01/10/2012

(In)coerências

Não sou dos que desvalorizam a coerência. A coerência, para mim, tem valor. Não nas atitudes, nas ideias ou sequer nas palavras, mas nos princípios. Podemos ter atitudes diferentes, mudar de ideias, variar o discurso, desde que essas atitudes, ideias e palavras tenham por base princípios sólidos que as norteiem. Muitas vezes, os mesmos princípios, perante situações diferentes, podem (devem!) inspirar diferentes reações. Mas os princípios, os valores, esses têm que estar sempre presentes.

Serve este início chatarrão (e que já deve ter desmobilizado metade dos leitores) para dizer que Sá Pinto foi incoerente no Sábado. Porquê? Porque se era verdade que era necessário um abanão no jogo contra o Gil, também não deixa de ser verdade que as medidas "drásticas" têm natureza meramente conjuntural, não devendo ser a regra mas sim a exceção. Coerente teria sido voltar a implementar o modelo anterior, depois do abanão que a equipa, efetivamente, sentiu.

Claro que a metade dos leitores que começou a ler o post e que continuou até aqui está a perguntar-se neste momento: "Mas este gajo é maluco ou quê? Então ele não elogiou o risco total do jogo contra o Gil Vicente? Vou já fechar isto e passar para outro blog". Ora, mesmo reduzido a 1/3 da audiência inicial (e desde já o meu obrigado aos que continuam a ler-me), penso que tenho o dever de explicar porque entendo que Sá Pinto foi incoerente. E, por arrasto, porque entendo que eu não estou a sê-lo.

Sá Pinto foi incoerente porque abdicou dos seus princípios de jogo. A alteração que se pedia, o safanão, tinha muito mais de motivacional e emocional do que de tático. Sá Pinto foi mais longe: deu um safanão psicológico E tático. Que resultou, perante a evidência de que podia ter corrido mal. Na altura, eu escrevi que "poderia ter corrido muito mal, mas o Sporting ainda é o Sporting. O princípio de Murphy passa, agora, para outro." Ou seja, contrariámos a lei de Murphy e o que poderia ter corrido mal, não correu. Conjunturalmente. Excecionalmente. Por uma vez.

[Neste momento, estou reduzido a 1/5 dos leitores iniciais, esta auto-citação enerva muita gente! E com razão]

Mas o sistema de jogo contra o Gil não pode nunca ser o modelo de jogo para o nosso plantel. Reparem: com 2 avançados no plantel, jogamos com 2 avançados na equipa titular? Foi isto que foi pensado? Com múltiplas opções para médio interior/box-to-box com bastante qualidade (Adrien, Elias, André Martins, Schaars), é razoável pensar que nenhum vai jogar? Claro que não.

Por isso, de duas uma: ou Sá Pinto quis dar o tal safanão e, tendo a coisa corrido bem, tentou aproveitar novo jogo em casa contra adversário de menor valia para fazer render o peixe; ou, na realidade, depois do safanão dado e elogios recebidos (normalmente de ignorantes que dizem "vêm como temos sempre que jogar com 2 avançados?", como se o Porto não fosse cronicamente campeão há 20 anos a jogar com apenas 1), receou a reação da bancada se voltasse ao esquema habitual. Não quis ser visto como um cobarde, não quis correr o risco de empatar 0-0 se iniciasse com o modelo em que eu acredito que ele acredita.

Se foi a primeira, fico preocupado - será que é possível que alguém acredita que aquele é o melhor sistema para este plantel, tendo as opções que nós temos para o meio-campo? Não me parece!

Acho, pois, que foi a segunda. E que Sá Pinto foi incoerente com as suas ideias, cedendo à pressão das bancadas, numa altura em que os seus (poucos) defensores lhe elogiavam a coragem de persistir com um sistema de jogo que privilegia, entre outras coisas, a ligação entre as camadas jovens e o plantel sénior, algo que deveria ter sido feito há muitos anos e nunca ninguém teve coragem de fazer. E mesmo os que são céticos perante as suas qualidades diziam que "Sá Pinto teve a versatilidade de, conjunturalmente, mudar o sistema em que acredita. Era o que se lhe pedia. Teve essa humildade e eu, que nunca fui um entusiasta, reconheço-lhe isso. Continuo a achar, e parece-me que o próprio Sá Pinto o admitiu ontem na (excelente*) conferência de imprensa após o jogo, que o melhor sistema base para este Sporting é um 4x3x3 com meio campo em 1-2 e extremos mais aproximados do avançado (desta parte ele não falou, é totalmente minha)."
Conjunturalmente, excecionalmente, por uma vez, perante uma situação concreta, pode ser necessário dar um abanão nas nossas convicções. Abdicar daquilo em que acreditamos, normalmente, dá mau resultado. Foi o que aconteceu. Pior, aconteceu para dar ouvidos a uma turba impaciente que não quis ver o óbvio: jogar sem meio-campo pode resultar, excecionalmente, uma vez ou outra; regra geral, não dá.

[Falo agora para os 3 leitores que restam depois deste infindável e fiolsófico texto...]

Sá Pinto vai corrigir e inevitavelmente voltar ao 4x3x3. E ser preso por ter cão ou não ter. Se perdemos em 4x2x4, a turba dirá que é louco por jogar assim no Dragão; se perdermos em 4x3x3, a turba dirá que é um cobarde.

Isto só mostra, caro Sá Pinto (o único que ainda me lê neste momento, coitado...) que a turba não é para ouvir.

