13/05/2013

Balanço antecipado: o pior Sporting de sempre!



Deixem-me aproveitar enquanto os meus parceiros de blog não dão início às hostilidades relativas ao clássico de Sábado para antecipar um balanço que podemos desde já fazer desta época quase a terminar: trata-se da pior época de sempre do futebol do Sporting.

A palavra-chave, aqui, só pode ser uma: desastre! Sei que o Benfica já acabou em 6º e que o Porto em tempos ficou em 10º, mas não podia estar mais indiferente a tais factos históricos. A realidade é que acima de 6º não ficamos. E corremos, ainda, o risco de ficar em 10º, caso aconteça uma conjugação estranha (mas possível) de resultados. É a pior classificação de sempre, aconteça o que acontecer.

Antes de falar do momento e do jogo do Sporting, só duas notas prévias:

a) eu tinha dito aqui que o Estoril não faria 7 pontos nos últimos 4 jogos, pelo que até nos poderiam bastar 9 para ir à Europa. Ora, se a vitória no Estoril frente ao Braga era inesperada, o que dizer do empate na Luz? Só posso retirar uma conclusão: os sportinguistas são acusados de ser anti-isto e anti-aquilo, mas foram os benfiquistas a colocar em causa a vitória no campeonato só para nos impedirem de ir à Europa! Além de anti-sportinguistas, são mal agradecidos - é que o empatezito com o Porto em Alvalade não foi propriamente fácil de conquistar...

b) o golo que dá a vitória ao Estoril sobre o Beira-Mar é um escândalo. Eu sei que o Rui Rego não é um rapaz especialmente dotado para a arte de defender balizas mas, caramba, se aquilo não é falta então não sei o que será. Claro que não acredito numa conspiração para prejudicar o Sporting (ou o Beira-Mar, by the way) mas se o árbitro não viu aquilo, não pode apitar na I Liga.

Quanto ao Sporting, vamos por capítulos, muito rapidamente (porque o balanço propriamente dito farei depois):

I - O jogo contra o Olhanense

1. Mais uma vez, mesmo não jogando grande coisa, poderíamos ter goleado. Bruma falha duas oportunidades incríveis (uma delas escandalosa), Schaars outras tantas, Wolfswinkel também falhou a sua, enfim... Merecíamos não ter sofrido na parte final.

2. Continuamos a sofrer em demasia nas bolas paradas. O que justifica isto, não consigo entender. Sei que Ilori e Rojo estão cada vez melhores como dupla, mas isso não ajudou a estabilizar defensivamente a equipa. Não é só o sofrimento nas bolas paradas. É o facto de permitirmos tantas bolas paradas contra nós na fase final dos jogos. É uma das prioridades da próxima época.

3. Destaques pela positiva para Adrien (bom jogo a trinco), Capel (boa entrada e grande golo), a já referida dupla de centrais e Joãozinho, com um par de cruzamentos de qualidade. Pela negativa, Carrillo - péssimo jogo (mas parem de assobiar o rapaz, assobiem os adversários por favor!). Num destaque agri-doce, temos Zezinho - muito bem com a bola nos pés, mas fartou-se de fazer faltas desnecessárias.

4. Wolfswinkel merecia um golo na despedida. Sempre o defendi aqui, não por mero sportinguismo mas por acreditar que poderia evoluir e tornar-se um bom jogador. Não evoluíu na segunda época o que seria de esperar mas, olhando ao que foi a época, quem poderia exigir mais ao ponta-de-lança holandês? Desejo-lhe sorte no Norwich, é um grande profissional e pode ser muito melhor do que aqui demonstrou.

II - O balanço que podemos fazer por ora

1. A equipa evoluíu com Jesualdo. Não conquistou o objetivo, mas as condições de Jesualdo eram muito complicadas. Já o escrevi várias vezes, Jesualdo deveria ficar. Aliás, deveria ficar com um contrato de pelo menos 2 anos, idealmente 3 anos, com objetivos perfeitamente claros (e realísticamente acessíveis) para cada uma das épocas.

2. Como disse há pouco tempo, creio que o Sporting precisa de 6 jogadores, partindo dos seguintes pressupostos:
a) Ilori, Dier, Rojo, Rinaudo, Adrien, Labyad, Carrillo, Bruma e Capel não saem;
b) saem Patrício, Boulahrouz, Joãozinho, Schaars, Jeffren e Wolfswinkel;
c) Evaldo, Onyewu, Pranjic e Bojinov são dispensados.

3. Qualquer pressuposto não verificado implica uma ginástica (financeira e de prospeção) terrível. Em particular, espero que se consigam manter Ilori, Dier, Bruma, Carrillo e Capel. Carrillo precisa de um bom treinador e de motivação. Caso contrário, será um talento desperdiçado. Capel, nota-se, gosta de estar no Sporting. Os outros três podem ir longe e evoluir nestes 3 próximos anos. Mais do que ginástica na prospeção, é preciso ter a capacidade de perceber o custo de oportunidade de deixar sair estes jogadores.

4. Bruno de Carvalho já devia, há muito, ter definido (e anunciado) a estrutura do futebol profissional. Hoje o Record diz que Inácio vai tentar convencer Jesualdo. Parece-me bem. Até porque me parece que a inexperiência de BC nestas andanças pode ter dificultado as negociações - se tivesse definido (e anunciado) como seria a estrutura, era escusado estar a discutir na imprensa se Jesualdo quer poder, autonomia ou o que seja. Jesualdo seria convidado para o papel que lhe pertencesse na estrutura e aceitaria ou não consoante lhe agradasse, ou não, esse papel. No FCP ninguém discute autonomia; já no SLB, o treinador sabe que tem que ser mais do que treinador. A estrutura, em ambos os casos, é clara: na primeira, o presidente dita a política desportiva e a construção do plantel; na segunda, o presidente dá orientações e um orçamento e o treinador gere como se de um manager à inglesa se tratasse. Gosto mais do segundo modelo, embora reconheça que em Portugal o primeiro tem funcionado melhor. O do Sporting até poderá ser um "tertium genus" mas o verdadeiramente importante é que BC saiba qual é! Parece-me que o próprio ainda não o sabe...

5. O meu palpite? Difícil Jesualdo ficar. Aí, pergunto: quem está disponível no mercado que possa garantir um trabalho de igual qualidade? Mais um exercício de ginástica complicado para BC e sua equipa...

***

E por agora? Bem, por agora, resta-nos ganhar ao Beira-Mar para acabar acima dos 40 pontos e evitar ser pior do que 6º ou 7º...

Sem comentários:

Enviar um comentário