18/04/2013

O derby e a próxima época

Quanto ao derby, muito rapidamente:

1. O Benfica é obviamente favorito e sê-lo-ia também se o jogo fosse em Alvalade e mesmo que o Sporting tivesse começado a recuperar mais cedo.

2. O derby é decisivo para o Benfica mas duvido que o seja para o Sporting. A (inesperada) vitória em Braga deu-nos os 3 pontos de que precisávamos para nos mantermos na corrida até ao fim, ainda que tropecemos este fim-de-semana. E a presença do Vitória na final da Taça facilita as contas: basta torcer todos os fds pelo Sporting e pelo Vitória!

3. A gestão de Jesus neste ano permite que o Benfica não chegue fisicamente debilitado a Abril (nas anteriores épocas até começou a cair antes, em Março) pelo que temo mais pela quebra física dos nossos, devido ao ritmo que o Benfica impõe.

4. O Sporting deve jogar com inteligência e procurar ganhar o jogo com as armas que tem. Um jogo tipo Sporting-Porto (o da segunda parte) seria bastante positivo. A ver se conseguimos aguentar a pressão do Benfica na primeira meia-hora e começar a assustar ainda na primeira parte.

5. Se fosse eu a decidir, o Sporting alinharia com Patrício, Cedric, Dier, Rojo e Joãozinho, Rinaudo, Adrien e André Martins, Capel, Carrillo e Wolfswinkel. Como não sou, provavelmente jogaremos com Patrício, Cedric, Ilori, Rojo e Joãozinho, Rinaudo, Dier e André Martins, Capel, Labyad e Wofswinkel.

E vamos a eles!

***

Relativamente à próxima época, apenas algumas notas:

1. Tenho tentado fazer simulações dos orçamentos desta e da próxima época juntamente com alguns amigos e é um exercício extremamente complicado. Não porque não haja soluções, simplesmente porque desconhecemos os limites orçamentais que nos vão ser impostos. Fala-se de uma redução de 35%, mas, como muito bem se foi perguntando noutros blogs, resta saber se os 35% incidem sobre o orçamento inicial (44M€) ou sobre a versão atual, após a revolução de Janeiro. Se for sobre este último número, vai ser muito complicado compor o plantel da próxima época.

2. A esmagadora maioria dos jogadores que o Sporting emprestou este ano não cabem no próximo plantel. Desses, há uma lista de 4 que considero as principais liabilities do Sporting: Bojinov, Pranjic, Onyewu e Evaldo. Qualquer negócio que não implique custos adicionais com estes jogadores é positivo, mesmo a entrega do passe. Qualquer euro que entre é positivo. Vendas a valores de mercado são negócios excecionais.

3. Há, depois, outros emprestados que têm que ser também avaliados: André Santos, Wilson Eduardo, Nuno Reis, Diogo Salomão, Renato Neto. Há outros para além destes, mas conheço-os muito mal (um exemplo: William Carvalho, emprestado ao Cercle Brugges). Quanto a estes, conto com os três primeiros, não com os dois últimos. O cenário de empréstimo pode colocar-se mas como não vejo grande futuro nestes jogadores soluções definitivas são sempre melhores.

4. Do atual plantel, podemos assumir as transferências de Patrício e Wolfswinkel. Eu adicionalmente transferiria (sendo realista) Boulahrouz (mesmo que a custo 0), Schaars ou Adrien (ou os dois se tivermos capacidade, por exemplo, para assegurar um Hugo Viana a custo 0) e Jeffren (a muito custo porque continuo a achar que é um jogador tremendo - mas o critério tem que ser o rendimento e não a qualidade). Não exerceria as opções por Joãozinho e Ventura (resta saber se efetivamente não adquirindo Ventura podemos ter opção sobre outro jogador do FCP, mas nem vou contar com isso).

5. Assumindo um plantel principal de 22 (2 por posição, podendo recorrer à Equipa B quando necessário), ficaríamos assim com os seguintes jogadores:
GR- Boeck
DD - Miguel Lopes e Cedric
DE - comigo seria Rojo
DC - comigo seria Dier e Nuno Reis, vou contar também Ilori (já explicarei melhor)
MD - Rinaudo e André Santos (para suplente de Rinaudo estaria bem)
MC - Adrien
MO - André Martins e Labyad
ED - Carrillo e Bruma
EE - Capel
AV - Viola

6. Como se pode ver, a vida não está fácil porque faltam 1 GR, 1 DE, 1 DC, 1 MC, 1 EE e 1 (ou 2) AV. Pelo menos 6 jogadores. Desses 6, a meu ver, apenas 2 ou 3 podem/devem ser preenchidos com recurso à equipa B, sob pena de ser impossível formar uma equipa minimamente competitiva (leia-se, para pelo menos sonhar em disputar o 3º lugar).

