25/09/2012

Tudo por tudo


Sá Pinto ontem arriscou tudo.

Eu não vi a primeira parte, mas recordo que, a seguir ao Basileia, tinha dito isto:

"Se queremos arriscar algo no próximo jogo, podemos ainda fazer regressar Insua, avançar Pranjic, descansar Elias, colocar Izmailov no centro direita no apoio a Carrillo e Cedric. Num 11 com o quarteto do costume mas Insua em vez de Elias, e num meio-campo com Gelson, Izmailov e Pranjic, mais Labyad e Carrillo, acho que temos boas possibilidades de avançar o jogo uns 10/15 metros."

Sá Pinto foi ainda mais além: lançou Rinaudo no lugar de Gelson e Viola no de Carrillo (aproximando-o de Wolfswinkel). Manteve Capel em vez de Labyad. Entrou - dizem - com Pranjic mais à esquerda e Capel mais à direita, só com Rinaudo e Izmailov no meio. Arriscou bem mais do que o adepto de bancada pedia (eu incluído).

Pelo que me dizem - repito que não pude ver a primeira parte - o Sporting entrou muito bem e desta vez - desta vez... - foi efetivamente infeliz. Quanto à segunda parte, já não via um tudo por tudo assim há muitos anos. Poderia ter corrido muito mal, mas o Sporting ainda é o Sporting. O princípio de Murphy passa, agora, para outro. Espero que definitivamente.

Não sei se dá para manter este esquema. Mas Sá Pinto teve a versatilidade de, conjunturalmente, mudar o sistema em que acredita. Era o que se lhe pedia. Teve essa humildade e eu, que nunca fui um entusiasta, reconheço-lhe isso.

Continuo a achar, e parece-me que o próprio Sá Pinto o admitiu ontem na (excelente*) conferência de imprensa após o jogo, que o melhor sistema base para este Sporting é um 4x3x3 com meio campo em 1-2 e extremos mais aproximados do avançado (desta parte ele não falou, é totalmente minha).

Do "6" ao "10" seria algo como isto: Rinaudo, Izmailov, Pranjic, Carrillo, Labyad (Viola no próximo jogo, uma vez que Labyad ontem foi muito bem expulso ao abrigo de uma nova regra do futebol português: amarelo a quem empurra e a quem é empurrado; estarei atento ao critério daqui para a frente). Na frente, Wolfswinkel. O tal que "não vale nada" mas deu 2 dos 3 golos da equipa no campeonato, 4 dos 9 no total e 3 dos 5 pontos que temos.

Nota final: não retiro uma vírgula ao que disse sobre Gelson, mas estando Rinaudo em condições físicas, é evidente que é ele o titular. Porque dá o que Gelson dá e acrescenta qualidade de passe. Temo é que não possa jogar sempre. E, não podendo, prefiro jogar com Gelson sozinho, libertando Pranjic/Izmailov/mesmo Schaars ou Elias para outras missões, mais ofensivas.

E venha o Estoril para mais uma vitória do Sporting.

* - Quero ver o que vão dizer os que tanto criticaram as anteriores conferências de imprensa de Sá Pinto. Ontem esteve 15/20 minutos a discutir táticas com os jornalistas. A falar de futebol. Claro que já não tem tanta graça e já não vende tanto. Mas enquanto os outros só falam do "caráter", do "brio", da "entrega" e o diabo a quatro, este, pelo menos, fala de futebol. Fico a aguardar (sentado) pela coerência do jornalismo indígena.

2 comentários:

  1. Fiquei eufórico por ganharmos ao Gil Vicente e não me sinto nada envergonhado com isso. Os lampiões e os tripeiros que gozem à vontade que não me faz diferença nenhuma...

    Já tinha dito aqui num comentário que, para mim, a qualidade mais importa num jogador é a determinação. Todas as outras capacidades partem daí. Com isto quero dizer que se o Sporting jogar com esta "alma" todos os jogos, não tenho dúvida que os ganhamos todos (mesmo com os árbitros como adversário).

    Rinaudo é um grande jogador. Sempre achei Gélson uma alternativa (apesar de me estar a surpreender).

    Agora que tem mais margem de manobra, Sá Pinto deve planear muito bem os próximos jogos. Ainda acho que Sá Pinto se devia ter demitido após o jogo com o Rio Ave. Mas agora que parece ter encontrado o caminho certo, dou-lhe um voto de confiança.

    E viva o Sporting!

    ResponderEliminar
  2. Caro Anónimo,

    Há um ponto em que discordamos. É uma discordância ligeira, mas que pode ser decisiva.

    Nesta frase:

    "Com isto quero dizer que se o Sporting jogar com esta "alma" todos os jogos, não tenho dúvida que os ganhamos todos (mesmo com os árbitros como adversário)."

    eu faria uma ligeira alteração:

    "Com isto quero dizer que se o Sporting jogar com esta "alma" todos os jogos, não tenho dúvida que ESTAMOS MAIS PERTO DE OS GANHAR todos (mesmo com os árbitros como adversário)."

    A alma pode não chegar sempre. A atitude e a determinação são fundamentais, mas os fatores decisivos são e serão sempre a qualidade do futebol praticado e a eficácia. O Sporting continua a aparecer poucas vezes com 3/4 jogadores na área e, quando o faz e cria os desequilíbrios, continua a falhar muitos golos. Pode ser que isto mude com outra confiança. O Sporting ainda não conseguiu marcar na 1ª parte este ano, exceção feito ao jogo com o Horsens. Nesse jogo, e mesmo descontando a fraca qualidade do oponente (ainda assim não muito pior do que os Brondbys e Nordsjaellands da vida), o Sporting estabilizou o seu jogo e geriu a segunda parte com tranquilidade suficiente para por algum do seu futebol em campo. Mas foi o único. Nos outros jogos, andámos sempre a correr atrás do resultado ou a (tentar) segurá-lo.

    É claro que uma série de vitórias estabilizaria a equipa... Mas daqui a 15 dias temos clássico no Dragão. A ver vamos...

    E, claro, viva o Sporting!

    ResponderEliminar