12/04/2013

Por que me fazes sofrer assim?!


Jesus está efetivamentediferente. Sugiro mesmo que, caso seja campeão de alguma competição que não aTaça de Portugal, se faça novo contrato de apenas um ano com opções derenovação sucessivas. Jogar com aquela táctica e com aqueles jogadoresera o que se exigia e, mesmo contra as suas crenças mais profundas, lá deixou asolução dos dois avançados de fora. Resultado: grande, grande primeira parte doBenfica! Eliminou qualquer tentativa do Newcastle chegar à baliza de Artur comperigo, praticamente não se viu o brasileiro a fazer uma defesa e ainda teve várias oportunidadesde golo que acabou por desperdiçar. Sendo assim, todos começámoslogo a perceber que ainda haveríamos de sofrer por conta de tantos falhanços.

Na segunda parte, com as mexidasno Newcastle e a entrada de Ben Harfa, o Benfica deixou-se levar pela alma dos “ingleses” e foi encostandoem demasia à sua grande área. Pior do que isso, não teve a capacidade de sairem contra-ataque e aproveitar os enormes espaços que começaram a surgir nomeio-campo adversário. Pareceu-me mesmo que o cansaço começou a tomar conta de alguns jogadores do Benfica, especialmente Matic. Se tanto recuo jánão era bem-vindo, pior foi o desentendimento infantil que levou ao golo doNewcastle. Com o golo aos 70 min só me lembrava das palavras do Alan Pardew adizer que bastava marcar o primeiro golo a 20 minutos do fim para dar a volta àeliminatória. Foi então, com algum sufoco, que fui vendo o resto do jogo e comgrande desespero que vi Gaitán a não finalizar o que parecia um golo fácil. A boa jogada e o golo de Salvio no final, foi bom para descomprimir mas já não deupara apagar tanto sofrimento. Agora, este argentino, vale cada euro do forte investimento (curtam o sorriso do homem na foto). E é mesmo isto: na 1ª mão ainda olhava para aLiga Europa de lado e só queria que se preocupassem com o campeonato mas depoisda vantagem conseguida e sem campeonato no próximo fim-de-semana, já me édifícil não pensar em chegar à final. Só que depois olho para o calendário e percebo que os jogos precedem as visitas ao Marítimo e ao Porto (corrijo, afinal é Estoril). Assim recomendo a mesma estratégia: 1ª mão equipa com alguns titulares de fora e, se não perder mais pontos no campeonato, equipa na máxima força na 2ª mão, repito, se não perder pontos no campeonato.



Destaques:
- Jesus que esteve bastante bem amontar a equipa. Tenho mais dúvidas nas substituições. Lima estava a precisarda troca mas colocar dois avançados…foi estranho. É certo que ajudava a que oNewcastle não viesse todo para cima do Benfica mas a 15 minutos, num tudo ounada, duvido que se preocupassem muito com isso. Os amarelados Enzo e AndréAlmeida e com este último em dificuldades, pareciam-me muito maisjustificáveis mas a verdade é que resultou!
- André Almeida teve um jogo bemmais fraco do que o que nos vinha a habituar. Apesar do maior nível dedificuldade deste jogo, parece ter acusado o ambiente e a importância do jogo eesteve demasiado precipitado;
- Salvio pela excelente primeiraparte;
- Enzo por ser um jogador cadavez mais completo. Adoro a garra misturada com a clarividência e ainda acapacidade de ir para cima dos adversários com a bola controlada. Só osamarelos ridículos que continua a acumular é que são de dispensar;
- Gaitán foi o homem do jogo edeve ter reaberto o seu mercado inglês.

Com um dos favoritos fora dacorrida, tudo é possível. O Chelsea continua a ser o adversário mais complicadomas pode ser que o sorteio seja simpático. Se não o for, também não se podedizer que não esteja ao alcance deste Benfica. Mas o desgaste para o campeonato não me deixa de preocupar...

Sem comentários:

Enviar um comentário