07/06/2013

Formação de parabéns

O fim de semana ficou marcado pela excelente conquista do Benfica no hóquei, pelo que o triunfo do juvenis do Benfica em futebol acabou por passar um pouco despercebido. É inteiramente justo o protagonismo assumido pelo hóquei, sobretudo pelas condições adversas em que conquistou o importante título, mas nunca fui um gajo de seguir as modalidades. É claro que me recordo ver os grandes jogos de basket de Jean Jacques e Lisboa ou os malabarismos de Panchito mas um título nas modalidades está para um título no futebol como o 4º golo numa goleada está para o golo do título. Simplesmente não tem comparação. É claro que prefiro que o Benfica seja campeão em todas as modalidades mas se não for, também não me faz grande diferença. Basicamente, fico satisfeito por ver o Benfica ser campeão na modalidades.

O futebol é que mexe comigo. O futebol é que me faz acordar a pensar "Hoje é o grande jogo!". O futebol é que me dá noites mal dormidas quando vejo os títulos fugirem. O futebol é que me faz ficar rouco por uns dias por festejar golos importantes. E é por isso que venho sublinhar a conquista dos juvenis no futebol. Depois do título de juniores, conseguir o título de juvenis, indicia um bom trabalho na formação. O meu amigo Koba diz-me que o Sporting perdeu o título porque teve que dar jogadores à equipa B que por sua vez tinha dado à equipa A. Não acompanhei mas de qualquer das formas, a boa avaliação mantém-se. Se depois não chegam à equipa principal, é outra conversa. No entanto, não podemos esquecer que o nível atual do plantel é bastante elevado e já não basta ser melhor que um Tahar, Marcelo, Thomas ou Beto.

É especialmente importante ser campeão nos juniores e num nível seguinte nos juvenis. Daí para baixo é um pouco indiferente. Se a aposta em ser campeão nos infantis e iniciados for demasiado elevada, corre-se o risco de perder bons jogadores pois o poder físico nestas idades faz grande diferença. Assim, jogadores tecnicamente evoluídos e com grande potencial podem ser preteridos por se preferir resultados imediatos através de jogadores possantes mas que se percebe mais tarde, com poucas hipóteses em chegarem aos séniores. Nos juvenis este risco já é mais reduzido e nos juniores praticamente desaparece pelo que equipas campeãs nestas idades, aumentam as probabilidades de se conseguir algum jogador que seja uma mais valia na equipa principal. É certo que parece que estamos a atravessar, a nível nacional, um deserto de jogadores de classe mundial nas camadas jovens mas nunca se sabe quando poderão voltar a aparecer. Neste momento, a minha aposta e esperança está virada para o Cancelo, que marcou inclusivamente os dois golos no jogo contra o Rio Ave (1-2) que deu o título de juniores (http://youtu.be/Y7TwMT6m2l8).

Como homenagem aos putos campeões e por indicação do meu irmão, deixo o golo do empate contra o Porto que deu o título de juvenis, já nos descontos. Tem ainda mais piada pela provocação do guarda-redes do Porto antes da marcação do livre. Não admira que tenha andado doido depois de terminar a partida.


1 comentário:

  1. Gorbyn, uma precisão: o Sporting não DISPUTOU o título nas condições em que o poderia ter feito pelo motivo que invocas. Como é óbvio poderia tê-lo perdido de qualquer maneira.

    ResponderEliminar