29/07/2013

As transferências e as não transferências

Perceber a lógica das transferências em que o Benfica se vê envolvido é, para mim, um exercício cada vez mais complicado. Acredito que no futebol moderno, com empresas, fundos de investimento, empresários e mesmo as parcerias e/ou favorecimentos entre clubes a terem cada vez mais peso, os adeptos nem sempre podem ter acesso a toda a informação e conhecer todos os detalhes. No entanto, fico com a sensação que alguns negócios não só, são mal explicados, como tentam passar realidades distorcidas aos próprios adeptos.

Começando pela transferência mais estranha. O Benfica foi buscar Pizzi ao Atl. Madrid quando se falava no interesse do Sporting no avançado. Era uma solução interessante como alternativa a Lima e Rodrigo mas afinal vai ser emprestado ao Espanhol. Tenho dificuldades em acreditar que o Benfica opte agora por uma estratégia já iniciada anteriormente pelo Porto de evitar que o Sporting se reforce com os bons jogadores disponíveis mas se juntarmos a contratação de Fariña, dá pelo menos para duvidar. Não me parece a melhor jogada quando estão reunidas as condições para que Benfica e Sporting se aproximem.


No meio disto tudo, o Atlético comunicou que chegou a acordo com o Benfica por Roberto (mas que vai ser emprestado ao Olympiacos) quando todos pensávamos que o Benfica já tinha vendido o jogador na temporada passada (estranhamente também para todos até com lucro). Não cheira bem...

A novela Cardozo continua. Se os últimos números que vieram nos jornais corresponderem à verdade, seria uma grande venda. 12 milhões mais dois ou três por objetivos seria realmente de tirar o chapéu. Acho que mesmo os 12 milhões já seriam uma grande venda. 

Espero ainda a venda de Garay, convencido de que estas duas vendas continuam a não ser suficientes. Entre Salvio, Matic e Gaitán pelo menos um deve sair, e se Matic é o que deverá fazer mais mossa, Gaitán acabaria por nunca fazer uma grande época e não teríamos hipótese de ver mais disto:




1 comentário:

  1. Subscrevo a primeira parte. Diria mesmo mais: há algo nos negócios com o Atl. Madrid que não dá para perceber, tanto os do Benfica como os do Sporting (Pongolle e Elias são dois neócios estranhíssimos). E digo-o quer exista, ou não, uma estratégia para impedir o Sporting de se reforçar.

    Quanto ao plantel do Benfica, concordo com a tua análise, daí que entenda que não é o Matic a sair. Cheguei a pensar que fosse o Salvio porque o Pizzi poderia fazer o lugar mas, com este empréstimo, tenho dúvidas (o Sulejmani pode jogar ali?). E com a forma que o Artur e o Rodrigo têm vindo a demonstrar, acho que o Benfica precisaria de um GR e um PL.

    Koba

    ResponderEliminar