11/03/2013

Ah e tal, parece que jogámos Sábado

E parece-me que conquistámos 1 ponto pelo que me apercebi do jogo. Como este ano não ando a dar especial sorte, vi apenas a primeira meia-hora. E constatei que se repete permanentemente o mesmo erro em Alvalade: aplicar como grandes soluções estruturais (para gáudio dos blogo-histéricos para quem Fokobo já seria o novo Marcel Desailly) receitas que conjunturalmente resultaram em situações muito específicas.

Digamos a verdade em três atos:

1. Eric Dier jogou a médio contra o FCP, porque era o FCP. Ponto.
2. Fokobo entrou para central nos últimos 10 minutos porque não havia outra opção. Ponto.
3. O Sporting precisa de estabilizar um 11 para a grande maioria dos jogos. Ponto final.

Assim, e salvo situações excecionais, havendo outras opções para além das "de recurso", não inventemos. Repare-se que o próprio Dier, a central, já é, ele próprio, uma solução de recurso. Fokobo é o suplente da solução de recurso. Não está em causa o erro de Fokobo no penalty (claríssimo) que o injustiçado Wilson Eduardo converteu. Nada disso. Está em causa toda uma exibição na primeira parte e toda uma equipa que continua a não engatar.

Este Sporting vive de poucas coisas. E uma das poucas coisas que vem tendo é a agradável surpresa quanto ao rendimento de alguns jovens. Mas havendo Carrilo, Bruma tem que esperar. Havendo Adrien, Zezinho tem que esperar. Havendo Rojo, Ilori ou Dier terão que esperar. Sim, porque mesmo Ilori é uma solução de recurso, é bom lembrar.

Ou seja, o dificílimo trabalho de Jesualdo tem, a meu ver, um momento na semana menos difícil: o da escolha do 11. Porque para essa escolha devem contribuir fatores tão óbvios quanto (i) a rotina e (ii) a experiência dos jogadores. Não ponho em causa, naturalmente, o que possa ter sido a semana de trabalho com Jesualdo e se foi esse, de alguma forma, o fundamento das escolhas, desde já retiro o que disse. Mas o que me parece é que a solução de Dier a meio-campo, que correu bem contra o FCP, foi pensada para aquele adversário, e não como estratégia de fundo.

Assim, o 11 normal deveria ser este:
GR: Rui Patrício
DD: Miguel Lopes
DC1: Boulahrouz
DC2: Rojo
DE: Joãozinho
MD: Rinaudo
MC1: Adrien/Schaars
MC2: André Martins/Labyad
ED: Carrillo
EE: Capel
AV: Wolfswinkel

Infelizmente, só em duas posições há opções neste momento. Essas posso tentar compreender. Posso discordar, mas tento compreender.

Não sendo possível este 11, então sim, avancemos para as opções de recurso:
GR: Boeck
DD: Cedric
DC1: Ilori
DC2: Dier (reparem como Fokobo só entra se houver 3 centrais indisponíveis...)
DE: desvie-se Rojo ou Miguel Lopes ou mesmo Dier
MD: recuar Schaars, ou Zezinho, ou mesmo Dier
MC1: Zezinho
MC2: João Mário
ED: Bruma
EE: Jeffren/Viola
AV: Rubio/Betinho/Viola

De notar que as semelhanças entre um 11 constituído pelas opções de recurso e a equipa B não são meras coincidências... O 11, na realidade, é a equipa B com os suplentes da A. Equipa B que segue em 3º na II liga, a 20 e tal pontos do líder Belenenses, equipa que para o ano, muito provavelmente, não fará mais do que 30/35 pontos na I Liga.

É que uma coisa é a equipa A, por fraca que seja, com alguns elementos da B. Outra, bem diferente, é a equipa B + suplentes da A constituir meia equipa. Com Cedric, Ilori, Fokobo, Dier e Bruma, foi isso que fez Jesualdo. Que me parece estar a fazer um bom trabalho em circunstâncias complicadas. Mas, ainda assim, a abusar do experimentalismo...

Termino dizendo o que seria o meu 11 no próximo jogo, assumindo a indisponibilidade de Boulahrouz:
GR: Rui Patrício
DD: Miguel Lopes
DC1: Dier/Ilori (esta deixo para o Jesualdo, como achar melhor)
DC2: Rojo
DE: Joãozinho
MD: Rinaudo
MC1: Adrien/Zezinho (nesta concedo porque o Adrien anda a jogar novamente muito mal, segundo rezam as crónicas)
MC2: André Martins/Labyad (outra para o Jesualdo)
ED: Carrillo
EE: Capel
AV: Wolfswinkel

O onze mais rotinado e mais experiente. Se acabar por entrar Zezinho, repare-se que estão 2 suplentes/Bs em 11 e não meia equipa. A ver se Jesualdo não segue o (mau) exemplo dos seus predecessores, ignorando o seu amigo e conselheiro Koba...

Sem comentários:

Enviar um comentário