. André Gomes, Amorim ou André Almeida não dão (ou ainda não dão) as devidas garantias. Para algo tão evidente na época passada, diria mesmo que era a segunda lacuna mais gritante depois do defesa esquerdo, não percebo como se investe tanto noutras posições e nada para estas;

- Nas laterais estamos melhor depois da contratação de Sílvio que pode jogar em qualquer dos lados. Maxi continua disponível para a direita e gostaria de ver Cancelo a ter algumas oportunidades e no lado esquerdo fomos buscar um Cortez ao refugo do São Paulo (pelo menos na época em curso) mas que já chegou a prometer em temporadas anteriores. Esperava uma aposta mais forte para este lugar mas pode ser que seja melhor que o esperado;

- Para o centro da defesa, um Lisandro para substituir Garay (nunca vi jogar), uma aposta interessante em Steven Vitória e Jardel como  4º jogador para a posição enquanto o sérvio deverá ser emprestado. Apesar dos golos que temos sofrido nesta pré-época, não é por aqui que me preocupo;

- Na baliza o “Artur-que-se-meteu-com-a-gaja-errada” deve continuar como titular e esperamos que agora de cabeça limpa e à prova de erros em jogos decisivos (sim, fiquei desconfiado do brasileiro nesta última época) e um Paulo Lopes para o banco já que Oblak decidiu fazer o papel de Bruma da Luz (mesmo se não inventasse, o mais aconselhável seria continuar com os empréstimos para acumular experiência).

Para já, é isto mas falta ver uns jogos mais a sério e esperar pelas várias novelas das transferências. Só mesmo o Pinto da Costa é que percebe que, já que o mercado está maluco e andam para aí muitos milhões a arder nos bolsos de milionários, é preferível aproveitar e despachar logo as coisas, encaixar uma brutalidade em vendas mas ter uma pré-época em que o treinador sabe com o que conta para o resto da época.

4 comentários:

  1. Gorbyn, se bem percebo, estás a assumir a saída do Garay, mas não do Salvio ou do Gaitan.

    Outro ponto, pelo que li nos blogs do Sporting na altura em que se julgava possivel contratar o Farina, acho que o tipo é um 8 e não um 10. Mas eu não conheço.

    ResponderEliminar
  2. Sim, acho que Garay é incontornável e considero a hipótese de um dos alas ainda ser vendido. Sempre se fala da Gaitán, Salvio é um jogador apetecível e Ola John também já surgiu nas notícias.

    Fariña também só conheço das notícias mas como li algumas comparações com Aimar, assumi a posição 10.

    ResponderEliminar
  3. Gorbyn, e que dizer do Pizzi? Sinceramente, suspeito que seja para (i) evitar que o FCP lá chegue e, simultaneamente, (ii) impedir que o Sporting tenha armas para sair do buraco em que está. Porque vocês, convenhamos, não precisam do Pizzi para nada.

    ResponderEliminar
  4. Só consigo explicar se for o 3º homem que falava para a frente. É um jogador interessante para esta posição, com o atributo cada vez mais raro de ser português. Mas confesso que, depois do Silvio e Fariña, já começa a parecer mal (o Silvio não tanto porque faz mesmo falta)...

    ResponderEliminar