7. Face aos recursos que temos, parece-me que podemos completar com recurso à equipa B as posições de DE (parece que o Turan fez uma boa época na Turquia) e eventualmente MC (Zezinho ou João Mário) e EE (Wilson Eduardo, que aliás também poderia ser o segundo AV). Nas restantes (GR, DC e AV) temos que recorrer ao mercado. No eventual segundo AV (assumindo que Wilson Eduardo não conta para esse lugar), dependeria de quem fosse o titular. Sendo um tipo indiscutível (um Liedson antes de se descobrir que afinal é um bandido), vivo bem com Rubio ou Betinho (porque não temos mesmo outras possibilidades). Sendo um Wolfswinkel ou um Ghilas, a concorrência terá que ser mais apertada.

8. Claro que o nosso mercado será o do custo 0, o dos empréstimos e o das oportunidades. Nem me atrevo a sugerir nomes porque o mundo é muito grande! A título de exemplo, há um mercado brasileiro de 2º e 3º nível que é muito bem explorado pelos clubes menores e que temos que começar a tentar explorar também (de onde saíram nomes como Isaías, William, Paulinho Cascavel, Marco Aurélio, Artur, Derlei, Paulo Assunção, Maicon, Lima etc., jogadores que se afirmaram em Portugal em clubes pequenos ou médios e só depois saltaram para clubes grandes). É preciso é estar atento e trabalhar melhor do que os outros, porque claramente não temos as mesmas armas.

9. Essencial é não falhar em 2 posições: DC e AV. Em DC, porque as opções que temos são todas muito jovens. Ilori tem-se safado bem, mas precisa provavelmente de crescer enquanto jogador (já Dier, por exemplo, considero que tem personalidade para dar já este "salto"). Entre Ilori e Nuno Reis, confio mais na personalidade, maturidade e experiência deste último, pelo que Ilori seria o 4º central, alinhando pela equipa B quando se justificasse. Quanto ao AV, tem que ser um indiscutível. Fala-se no nome de Ghilas, que me agrada muito, mas não sei se é jogador para agarrar o lugar. E mesmo que seja, precisa de um outro AV (Viola não chega) que lhe dê luta.

10. Relevante também o MC, porque pode ser o jogador decisivo no ritmo de jogo da equipa. Um Elias com vontade de dar o litro seria o ideal. Schaars não é jogador para este tipo de papel. Mesmo Adrien só conta se o treinador disser que é aposta para titular, caso contrário tem que sair face ao que aufere. Viana poderia ser o jogador ideal, caso tenhamos capacidade para lá chegar. Nesse caso, o suplente poderia ser João Mário ou mesmo Zezinho. Mas perfeito, perfeito, seria encontramos por aí um Duscher...

11. Nota final para o seguinte: este ano ficarei mais feliz quando ler "Onyewu rescindiu" do que quando ler "Ghilas assinou". Porque a nossa competitividade no médio/longo prazo depende de se começar hoje a aplicar receitas básicas que aplicamos em nossa casa, como as de não gastar o que não temos. Por isso, tudo o que a direcção de Bruno de Carvalho consiga fazer no sentido de aliviar a folha salarial será muito bem-vindo. Mais importante do que contratar bem, este ano, é rescindir/transferir bem. Que todos tenham noção disto.

Enfim, muito trabalho pela frente, vamos acompanhando por aqui.

Por ora, rumo à vitória na Luz!

ADITAMENTO: Para a posição de EE e, simultaneamente, 3º AV, tenho sugerido nos círculos de amigos o nome do Wilson Eduardo. Acho que o rapaz mereceria uma oportunidade. Não o referi no post porque quando saltei para o detalhe, não me pronunciei sobre a posição de EE, mas na realidade fui injusto. Assim, corrigi o ponto 7 para permitir a entrada do Wilson no plantel da próxima temporada. Não é um jogador genial, mas pode jogar nos flancos e pode atuar na frente de ataque. E se Bruma evoluir, ficamos com boas opções nas alas: porque continuo a acreditar muito em Carrillo e porque um Capel bem orientado pode ser um jogador muito diferente, para melhor.

Sem comentários:

Enviar um comentário