28/05/2013

Pesadelo completo

Nas contas dos benfiquistas, a taça já era nossa. Afinal, o fosso que separava Benfica e Porto das restantes equipas, levava a crer que a Taça de Portugal teria apenas que fazer uma curta viagem até ao Estádio da Luz. No entanto, depois de dois objetivos falhados, já vários (onde me incluo) se precaviam com algo como “Neste momento, já acredito em tudo!”. E pronto, acabámos mesmo por levar com mais um balde de água bem gelada.

O jogo não teve grande história. O Benfica dominou por completo a primeira parte, mas estava lento e por isso foram raras as ocasiões de golo. Apenas Garay e Lima estiveram em condições de marcar. No entanto, a sorte decidiu fazer uma partida ao Benfica e ainda fingiu que, por fim, estaria do nosso lado e marcámos um golo surreal. Na segunda parte, entrámos ainda mais lentos, sem pressão, abdicando de jogar à bola, e com um erro ridículo de Artur (nem falo do fora-de-jogo) e, com a sorte a assumir a sua preferência deste final de época, deu um golo de ressalto e perdemos mesmo o troféu que nos restava.

A nível táctico, não consigo criticar Jesus neste jogo. Acho que fez o que tinha a fazer. A ganhar e a sentir uma equipa cansada, decidiu reforçar o meio campo. Já com os jogadores que escolheu para os dois sistemas tácticos, já não concordei tanto:
- André Almeida para adversários com extremos fortes, contra equipas com forte capacidade no jogo aéreo, percebe-se. Contra o Guimarães, a precisar de assumir o jogo, não percebo;
- Urreta que nunca foi aposta, ser chamado a entrar numa final, não percebo;
- Aimar que mal acumulou minutos, ser chamado a reanimar a equipa, não percebo. O homem nem conseguia levantar uma bola, quanto mais a equipa;
- Tirar Cardozo que estava a fazer um bom jogo e a segurar os defesas, em vez de Lima que perdeu a forma neste último mês, só percebo se o Takuara acusou desgaste físico;
- Tirar Gaitán que era o único que conseguia desequilíbrios, só percebo caso apresentasse o mesmo tipo de queixas.

O comportamento de Jesus no banco é absolutamente ridículo. Quando está a ganhar, salta, grita, é um histérico incontrolável. Quando aos 80 minutos se vê a perder, fica imóvel e sem capacidade de reacção. Compreendo a emoção que este jogo representava para ele, mas tinha que passar outro tipo de atitude para a equipa.


Mas os principais culpados, para mim, são mesmo os jogadores. Teriam que compensar de outra forma os adeptos que os acompanharam sempre durante a época, que fizeram milhares de kms para os apoiar e que os aplaudiram e incentivaram mesmo depois de 4 duros golpes nas nossas ambições (Estoril, Porto, Chelsea e Moreirense) e que perderam horas em filas pra comprar bilhetes, escassas horas depois da mais dura derrota da época. Adeptos que assumiram uma nova cultura e que tiveram a capacidade de separar os resultados, do esforço, dedicação e infortúnio. Teriam que ter feito muito mais. Teriam que ter cilindrado na primeira parte e oferecido uma vitória e exibição robustas. Nada disso, limitaram-se a ser apáticos e a esperar que aquele golo caído do céu fosse suficiente. Não o fizeram e viram, pela primeira vez, os adeptos a reagir de forma feroz a tão fraca prestação. Nos jogos anteriores, os adeptos não reduziram o nível de exigência, apenas reconheceram quem deu tudo o que tinha.  

Confesso que não me custou assim tanto. Talvez por acreditar que, com esta derrota, Jesus não tem outra hipótese que não seja procurar outro clube. Talvez por ter gritado o que me ia na alma enquanto a equipa e treinador desciam para o túnel a escassos metros de onde estava enquanto saía do estádio. Talvez por ter sido contra adeptos de uma cidade que seguem verdadeiramente o seu clube. De certeza por não ter sido contra o Porto, Sporting ou Braga.

Cardozo não podia ter feito o que fez mas indicia bem o estado de espírito dentro do balneário. Tento adivinhar que terá dito que a culpa era dele por jogar com André Almeida e não com Melgarejo, seu companheiro de selecção, o que nem sequer é leal para com um colega de equipa…


Antes das tão faladas decisões, tinha dito que se Jesus não ganhasse dois troféus não merecia ficar, pelo que podem perceber qual acho que deva ser a decisão de Vieira. Quero fazer um post amanhã sobre este tema, mas não sei se vai a tempo da discussão pois dizem agora no telejornal da meia-noite que a decisão está por horas... 

PS: Começo a ficar em mix-feelings em relação ao homem da baliza...

2 comentários:

  1. Gorbyn, algumas notas:

    A primeira e mais importante - tu és daqueles benfiquistas que não mereciam minimamente este final de época.

    A segunda - concordo que há poucas condições para manter JJ. Mas insisto que foi o grande responsável pelo vosso crescimento futebolístico nos últimos anos e que não vão encontrar facilmente um substituto à altura.

    A terceira - da mesma forma que nunca gostei do Javi Garcia e estava contra a corrente (em Inglaterra dão-me razão e o Matic, que nunca acreditei que fosse o jogador brutal que efetivamente é, veio provar que o Benfica pode ter um 6 que seja o primeiro construtor de jogo da equipa), nunca fui fã do Artur, também contra a corrente (o ano passado já vos enterrou o campeonato, mas muitos assobiaram para o lado porque o golo do Maicon foi em fora-de-jogo).

    A quarta - não gostava nada de estar no lugar do LFV... Se ele mantiver o JJ louvo-lhe a coragem, mas não me surpreenderei se, ao segundo resultado menos bom, rolem as duas cabeças ao mesmo tempo. Mas racionalmente seria a melhor decisão. Até tu concordarás.

    A quinta - espero que a novela JJ dure mais uns tempos e que ele não fique, a ver se o Sporting tem algum sossego nos jornais (o nosso presidente não ajuda muito porque fala todos os dias mas ainda assim o processo de substituição do JJ fará mais capas).

    Um abraço!

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pela solidariedade Koba. É por sportinguistas como tu que me recuso a responder às provocações de alguns que se dizem adeptos do teu clube.

    Não queremos um substituto à altura, queremos um melhor. Fez um bom trabalho mas devia ter feito mais com o que tinha à sua disposição.

    Não percebo como se demora tanto tempo a tomar estas decisões. Não faz sentido arrastar esta novela. Ou fica ou sai mas tem que se decidir. Cada hora que passa é mais um sinal de falta de liderança.

    Abraço

    ResponderEliminar