18/03/2013

Finalmente, uma foto!


Sim, uma foto! Foto que significa vitória, como sabem. Têm sido poucas este ano, a partir de Junho volto ao registo habitual.

Não ganhámos folgadamente, mas convém dizer que até o merecíamos. Apesar de Jesualdo não me ter feito a vontade (insistiu em Dier a meio-campo e Bruma a titular), a verdade é que o Sporting fez um jogo razoável, construíu tantas oportunidades de golo neste jogo como em todo o "consulado" de Sá Pinto e Vercauteren (juntos) e, apesar da permissividade defensiva (o Vitória teve mais oportunidades do que as que o seu futebol justificava), foi de tal forma superior que o próprio José Mota reconheceu no fim a justeza do nosso triunfo, mesmo tendo o Vitória sofrido um auto-golo e um penalty daqueles que raramente se marcam.

A organização deste Sporting está a léguas do de Vercauteren. E foi principalmente esta a razão pela qual continuei a insistir nas melhorias do Sporting de Jesualdo mesmo nas derrotas. Jesualdo também erra, obviamente que sim, mas não em temas básicos como organização defensiva, forma de sair a jogar, posicionamento dos laterais, compensações, etc. Claro que é teimoso, principalmente com Eric e Bruma. Mas aqui já estamos a entrar no treinador de campo vs treinador de bancada típico em qualquer clube; não estamos na lógica do "só o treinador é que não vê que assim vamos descer de divisão".

Adiante. Com 27 pontos o Sporting, talvez pela primeira vez na época, fica psicologicamente mais próximo da luta pela Europa do que da luta pela manutenção. Pode ser que os jogadores se libertem dessa pressão e comecem a jogar um futebol mais consistente. Vamos ver. Por ora, há que dizer que a falta de hábito destas lutas de meio da tabela dá nisto: pensamos que estamos longe do 5º lugar, mas na realidade estamos a 4 pontos (na prática 5 porque o Estoril tem vantagem no confronto direto). A nossa medíocre prestação leva a que esqueçamos o quão fraquinhas são as outras equipas. As tais que são grandes fenómenos mas levam 0-4 em casa dos dois candidatos ao título...

Até ao fim acredito que podemos fazer 11 ou 12 pontos, no máximo. Ficaríamos com 38 ou 39, ainda longe dos 48 que, aquando da entrada de Jesualdo, antecipei como objetivo a atingir. No entanto, a continuar a instabilidade dos resultados dos opositores diretos, pode ser que com um forcing adicional (mais 3 pontos) os 40 e poucos cheguem para o apuramento. Isto tudo para dizer que, no improvável cenário de o Sporting ganhar em Braga, acredito que é possível o apuramento para a UEFA. Convém é que os candidatos à presidência, que já estão a contar com o não-apuramento, parem de falar da possibilidade de sermos excluídos pela UEFA!!

Entretanto, a 23 temos eleições. Acreditem ou não, estou ainda indeciso. Mas como não vou dizer aqui em quem votarei, é indiferente. Que os debates corram bem e ganhe o melhor.

Sem comentários:

Enviar um comentário