03/05/2013

Raça, Querer e Ambição!



Com um pouco mais de calma, aproveito para rever o jogo agora na televisão e prolongar ainda mais esta grande noite! Foi tudo o que queria e ainda mais um bocado (enorme!). Nas cervejas antes do jogo, comentava com amigos o receio que tinha em relação a uma quebra física que parecia ser cada vez mais evidente após o jogo contra o Sporting e Marítimo, sobretudo contra uns turcos que estiveram fisicamente muito bem na 1ª mão, assim como em relação ao sistema com dois avançados.

Pois bem, em relação ao sistema de jogo, o banho táctico de Jesus foi total e não posso deixar de o reconhecer. Eram "apenas" dois monstros no meio campo encarnado mas muitas vezes tinham a companhia de um genial Gaitán. A jogada do primeiro golo foi apenas um dos muitos exemplos em que isto aconteceu. [Nota adicional: os castigos e lesões do Fenerbahce contribuíram também para esta superioridade] Em relação à forma física... realmente a motivação e confiança por vezes vão buscar forças onde pensávamos não existirem. O Benfica impôs um ritmo frenético, de grande pressão, de ataque avassalador, que não deixou o Fenerbahce respirar. Foi futebol total, empolgante e que, mesmo que o terceiro golo não tivesse entrado, mereceria uma ovação de pé no final. 



A ovação aconteceu mesmo no final mas acompanhada por inúmeros e sentidos festejos. E se hoje a equipa mais que mereceu o prémio de estar na final, menos não mereceram os adeptos. Um verdadeiro Inferno da Luz como acho que nunca tinha visto! Gritou-se e muito antes do jogo, nos minutos iniciais, após o 1º golo mas também depois do golo do empate. Jesus pediu o apoio mas recebeu isso e muito mais. Face ao que se via em campo também não havia como reagir de outra forma. Foi a loucura durante todo o jogo, culminado com um final apoteótico. 

Notas individuais:
- grande André Almeida a fazer mais um jogão europeu e "apenas" tinha Kuyt pela frente;
- patrão Luisão a dizer "Presente";
- Maxi aproveitou muito bem o flanco e permitiu os desequilíbrios que Salvio tinha dificuldade em fazer;
- Enzo e Matic foram enormes, fizeram um jogão e engoliram o meio campo turco;
- Gaitán genial, com mais um golão, e a partir as marcações dos adversários (para além da cabeça do barbudo);
- Lima a trabalhar imenso e a criar espaços mas acusou um pouco a pressão no último passe ou finalização;
- Cardozo foi hoje o melhor Cardozo que conhecemos e fez tudo: marcou dois golos, ganhou de cabeça, ganhou faltas, foi agarrado, fez passes. Foi "o" ponta de lança. Lindo como na jogada do segundo golo, deu um empurrão ao Lima para se chegar ao primeiro poste como que a dizer "vai para ali e leva o defesa contigo que eu vou estar no segundo poste para mandá-la lá para dentro" (isto em espanhol);


Agora venha a final que estes jogadores merecem esse prémio. Em Amesterdão, não somos favoritos mas tudo pode acontecer!

Agora, para Jesus existe um desafio de dificuldade enorme: como é que se consegue manter os níveis de concentração e os jogadores a correr depois de um jogão destes? Mesmo sabendo que nada está ganho e que o Estoril tem uma boa equipa, é quase impossível não existir alguma descompressão por parte destes jogadores. Ola John poderá jogar, Melgarejo também, Gaitán provavelmente no banco, mas não há margem para fazer uma gestão alargada da equipa. Mais uma vez, terá que ser um estádio cheio a ajudar e a empurrar a equipa. 

Sem comentários:

Enviar um comentário