26/11/2012

Vitória natural

Com Jesus a continuar uma saudável rotação dos avançados e com Carlos Martins a voltar e a permitir o descanso a Pérez, o Benfica recebeu o Olhanense e naturalmente venceu. De resto, não há grande história. O Benfica entrou muito forte e com vontade de resolver o jogo rapidamente, já que um jogo a meio da semana para a Champions faz sempre mossa. Não aproveitou as inúmeras oportunidades que criou na fase inicial mas através de um penalty, talvez um pouco forçado, lá se adiantou no marcador e depois só por volta dos 70 minutos é que chegou ao golo do descanso. Mesmo com uma segunda parte em ritmo bastante lento, o desperdício não deixou de imperar.



Se na última jornada disse que era importantíssimo ganhar mesmo quando não se joga bem, também considero que, em jogos em que a superioridade é por demais evidente, não vale a pena tentar colocar o rolo compressor em movimento. Basta chegar rapidamente a uma vantagem confortável, gerir o esforço e aproveitar para rodar a equipa. Não é o que os adeptos mais gostam mas é um mal necessário para se chegar forte aos jogos mais complicados e não perder o fôlego até ao final da época. Neste jogo só deu Benfica pelo que a vitória foi mais que natural.

Algumas notas:
- Rodrigo está a precisar urgentemente uma boa dose de confiança. Percebe-se que se está a deixar afectar por uma grande ansiedade e assim teima em voltar ao alto nível que chegámos a ver na época passada. Começou muito bem a partida mas logo as perdas de bola começaram a surgir e depois praticamente desapareceu do jogo;
- Matic continuou com as boas exibições;
- Salvio desperdiçou demasiadas oportunidades;
- Ola John continua a colocar um sorriso nos adeptos;
- Melgarejo está bastante melhor mas continua a não me convencer. Na verdade irrita-me grande parte das acções que tem em campo, desde as movimentações ofensivas e passes a queimar, até à moda das mangas com buracos para os polegares.
- Gostava de ver mais duas variantes nas opções de Jesus: Rodrigo com Lima mas com o espanhol a jogar mais adiantado e Matic, Carlos Martins e Enzo a jogar com apenas um avançado.


A seguir, para o campeonato, uma difícil e importantíssima deslocação a Alvalade contra um Sporting ferido (e de que forma!) no orgulho.


5 comentários:

  1. Gorbyn,
    Alvalade é sempre difícil mas este ano, convenhamos, está ao alcance de um Benfica concentrado e profissional. Nem tem que ser brilhante, basta cumprir e jogar organizado.
    Face à diferença entre os dois coletivos, o Benfica é super favorito. Já o tem sido nos últimos anos (o ano passado talvez não) e tem-se limitado a cumprir. A única hipótese de perder o jogo é encará-lo com desprezo porque apesar de tudo os jogadores do Sporting vão ver nesse jogo a grande oportunidade de reconquistar os adeptos. Mas com um Benfica a 100%, será muito complicado.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. É verdade mas não deixará de ser praticamente o jogo da época para o Sporting enquanto que para o Benfica será "apenas" o jogo complicado que se segue a uma dificílima deslocação a Barcelona e todos sabemos o desgaste físico que provoca andar 80% do tempo a correr atrás da bola. Ainda para mais quando sabemos à partida que Jesus não minimizará este efeito reforçando o meio-campo. Abraço

    ResponderEliminar
  3. E depois há imbecis como um tal de Rui Gomes da Silva (que tem a responsabilidade acrescida de ser vice-Presidente do Benfica) que vem dizer em programas com uma razoável audiência, ontem á noite, que ganhar ao Sporting era um dado adquirido!!! Assim, sem mais... Mas ele não sabe que este jogo tende a escapar a todo e qualquer tipo de lógica??? Eu digo aqui frontalmente e para quem quiser ler/ouvir: neste momento, se me oferecessem um empate em Alvalade aceitava já. Claro que sei que o Benfica está mais forte, o Sporting uma valente porcaria, etc, etc etc... mas não deixa de ser um derby, um jogo no qual o momento das equipas nada interessa. E a equipa deles vale (um bocadinho) mais do que tem mostrado até agora...

    ResponderEliminar
  4. Nem mais Galaad, é derby! É o jogo em que os jogadores do Sporting esquecerão guerras internas (eventuais salários em atraso?) e farão tudo para voltar a conquistar os adeptos. E também concordo que a equipa de Alvalade vale mais do que tem mostrado, só não tem existido motivação suficiente. Agora, não aceitava o empate hoje mesmo tendo a consciência que podemos perfeitamente perder o jogo. Assusta-me que alguém da estrutura assuma a vitória sem receio...

    ResponderEliminar
  5. Galaad,

    Não me tinha lembrado do que diz o Gorbyn sobre a deslocação a Barcelona. Mas, ainda assim, um empate nestas circunstâncias não é um bom resultado para o Benfica. E olha que nem com o Carvalhal ou o Paulo Sérgio te disse algo deste género (aliás, com o Carvalhal, critiquei o Jesus por ter jogado para o empate em Alvalade).

    Por outro lado, este Porto não é o do ano passado. Se lhes dás vantagem, vão por ali fora. Perdeu o grande desequilibrador, mas ganhou um coletivo muito mais forte. Só no Porto é que estas merdas acontecem, confesso que nunca pensei... Aliás, nas minhas previsões de início de época, só acertei relativamente ao Benfica, quanto a Porto e Sporting falhei redondamente. E já se sabe que quando o Porto dispara, depois já não tropeça. Seja pela consistência, seja pelos Proenças da vida que dão um jeitinho quando a coisa aperta.

    Abraços

    ResponderEliminar