07/12/2012

Nem assim...

O Barcelona ofereceu-se ao Benfica. Assim, como uma cheerleader que fortemente alcoolizada depois de uma noite de festa e com o discernimento claramente afectado, se decide trancar no quarto de sua própria casa com um dos jogadores da equipa de basket. Só que desta vez, não é o capitão nem um dos seus melhores amigos que consegue tal prémio, é apenas um dos que não costuma participar nos grandes jogos a que toda a escola assiste nas bancadas. Pouco habituado a estar com as miúdas mais apetecíveis da escola, ao estar ali, num quarto à meia luz com a principal cheerleader já com a sua camisola de futebol como única peça de roupa, num cenário e em circunstâncias quase impossíveis de se voltarem a repetir, sucumbe à pressão e não consegue... fazer o GOLO (reparem como podia ter dito, numa perfeita analogia, "metê-la lá dentro", mas acabei por resistir à tentação).

Basicamente foi isto. Era o todo poderoso Barcelona, com a equipa mais acessível que se podia imaginar, e mesmo assim, o Benfica não foi capaz de sequer marcar um golo. As oportunidades nem foram poucas mas a falta de estofo de uma equipa pouco habituada a grandes vitórias (também perceptível nos momentos-chave das competições internas), fez com que, mesmo quando tinha tudo para marcar um golo fácil, o nome do adversário, o nome do estádio ou as vezes que colocou aquela equipa num pedestal, simplesmente não saíssem da cabeça e se tornassem num bloqueio intransponível. Por compromissos que não consegui adiar, só vi a primeira parte mas foi o suficiente para quase entrar em colapso ao ver o falhanço do Rodrigo quando tinha o Nolito ao lado ou Ola John a fazer tudo bem e depois falhar o mais fácil. 


Era uma oportunidade de ouro, eram milhões de euros que estavam ali para agarrar e aproveitar para fortalecer a equipa para o campeonato (que bem precisa) e foram escandalosamente desperdiçados. Era perfeito. Depois podíamos ser rapidamente eliminados e concentrar todas as forças na Taça de Portugal e Campeonato. Sim, porque depois da eliminação do Porto, o Benfica não pode falhar uma vez mais o Jamor e a conquista deste troféu que já nos foge há muitos anos. Para ainda tornar a noite mais irritante, soube depois que o Celtic venceu através de um penalty muito duvidoso já perto do final do jogo. Há noites assim...

Do que vi:
- Ola John continua a ser o elemento mais em evidência. Pena a perdida na cara de Pinto;
- Rodrigo está a precisar urgentemente de marcar em dois ou três jogos seguidos para ver se limpa a cabeça de vez;
- André Gomes, tendo em conta a idade e experiência, esteve muito bem. Estou na dúvida se a qualidade técnica que evidencia será suficiente para compensar o facto de ser algo lento mas está a entrar bem na equipa;
- Percebi a opção de Jesus ao querer aproveitar a motivação extra de Nolito, mas era jogo para tentar, mesmo com poucas esperanças, que Gaitán fizesse o devido uso da sua qualidade e velocidade;

Quanto ao resto, uma questão: alguém percebe porque é que Miguel Rosa, com tão poucos médios disponíveis, não tem uma oportunidade? Melhor jogador da Segunda Liga, golos atrás de golos, raça e fica apenas a ver os colegas a subirem à equipa principal? Será que é por ser tão parecido, tanto fisicamente como a jogar, com Nolito? Não percebo... Assim como não percebo as declarações de Jesus no final. "Fizemos em Camp Nou o que mais nenhum equipa foi capaz de fazer"?! Somos todos parvos?

Só espero que Jesus não desgaste a equipa na Liga Europa atrás de um qualquer sonho europeu ou promessa eleitoral. 

Segunda, vamos ao que interessa!



Sem comentários:

Enviar um comentário