09/05/2013

Bebedeira...interrompida?

Em 90 minutos, o estado de euforia provocado pela bebedeira futebolística do jogo com o Marítimo e especialmente com o Fenerbahce deu lugar a uma ressaca tremenda! E esta foi a principal razão de ter atrasado este post. Não estava em condições de escrever com o mínimo de racionalidade quando só me apetecia bater repetidamente com a cabeça na parede e gritar "Porquê agora quando estava tão perto?!". Parecia que o mais difícil estava feito e poucos se lembraram que íamos jogar contra um bem organizado Estoril. Mesmo eu, que no último post já tinha alertado para as dificuldades que viriam deste Estoril de bom nível e do cansaço do jogo europeu, pouco acreditava que não superaríamos mais este obstáculo. Mas foi mesmo um obstáculo que não conseguimos ultrapassar e que transforma o Porto-Benfica no jogo decisivo do campeonato, sendo que o Benfica tem a ligeira vantagem de ficar satisfeito com o empate e o Porto a vantagem de jogar em casa, estar mais fresco e mais confiante.
.
E é por decisões como as que vi neste jogo que estou sempre de pé atrás com Jesus. Tão depressa nos dá um jogo fabuloso como o último da liga europa como depois não é capaz de perceber as limitações da equipa e os pontes fortes do adversário e agir de acordo com este enquadramento. Algo semelhante ao que aconteceu em Guimarães na época passada. Uma equipa cansada exigia mais um elemento no meio campo de modo a reduzir as distâncias entre os jogadores. Um Ola John fora de forma mas fresco tinha que entrar no onze inicial (era o que imaginava no post anterior). Um André Almeida motivado ou mesmo outro homem do meio campo (sim, confesso, teria apostado em Carlos Martins) teriam que dar algum descanso a Enzo. Rodrigo fresco também teria que jogar na frente pois tanto Cardozo como Lima trabalharam bastante na noite europeia.  E já seriam alterações mais do que suficientes para dar maior capacidade fisica à equipa.É claro que com um pouco mais de sorte teríamos resolvido o jogo logo na primeira parte, que a lesão de Enzo foi uma grande perda, que a expulsão de Martins (deve ter assinado o guia de marcha com a ridícula acumulacao de amarelos!) retirou a possibilidade de ir à procura da vitoria nos últimos 15 minutos mas não justifica tudo...


E com isto veio a confiança toda abaixo e já nem sequer consigo pensar na final europeia que se disputa na próxima semana. A possibilidade de ver o título, uma vez mais, fugir para o Porto, está a bloquear tudo. No entanto, é tempo de acreditar na qualidade que a equipa tem, acreditar que Jesus se vai considerar entre a espada e a parede e assim tomar as melhores opções e jogar com apenas um avançado e Gaitán a 10 e acreditar que Enzo recupera. No fundo, acreditar que pelo menos nao perdemos no Dragão.

Meu caro Jesus, serviste-me das melhores bebidas nos ultimos tempos e andava bêbado e feliz. Na balança está a excelente primeira época, a humilhante segunda e o fracasso da terceira. Assim , se não me dás duas bebedeiras, das boas, até ao final da época, de bar não mudo de certeza e continuarei a ser cliente assíduo, mas não vou querer que continues a ser o barman que me serve as bebidas.

Sem comentários:

Enviar um comentário