21/11/2012

Colocar o Celtic no seu lugar

Quem viu este jogo, apenas se pode perguntar como é que esta equipa do Celtic venceu em Moscovo, quase empatou em Nou Camp e derrotou o Barcelona em casa. O Benfica dominou, criou oportunidades, falhou muitos golos, acertou no ferro, proporcionou grandes defesas a Forster e viu defesas a evitar o golo em cima da linha. Não foi um super Benfica mas foi competente, objectivo, a jogar ao ataque e chegou mesmo a ser empolgante. Confesso que já tinha saudades de uma noite europeia destas, com um Benfica de raça, com muita emoção e com a vitória a sorrir ao Benfica no final.


Pelo meio, ainda demos a borla aos escoceses. A já conhecida e imbecil ideia de considerar que a linha da pequena área serve para fazer uma fila indiana de jogadores encarnados, voltou a causar estragos. Será que Jesus não percebe que simplesmente não funciona, que permite que os adversários saltem à bola sem oposição e que, apesar de Artur não ter feito tudo o que podia, até possibilita que o adversário perturbe a sua acção?! Se estavam bem avisados para o ponto forte do Celtic (e talvez o único), não tinham a lição bem estudada! A verdade é que, depois do empate, o Benfica podia ter chegado à vantagem por várias vezes e depois de o conseguir, o 3-0 esteve muitas vezes à vista. Mesmo assim, ainda deu para um susto no final.

Destaques:
- Artur, apesar de mal batido no golo, esteve sempre bastante seguro e até parecia que a bola  e o relvado molhados não causavam qualquer diferença ao brasileiro;
- André Almeida, surpreendentemente a titular, esteve em bom plano tanto a defesa direito como a trinco. Muito bem para quem tem tão pouca experiência e tão poucas oportunidades a titular;
- se da última vez disse que Garay esteve simplesmente sublime hoje esteve ainda melhor;
- especialmente nas competições europeias, percebe-se como Luisão faz falta;
- Ola John continua a subir de jogo para jogo. Está imparável;
- Lima continua em grande. Para além o trabalho dos alas, era através dele que o Benfica conseguia os principais desequilíbrios;
- Gaitán simplesmente horrível. Que desperdício de talento...


O cenário para a última jornada não é o melhor mas ainda tudo é possível. Uma eventual gestão do esforço dos catalães seria uma boa ajuda caso Messi não esteja obcecado com o record de golos num ano. Uma ajuda dos russos também era muito bem vinda. 


Sem comentários:

Enviar um comentário