08/10/2012

Vitória mais difícil do que se esperava

O Benfica começou o jogo com o Beira-Mar da pior forma. Um erro monumental de Artur e os aveirenses desde cedo em vantagem. Depois, as dificuldades já habituais. O meio-campo não cria desequilíbrios (com apenas dois jogadores, sendo que um deles recua para junto dos defesas no início do processo ofensivo, também não se pode esperar outra coisa) e os dois avançados não são servidos da melhor forma. Mesmo assim, com um pouco mais de sorte, o Benfica poderia ter chegado ao empate durante a primeira parte. Ridícula foi a grande penalidade assinalada a favor do Benfica, quando até é Maxi que comete falta. Até preferi que Rodrigo não tivesse concretizado. Se é para vencer, que seja com todo o mérito e não beneficiando de erros arbitragens como habitualmente vemos surgir para outros lados ou para os nossos adversários de fim-de-semana.

Na segunda parte, o Benfica entrou com mais velocidade e mais pressionante, e conseguiu rapidamente dar a volta ao marcador. Grande golo de Maxi no primeiro e excelente combinação entre Rodrigo e Lima no segundo. A seguir ao 2-1 não se viu muito mais. Os adeptos esquecem-se do jogo que o Benfica teve a meio da semana e da sova física que levou. A correr quase sempre atrás da bola, os jogadores do Benfica fizeram mais 8 km que os do Barcelona. Por isso não é de estranhar a exibição apagada da equipa no resto da segunda parte. Jesus fez bem em reforçar o meio-campo com Carlos Martins mas o internacional português voltou a fazer uma má entrada na partida.


Algumas notas:
- Faz falta um meio campo reforçado, seja com Aimar ou Carlos Martins, sobretudo porque Salvio gosta de encostar à linha e Pérez, apesar da raça com que cobre o meio campo e excelente critério ao soltar a bola, não tem a capacidade para fazer passes a rasgar a defesa adversária ou com um ou dois toques, colocar a bola na frente;
- Artur tem esta sorte. Sempre que compromete, o Benfica normalmente ganha ou quem marca está em posição irregular. Desta forma, os erros são facilmente esquecidos e apenas se dá valor às grandes defesas que seguram vitórias. Melhor assim, pelo menos não fica com a confiança beliscada;
- Matic voltou a fazer uma boa exibição. O sérvio está a crescer de jogo para jogo e a cumprir muito bem o seu papel;
- Lima tem estado em bom plano. Não tem recebido os passes que necessita mas a facilidade com que remata e a sua mobilidade é muito bem vinda. A assistência para Rodrigo é muito bem trabalhada;
- Que cena foi aquela do Jesus?! Para dar aquele espectáculo é porque estava a ganhar. Caso contrário estaria impávido e sereno no banco. Chama o Lima?! Era isso?! Foi assim tão grave? No estádio não percebi a razão de tanta irritação. Até o Raul José ia apanhando;
- A equipa está a precisar de dois jogos seguidos com boas exibições e vitórias expressivas para ganhar confiança. Ela própria ainda não está convencida que, depois das saídas de Javi e Witsel, tem o que necessita para conquistar o campeonato. Os adeptos também não mas isso não é o mais importante...



2 comentários:

  1. Finalmente vejo um benfiquista dizer que aquele lance não é penalty nenhum! Não vos fica mal nenhum admitir isso, mas também não foi por aí que o Beira-Mar perdeu. Mesmo assim, penso que o Benfica chega a vantagem com alguma sorte (no 2º golo a defesa do Beira-Mar foi simplesmente patética). Fizeram um jogo péssimo, tirando talvez alguns minutos da 1ª parte.

    ResponderEliminar
  2. Fraca exibição. E o cansaço não explica tudo...

    ResponderEliminar