14/01/2013

O equilíbrio esteve melhor

Apesar de o título deste post também se adequar ao resultado final, estou aqui a falar de outro equilíbrio. O reconhecimento de uma equipa que foi isto mesmo: mais equilibrada e que por isso esteve melhor.O Porto, com mais unidades no meio campo, controlou melhor o jogo e, por isso, parecia que estava sempre em melhor posição para atacar a vitória na partida. No entanto, também não teve a capacidade de concretizar este controlo e de colocar em sério perigo a baliza de Artur em toda a segunda parte, daí que o empate também não deixe de ser justo.

O mais engraçado é que, mesmo com este reconhecimento à organização dos azuis, neste empate a dois golos há uma oferta incrível de Artur para o segundo golo e a melhor ocasião da partida desperdiçada por Cardozo. Ou seja, esta característica do futebol em que nem sempre quem está melhor na partida acaba por vencer, poderia mesmo ter ditado a vitória do Benfica.

Jogar numa táctica com dois avançados quando não existe um Ramires de um lado e um constante desequilibrador do outro, dificilmente dá bons resultados contra as grandes equipas. Pode chegar para as outras 14 equipas do campeonato mas não para esta que está no mesmo patamar do Benfica (um pouco acima ou um pouco abaixo, depois se verá no final do campeonato). Com um trio experiente e de qualidade composto por Fernando, Moutinho e Lucho, não há como evitar o futebol directo quando apenas se tem Matic e Enzo. Ainda para mais quando o Porto abdicou de atacar pelo lado direito já que Defour estava mais preocupado em dar consistência ao miolo do que em subir na linha (também não sabe para isso). É isto que Jesus teima e vai continuar a teimar em não perceber. E é por isto que considero que Jesus nunca conseguirá colocar o Benfica no lugar em que tem que estar. Mesmo que o amarelo de Enzo possa praticamente ter impossibilitado este reforço do meio-campo, juntando Martins por troca com Lima (e preferia que fosse por Cardozo), não é colocando Aimar perto de Cardozo que também o consegue.


Em grande esteve novamente Matic e até com um fantástico golo, acompanhado pelo melhor Jardel. Do outro lado, um Artur que impediu pela primeira vez uma vitória com um "enterranço" do outro mundo e Salvio que nunca carburou e na segunda parte preferiu rematar em vez de assistir Cardozo que só teria que encostar. 

Quanto às críticas de Vítor Pereira em relação à arbitragem, também acho que tanto Matic como Maxi deveriam ter sido expulsos. Foras-de-jogo não tive oportunidade de ver mas também só me recordo de um que era situação clara de golo e o mesmo erro foi feito a Aimar que era situação de ainda maior perigo (cabeceou ao lado mas se fosse golo...). E depois da época passada, quem é o palhaço para falar de foras-de-jogo na Luz?!

Resta fazer um campeonato à prova de bala, na esperança de que o Porto escorregue mais que o Benfica e que Janeiro traga o devido reforço do meio-campo. Gosto dos miúdos mas ainda não chegam para uma equipa campeã.

Sem comentários:

Enviar um comentário