Enfim... com 4x2x4, 4x3x3 ou 4x5x1, se ganharmos no Dragão, mantém-se a chama acesa. Se empatarmos, ganha-se fôlego, mas tudo dependerá dos jogos seguintes. Se perdermos... acabou o sonho (sim, era um sonho, mas eu alimento sempre esse sonho) de disputar o título. Vamos ver como reage Sá Pinto e como reagem os jogadores.

Mas venham eles, os tripeiros... com uma ponta de sorte, pode sobrar para nós. E ser este, e não o Gil, o tal clique de que tanto se tem falado.

9 comentários:

  1. O jogo no estádio do Cavalo-Marinho não será decisivo para Sá Pinto. Ou seja, se lá perder, perdeu. É aceitável. Mais decisivo para o futuro de Sá Pinto será o confronto com o Videoton. Se Sá Pinto não ganhar na Hungria e perder no estádio do Ladrão (como perspectivo) jogará tudo no confronto (fora) com o Moreirense para a Taça e em Alvalade com a Académica (se lá chegar). Ou seja, esquematizando:

    Videoton-Não ganha
    Andrades- perde
    Moreirense- vai de vela na taça

    Se isto acontecer, Sá Pinto já nem se senta ao pé do Paulinho com a Académica.

    Porém, se acontecer o seguinte:

    Videoton-ganha
    CRAC-não perde
    Moreirense-ganha
    Académica-ganha

    Aqui têem de levar com o rapaz até final da época. Porque as coisas vão encarril(h)ar e o "boost" moral será tremendo.

    Na eventualidade de Sá Pinto sair, e isto é um áparte, o Sporting vê-se na situação insólita de estar a pagar a, pelo menos, 3 treinadores: o que virá, Sá Pinto e Domingos. Porra, assim não há gestão que aguente!!!

    Sei ainda que este comentário tem muito pouco a ver com o post, mas tens de o ler e responder já que eu também li o post até ao fim!!!

    GRd Abraço

    Ass. Galaad

    ResponderEliminar
  2. Galaad,

    Qualquer gajo que leia este post até ao fim merece resposta, como é óbvio.

    Ponto prévio: nem ponho a hipótese de perder com o Videoton. O empate já não seria um bom resultado. Derrota na Hungria bom... nem quero imaginar.

    Quanto ao jogo do Dragão, caso percamos, acho que depende do tipo de derrota (não devia ser assim, mas vai ser). Se o Sporting for derrotado sem apelo nem agravo, evidenciando que está muito longe do nível do Porto, acho que o SP sai. Se for o clássico 2-1 com o penalty mal assinalado, o golo anulado e a bola ao poste, acho que ele ainda é capaz de convencer alguns sportinguistas que "uma vez mais, a sorte não quis nada connosco." (Puta de sorte, parece a melhor gaja da discoteca: nunca quer vir ter com os gajos que estão encostados ao balcão sem fazer a ponta, porque será?)

    Se o cenário for o que tu apontas em segundo lugar, convenhamos que não é mau e por isso eu próprio defendo que ele fique.

    Por fim, essa dos 3 treinadores não acredito... Se o Sá Pinto sair, sai sem indemnização. Caso contrário, perde toda a ideia de sportinguismo que dele foi feita até hoje. Posso estar enganado, mas é o que acho, ele nunca se poria a jeito para uma indemnização choruda.

    Abraço!

    PS: Amanhã grande joga na Luz. O Barcelona é favorito, mas o Benfica pode fazer uma gracinha. Não acredito que perca mas, a acontecer, não será mais do que 1-2, algo do género. Aliás, não acredito que o Benfica não marque. Vamos ver...

    ResponderEliminar
  3. Sobre o jogo de amanhã, e espero ardentemente estar enganado, vai ser triste, feio mesmo... Melga a marcar o Messi, Matic a marcar o Iniesta, o Perez a ter que levar com o Xavi e com o Busquets... vai ser deprimente. Vamos perder. Evidentemente que vamos perder. E tudo porque o querido lider e o Cruyff da Reboleira não tiveram noção da sorte que tiveram ao não acautelar as saidas com um trinco e um centro campista decente. É que este fds há Barcelona x Real. Evidentemente que eles veem para ganhar, mas não para esmagar. E seria aqui, que com uma equipa decente, poderiamos tirar qq coisa. Mas não acredito.

    Ab

    PS: Concordo contigo: não ganhar na Hungria será sempre um mau resultado.

    Ass. Galaad

    ResponderEliminar
  4. Para resolver isto, proponho uma das nossas já habituais apostas. Nesta tens muito pouco a perder.

    Aqui vai ela:
    - se o Benfica perder com o Barcelona hoje, pago-te uma jantarada naquele ródízio de marisco em Cascais;
    - se empatar ou ganhar, pagas tu.

    Atenção que também considero decisivo o facto de haver Real-Barça. Acho é que, em casa, mesmo este Benfica consegue parar um Barça que está com a cabeça noutro sítio. Nisso tens razão, tiveram sorte. Em qualquer outro momento do ano, também acho que a probabilidade de perder com o Barcelona seria muito maior. Mesmo assim, seria muito provável que o Benfica fizesse golos.

    Estamos de acordo na aposta?

    ResponderEliminar
  5. Sim, estamos de acordo. E acrescento ainda que na eventualidade (remota) do Benfica ganhar até podes trazer o resto da familia!!!! Nesse dia pago tudo!!! Se empatarmos vens só tu!

    Ab

    ResponderEliminar
  6. Quem te lembrares com laços consaguineos!!! Incluindo quem está para chegar.

    ResponderEliminar
  7. Come peixinho que também é bom...

    PS: Esta verificação de letras nos comentários é cá um pincel!!!

    ResponderEliminar